Estádio da Ponte Grande

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ponte Grande
Nomes
Nome Estádio da Ponte Grande
Apelido Ponte Grande
Características
Local Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo, São Paulo SP, Brasil Brasil
Gramado Grama natural
Capacidade 8.000 pessoas
Construção
Data 1916-1917
Inauguração
Data 17 de março de 1918
Partida inaugural Corinthians 3x3 Palestra Italia
Outras informações
Demolido 1937
Proprietário SC Corinthians Paulista (1918-1927) São Bento (da capital) (1927-1935)) Clube de Regatas Tietê (1936-2014)

O Estádio da Ponte Grande foi o primeiro estádio do Corinthians Paulista. Anteriormente o clube mandava seus jogos no "Campo do Lenheiro", em um terreno situado na antiga Rua dos Imigrantes, atual Rua José Paulino, no bairro do Bom Retiro onde o clube foi fundado. O Estádio da Ponte Grande foi inaugurado em 1918, e ficava próximo da Ponte das Bandeiras, onde hoje está localizado o Centro Esportivo e de Lazer Tietê, na região norte da cidade de São Paulo.[1]

Corinthians[editar | editar código-fonte]

O Estádio da Ponte Grande foi construido em uma área adquirida pelo Corinthians em 1916. A prefeitura de São Paulo cedeu o espaço por intermédio do político Alcântara Machado, pai do escritor homônimo. Machado atuou a favor do Corinthians para que o terreno (sem uso) fosse transformado em uma praça de esportes assim como já havia sido feito para outros clubes poliesportivos. O fato do Alvinegro ter adquirido o terreno foi um marco para o desenvolvimento do clube, e contribuiu para que o Corinthians se elevasse ao mesmo nível dos rivais da época: Paulistano e Germânia.

Na época, a prefeitura municipal acordou com o presidente do clube, João Baptista Maurício, o valor de 110 mil réis por uma área total de 13.506 metros quadrados, entre os clubes Clube de Regatas Tietê, e Associação Atlética das Palmeiras. O acordo foi formalizado em contrato em 17 de julho de 1916 pelo então prefeito Washington Luís. Na época, a área não era tão povoada como hoje e por estar numa região arborizada e próxima ao rio Tietê era vista como ideal para a prática de esportes.

O Corinthians mobilizou dirigentes, jogadores e sócios na construção do estádio em sistema de mutirão. O local ficou pronto em janeiro 1918 e para a inauguração foi convidado o rival Palestra Italia. O jogo foi realizado em 17 de março daquele ano e contou com a presença da imprensa paulista, que fez diversos elogios a praça de esportes corintiana, destacando as acomodações e o gramado. Alcântara Machado deu o pontapé inicial e a Associação dos Cronistas Esportivos de São Paulo (Aceesp) ofereceu uma taça para ser disputada. Como o jogo terminou empatado, em 3x3, os clubes disputaram outra partida que terminou com vitória do Palestra Italia por 4 a 2. O Alvinegro utilizou o local até 1927, ainda que, vez ou outra, utilizasse o Parque Antarctica e o Campo da Floresta para jogos com grande presença de público.

Em 1926, o então presidente do Corinthians Ernesto Cassano compra o terreno do Parque São Jorge para o clube. O terreno pertencia ao Esporte Clube Sírio, e foi comprado por Ernesto Cassano por 750 contos de réis, pagos em dez anos. A partir dai o clube iniciou o processo de mudança da Ponte Grande na zona norte de São Paulo, para o bairro do Tatuapé, na zona Leste da cidade.

No Estádio da Ponte Grande o Corinthians não ganhou nenhum título de expressão, mas o local recebeu a maioria das partidas dos títulos estaduais de 1922, 1923 e 1924, além de ter sido palco de algumas taças conquistadas em amistosos. Outro fato marcante foi o jogo entre a Seleção Brasileira x Corinthians. A partida amistosa aconteceu em 1925, e terminou empatada em 1-1. Apesar da importância histórica do local para o Alvinegro Paulista, há poucos registros fotográficos do que foi o primeiro Estádio do Corinthians.

Outros Proprietários[editar | editar código-fonte]

Com a ida do Corinthians para o Parque São Jorge o Estádio da Ponte Grande foi cedido para a Associação Atlética São Bento, clube já extinto da capital paulista, que pagou ao Corinthians 40 mil réis pelo local.

O estádio tinha capacidade para 8 mil pessoas e nunca foi reformulado. A Associação Atlética São Bento (da capital) permaneceu no local até 1935, quando mudou-se para cidade de São Caetano do Sul. Com a saída da Associação Atlética São Bento a área foi incorporada pelo Clube de Regatas Tietê, no ano seguinte, assim como o terreno da AA Palmeiras (herdado pelo São Paulo FC nos anos 1930).

No local onde ficava o estádio de futebol do Corinthians, o Clube de Regatas Tietê construiu as suas quadras de tênis, onde posteriormente a maior tenista do Brasil, Maria Esther Bueno, iniciou a sua vitoriosa carreira no tênis.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre estádios de futebol do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.