Monte Azul Paulista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Monte Azul.
Município de Monte Azul Paulista
"A Princesinha da Colina"
Bandeira de Monte Azul Paulista
Brasão de Monte Azul Paulista
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 29 de junho de 1896 (120 anos)
Gentílico monteazulense
Prefeito(a) Paulo David (PSDB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Monte Azul Paulista
Localização de Monte Azul Paulista em São Paulo
Monte Azul Paulista está localizado em: Brasil
Monte Azul Paulista
Localização de Monte Azul Paulista no Brasil
20° 54' 25" S 48° 38' 27" O20° 54' 25" S 48° 38' 27" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Ribeirão Preto IBGE/2008[1]
Microrregião Jaboticabal IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Severínia, Cajobi, Paraíso, Embaúba, Bebedouro e Colina.
Distância até a capital 420 km
Características geográficas
Área 263,492 km² [2]
População 19 268 hab. (SP: 240º) –  Censo IBGE/2010[3]
Densidade 73,13 hab./km²
Altitude 611 m
Clima tropical de altitude Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,753 alto
PIB R$ 467 320,092 mil IBGE/2008[4]
PIB per capita R$ 23 674,96 IBGE/2008[4]
Página oficial

Monte Azul Paulista é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 20º54'26" sul e a uma longitude 48º38'29" oeste, estando a uma altitude de 611 metros. Possui uma área de 263,5 km². Sua população estimada em 2016 é de 19.268 habitantes[5]. Situada na região Norte do estado de São Paulo, faz parte da microrregião da Serra de Jaboticabal e da mesorregião de Ribeirão Preto. Monte Azul Paulista limita-se com os seguintes municípios: Severínia, Cajobi, Paraíso (São Paulo), Embaúba (São Paulo), Bebedouro (São Paulo), Colina (São Paulo).

História[editar | editar código-fonte]

A fundação da atual Monte Azul Paulista e o povoamento do Município, estão ligados a dois fatos ocorridos ainda no fim do século passado. De um lado foi a procura de terras férteis para o café em sua marcha para o nordeste e oeste do Estado. Por outro a reunião dos fazendeiros Joaquim da Costa Penha e Felipe Cassiano. O segundo cumprindo promessa de fundar um patrimônio dedicado ao Senhor Bom Jesus, em pagamento pelo restabelecimento da saúde de sua mulher, e o primeiro por ter abandonado Jaboticabal em busca de novas terras. Felipe Cassiano, proprietário das fazendas Palmeiras e Avanhandava, em território do Município de Bebedouro, auxiliado por seus vizinhos Joaquim da Costa Penha, Alexandre Dias Nogueira, Antônio Ferreira de Melo Nogueira, Antônio Diniz Junqueira, Aureliano Junqueira Franco, Francisco Pereira e Boa Ventura, Antônio Pereira, em 1897, no alto do espigão entre as referidas fazendas, funda o patrimônio de São Bom Jesus de Avanhandava. Com a construção da capela, começaram a aparecer as primeiras casas no patrimônio de São Bom Jesus de Avanhandava, que recorre ao engenheiro João Mastela, de Bebedouro, a fim de traçar o arruamento da povoação. Em 1900 ganha o Distrito policial e em dezembro de 1903 o Distrito de Paz, subordinado a Bebedouro, já com nome de Monte Azul. Em 1914, Monte Azul Paulista o nome alterado para Monte Azul do Turvo, por ser banhado pelo rio do mesmo nome. No entanto em 1948, o topônimo é novamente alterado, agora para Monte Azul Paulista, que prevalece até hoje.

Um pequeno livro contando a história de Monte Azul Paulista veio sanar inúmeras dúvidas que pairavam sobre a cidade.

Podemos citar pelo menos duas de grande importância para nós: a primeira seria no sentido de que a cidade havia sido fundada em 1897 e não 1896.

Ficou claro pelas pesquisas feitas pelo historiador que o correto é 1896, isto porque no Diário do fundador Joaquim da Costa Penha está claro que no dia 29 de junho de 1896, ele, Felipe Cassiano e outras pessoas demarcaram o local onde hoje está localizada a Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus com uma cruz lavrada em uma imensa árvore, perto de um imenso coqueiro.

Alguns meses depois levantaram, nesse mesmo local, um cruzeiro e, no ano de 1897 é que foi lavrada a escritura de doação de alguns proprietários de terras do lado da Fazenda Avanhandava, para a Fábrica do Patrimônio Senhor Bom Jesus de Monte Azul.

Esse equívoco levou antigos moradores e historiadores pensarem e escreverem que a cidade teria sido fundada em 1897. Com a publicação do livro, foi desfeito esse desencontro de datas sobre a fundação da cidade.

A segunda dúvida tem a ver com a primeira, pois quando do cinquentenário, alguns políticos queriam que fosse comemorado em 1946, outros 1947, provocando certa animosidade entre os habitantes. Comemorou-se erradamente, em 1947, como entendiam os políticos da então situação.

Também, existe e não há maneira de se saber o que na verdade ocorreu, o fato de terem sido doados 25 alqueires que pertencem à Igreja e na realidade Monte Azul contar desde o início com 54 alqueires de terras mais ou menos. No entanto, é sabido que a família Junqueira colaborou com mais alguns alqueires para ser formado o patrimônio, sem, portanto, contarmos com nenhuma documentação comprobatória dessa doação.

Acreditamos que por serem imensas as glebas dessa tradicional família é que não foram lavrados documentos, mas a verdade é que as terras que ultrapassam os 25 alqueires iniciais são exatamente do lado da Fazenda Palmeiras que era dessa já mencionada família.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia predominante é agrícola, sendo que as principais culturas são: cana-de-açúcar e laranja, com 10 mil hectares de plantio de cada.

Além destas, encontra-se no município o plantio de seringueira, milho e goiaba, além da pastagem que, segundo o censo realizado em novembro e 2006, conta com 12 mil cabeças de gado.

A produção de laranja estimada para 2007 é de 4 milhões 372 mil caixas de laranja de 40,8 kg e a de cana-de-açúcar é de 760 mil toneladas.

Estima-se ainda que anualmente 1 milhão de cabeças de frango de corte são produzidos no município e cerca de 396 mil kg de látex coagulado.

O município conta também com 400 hectares de mata nativa.

A renda bruta anual da agropecuária do município para o ano de 2007 está estimada em R$ 101 milhões 394 mil.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Casa da Cultura, um sobrado da época do café, foi adquirido no ano de 2001 pelo Prefeito Jackson Plaza e cedido para que se torne um Centro Cultural da cidade.

O sobrado teve o início de sua obra na primeira década do Século XX, tendo como proprietário a família Said Aidar, também proprietários da Casa Bancária Said Aidar. Construída com requintes em detalhes inspirados na arquitetura européia, e de precioso acabamento.

Durante a crise do café o sobrado foi vendido para outra família de banqueiros em ascensão na cidade, o Banco Antonio de Queiroz, que investiu no acabamento e na ampliação do sobrado e nos jardins que envolvem a casa.

Algumas curiosidades que a torna mais interessante, é o acabamento artístico que o proprietário fazia questão de investir, como por exemplo, as pinturas de todos os cômodos da casa, o sistema de calhas de cobre, os vitrais artísticos da sala principal, os lustres que o próprio proprietário fazia questão de escolher em suas viagens a Europa, alguns móveis que ainda estão na casa, etc.

O prédio sofreu duas reformas de maior importância desde então. Na década de 60 e 80, quando feitas à parte elétricas e a intervenção nas pinturas artísticas do pavimento superior e parte do inferior. De um modo geral a conservação da casa é boa quanto à arquitetura, mas quanto ao acabamento esta em situação delicada por motivo de algumas infiltrações ocorridas no local.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Possui Um Hospital (Senhor Bom Jesus), Maternidade (Maternidade Fernando Magalhães), Pronto Socorro, Hospital Do Olho (Nestor Elias David) sendo referência regional, um Posto de Saúde, havendo a construção de vários postos para atender toda população.

Educação[editar | editar código-fonte]

Possui

2 escolas municipais de ensino fundamental (Cel. Coronel Aureliano Junqueira Franco e outra)

2 escolas estaduais de ensino fundamental e médio

1 escola particular de ensino fundamental (Colégio Alternativo)

1 escola particular de ensino fundamental e médio (Escola Espaço Livre)

1 escola municipal de ensino infantil (Zenaide Calil Rosinha Prof)

5 Creches Municipais

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 20º54'26" sul e a uma longitude 48º38'29" oeste, estando a uma altitude de 611 metros. Sua população estimada em 2004 era de 20.505 habitantes.

Possui uma área de 263,5 km².

O município possui, além do distrito sede, o distrito: Marcondésia

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2010[6]

População total: 18.931

  • Urbana: 17.713
  • Rural: 1.218
  • Homens: 9.491
  • Mulheres: 9.440;

Densidade demográfica (hab./km²): 71,86

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 12,80

Expectativa de vida (anos): 75,76

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 1,60

Taxa de alfabetização: 90,14% (população de 25 anos ou mais).

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,753 (488º maior índice do país)[7]

  • IDH-M Renda: 0,733
  • IDH-M Longevidade: 0,843
  • IDH-M Educação: 0,690

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «IBGE | Cidades | São Paulo | Monte Azul Paulista». www.cidades.ibge.gov.br. Consultado em 5 de março de 2017 
  6. «IBGE | Cidades | São Paulo | Monte Azul Paulista | Censo Demográfico 2010: Sinopse». www.cidades.ibge.gov.br. Consultado em 5 de março de 2017 
  7. «IDHM Municípios 2010». PNUD Brasil. Consultado em 5 de março de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]