José Castelli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
José Castelli
Equipe Corinthians Campeonato Paulista de 1930. Da esquerda para a direita (Em pé): Tuffy, Nerino Gallanti, Grané, Guimarães, Del Debbio e Munhoz. (Agachados): Filó, Neco, Peres, Rato e De Maria
.
Informações pessoais
Nome completo José Castelli
Data de nasc. 10 de agosto de 1904 ou
19 de agosto de 1904
Local de nasc. Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo São Paulo SP,  Brasil
Nacionalidade Brasil Itália Ítalo-brasileiro
Falecido em 26 de setembro de 1984 (80 anos)
Local da morte ,  Brasil
Apelido Rato, Rei do Drible
Informações profissionais
Período em atividade Como Jogador: 1921-1937 (16 anos)
Como Treinador: 1937-1954 (17 anos)
Posição Meia
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
19211931
1931-1934
1934-1937
1937-19??
Brasil Corinthians
Itália Lazio
Brasil Corinthians
Brasil Portuguesa Santista
0208 0(69)
048 00(07)
0208 0(69)
0?? 0(??)
Seleção nacional
1931 Brasil Brasil 001 0(00)
Times/Equipas que treinou
1937
1942-1943
1951-1954
Brasil Corinthians
Brasil Corinthians
Brasil Corinthians

José Castelli, mais conhecido como Rato (10 de agosto[1] ou 19 de agosto de 1904[2]26 de setembro de 1984), foi um futebolista e treinador de futebol brasileiro, ídolo do Corinthians.

História[editar | editar código-fonte]

Jogador[editar | editar código-fonte]

De origem italiana José Castelli, conhecido como Rato, foi o primeiro meia que se tornou ídolo do Corinthians. Recebeu o apelido de Rato por ser pequeno, arisco e ágil como o roedor, e também ganhou a alcunha de "O Rei do Drible", por conta de suas fintas desconcertantes e sempre objetivas com a perna esquerda.

Rato foi um dos jogadores que por mais tempo defenderam o Corinthians – ficou no clube de 1921 a 1931 e de 1934 a 1937 – passagens alternadas por uma transferência à Lazio, da Itália. Sagrou-se duas vezes tricampeão paulista (1922/1923/1924 e 1928/29/1930) e entrou para a história ao marcar o primeiro gol em jogos oficiais à noite em São Paulo. Também faturou o título de Campeão dos Campeões pelo Corinthians diante do Vasco da Gama, em 1930.[3]

Treinador[editar | editar código-fonte]

Como responsável pelas categorias inferiores do Corinthians, Rato, é tido como o homem que descobriu Roberto Rivellino, para muitos o maior jogador e maior ídolo da história do Corinthians.[4]

E como treinador do Corinthians, Rato, foi bicampeão paulista de futebol em 1951/1952 e campeão da Pequena Taça do Mundo de 1953.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como Jogador[editar | editar código-fonte]

Corinthians

Como Treinador[editar | editar código-fonte]

Corinthians

Referências

  1. Celso Dario Unzelte, Almanaque do Corinthians Placar, Editora Abril, 2005, pág. 742
  2. Celso Dario Unzelte, Almanaque do Corinthians Placar, Editora Abril, 2005, pág. 708
  3. «Todo Poderoso Timão - Jogos Históricos - Corinthians 3x2 Vasco - 1930». Consultado em 10 de dezembro de 2012 
  4. https://tardesdepacaembu.wordpress.com/2012/09/18/rivellino-o-maloca-joga-muito/