Anfilogino Guarisi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Filó
Equipe Corinthians Campeonato Paulista de 1930. Da esquerda para a direita (Em pé): Tuffy, Nerino Gallanti, Grané, Guimarães, Del Debbio e Munhoz (Agachados): Filó, Neco, Peres, Rato e De Maria
.
Informações pessoais
Nome completo Amphilóquio Guarisi Marques
Data de nasc. 26 de dezembro de 1905
Local de nasc. São Paulo, Flag of Brazil (1889-1960).svg Brasil
Falecido em 8 de junho de 1974 (68 anos)
Local da morte São Paulo, Flag of Brazil (1968-1992).svg Brasil
Informações profissionais
Posição Ponta-direita
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1922-1924
1925-1929
1929-1931
1931-1937
1937-1939
1940
Flag of Brazil (1889-1960).svg Portuguesa
Flag of Brazil (1889-1960).svg Paulistano
Brasil Corinthians
Flag of Italy (1861-1946).svg Lazio
Flag of Brazil (1889-1960).svg Corinthians
Flag of Brazil (1889-1960).svg Palestra Itália
50 (21)
?
48 (33)
134 (43)
24 (8)
?
Seleção nacional
1925
1932-1934
Flag of Brazil (1889-1960).svg Brasil
Flag of Italy (1861-1946).svg Itália
4 (2)
6 (1)

Amphilóquio Guarisi Marques[1] conhecido no Brasil como Filó e conhecido na Itália como Guarisi (São Paulo, 26 de dezembro de 1905 — São Paulo, 8 de junho de 1974), foi um futebolista ítalo-brasileiro, grande ídolo do Corinthians, sendo o primeiro futebolista brasileiro campeão do mundo (ao conquistar a Copa do Mundo de 1934 com a Seleção Italiana).

Carreira[editar | editar código-fonte]

Carreira no Brasil[editar | editar código-fonte]

Filó começou a carreira na Portuguesa de Desportos, equipe da qual seu pai, o português Manuel Augusto Marques, foi o segundo presidente.[2] Sua mãe também era imigrante, veio da Itália, e graças a ela tinha cidadania italiana.

Em 1925, Filó transferiu-se para o Paulistano, na época o melhor time de São Paulo, sendo companheiro de equipe do lendário Arthur Friedenreich. Naquele mesmo ano Filó marcaria um dos gols da histórica vitória do Paulistano em um amistoso contra a França no Stade Français, jogo que terminou 7 a 2 para os paulistanos.[3]

Pelo Paulistano, Filó conquistaria três títulos paulistas, em 1926 (quando foi o artilheiro com 16 gols), 1927 e 1929, pela LAF(Liga dos Amadores de Futebol). Também em 1929 ele conquistaria outro título paulista, agora da APEA (Associação Paulista de Esportes Atléticos) pelo Corinthians. Naquela época, havia duas ligas de futebol em São Paulo. Pelo Corinthians, também conquistou a Copa dos Campeões em 1930[4] e mais três outros títulos estaduais (1937, 1938 e 1939.).

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Ainda em 1925, no final do ano, Filó faria seus quatro jogos oficiais pela Seleção Brasileira, o primeiro sendo contra o Paraguai, de pé direito: o Brasil venceu por 5 a 2 e ele marcou seus dois gols pela Seleção. Enfrentaria o Paraguai novamente, com o Brasil vencendo por 3 a 1, e os outros dois jogos foram ambos contra a Seleção Argentina, com um empate de 2 a 2 e uma derrota por 4 a 1. Filó também jogaria pelo Brasil em duas partidas não-oficiais, um empate de 1 a 1 contra o Corinthians (sua estreia pela Seleção) e outro de 2 a 2 contra o Newell's Old Boys, da Argentina.

Ele era esperado para integrar a Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1930, no Uruguai. Entretanto, um sério desentendimento entre as ligas carioca e paulista fez com que apenas jogadores do Rio de Janeiro fossem ao mundial. Filó, Friedenreich e outros craques paulistas da época, como Feitiço, acabaram ficando de fora. O único de São Paulo a ir para a Copa foi Araken Patusca, que estava em litígio com seu clube, o Santos.

Carreira na Itália[editar | editar código-fonte]

Em 1931, Filó foi para a Itália jogar pela Lazio, onde passou a ser chamado de Anfilogino Guarisi ou apenas Guarisi. O clube romano trouxera também seus companheiros de Corinthians De Maria, Del Debbio, Rato e Amílcar além dos jogadores Pepe, Duílio Salatin e Enzio Serafini do rival Palestra (Paulista) e os jogadores do Palestra (Mineiro), Ninão, Nininho e Niginho (que na equipe romana ficaram conhecidos respectivamente como Fantoni I, Fantoni II e Fantoni III). Também foram contratados André Tedesco (do Santos) e Benedito (do Botafogo), onde atuaram juntos na equipe que ficou conhecida como "La Brasilazio".[5]

Seleção Italiana[editar | editar código-fonte]

Sendo considerado cidadão italiano, por ser filho de uma italiana, Filó pôde jogar pela Squadra Azzurra e por ela participou da Copa do Mundo de 1934, onde a Itália, que era a anfitriã, conquistou seu primeiro título. Guarisi (como ele ficou conhecido na Itália), entretanto, só jogaria o primeiro jogo, na vitória por 7 a 1 contra os EUA; de qualquer forma, foi o primeiro brasileiro a ser campeão do mundo.

Seu único gol pela Itália fora contra a Grécia, nas Eliminatórias para a Copa. Este foi o primeiro gol da Seleção Italiana em uma disputa de eliminatória de Copa do Mundo.[6] Guarisi atuou naquela partida, a única disputada pela Itália nas eliminatórias,[6] ao lado de seu colega Fantoni II, o Nininho,[6] mas este acabou não convocado para o mundial.

Final da carreira[editar | editar código-fonte]

Filó voltou ao Corinthians em 1937 a tempo de vencer o estadual daquele ano (1937) e dos dois anos seguintes (1938 e 1939). Em 1940, no seu último ano como jogador, conquistou o Campeonato Paulista de 1940, seu quarto título paulista consecutivo, agora jogando pelo arqui-rival do Corinthians, a Società Sportiva Palestra Italia, atual Palmeiras.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Paulistano

Corinthians

Palestra Italia

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]