Loja (Equador)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Loja é uma pequena cidade do Equador, localizada na zona oriental da província de Loja, na parte sul do Equador, ao sul dos Andes equatorianos. A cidade é capital da província homônima e do cantão e possui mais de 200 mil habitantes.

Tem uma rica tradição nas artes, sendo reconhecida como a Capital Musical e Cultural do Equador. Existem aqui duas universidades importantes, a Universidade de Loja e a Universidade Técnica Particular de Loja[1].

História[editar | editar código-fonte]

Foi fundada em 8 de dezembro de 1548 pelo capitão Alonso de Mercadilho como Vila da Limpa Conceição de Loja em honra da Virgem Maria e da cidade espanhola.

Antes da chegada dos conquistadores a região estava habitada pelos indígenas Paltas e após pelos Incas que vieram do Peru para conquistar essas terras em 1460. No século XVI, os espanhóis decobriram as minas de ouro de Zaruma no Litoral e de Zamora na parte oriental. Loja virou num importante centro mineiro durante a colônia. No século XVIII, nas florestas dos arredores foi descoberta uma planta milagrosa: a Quina (Cinchona officinalis), famosa por ter sido a cura da mulher do Vice-Rei do Peru quem estava doente de fevre amarela. Desde lá, a região ficou famosa aparecendo nas pesquisas da Missão Geodésica Francesa em 1736 ou nos estudos botânicos de Celestino Mutis em 1780.

Música[editar | editar código-fonte]

Com a chegada da Ordem religiosa dos Dominicos no século XVI chegou o ensino do evangelho e da música. Dizem os cronistas de Índias que os nativos tinham muita habilidade para cantar, pintar e entalhar. Assim, as artes foram desenvolvidas ao longo do período colonial e, graças à paixão de seus habitantes, Loja é conhecida como a Capital Musical do Equador. Mais de um 70 por cento dos lojanos cantam e interpretam algum instrumento musical (principalmente o violino e o violão). Hoje, a cidade conta com uma Orquestra Sinfónica Nacional, outra Orquestra da Prefeitura, vários grupos corais além de ser o berço de inúmeros cantores e compositores de música popular equatoriana.

Cultura e ecologia[editar | editar código-fonte]

Loja ganhou vários prêmios por ser uma cidade ecológica única no país graças a sua planta de tratamento do lixo.
Quando for lá, deve visitar o Mercado, uma jóia da limpeza da cidade. No Centro Histórico se encontram as maiores atrações:

  • o Parque São Sebastião com a Torre;
  • a Catedral;
  • antigo Museu do Banco Central, atual Museu da História e Cultura Lojana .;
  • a Praça e convento de São Francisco;
  • a Praça e convento de Santo Domingo;
  • a Porta da Cidade;
  • o imperdível Museu da Música.

Não perca a visita ao Parque Jipiro, um sítio natural onde foram construídas réplicas de prédios famosos do mundo. Em setembro é realizada a Feira Binacional Equador-Peru além da procissão em honra da Virgem de El Cisne.

Referências

  1. Peralta Castillo, Alejandra (2016). Análisis del Modelo de Gestión del Museo de la Cultura Lojana, Màster Oficial en Gestió Cultural, Universitat de Barcelona. Facultat d’Economia i Empresa , curs: 2015-2016, Tutor: Xavier Torrens.