Copa Verde de Futebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Copa Verde de Futebol
Copa Verde
Dados gerais
Organização CBF
Edições 5
Número de equipes 18
Sistema Eliminatório
Soccerball current event.svg Edição atual
editar

A Copa Verde de Futebol é uma competição regional brasileira disputada desde 2014, entre equipes da Região Norte e Centro-Oeste,[1] mais o Espírito Santo.[nota 1] Nas duas primeiras edições, o campeão do torneio ganhou uma vaga na Copa Sul-Americana do ano seguinte.[2][3][4] Atualmente, a competição assegura uma vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil.[5]

Organizada pela CBF, o torneio tem formato similar ao da Copa do Brasil, com partidas de ida e volta, em mata-mata, utilizando oito datas do calendário oficial do futebol brasileiro entre janeiro a fevereiro.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Máquina de troca de ingressos da Copa Verde, disponível em Vila Velha.

O torneio nasceu a partir da proposta de se fazer uma competição regional, como a Copa do Nordeste, para clubes da Região Norte – por isso o nome do torneio faz alusão à Floresta Amazônica.[2] Logo, foi decidido ampliar o torneio para clubes do Centro-Oeste e do Espírito Santo (que participava da antiga Copa Centro-Oeste).[6] Apesar de não ter sido incluída no calendário oficial da CBF para 2014, divulgado em setembro do ano anterior, o torneio foi confirmado pelo diretor de competições da entidade.[7]

Em 2016 foram incluídos os clubes do estado de Goiás, que não participavam até essa edição.[8]. Com dois clubes a mais, a CBF criou uma fase preliminar às oitavas de final. Outra mudança também foi a inclusão de clubes através do Ranking da CBF.[9] No ano seguinte, os times goianos ficaram de fora novamente, alegando falta de calendário para disputar o torneio. O formato da edição anterior, porém, foi mantido.[10]

Durante diversas partidas da Copa Verde, é possível trocar garrafas plásticas ou latas de alumínio por ingressos, através de máquinas instaladas nas cidades-sedes dos jogos.[11]

Transmissão[editar | editar código-fonte]

A Copa Verde é transmitida com exclusividade pelo canal Esporte Interativo, que também transmite a Copa do Nordeste. A emissora e o Ministério do Esporte dividem os custos de viagem das equipes.[2][3]

Edições[editar | editar código-fonte]

Ano Final Semifinalistas Número de participantes
Campeão Placar(es) Vice 3º lugar 4º lugar
2014
Detalhes
Distrito Federal (Brasil)
Brasília
1 – 2
2 – 1
7 – 6
(pen)
[nota 2]
Pará
Paysandu
Distrito Federal (Brasil)
Brasiliense
Pará
Remo
16
2015
Detalhes
Mato Grosso
Cuiabá
1 – 4
5 – 1
Pará
Remo
Pará
Paysandu
Mato Grosso
Luverdense
16
2016
Detalhes
Pará
Paysandu
2 – 0
1 – 2
Distrito Federal (Brasil)
Gama
Pará
Remo
Goiás
Aparecidense
18
2017
Detalhes
Mato Grosso
Luverdense
3 – 1
1 – 1
Pará
Paysandu
Amapá
Santos-AP
Rondônia
Rondoniense
18
2018
Detalhes
Pará
Paysandu
2 – 0
1 – 1
Espírito Santo (estado)
Atlético Itapemirim
Mato Grosso
Luverdense
Amazonas
Manaus
18

Títulos[editar | editar código-fonte]

Por equipe[editar | editar código-fonte]

Clube Títulos Vices 3º lugar 4º lugar
Pará Paysandu 2 (2016 e 2018) 2 (2014 e 2017) 1 (2015) 0
Mato Grosso Luverdense 1 (2017) 0 1 (2018) 1 (2015)
Distrito Federal (Brasil) Brasília 1 (2014) 0 0 0
Mato Grosso Cuiabá 1 (2015) 0 0 0
Pará Remo 0 1 (2015) 1 (2016) 1 (2014)
Distrito Federal (Brasil) Gama 0 1 (2016) 0 0
Espírito Santo (estado) Atlético Itapemirim 0 1 (2018) 0 0
Distrito Federal (Brasil) Brasiliense 0 0 1 (2014) 0
Amapá Santos-AP 0 0 1 (2017) 0
Goiás Aparecidense 0 0 0 1 (2016)
Rondônia Rondoniense 0 0 0 1 (2017)
Amazonas Manaus 0 0 0 1 (2018)

Por federação[editar | editar código-fonte]

Federação Títulos Vices 3º lugar 4º lugar
Pará Pará 2 3 2 1
 Mato Grosso 2 0 1 1
 Distrito Federal 1 1 1 0
 Espírito Santo 0 1 0 0
 Amapá 0 0 1 0
 Goiás 0 0 0 1
 Rondônia 0 0 0 1
 Amazonas 0 0 0 1

Por região[editar | editar código-fonte]

Região Títulos Vices 3º lugar 4º lugar
Centro-Oeste 3 1 2 2
Norte 2 3 3 3
Sudeste 0 1 0 0

Treinadores campeões[editar | editar código-fonte]

Ano Treinador Time Ref.
2014 Luis Carlos Souza Distrito Federal (Brasil) Brasília [21]
2015 Fernando Marchiori Mato Grosso Cuiabá [22]
2016 Dado Cavalcanti Pará Paysandu [23]
2017 Júnior Rocha Mato Grosso Luverdense [24]
2018 Dado Cavalcanti Pará Paysandu [25]

Artilharia[editar | editar código-fonte]

Ano Artilheiro Time Gols Ref.
2014 Lima Pará Paysandu 7 [26]
2015 Raphael Luz Mato Grosso Cuiabá 8 [27]
2016 Rafael Grampola Distrito Federal (Brasil) Gama 6 [28]
2017 Careca Rondônia Rondoniense 5 [29]
2018 Cassiano Pará Paysandu 9 [30]

Público[editar | editar código-fonte]

Médias de público por edição[editar | editar código-fonte]

  • 2014: 5.516 pagantes
  • 2015: 4.061 pagantes
  • 2016: 4.178 pagantes
  • 2017: 2.716 pagantes
  • 2018: 3.093 pagantes

Melhores médias de público por edição[editar | editar código-fonte]

Maiores públicos por edição[editar | editar código-fonte]

Ano Público[nota 3] Mandante Placar Visitante Estádio Data Etapa Rodada Ref.
2014 51 701 Brasília Distrito Federal (Brasil) 2–1 Pará Paysandu Mané Garrincha 21 de abril Final Volta [31]
2015 34 780 Remo Pará 4–1 Mato Grosso Cuiabá Mangueirão 30 de abril Final Ida [32]
2016 24 160 Paysandu Pará 2–0 Distrito Federal (Brasil) Gama Mangueirão 3 de maio Final Ida [33]
2017 26 653 Paysandu Pará 1–1 Mato Grosso Luverdense Mangueirão 16 de maio Final Volta [34]
2018 32 900 Paysandu Pará 1–1 Espírito Santo (estado) Atlético Itapemirim Mangueirão 16 de maio Final Volta [35]

Desempenho por equipe[editar | editar código-fonte]

Participações[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Participações na Copa Verde
Equipe 2014 2015 2016 2017 2018 Participações
Pará Águia de Marabá 17º 2
Goiás Aparecidense 1
Acre Atlético Acreano 15º 10º 2
Espírito Santo (estado) Atlético Itapemirim 1
Distrito Federal (Brasil) Brasília 16º 3
Distrito Federal (Brasil) Brasiliense 16º 2
Distrito Federal (Brasil) Ceilândia 10º 17º 2
Mato Grosso do Sul CENE 13º 14º 2
Mato Grosso do Sul Comercial-MS 11º 1
Mato Grosso do Sul Corumbaense 11º 1
Mato Grosso Cuiabá 13º 5
Espírito Santo (estado) Desportiva Ferroviária 11º 1
Espírito Santo (estado) Espírito Santo 10º 1
Espírito Santo (estado) Estrela do Norte 1
Amazonas Fast Clube 13º 11º 2
Acre Galvez 1
Distrito Federal (Brasil) Gama 1
Rondônia Genus 18º 1
Pará Independente-PA 1
Tocantins Interporto 15º 12º 3
Mato Grosso Luverdense 14º 4
Distrito Federal (Brasil) Luziânia 10º 2
Amazonas Manaus 1
Mato Grosso Mixto 1
Amazonas Nacional-AM 17º 4
Roraima Náutico-RR 16º 15º 2
Mato Grosso do Sul Operário-MS 14º 12º 2
Pará Paragominas 14º 1
Pará Paysandu 5
Acre Plácido de Castro 12º 1
Amazonas Princesa do Solimões 18º 3
Rondônia Real Ariquemes 13º 1
Pará Remo 15º 5
Espírito Santo (estado) Rio Branco 1
Acre Rio Branco-AC 15º 3
Rondônia Rondoniense 1
Amapá Santos-AP 10º 12º 5
Roraima São Raimundo-RR 16º 12º 14º 3
Mato Grosso do Sul Sete de Dourados 18º 1
Tocantins Sparta 1
Tocantins Tocantinópolis 13º 1
Tocantins Tocantins de Miracema 16º 1
Goiás Vila Nova 1
Rondônia Vilhena 11º 2

Ranking de pontos[editar | editar código-fonte]

Pos Times Pts J V E D GP GC SG
1 Pará Paysandu 84 38 25 9 4 81 34 +47
2 Pará Remo 45 26 13 6 7 44 33 +11
3 Mato Grosso Luverdense 40 22 12 4 6 40 23 +17
4 Mato Grosso Cuiabá 34 22 9 7 6 26 20 +6
5 Distrito Federal (Brasil) Brasília 21 14 6 3 5 16 11 +5
6 Espírito Santo (estado) Atlético Itapemirim 17 8 5 2 1 14 10 +4
7 Amazonas Nacional-AM 17 14 3 8 3 17 18 –1
8 Distrito Federal (Brasil) Brasiliense 15 8 5 0 3 14 11 +3
9 Amapá Santos-AP 13 16 3 4 9 26 32 –6
10 Goiás Vila Nova 12 6 3 3 0 7 1 +6
11 Distrito Federal (Brasil) Gama 12 8 3 3 2 10 7 +3
12 Goiás Aparecidense 10 6 3 1 2 8 6 +2
13 Amazonas Princesa do Solimões 10 10 3 1 6 13 19 –6
14 Pará Águia de Marabá 9 6 3 0 3 8 4 +4
15 Tocantins Interporto 8 8 2 2 4 6 14 –8
16 Distrito Federal (Brasil) Luziânia 8 6 1 5 0 9 8 +1
17 Espírito Santo (estado) Rio Branco 7 4 2 1 1 9 9 0
18 Distrito Federal (Brasil) Ceilândia 7 6 2 1 3 7 8 –1
19 Amazonas Manaus 6 6 1 3 2 7 7 0
20 Acre Rio Branco-AC 6 9 1 3 5 7 17 –10
21 Acre Galvez 5 4 1 2 1 2 3 –1
22 Tocantins Sparta 5 4 1 2 1 3 9 –6
23 Rondônia Vilhena 4 6 1 1 4 9 10 –1
24 Mato Grosso do Sul Operário-MS 4 4 1 1 2 2 5 –3
25 Acre Atlético Acreano 4 4 1 1 2 5 9 –4
26 Roraima São Raimundo-RR 4 6 1 1 4 4 11 –7
27 Amazonas Fast Clube 4 6 1 1 4 3 12 –9
28 Rondônia Rondoniense 4 6 0 4 2 8 11 –3
29 Rondônia Genus 3 1 1 0 0 2 1 +1
30 Mato Grosso do Sul Corumbaense 3 4 1 0 3 5 7 –2
31 Mato Grosso Mixto 3 2 1 0 1 3 5 –2
32 Pará Independente 3 2 1 0 1 2 4 –2
33 Espírito Santo (estado) Estrela do Norte 3 4 0 3 1 3 4 –1
34 Rondônia Real Ariquemes 2 2 0 2 0 2 2 0
35 Espírito Santo (estado) Desportiva Ferroviária 1 2 0 1 1 1 2 –1
36 Acre Plácido de Castro 1 2 0 1 1 0 1 –1
37 Espírito Santo (estado) Espírito Santo 1 2 0 1 1 0 2 –2
Mato Grosso do Sul Comercial-MS 1 2 0 1 1 0 2 –2
39 Mato Grosso do Sul Sete de Dourados 1 2 0 1 1 1 4 –3
40 Mato Grosso do Sul CENE 1 4 0 1 3 1 6 –5
41 Tocantins Tocantinópolis 0 2 0 0 2 3 5 –2
42 Pará Paragominas 0 2 0 0 2 3 6 –3
43 Tocantins Tocantins de Miracema 0 2 0 0 2 2 7 –5
44 Roraima Náutico-RR 0 4 0 0 4 3 18 –15

Maiores goleadas[editar | editar código-fonte]

Estas são as dez maiores goleadas da história da Copa Verde:

Mandante Placar Visitante Estádio Data Ano Ref.
1 Luverdense Mato Grosso 7–0 Tocantins Sparta Passo das Emas 18 de março 2018 [36]
2 Náutico-RR Roraima 2–7 Pará Paysandu Ribeirão 11 de fevereiro 2014 [37]
3 Paysandu Pará 6–1 Amazonas Princesa do Solimões Mangueirão 26 de fevereiro 2014 [38]
4 Luverdense Mato Grosso 5–0 Espírito Santo (estado) Rio Branco Passo das Emas 29 de março 2017 [39]
5 Cuiabá Mato Grosso 5–1 Pará Remo Arena Pantanal 7 de maio 2015 [40]
6 Paysandu Pará 4–0 Roraima Náutico-RR Curuzu 18 de fevereiro 2014 [41]
Brasília Distrito Federal (Brasil) 4–0 Pará Independente Boca do Jacaré 22 de fevereiro 2015 [42]
Vila Nova Goiás 4–0 Mato Grosso Luverdense Serra Dourada 10 de março 2016 [43]
Remo Pará 4–0 Roraima Náutico-RR Mangueirão 16 de março 2016 [44]
Remo Pará 4–0 Acre Atlético Acreano Mangueirão 16 de março 2017 [45]
Paysandu Pará 4–0 Tocantins Interporto Curuzu 20 de fevereiro 2018 [46]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. A inclusão do Espírito Santo acontece porque o Estado tinha representantes na antiga Copa Centro-Oeste.
  2. No dia 28 de julho de 2014, o STJD retirou o título do Brasília devido à escalação irregular de quatro jogadores na final do torneio, concedendo o título ao Paysandu.[12] No dia 1 de agosto, porém, o Brasília conseguiu um efeito suspensivo da decisão, retomando o título temporariamente.[13] A resolução final do caso seria julgada pelo Tribunal Pleno do STJD no dia 14 de agosto, mas foi adiada por conta do mau tempo.[14] Na sequência, o julgamento foi remarcado para o dia 2 de outubro, porém adiado outra vez devido a um pedido do Paysandu, uma vez que o relator do processo não poderia estar presente.[15][16] No dia 7 de novembro, ficou definido que o julgamento final aconteceria no dia 13 de novembro, após mais de um mês de indefinição.[17] Porém, mais uma vez o julgamento foi adiado, pois o Paysandu alegou que um de seus advogados não poderia comparecer.[18] Assim, o pleito foi adiado para o dia 27 de novembro,[19] quando finalmente o Pleno decidiu a favor do Brasília, que foi declarado campeão.[20]
  3. Considera-se apenas o público pagante.

Referências

  1. «Sem interesse, futebol goiano fica fora da Copa Verde». Terra Esportes. 9 de outubro de 2013. Consultado em 24 de março de 2015. 
  2. a b c «CBF cria Copa Verde, com times de 11 estados e que dá vaga na Sul-Americana». iG. 8 de outubro de 2013. Consultado em 4 de maio de 2016. 
  3. a b c «Copa Verde une 11 estados, do Amazonas ao Espírito Santo». Trivela. 8 de outubro de 2013. Consultado em 4 de maio de 2016. 
  4. «Conmebol confirma que Brasileirão dará seis vagas para a Sul-Americana». GloboEsporte.com. 14 de outubro de 2016. Consultado em 17 de novembro de 2016. 
  5. «Campeão entra nas oitavas da Copa do Brasil 2018». CBF. 1 de dezembro de 2016. Consultado em 27 de dezembro de 2016. 
  6. «Copa Verde com custeio da CBF poderá se tornar realidade com 2 clubes de MT». Futebol Matogrossense. 27 de julho de 2013. Consultado em 4 de maio de 2016. 
  7. «Dirigente da CBF confirma Copa Verde em janeiro e fevereiro de 2014». GloboEsporte.com. 26 de setembro de 2013. Consultado em 4 de maio de 2016. 
  8. «CBF divulga regulamento, tabela e plano de ação». CBF. 8 de dezembro de 2015. Consultado em 11 de dezembro de 2015. 
  9. «CBF muda regulamento da Copa Verde para incluir clube do Coronel Nunes». Paraná Online. 8 de dezembro de 2015. Consultado em 11 de dezembro de 2015. 
  10. «Copa Verde divulga tabela de 2017 sem os clubes de Goiás». Diário de Goiás. 30 de novembro de 2016. Consultado em 1 de dezembro de 2016. 
  11. «Copa Verde: troca sustentável de ingressos». CBF. 9 de abril de 2018. Consultado em 30 de abril de 2018. 
  12. «Caso Copa Verde: STJD pune Brasília, e Paysandu fica com título e vaga na Sul-Americana». Yahoo! Esporte Interativo. 28 de julho de 2014. Consultado em 16 de agosto de 2014. 
  13. «Brasília consegue reverter decisão e é, novamente, campeã da Copa Verde». Superesportes. 2 de agosto de 2014. Consultado em 16 de agosto de 2014. 
  14. «Por mau tempo, STJD adia decisão sobre título da Copa Verde». Superesportes. 14 de agosto de 2014. Consultado em 16 de agosto de 2014. 
  15. «Julgamento do caso Copa Verde é remarcado, e Papão pede adiamento». GloboEsporte.com. 30 de setembro de 2014. Consultado em 14 de outubro de 2014. 
  16. «Julgamento da Copa Verde é adiado; nova data ainda não está definida». GloboEsporte.com. 1 de outubro de 2014. Consultado em 14 de outubro de 2014. 
  17. «STJD confirma julgamento da Copa Verde para a próxima quinta-feira». GloboEsporte.com. 7 de novembro de 2014. Consultado em 8 de novembro de 2014. 
  18. «Julgamento que define campeão da Copa Verde é mais uma vez adiado». GloboEsporte.com. 13 de novembro de 2014. Consultado em 15 de novembro de 2014. 
  19. «STJD confirma julgamento da Copa Verde para o próximo dia 27». GloboEsporte.com. 14 de novembro de 2014. Consultado em 15 de novembro de 2014. 
  20. «Pleno decide: Brasília é campeão da Copa Verde e está na Sul-Americana». ESPN. 27 de novembro de 2014. Consultado em 30 de novembro de 2014. 
  21. «Súmula: Brasília 2x1 Paysandu» (PDF). CBF. 21 de abril de 2014. Consultado em 16 de abril de 2017. 
  22. «Súmula: Cuiabá 5x1 Remo» (PDF). CBF. 7 de maio de 2015. Consultado em 16 de abril de 2017. 
  23. «Súmula: Gama 2x1 Paysandu» (PDF). CBF. 10 de maio de 2016. Consultado em 16 de abril de 2017. 
  24. «Paysandu sai na frente, pressiona, mas LEC consegue empate leva o título da Copa Verde». GloboEsporte.com. 16 de maio de 2017. Consultado em 16 de maio de 2017. 
  25. «Paysandu empata com o Atlético-ES e conquista o bicampeonato da Copa Verde». GloboEsporte.com. 16 de maio de 2018. Consultado em 17 de maio de 2018. 
  26. «Artilharia da Copa Verde de Futebol de 2014». CBF. Consultado em 15 de abril de 2014. 
  27. «Artilharia da Copa Verde de Futebol de 2015». CBF. Consultado em 7 de maio de 2015. 
  28. «Artilharia da Copa Verde de Futebol de 2016». CBF. Consultado em 10 de maio de 2016. 
  29. «Artilharia da Copa Verde de Futebol de 2017». CBF. Consultado em 16 de maio de 2017. 
  30. «Artilharia da Copa Verde de Futebol de 2018». CBF. Consultado em 17 de maio de 2018. 
  31. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Brasília 2x1 Paysandu» (PDF). CBF. 21 de abril de 2014. Consultado em 25 de abril de 2014. 
  32. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Remo 4x1 Cuiabá» (PDF). CBF. 30 de abril de 2015. Consultado em 13 de maio de 2015. 
  33. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Paysandu 2x0 Gama» (PDF). CBF. 3 de maio de 2016. Consultado em 1 de abril de 2017. 
  34. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Paysandu 1x1 Luverdense» (PDF). CBF. 16 de maio de 2017. Consultado em 17 de maio de 2017. 
  35. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Paysandu 1x1 Atlético-ES» (PDF). CBF. 16 de maio de 2018. Consultado em 17 de maio de 2018. 
  36. «Com placar elástico, o Luverdense elimina o Sparta e se garante nas semifinais». GloboEsporte.com. 18 de março de 2018. Consultado em 28 de abril de 2018. 
  37. «Paysandu arrasa Náutico-RR fora de casa na estreia pela Copa Verde: 7 a 2». GloboEsporte.com. 11 de fevereiro de 2014. Consultado em 28 de abril de 2018. 
  38. «Lima faz quatro e Paysandu goleia o Princesa de Solimões por 6 a 1». GloboEsporte.com. 27 de fevereiro de 2014. Consultado em 28 de abril de 2018. 
  39. «Luverdense goleia o Rio Branco-ES e fica perto da semifinal da Copa Verde». GloboEsporte.com. 29 de março de 2017. Consultado em 28 de abril de 2018. 
  40. «Cuiabá atropela Remo, goleia por 5 a 1 e garante o título da Copa Verde». GloboEsporte.com. 7 de maio de 2015. Consultado em 28 de abril de 2018. 
  41. «Paysandu goleia Náutico/RR e avança na Copa Verde». Site Oficial do Paysandu. 18 de fevereiro de 2014. Consultado em 28 de abril de 2018. 
  42. «Brasília goleia Independente-PA por 4 a 0 e avança na Copa Verde». GloboEsporte.com. 22 de fevereiro de 2015. Consultado em 28 de abril de 2018. 
  43. «Vila atropela Luverdense e abre grande vantagem por vaga nas quartas da Copa Verde». GloboEsporte.com. 10 de março de 2016. Consultado em 28 de abril de 2018. 
  44. «Sem precisar, Remo goleia Náutico por 4 a 0 e se classifica com estilo». Futebol Interior. 16 de março de 2016. Consultado em 28 de abril de 2018. 
  45. «Remo aproveita desgaste do Atlético-AC, atropela e vai às quartas da Copa Verde». GloboEsporte.com. 16 de março de 2017. Consultado em 28 de abril de 2018. 
  46. «Na estreia de Walter, Paysandu goleia o Interporto e avança às quartas da Copa Verde». GloboEsporte.com. 20 de fevereiro de 2018. Consultado em 28 de abril de 2018.