Vadão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vadão
Vadao 2015.jpg
Informações pessoais
Nome completo Oswaldo Alvarez
Data de nasc. 21 de agosto de 1956 (63 anos)
Local de nasc. Monte Azul Paulista (SP), Brasil
Altura 1,76 m
canhoto
Apelido Vadão
Informações profissionais
Equipa atual sem clube
Posição treinador
Site oficial http://www.oswaldoalvarez.com.br/
Times/Equipas que treinou
1992–1994
1995
1995
1995–1996
1996–1997
1997–1998
1999
1999–2000
2000
2001
2001–2002
2003
2004
2005
2005
2006
2006–2007
2007–2008
2008
2008–2009
2009–2010
2010
2011
2012
2013
2013
2014
2014–2016
2017
2017–2019
Mogi Mirim
Guarani
Araçatuba
XV de Piracicaba
Mogi Mirim
Guarani
Matonense
Atlético Paranaense
Corinthians
São Paulo
Ponte Preta
Atlético Paranaense
Bahia
Ponte Preta
Tokyo Verdy
Ponte Preta
Atlético Paranaense
Vitória
Goiás
São Caetano
Guarani
Portuguesa
São Caetano
Guarani
Sport
Criciúma
Ponte Preta
Brasil
Guarani
Brasil
Última atualização: 11 de janeiro de 2018

Oswaldo Fumeiro Alvarez,[1][2] mais conhecido como Vadão (Monte Azul Paulista, 21 de agosto de 1956),[3] é um treinador de futebol brasileiro. Atualmente está sem clube.[4]

Carreira[editar | editar código-fonte]

No início da década de 1990, ganhou notoriedade do meio futebolístico, pelo ofensivo time que montou no Mogi Mirim, que na época ganhou o apelido de "Carrossel Caipira", em referência ao mítico time holandês, que encantou o mundo na Copa do Mundo de 1974.

Em 2001, sagrou-se campeão do Torneio Rio-São Paulo pelo São Paulo com um time repleto de jovens revelações, dentre os quais destacava-se o então garoto Kaká.

História com Guarani e Ponte Preta[editar | editar código-fonte]

Vadão é muito prestigiado na carreira de técnico de futebol, em especial no estado de São Paulo onde realizou ótimos trabalhos em especial em dois clubes famosos da cidade de Campinas, os rivais Guarani e Ponte Preta, Vadão tem uma grande identificação com as duas equipes, é conhecido por "Senhor dos Derbi", o treinador mantém uma invencibilidade nas partidas dos clássicos, chamados de derbi.

Pelo Guarani, Vadão possui cinco passagens, sendo as mais expressivas em 2009, quando assumiu a equipe bugrina após o estadual visando à Série B. Na competição nacional o treinador conseguiu uma grande campanha, com 21 vitórias em 38 rodadas de campeonato, sendo vice-campeão. A segunda passagem expressiva de Vadão pelo clube foi em 2012, quando montou uma grande equipe que disputou em alto estilo o Paulistão de 2012, sendo vice-campeão: o Guarani derrotou o Palmeiras por 3 a 2 nas quartas de final, ganhou do seu maior rival, a Ponte Preta, por 3 a 1, na semifinal, e perdeu para o Santos na final.

Na Ponte Preta, Vadão também obteve êxito. A mais recente passagem dele pelo clube campineiro foi em 2014, quando transformou a equipe que lutava contra o rebaixamento em uma equipe que ele levou até as quartas de final. Esses bom trabalhos renderam a ele um convite para comandar a Seleção Brasileira Feminina.

Vitória[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2007, assumiu o Vitória com o objetivo de conseguir o acesso a Série A do Brasileirão, que ocupava a sexta colocação da Série B até então.[5] Com uma campanha razoável, o Vitória retornou à elite do futebol brasileiro com duas rodadas de antecedência.[6] Vadão continuou no comando da equipe em 2008, porém, foi demitido em março pelas más exibições no Campeonato Baiano e na Copa do Brasil.[7]

Guarani[editar | editar código-fonte]

Em abril de 2009, acertou com o Guarani para a disputa da Série B.[8] Com vinte e uma vitórias em trinta e oito partidas, o clube paulista garantiu o acesso à Série A do ano seguinte como vice-campeão da competição.[9]

Portuguesa[editar | editar código-fonte]

No dia 10 de março de 2010, Vadão deixou o comando do Guarani e foi contratado pela Portuguesa em abril para tentar colocar novamente um clube na elite do futebol.[11] No entanto, foi demitido em outubro devido à campanha irregular.[12]

Volta ao São Caetano[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2011, foi apresentado pelo São Caetano,[13] clube pelo qual treinou em 2008 para o lugar de Márcio Goiano.

Recomeço no Sport[editar | editar código-fonte]

No dia 22 de dezembro de 2012, foi apresentado como novo comandante do Sport Club do Recife [14], com a prioridade de resgatar o bom futebol e tentar levar o time de volta a elite do futebol brasileiro.

No dia 7 de março de 2013, Vadão foi demitido, a eliminação nas quartas-de-final da Copa do Nordeste somada ao mal desempenho do time no Pernambucano são os motivos que levaram a demissão de Vadão e não conseguiu resgatar o futebol que os torcedores do Sport esperaram.[15]

Criciúma[editar | editar código-fonte]

No Criciúma fez uma campanha, considerada boa pelos jornalistas, porém não aguentou diretores e cartolas e foi demitido, deixando saudades na torcida. Com um aproveitamento de quase 50%, desligou-se do clube conquistando o campeonato catarinense, esse título foi o décimo do tigre. Vadão ainda comandou o Criciúma na Copa Sul Americana, levando o clube a voltar a disputar uma competição internacional após 21 anos.

Ponte Preta[editar | editar código-fonte]

Em 2 de fevereiro de 2014, assumiu mais uma vez o comando da Ponte Preta após a demissão de Sidney Moraes.[16] No dia 13 de abril de 2014, Vadão deixou o comando da Ponte Preta para aceitar o convite da CBF, o qual o convidava para comandar a Seleção Brasileira Feminina nos próximos anos. Ele comandou a equipe campineira em 13 jogos tendo 7 vitórias e 6 derrotas, o objetivo traçado pela diretoria ponte pretana era conseguir recuperar o futebol da equipe e livrar da queda a Série A2 no Paulistão, Vadão estava mantendo o objetivo proposto e deixou o clube nas quartas de final do Paulistão.[17]

Seleção Brasileira Feminina[editar | editar código-fonte]

Aceitou o convite para treinar a Seleção Brasileira Feminina nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio. Essa será a primeira experiência de Vadão no comando de uma equipe feminina, seu objetivo é planejar junto com a CBF e preparar a Seleção Brasileira Feminina até Jogos Olímpicos de 2016.[18] Após os Jogos Olímpicos de 2016, com a Seleção Brasileira Feminina ficando em quarto lugar, a CBF anunciou em 01 de novembro de 2016 a saída de Vadão do comando técnico da Seleção, está saída já estava programada desde o início do contrato do treinador e com seu consentimento. A passagem de Vadão na Seleção Brasileira Feminina foi analisada como positiva, a equipe demonstrou aspectos bons sob seu comando, e o treinador foi indicado junto com mais nove ao prêmio de Melhor técnico do Mundo na Fifa.[19] Em 25 de setembro de 2017, volta ao comando da Seleção Brasileira Feminina[20]

Guarani[editar | editar código-fonte]

No dia 23 de março de 2017, a diretoria do Guarani acertou a quinta passagem de Vadão pelo clube, o treinador tem uma grande identificação com o bugre, sob o comando da equipe ele soma mais de 200 partidas. O objetivo de princípio traçado pela diretoria, é a recuperação da equipe e o acesso a elite do Paulistão 2018, após essa competição virá a Série B, na qual o clube alviverde lutará para a permanência no torneio.[21] No dia 29 de agosto de 2017, a direção do clube de Campinas anunciou o fim da passagem de Vadão na equipe, devido aos maus resultados obtidos na Série B. A quinta passagem do treinador pelo Guarani teve um início promissor, o clube acumulou bons números, no Paulistão a equipe não se classificou para fase final por pouco, por apenas 2 pontos. Já na Série B o Bugre chegou a conquistar importantes vitórias no início, chegando até ser líder da competição, mas o feito não continuou devido a falta de contratações.[22]

Retorno a Seleção Brasileira Feminina[editar | editar código-fonte]

Apesar das sondagens de Chapecoense e Ponte Preta[23], no dia 25 de setembro de 2017, Vadão acabou recebendo o segundo convite para voltar ao comando da Seleção Brasileira Feminina, o treinador retoma os trabalhos visando o Campeonato Sul-Americano de Futebol Feminino, mais conhecida como Copa América Feminina que a equipe nacional feminina irá disputar em abril no chile.[24] Em abril, a Seleção Brasileira Feminina levantou mais uma taça sob o comando de Vadão na primeira competição de 2018, a Seleção Canarinho disputou 7 jogos na Copa América Feminina obtendo 7 vitórias e ganhando o título invicta, a ótima campanha realizada juntamente com o título rendeu vaga para Seleção Brasileira Feminina para o Mundial Feminino 2019, na França, e vaga para os Jogos Olímpicos de 2020, em Tókio. Vadão enalteceu o grande trabalho realizado pelas atletas e também pela formação da Seleção Permanente, projeto que a CBF vem estabelecendo visando a continuidade do trabalho das jogadoras na equipe nacional feminina.[25]

Em 22 de julho de 2019, foi oficializada sua saída do comando da Seleção, o que vinha sendo especulado desde a eliminação do Brasil na Copa do Mundo de Futebol Feminino na França.[26]

Jogos da Seleção Brasileira Feminina de Futebol[editar | editar código-fonte]
Legenda:      Vitórias —      Empates —      Derrotas
Data Competição Local Placar Adversário Ref.
2014
1 12 de setembro Copa América Feminina de 2014 Equador Loja 6 – 0 Bolívia Bolívia [27]
2 14 de setembro Copa América Feminina de 2014 Equador Loja 4 – 1 Flag of Paraguay.svg Paraguai
3 18 de setembro Copa América Feminina de 2014 Equador Cuenca 2 – 0 Flag of Chile.svg Chile
4 20 de setembro Copa América Feminina de 2014 Equador Azogues 0 – 2 Flag of Argentina.svg Argentina
5 24 de setembro Copa América Feminina de 2014 Equador Quito 4 – 0 Equador Equador
6 26 de setembro Copa América Feminina de 2014 Equador Sangolquí 6 – 0 Flag of Argentina.svg Argentina
7 28 de setembro Copa América Feminina de 2014 Equador Quito 0 – 0 Flag of Colombia.svg Colômbia
8 10 de dezembro Torneio Internacional Feminino de 2014 Brasil Brasília 4 – 0 Flag of Argentina.svg Argentina [28][29]
9 14 de dezembro Torneio Internacional Feminino de 2014 Brasil Brasília 3 – 2 Estados Unidos Estados Unidos
10 18 de dezembro Torneio Internacional Feminino de 2014 Brasil Brasília 4 – 1 China China
11 21 de dezembro Torneio Internacional Feminino de 2014 Brasil Brasília 0 – 0 Estados Unidos Estados Unidos
2015
12 9 de junho Copa do Mundo Feminino de 2015 Canadá Montreal 2 – 0 Flag of South Korea.svg Coreia do Sul [30]
13 13 de junho Copa do Mundo Feminino de 2015 Canadá Montreal 1 – 0 Espanha Espanha
14 17 de junho Copa do Mundo Feminino de 2015 Canadá Moncton 1 – 0 Costa Rica Costa Rica
15 21 de junho Copa do Mundo Feminino de 2015 Canadá Moncton 0 – 1 Austrália Austrália
16 11 de julho Jogos Pan-Americanos de 2015 Canadá Hamilton 3 – 0 Costa Rica Costa Rica [31]
17 15 de julho Jogos Pan-Americanos de 2015 Canadá Hamilton 7 – 1 Equador Equador
18 19 de julho Jogos Pan-Americanos de 2015 Canadá Hamilton 2 – 0 Flag of Canada.svg Canadá
19 22 de julho Jogos Pan-Americanos de 2015 Canadá Hamilton 4 – 2 Flag of Mexico.svg México
20 25 de julho Jogos Pan-Americanos de 2015 Canadá Hamilton 4 – 0 Flag of Colombia.svg Colômbia
21 9 de dezembro Torneio Internacional Feminino de 2015 Brasil Natal 11 – 0 Trinidad e Tobago Trinidad e Tobago [32]
22 13 de dezembro Torneio Internacional Feminino de 2015 Brasil Natal 6 – 0 Flag of Mexico.svg México
23 16 de dezembro Torneio Internacional Feminino de 2015 Brasil Natal 2 – 1 Flag of Canada.svg Canadá
24 20 de dezembro Torneio Internacional Feminino de 2015 Brasil Natal 3 – 1 Flag of Canada.svg Canadá
2016
25 2 de março Algarve Cup de 2016 Portugal Lagos 1 – 0 Nova Zelândia Nova Zelândia [33]
26 4 de março Algarve Cup de 2016 Portugal Vila Real de Santo António 3 – 1 Flag of Portugal.svg Portugal
27 7 de março Algarve Cup de 2016 Portugal Lagos 3 – 0 Flag of Russia.svg Rússia
28 9 de março Algarve Cup de 2016 Portugal Parchal 1 – 2 Flag of Canada.svg Canadá
29 3 de agosto Jogos Olímpicos de Verão de 2016 Brasil Rio de Janeiro 3 – 0 China China [34]
30 6 de agosto Jogos Olímpicos de Verão de 2016 Brasil Rio de Janeiro 5 – 1 Suécia Suécia
31 9 de agosto Jogos Olímpicos de Verão de 2016 Brasil Manaus 0 – 0 África do Sul África do Sul
32 12 de agosto Jogos Olímpicos de Verão de 2016 Brasil Belo Horizonte 0 – 0 Austrália Austrália
33 16 de agosto Jogos Olímpicos de Verão de 2016 Brasil Rio de Janeiro 0 – 0 Suécia Suécia
34 19 de agosto Jogos Olímpicos de Verão de 2016 Brasil São Paulo 1 – 2 Flag of Canada.svg Canadá
2018
35 5 de abril Copa América Feminina de 2018 Chile Coquimbo 3 – 1 Flag of Argentina.svg Argentina [35]
36 7 de abril Copa América Feminina de 2018 Chile Coquimbo 8 – 0 Equador Equador
37 11 de abril Copa América Feminina de 2018 Chile Coquimbo 4 – 0 Flag of Venezuela.svg Venezuela
38 13 de abril Copa América Feminina de 2018 Chile Coquimbo 7 – 0 Bolívia Bolívia
39 16 de abril Copa América Feminina de 2018 Chile La Serena 3 – 1 Flag of Chile.svg Chile
40 19 de abril Copa América Feminina de 2018 Chile La Serena 3 – 0 Flag of Argentina.svg Argentina
41 22 de abril Copa América Feminina de 2018 Chile La Serena 3 – 0 Flag of Colombia.svg Colômbia
42 26 de julho Amistoso Estados Unidos Kansas City, KS 1 – 3 Austrália Austrália [36]
43 29 de julho Amistoso Estados Unidos East Hartford, CT 2 – 1 Flag of Japan.svg Japão
44 2 de agosto Amistoso Estados Unidos Bridgeview, IL 1 – 4 Estados Unidos Estados Unidos
45 2 de setembro Amistoso Canadá Ottawa 0 – 1 Flag of Canada.svg Canadá
46 6 de outubro Amistoso Inglaterra Nottingham 0 – 1 Flag of England.svg Inglaterra
47 10 de novembro Amistoso França Nice 1 – 3 Flag of France.svg França
2019
48 27 de fevereiro SheBelieves Cup de 2019 Estados Unidos Chester, PA 1 – 2 Flag of England.svg Inglaterra [36]
49 2 de março SheBelieves Cup de 2019 Estados Unidos Nashville, TN 1 – 3 Flag of Japan.svg Japão
50 5 de março SheBelieves Cup de 2019 Estados Unidos Tampa, FL 0 – 1 Estados Unidos Estados Unidos
51 5 de abril Amistoso Espanha Don Benito 1 – 2 Espanha Espanha
52 8 de abril Amistoso Espanha San Pedro del Pinatar 0 – 1 Flag of Scotland.svg Escócia
53 9 de junho Copa do Mundo Feminino de 2019 França Grenoble 3 – 0 Flag of Jamaica.svg Jamaica [37]
54 13 de junho Copa do Mundo Feminino de 2019 França Montpellier 2 – 3 Austrália Austrália
55 18 de junho Copa do Mundo Feminino de 2019 França Valenciennes 1 – 0 Flag of Italy.svg Itália
56 23 de junho Copa do Mundo Feminino de 2019 França Le Havre 1 – 2 Flag of France.svg França

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Anos Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas
2001 São Paulo 29 16 4 9
2005 Tokyo Verdy 16 3 5 8
2007-2008 Vitória 34 18 6 10
2008 Goiás 6 0 3 3
2008-2009 2011 São Caetano 25 8 7 10
1995, 1997-1998, 2009-2010, 2012 2017 Guarani 204 88 45 71
2010 Portuguesa 28 12 4 12
2013 Sport 12 5 6 1
2013 Criciúma 34 12 9 13
2014 Ponte Preta 129 7 0 6
2014- Seleção Brasileira Feminina 56 35 5 16

Campanhas em Destaque[editar | editar código-fonte]

Mogi Mirim

  • Carrossel Caipira: 1992, 1993 e 1994
  • Vice Campeão do Torneio João Havelange

Guarani

  • Vice Campeão Brasileiro- Série B: 2009
  • Vice Campeão Paulista: 2012

Seleção Brasileira Feminina de Futebol

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira Feminina
Criciúma
Tokyo Verdy
São Paulo
Atlético Paranaense
XV de Piracicaba

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Vadão - Oswaldo Fumeiro Alvarez - Seleção (Féminine) - Sambafoot.com, tudo sobre o futebol brasileiro». www.sambafoot.com. Consultado em 30 de julho de 2019 
  2. «Oswaldo Fumeiro Alvarez :: Estatísticas :: Títulos :: Títulos :: Histórico :: Jogos :: Notícias :: Vídeos :: Fotos :: ogol.com.br». www.ogol.com.br (em bretão). Consultado em 30 de julho de 2019 
  3. «Vadão - Ficha de treinador». www.transfermarkt.com.br. Consultado em 30 de julho de 2019 
  4. «Vadão deixa a Seleção Brasileira Feminina». Confederação Brasileira de Futebol. Consultado em 30 de julho de 2019 
  5. «Vadão é apresentado no Vitória». atarde.com.br. 10 de setembro de 2007. Consultado em 29 de novembro de 2010 
  6. «Vitória goleia CRB e garante retorno à Série A». esportes.terra.com.br. 13 de novembro de 2007. Consultado em 29 de novembro de 2010 
  7. «Vadão é demitido do Vitória». atarde.com.br. 24 de março de 2008. Consultado em 29 de novembro de 2010 
  8. «Rebaixado, Guarani contrata Vadão e demite dirigente». esportes.terra.com.br. 6 de abril de 2009. Consultado em 29 de novembro de 2010 
  9. «Guarani, Ceará e Atlético garantem acesso na Série B». estadao.com.br. 21 de novembro de 2009. Consultado em 29 de novembro de 2010 
  10. «Vadão conta como levou o Guarani à Série A». lancenet.com.br. 21 de novembro de 2009. Consultado em 29 de novembro de 2010 
  11. «Portuguesa anuncia Vadão como novo treinador». atarde.com.br. 16 de abril de 2010. Consultado em 29 de novembro de 2010 
  12. «Vadão não é mais o técnico da Portuguesa». esporte.ig.com.br. 13 de outubro de 2010. Consultado em 29 de novembro de 2010 
  13. Futebol Interior. «São Caetano age rápido e acerta com Vadão para a Série B». Consultado em 6 de julho de 2011 
  14. {{citar web|url=http://www.sportrecife.com.br/news/detalhe.cfm?nid=4588
  15. «Mau desempenho do Sport provoca demissão do técnico Vadão». GloboEsporte. Consultado em 7 de março de 2013 
  16. «Ponte Preta busca reabilitação diante do Corinthians neste domingo (02) e Vadão faz reestreia no comando da Macaca». Sítio oficial AAPP. 2 de fevereiro de 2014 
  17. «Vadão deixa a Ponte Preta para assumir a seleção brasileira feminina». Folha de S.Paulo 
  18. «Vadão é o novo treinador da Seleção Feminina - Seleção Brasileira». Seleção Brasileira 
  19. «Saída da seleção feminina já estava combinada com a CBF, diz Vadão». sportv.com 
  20. «Oficial: Vadão retorna ao comando da seleção feminina». Globoesporte 
  21. «Guarani acerta chegada de Vadão e marca apresentação para esta tarde». globoesporte.com 
  22. «Guarani anuncia primeiras mudanças e demite Vadão; Cabo é o novo técnico». Globoesporte 
  23. «Vadão fala sobre sondagens de Ponte e Chapecoense: "Estou esperando"». www.futebolinterior.com.br. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  24. «Vadão é o novo técnico da seleção brasileira feminina». Folha de S.Paulo 
  25. «Após hepta da Copa América, Vadão vê Brasil colher frutos de seleção». www.futebolinterior.com.br. Consultado em 24 de abril de 2018 
  26. «Vadão não é mais técnico da seleção brasileira feminina». Globo Esporte. Consultado em 22 de julho de 2019 
  27. «Copa América de Futebol Feminino será em setembro no Equador». CONMEBOL. 24 de maio de 2014. Consultado em 7 de maio de 2015 
  28. «Seleção Feminina disputará Torneio Internacional de Brasília em dezembro deste ano». CBF. 15 de outubro de 2014. Consultado em 13 de novembro de 2014 
  29. «Definida tabela do Torneio Internacional de Brasília». CBF. 28 de outubro de 2014. Consultado em 13 de novembro de 2014 
  30. «Goleira falha, Brasil perde para a Austrália e está fora do Mundial». Globoesporte.globo.com. 21 de junho de 2015. Consultado em 12 de junho de 2019 
  31. «Brasil goleia Colômbia no futebol feminino e leva ouro no Pan». Folha.Uol. 25 de julho de 2015. Consultado em 11 de junho de 2019 
  32. «Natal sedia Torneio Internacional de Futebol Feminino em dezembro». Globoesporte.globo.com. 21 de agosto de 2015. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  33. «Algarve cup: abaixo do esperado». Blog Globoesporte. 11 de março de 2016. Consultado em 12 de junho de 2019 
  34. «Com lágrimas e sob aplausos, seleção feminina se despede da Rio 2016 sem medalha». Agência Brasil EBC. 19 de agosto de 2016. Consultado em 12 de junho de 2019 
  35. «Brasil alcanza su séptimo título de campeón de Copa América femenina». CONMEBOL. 22 de abril de 2018. Consultado em 12 de junho de 2019 
  36. a b «Jogos Seleção Feminina». CBF. Consultado em 12 de junho de 2019 
  37. «Seleção Feminina viaja para a França para a estreia na Copa do Mundo». CBF. 6 de junho de 2019. Consultado em 21 de junho de 2019 
Precedido por
Antônio Clemente
Heriberto da Cunha
Givanildo Oliveira
Treinador do Atlético Paranaense
1999-2000
2003
2006-2007
Sucedido por
Arthur Neto
Mário Sérgio
Antônio Lopes
Precedido por
Oswaldo de Oliveira
Treinador do Corinthians
2000
Sucedido por
Candinho
Precedido por
Marco Aurélio
Treinador do Vitória
2007–2008
Sucedido por
Vágner Mancini
Precedido por
Sérgio Guedes
Treinador do Sport
2013
Sucedido por
Gustavo Bueno (interino)
Precedido por
Sílvio Criciúma (interino)
Treinador do Criciúma
2013
Sucedido por
Sílvio Criciúma
Precedido por
Sidney Moraes
Treinador da Ponte Preta
2014
Sucedido por
Dado Cavalcanti
Precedido por
Márcio Oliveira
Emily Lima
Treinador da Seleção Brasileira Feminina
2014–2016
2017–2019
Sucedido por
Emily Lima
Pia Sundhage