Futebol de São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Futebol em São Paulo)
Ir para: navegação, pesquisa

O Futebol em São Paulo é considerado o melhor, e um dos mais tradicionais do Brasil.

Entre todos os campeonatos estaduais, o Campeonato Paulista é o mais antigo, além de ser o que possui mais participantes e divisões, sendo estas a Primeira Divisão (subdividida nas séries A1, A2 e A3) e a Segunda Divisão.[1]

Além disso, no Futebol Paulista, encontram-se 3 das 4 maiores torcidas do Brasil: Corinthians, São Paulo e Palmeiras.

O Futebol Paulista é o que conta com o maior número de times campeões do Campeonato Brasileiro, 5 times, são eles São Paulo, Palmeiras, Corinthians, Santos e Guarani, além de ser o que mais detém títulos, 31, sendo 9 do Palmeiras, 8 do Santos, 7 do Corinthians, 6 do São Paulo e 1 do Guarani.

Conta com dois dos cinco times que jamais foram rebaixados da Série A do Brasileirão, Santos e São Paulo. É também o estado da federação com o futebol do interior mais forte e competitivo, sendo o único estado com quatro clubes campeões nacionais que não são da capital, o Santos, pelo Campeonato Brasileiro de 1961 a 1965, de 1968, de 2002 e 2004 e pela Copa do Brasil de 2010, o Guarani, pelo Campeonato Brasileiro de 1978, o Santo André pela Copa do Brasil de 2004 e o Paulista pela Copa do Brasil de 2005.

O Campeonato Paulista de Futebol - Série A2, fatura mais que qualquer outro campeonato estadual do país.

O Futebol Paulista detém 8 Copas Libertadores, sendo 3 do São Paulo, 3 do Santos, 1 do Palmeiras e 1 do Corinthians, apenas duas a menos do que todos os times dos restantes estados brasileiros juntos, que somam 10 Libertadores. O Futebol Paulista detém também 1 Copa Rio Internacional conquistada pelo Palmeiras, 4 Copas Intercontinentais, 2 do Santos e 2 do São Paulo e 3 Copas do Mundo de Clubes da FIFA, 2 do Corinthians e 1 do São Paulo. Os outros estados unidos somam 1 Copa Rio Internacional vencida pelo Fluminense , 2 Copas Intercontinentais vencidas por Flamengo e Grêmio e 1 Copa do Mundo de Clubes da FIFA conquistada pelo Internacional, tendo assim o futebol paulista 8 títulos intercontinentais oficiais contra apenas 4 dos outros estados juntos.

Os dois maiores campeões da história dos campeonatos nacionais (Taça Brasil, Roberto Gomes Pedrosa e Campeonato Brasileiro) são paulistas (Palmeiras com 9 e Santos com 8 títulos). O maior campeão na soma de todo e qualquer título nacional é o Palmeiras (12 títulos). Os clube com mais títulos do Campeonato Brasileiro moderno também é paulista, o Sport Club Corinthians Paulista com 7 conquistas. Os dois maiores campeões continentais brasileiros são paulistas, São Paulo e Santos, ambos com 3 Libertadores. O maior campeão intercontinental entre times brasileiros é o São Paulo com 3 títulos (sendo 2 Copas Intercontinentais e 1 Copa do Mundo de Clubes da FIFA), e o maior campeão da Copa do Mundo de Clubes da FIFA é o Sport Club Corinthians Paulista.

O maior jogador de todos os tempos, Pelé, fez sua carreira no Futebol Paulista, jogando pelo Santos, e o melhor jogador brasileiro da atualidade também é paulista, Neymar, sendo este também formado pelo Santos. Rogério Ceni, o goleiro-artilheiro, embora tenha nascido em Pato Branco, no Paraná, ele jogou toda a carreira no futebol paulista, mais especificamente no São Paulo FC, onde se tornou o jogador com mais partidas por um clube, mais vezes capitão e o goleiro com o maior número de gols na história.

Divisões[editar | editar código-fonte]

Já houve muitas formas e várias nominações de divisões no campeonato paulista em todo esse tempo em que o mesmo vem sendo disputado. Atualmente com o enorme número de equipes a solução foi uma estratificação do torneio e sendo assim surgiram diversas divisões, conforme a época e a entidade que organizava o torneio, houve entre duas e seis divisões de disputa do Campeonato Paulista, muito embora hoje exista o argumento de que são apenas "duas divisões divididas em séries", na verdade a chamada "Primeira Divisão Série A" com suas três "séries" Série A1, Série A2 e Série A3, que correspondem a três divisões distintas e a "Segunda Divisão Série B" já chegou a ter três séries B1, B2 e B3, sendo na prática da primeira à sexta divisões, segundo os critérios da FPF, hoje, a Primeira divisão do Campeonato Paulista recebe o nome de "Série A", Série A1, Série A2 e Série A3, que como foi dito são apresentadas as três como "primeira divisão" mas em termos práticos são respectivamente primeira, segunda e terceira; havendo inclusive acesso e descenso entre elas, onde hoje, as quatro primeiras colocadas da "Série A2" tomam o lugar das últimas colocadas da "Série A1", e assim sucessivamente. Já a "Série B" antes tida como "segunda divisão" foi unificada em apenas uma e recebe hoje o nome de Segunda divisão do Campeonato Paulista ou de "Série B", Segunda divisão embora na realidade seja a quarta divisão. A quinta divisão é a Taça Paulista.

Série A1[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Campeonato Paulista de Futebol

O Campeonato Paulista da Série A1 equivale ao primeiro nível do futebol do estado. É a divisão principal, que reúne os principais clubes de São Paulo.

O Paulistão, no formato atual, é composto por 16 times, que são divididos em 4 grupos. Cada participante joga contra todos, exceto os participantes do seu grupo. Após as 11 rodadas, os 2 melhores de cada grupo se enfrentam, dando início ao mata-mata. Os dois piores times, na classificação geral, e, segundo os critérios de desempate, são rebaixados para a série A2 do ano seguinte.

Os dois mais bem colocados estarão automaticamente qualificados para a Copa do Brasil do ano seguinte, exceto quando conquistam vagas também para a Taça Libertadores da América. Caso isto aconteça, as vagas vão para os mais bem colocados subsequentes.

Os dois mais bem classificados que não possuem vagas asseguradas nas Séries A, B e C do Campeonato Brasileiro de Futebol asseguram vagas para a disputa da Série D do mesmo ano.

O atual Campeão Paulista é o Corinthians.

Campeão do Interior[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Campeão do Interior

Do 5º ao 8º colocados, é realizado um "playoff" para definir o Campeão Paulista do Interior, sendo que deste torneio não podem fazer parte (por força do regulamento) os times da cidade de São Paulo, como Corinthians, Palmeiras, Portuguesa e São Paulo, além do Santos, que é uma equipe do litoral.

No ano de 2014 não houve o "playoff". O Penapolense sagrou-se Campeão do Interior pelo critério da melhor campanha dentre os times interioranos no torneio principal, lembrando-se que o Ituano foi o Campeão Paulista.[2]

Série A2[editar | editar código-fonte]

O Campeonato Paulista da Série A2 equivale ao segundo nível do futebol do estado. Acima desta divisão, está somente a Série principal, a A1, que reúne os principais clubes de São Paulo.

Na Série A2, todos os times jogam contra todos em turno único. Ao final das dezenove rodadas, as quatro melhores equipes conseguem o acesso para a Série A1, e o melhor time no campeonato consegue o título de Campeão Paulista da Série A2. Os seis piores times, segundo os critérios de desempate, são rebaixados para a série A3 do ano seguinte.

A Série A2 é mais popularmente conhecida como "Segunda Divisão", justamente por representar o segundo nível dos clubes. O torneio recebeu a denominação de A2 em 1994.

O atual campeão da Série A2 é o Capivariano F.C. [3]

Série A3[editar | editar código-fonte]

O Campeonato Paulista da Série A3 equivale ao terceiro nível do futebol do estado. Acima desta divisão, estão as Séries A1 e A2.

Seguindo o mesmo sistema dos dois torneios já citados, neste campeonato todos os times jogam contra todos em turno único. Ao final das dezenove rodadas, as oito melhores equipes disputam a segunda fase, que equivale as quartas de final em jogos de ida e volta divididos em quatro grupos de dois times. Os vencedores dos confrontos se classificam para a terceira fase (semifinal), também em jogos de ida e volta. Os dois vencedores se classificam automaticamente para a Série A2, e fazem a final, valendo o título de Campeão Paulista da Série A3. Os seis piores times, segundo os critérios de desempate, são rebaixados para a Série B do ano seguinte.

A Série A3 é mais popularmente conhecida como "Terceira Divisão", justamente por representar o terceiro nível dos clubes. O torneio recebeu a denominação de A3 em 1994.

O atual campeão da Série A3 é o Nacional, de São Paulo.

Segunda Divisão[editar | editar código-fonte]

O Campeonato Paulista de Futebol (Segunda Divisão (ou Série B)), equivale ao quarto nível do futebol do estado. Acima desta divisão, está a divisão principal (Série A1), além das séries A2 e A3.

Os times são divididos em quatro grupos jogam em turno e returno dentro do seu grupo. Ao final das rodadas, as quatro melhores equipes de cada grupo se classificam para a segunda fase e são divididas em quatro grupos de quatro times. Esses times jogam em turno e returno, dentro do grupo, sendo que os dois primeiros de cada grupo se classificam para uma terceira fase que é equivalente as quartas de final em jogos de ida e volta. Depois há semifinais, no mesmo sistema eliminatório de ida e volta. Os dois classificados fazem a final, e a disputa do título de Campeão Paulista da Série B e estão automaticamente classificados para a Série A3. Não há rebaixamento na Segunda Divisão.

A Segunda Divisão é mais popularmente conhecida como "Quarta Divisão", justamente por representar o quarto nível dos clubes. O torneio recebeu a denominação de Segunda divisão em 1994.

O atual campeão da Segunda Divisão é o time da Portuguesa Santista, da cidade de Santos.

A força do interior[editar | editar código-fonte]

Nenhum outro estado da federação tem nas cidades do interior times tão fortes, tradicionais e competitivos, até mesmo em nível nacional.

A princípio, o Campeonato Paulista era, na prática, um campeonato paulistano, municipal da capital. Em 1904 houve a possibilidade de que um time do litoral, o Internacional de Santos disputasse o torneio, mas ele não se classificou. Em 1907, dois times do litoral, o Americano de Santos e o Internacional de Santos, passam a disputar o torneio, tornando-o estadual.

Em 1910 o Sport Club Savóia de Sorocaba tem a chance de se tornar o primeiro time do interior a disputar o torneio mas não se classifica. Finalmente, em 1914, o Hydecroft Foot-Ball Club de Jundiaí é o primeiro time do interior do estado a disputar a Primeira Divisão.

Depois disso, apenas em 1926, com a cisão do futebol paulista entre APEA e LAF outro time do interior volta a disputar a Primeira Divisão Estadual: é o Paulista Futebol Clube também de Jundiaí, na LAF. A proximidade da capital e o trem como transporte são vitais para essas participações devido às distâncias, pouca estrutura de transporte e amadorismo. Neste ano, outro clube do litoral participava da primeira divisão, o Clube Atlético Santista, de Santos, além do próprio Santos FC.

Em 1927 a APEA convida o Guarani de Campinas e o Comercial de Ribeirão Preto para sua 1ª Divisão. O Bugre Campineiro participou do quadrangular final. Ainda em 1927 o Paulista de Jundiaí termina o Paulista da LAF na 3ª colocação, e em 1929 a Ponte Preta é vice-campeã na LAF.

Com o estabelecimento definitivo das Divisões inferiores e seu ascenso à Divisão de Elite Paulista, os clubes do interior ganharam o torneio ideal para seu crescimento. Para que um dos grandes da Capital ganhasse o Paulistão era decisivo ir bem nos difíceis jogos no interior.

Apenas em 1970 o interior voltou a disputar pra valer a taça, com a Ponte Preta novamente vice-campeã. Em 1976 foi a vez do XV de Piracicaba acabar vice-campeão, com o Guarani em 3º e Botafogo de Ribeirão Preto em 4º. A Ponte Preta ainda voltou a ser vice-campeã paulista em 1977, 1979, 1981 e 2008. O Guarani foi vice-campeão em 1988 e 2012.

Porém o grande feito do interior no Paulistão veio em 1986, quando a Internacional de Limeira conquistou o Campeonato Paulista em cima do Palmeiras, num Morumbi pintado de verde.

Em 1990, após o vice-campeonato do São José Esporte Clube em 1989, o futebol interiorano se superou e colocou dois times na chamada "Final Caipira" com o Bragantino campeão e o Novorizontino vice. O Bragantino ainda chegaria à final do Brasileirão do ano seguinte, terminando vice-campeão nacional de 1991, perdendo para o S. Paulo FC.

Em 2001 o Botafogo de Ribeirão Preto foi vice-campeão paulista e em 2002 o Ituano voltou a dar um título ao interior, mas nessa edição os grandes da capital não participaram do torneio, pois disputavam o Torneio Rio-São Paulo no mesmo período.

Em 2004 o São Caetano acaba campeão paulista, vencendo na final o Paulista de Jundiaí, que no ano seguinte, sagrar-se-ia campeão da Copa do Brasil após eliminar Fluminense e o Internacional de Porto Alegre, indo disputar a Copa Libertadores de 2006, quando chegou a derrotar por 2 a 1 o River Plate da Argentina em Jundiaí.

O Ituano tornou-se novamente campeão paulista no ano de 2014. O time da cidade de Itu venceu o Santos em disputa de pênaltis.

Mas a maior façanha do futebol caipira foi o Campeonato Brasileiro conquistado pelo Guarani Futebol Clube de Campinas em 1978, após eliminar Sport, Vasco da Gama e Palmeiras. O Guarani é, até o momento, o único clube do interior do Brasil a já ter ganho o título máximo nacional. E ainda foi vice brasileiro em 1986 e 1987, com três participações na Libertadores da América.

Principais títulos do futebol paulista[editar | editar código-fonte]

Intercontinentais e Mundiais[editar | editar código-fonte]

Continentais[editar | editar código-fonte]

Nacionais[editar | editar código-fonte]

Regionais[editar | editar código-fonte]

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

O Estado de São Paulo apresenta no futebol rivalidades importantes e clássicos de grande alcance, tanto na capital quanto no interior do Estado. Na capital, por exemplo, são pelo menos oito clássicos; Campinas, Ribeirão Preto, Sorocaba e várias outras cidades possuem "Dérbies" municipais. Além dos municipais existem as rivalidades de cidades próximas, como Marília Bauru ou Sorocaba e Itu.

Clássicos municipais[editar | editar código-fonte]

Alguns clássicos muncipais
Cidade Clássico
Araçatuba AEA vs. Atl. Araçatuba
Campinas Derby Campineiro
Limeira Dérbi Limeirense/Galeão
Ribeirão Preto Comefogo
Rio Claro Derby Rio-clarense
Santos Jabaquara x Port. Santista
Santos Jabaquara x Santos
Santos Port. Santista x Santos
São Bernardo do Campo Clássico Batateiro
São Jose do Rio Preto Derby Rio-pretense
São Paulo Derby Paulista
São Paulo Clássico dos Invictos
São Paulo Majestoso
São Paulo Juvenal Paulista
São Paulo Dérbi dos Imigrantes
São Paulo Choque Rei
São Paulo Clássico das Colonias
São Paulo Norte-sul paulistano
Sorocaba Derby Sorocabano

Clássicos Regionais[editar | editar código-fonte]

Listados alguns clássicos regionais, alguns sem dados
Região Cidades Clássico
Mesorregião de Araçatuba Araçatuba x Birigui AEA vs. Bandeirante
Mesorregião de Araraquara Araraquara x São Carlos Ferroviária vs. São Carlos
Mesoregião de Bauru Bauru x Jaú Noroeste vs. XV de Jaú
Região Metropolitana de Campinas Campinas x Americana Guarani vs. Rio Branco
Região Metropolitana de Campinas Americana x Santa Barbara d'Oeste Rio Branco vs. U. Barbarense
Mesorregião Macro Metropolitana Paulista Bragança Paulista x Jundiaí Bragantino vs. Paulista
Mesorregião Macro Metropolitana Paulista Jundiaí x Itu Briga de Galo
Mesorregião Macro Metropolitana Paulista Sorocaba x Itu São Bento vs. Ituano
Mesorregião Macro Metropolitana Paulista Sorocaba x Jundiaí Atlético Sorocaba vs. Paulista
Grande São Paulo São Caetano x Santo André Clássico do ABC
Baixada Santista Santos x São Vicente Derby Praiano
Mesorregião de Piracicaba Piracicaba x Limeira XV de Piracicaba vs. Inter de Limeira

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal de São Paulo

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]