Copa Verde de Futebol de 2015

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Copa Verde de Futebol de 2015
Copa Verde
Dados
Participantes 16
Organização CBF
Período 8 de fevereiro6 de maio
Gol(o)s 75
Partidas 30
Média 2,5 gol(o)s por partida
Campeão Cuiabá
Vice-campeão Remo
Melhor marcador Rafael Luz (Cuiabá) – 8 gols
Maiores goleadas
(diferença)
Brasília 4–0 Independente
Boca do JacaréTaguatinga
22 de fevereiro, Oitavas de final
 
Cuiabá 5–1 Remo
Arena PantanalCuiabá
7 de maio, Final
Público 121 832
Média 4 061,1 pessoas por partida
◄◄ 2014 Soccerball.svg 2016 ►►

A Copa Verde de 2015 foi a 2ª edição da competição de futebol realizada entre clubes dos estados da região Norte e da região Centro-Oeste (com exceção de Goiás) brasileiros, além do estado do Espírito Santo.

A competição contou com 16 times participantes, que foram escolhidos a partir de seu desempenho nos campeonatos estaduais. A quantidade de representantes por estado foi definida pelo Ranking da CBF, que distribuiu para essa edição três vagas para o estado do Pará, duas para os estados do Amazonas, do Mato Grosso e o Distrito Federal e uma para os demais estados participantes.[1]

Na decisão entre Cuiabá e Remo, o título ficou com a equipe mato-grossense. Após sofrer uma goleada de 4–1 na primeira partida, em Belém, o Cuiabá conseguiu reverter o placar no jogo de volta com uma vitória por 5–1, em Cuiabá.[2] O torneio teve como atrativo principal uma vaga para a Copa Sul-Americana de 2016, oferecida ao campeão. Segundo a CBF, a vaga ao torneio continental visa a ascensão dos times da região.[1]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

O lançamento oficial da competição foi realizado no dia 27 de janeiro de 2015 (terça-feira) na sede da CBF, no Rio de Janeiro. Com a presença do presidente da CBF, José Maria Marin, do presidente eleito, Marco Polo Del Nero, do técnico da Seleção Brasileira, Dunga, do coordenador de seleções, Gilmar Rinaldi, e dos presidentes das federações dos estados participantes, foi dada a largada para a competição que inicia em fevereiro.

O evento começou com o apresentador do Esporte Interativo André Henning falando sobre a primeira edição da Copa Verde, em 2014 e explicando como seria a forma de disputa deste ano: mata-mata desde a sua primeira fase, com oito jogos de ida e de volta. Desses, avançam oito times para as quartas de final; depois, quatro para as semifinais e dois para a decisão.

As federações com clubes participantes enviaram representantes para o lançamento da Copa Verde de 2015: Antônio Aquino, presidente da Federação de Futebol do Acre; Antônio Roberto Goés, presidente da Federação Amapaense de Futebol; Jozafá Dantas, presidente da Federação Brasiliense de Futebol; Gustavo Vieira, diretor e presidente eleito da Federação de Futebol do Espírito Santo; Romeu Castro, vice-presidente da Federação de Futebol do Mato Grosso do Sul; Helmute Lawish, presidente em exercício da Federação Mato-Grossense de Futebol; Antônio Carlos Nunes, presidente da Federação Paraense de Futebol; Heitor Costa, presidente da Federação de Futebol do Estado de Rondônia, e Leomar Quintanilha, presidente da Federação Tocantinense de Futebol.

Depois de agradecer a presença de todos os presidentes de federação, André Henning convidou o presidente Marin e o presidente eleito Marco Polo para falar sobre a Copa Verde.

- Estou muito feliz com mais esta edição da Copa Verde. Por maior que fosse o esforço da CBF, das federações e dos clubes, seria difícil alcançar esse sucesso sem a ajuda do Esporte Interativo e dos torcedores, que lotaram os estádios em 2014 - disse o presidente Marin.

- Nós já tínhamos criado a Copa do Nordeste, mas faltava uma parte do país ser beneficiada com a grandeza do futebol nacional. Acreditamos que o futebol é um bem do Brasil inteiro e é isso que estamos fazendo - ressaltou o presidente eleito Marco Polo.

Transmissão[editar | editar código-fonte]

Em parceria com a CBF no custeio das despesas dos times na competição, o canal Esporte Interativo ficou a cargo das transmissões dos principais jogos.[3][4]

Participantes[editar | editar código-fonte]

UF Clube Cidade Forma de Classificação Estádio (mando) Capacidade Títulos
Acre Acre Rio Branco-AC Rio Branco Campeão do Estadual 2014 Arena da Floresta 20 000 0 (não possui)
Amapá Amapá Santos-AP Macapá Campeão do Estadual 2014 Zerão 10 000
Amazonas Amazonas Nacional-AM Bandeira de Manaus.svg Manaus Campeão do Estadual 2014 Arena da Amazônia 42 374
Princesa do Solimões Bandeira-manacapuru.jpg Manacapuru Vice-campeão do Estadual 2014 Gilbertão 15 000
Distrito Federal (Brasil) Distrito Federal Luziânia Luziânia Campeão do Metropolitano 2014 Zequinha Roriz 21 564
Brasília Brasília Vice-campeão do Metropolitano 2014 Mané Garrincha 72 788 1 (2014)
Espírito Santo (estado) Espírito Santo Estrela do Norte Cachoeiro de Itapemirim Campeão do Estadual 2014 Estádio do Sumaré 5 000 0 (não possui)
Mato Grosso Mato Grosso Cuiabá Cuiabá Campeão do Estadual 2014 Arena Pantanal 42 968
Luverdense Bandeira de Lucas do Rio Verde.jpg Lucas do Rio Verde Vice-campeão do Estadual 2014 Passo das Emas 10 000
Mato Grosso do Sul Mato Grosso do Sul CENE Campo Grande Campo Grande Campeão do Estadual 2014 Olho do Furacão 24 000
Pará Pará Remo Bandeira belem.jpg Belém Campeão do Estadual 2014 Baenão 20 000
Paysandu Vice-campeão do Estadual 2014 Curuzu 16 000
Independente Bandeira tucurui.jpg Tucuruí 3º colocado do Estadual 2014 Navegantão 8 200
Rondônia Rondônia Vilhena Vilhena Campeão do Estadual 2014 Portal da Amazônia 5 000
Roraima Roraima São Raimundo Boa Vista Campeão do Estadual 2014 Ribeirão 3 000
Tocantins Tocantins Tocantinópolis Flag of None.svg Tocantinópolis Vice-campeão do Estadual 2014 Ribeirão 10 000

Estádios[editar | editar código-fonte]

Copa Verde.jpg CENE Estrela do Norte Independente Tocantinópolis Copa Verde.jpg
Olho do Furacão Estádio do Sumaré Navegantão Ribeirão
Capacidade: 2 400 Capacidade: 5 000 Capacidade: 8 200 Capacidade: 10 000
Brasília
Cuiabá
Mané Garrincha Arena Pantanal
Capacidade: 72 788 Capacidade: 42 496
Brasilia aerea estadionacional.jpg Cuiaba Arena.jpg
Nacional-AM Paysandu
Arena da Amazônia Curuzu
Capacidade: 42 374 Capacidade: 16 000
Manaus aerea arenaamazonia.jpg Estadio Curuzu 2013.jpg
Rio Branco-AC Vilhena
Arena da Floresta Portal da Amazônia
Capacidade: 20 000 Capacidade: 5 000
Arena da floresta.jpg Estadio-Portal-da-Amazonia.jpg
Luverdense Luziânia Princesa do Solimões Remo Santos-AP São Raimundo-RR
Passo das Emas Zequinha Roriz Gilbertão Baenão Zerão Ribeirão
Capacidade: 10 000 Capacidade: 21 564 Capacidade: 15 000 Capacidade: 20 000 Capacidade: 10 000 Capacidade: 3 000

Folha salarial[editar | editar código-fonte]

Reflexo das diferenças existentes num país de dimensões continentais como o Brasil, a Copa Verde tem times tradicionais como Remo, Nacional-AM e Paysandu e outros menos conhecidos como Independente-PA, Santos-AP e Tocantinópolis. Com investimentos modestos, a média da folha salarial dos participantes é de R$ 132 mil. O maior gasto com elenco, ao início da competição, era do Paysandu, cerca de R$ 400 mil por mês. Por sua vez, a folha salarial do São Raimundo-RR girava em torno de R$ 25 mil; o clube não tem receita e sobrevive de verbas da CBF para competições como a Copa Verde e a Copa do Brasil, além de incentivos da própria Federação Roraimense.[5]

Clube Folha Salarial
1 Pará Paysandu R$ 400 mil
2 Pará Remo R$ 300 mil
Amazonas Nacional-AM
4 Mato Grosso Cuiabá R$ 150 mil
Mato Grosso Luverdense
6 Distrito Federal (Brasil) Brasília R$ 120 mil
7 Amapá Santos-AP R$ 110 mil
8 Espírito Santo (estado) Estrela do Norte R$ 100 mil
Pará Independente
10 Rondônia Vilhena R$ 80 mil
11 Amazonas Princesa do Solimões R$ 70 mil
Distrito Federal (Brasil) Luziânia
13 Tocantins Tocantinópolis R$ 60 mil
14 Mato Grosso do Sul CENE R$ 50 mil
15 Acre Rio Branco-AC R$ 40 mil
16 Roraima São Raimundo-RR R$ 25 mil

Confrontos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados da Copa Verde de 2015

A tabela dos confrontos foi divulgada pela CBF em 27 de outubro.[6]

Em itálico, os times que possuem o mando de campo no primeiro jogo do confronto e em negrito os times classificados.

Oitavas de final Quartas de final Semifinais Final
 8 a 23 de fevereiro  7 a 22 de março  4 a 18 de abril  30 de abril e 7 de maio
                                                 
 Amapá Santos-AP 1 0 1  
 Pará Paysandu 1 2 3  
   Pará Paysandu 4 1 5  
   Amazonas Nacional-AM 1 1 2  
 Rondônia Vilhena 0 1 1
 Amazonas Nacional-AM 1 1 2  
   Pará Paysandu 2 0 2 (4)  
   Pará Remo (pen) 0 2 2 (5)  
 Roraima São Raimundo-RR 0 0 0  
 Amazonas Princesa do Solimões 2 2 4  
   Amazonas Princesa do Solimões 1 1 2
   Pará Remo 2 2 4  
 Pará Remo 2 2 4
 Acre Rio Branco-AC 0 0 0  
   Pará Remo 4 1 5
   Mato Grosso Cuiabá 1 5 6
 Tocantins Tocantinópolis 1 2 3  
 Mato Grosso Luverdense 2 3 5  
   Mato Grosso Luverdense (gf) 1 1 2
   Distrito Federal (Brasil) Brasília 0 2 2  
 Pará Independente 2 0 2
 Distrito Federal (Brasil) Brasília 0 4 4  
   Mato Grosso Luverdense 0 0 0
   Mato Grosso Cuiabá 1 0 1  
 Espírito Santo (estado) Estrela do Norte (pen) 1 1 2 (4)  
 Distrito Federal (Brasil) Luziânia 1 1 2 (3)  
   Espírito Santo (estado) Estrela do Norte 0 1 1
   Mato Grosso Cuiabá 1 1 2  
 Mato Grosso do Sul CENE 0 1 1
 Mato Grosso Cuiabá 1 3 4  

Final[editar | editar código-fonte]

Ida[editar | editar código-fonte]

30 de abril Remo Pará 4 – 1 Mato Grosso Cuiabá Estádio Mangueirão, Belém
19:40
Rafael Paty Gol marcado aos 21 minutos de jogo 21' (pen), Gol marcado aos 44 minutos de jogo 44'
Ratinho Gol marcado aos 33 minutos de jogo 33'
Warian Santos Gol marcado aos 88 minutos de jogo 88'
Gol marcado aos 23 minutos de jogo 23' Kaique Público: 34 780
Renda: R$ 976.056,00
Árbitro: TocantinsTO Alisson Sidnei Furtado

Volta[editar | editar código-fonte]

7 de maio Cuiabá Mato Grosso 5 – 1 Pará Remo Arena Pantanal, Cuiabá
21:30
Raphael Luz Gol marcado aos 24 minutos de jogo 24' (pen), Gol marcado aos 34 minutos de jogo 34', Gol marcado aos 49 minutos de jogo 49' (pen)
Nino Guerreiro Gol marcado aos 41 minutos de jogo 41', Gol marcado aos 80 minutos de jogo 80'
Gol marcado aos 73 minutos de jogo 73' Val Barreto Público: 3 315
Renda: R$ 99.640,00
Árbitro: Mato Grosso do SulMS Paulo Henrique Schleich Vollkopf

Premiação[editar | editar código-fonte]

Copa Verde de Futebol de 2015
Mato Grosso
Cuiabá
Campeão
(1º título)

Maiores públicos[editar | editar código-fonte]

Esses são os dez maiores públicos da Copa Verde de 2015:

Público[PP] Mandante Placar Visitante Estádio Data Etapa Rodada Ref.
1 34 780 Remo Pará 4–1 Mato Grosso Cuiabá Mangueirão 30 de abril Final Ida [7]
2 21 861 Remo Pará 2–0 Pará Paysandu Mangueirão 18 de abril Semifinal Volta [8]
3 16 312 Paysandu Pará 2–0 Pará Remo Mangueirão 5 de abril Semifinal Ida [9]
4 6 982 Remo Pará 2–0 Acre Rio Branco-AC Mangueirão 8 de fevereiro Oitavas Ida [10]
5 6 970 Remo Pará 2–1 Amazonas Princesa do Solimões Mangueirão 21 de março Quartas Volta [11]
6 6 607 Paysandu Pará 4–1 Amazonas Nacional-AM Curuzu 8 de março Quartas Ida [12]
7 4 570 Paysandu Pará 2–0 Amapá Santos-AP Curuzu 21 de fevereiro Oitavas Volta [13]
8 3 338 Santos-AP Amapá 1–1 Pará Paysandu Zerão 8 de fevereiro Oitavas Ida [14]
9 3 315 Cuiabá Mato Grosso 5–1 Pará Remo Arena Pantanal 7 de maio Final Volta [15]
10 2 794 Nacional-AM Amazonas 1–1 Pará Paysandu Estádio da Colina 22 de março Quartas Volta [16]
  • PP. ^ Considera-se apenas o público pagante

Médias de público[editar | editar código-fonte]

Essas foram as médias de público dos clubes no Campeonato. Considera-se apenas os jogos da equipe como mandante e o público pagante:

  1. Pará Remo – 17 648
  2. Pará Paysandu – 9 163
  3. Amapá Santos-AP – 3 338
  4. Amazonas Nacional-AM – 2 404
  5. Mato Grosso Cuiabá – 1 504
  6. Pará Independente – 1 199
  7. Amazonas Princesa do Solimões – 1 076
  8. Acre Rio Branco-AC – 975
  1. Tocantins Tocantinópolis – 861
  2. Distrito Federal (Brasil) Luziânia – 725
  3. Mato Grosso Luverdense – 587
  4. Espírito Santo (estado) Estrela do Norte – 450
  5. Rondônia Vilhena – 436
  6. Distrito Federal (Brasil) Brasília – 312
  7. Mato Grosso do Sul CENE – 107
  8. Roraima São Raimundo-RR – 0

Classificação geral[editar | editar código-fonte]

Pos Times Pts J V E D GP GC SG Classificação ou eliminação
1 Mato Grosso Cuiabá 17 8 5 2 1 13 7 6 Finalistas
2 Pará Remo 18 8 6 0 2 15 10 5
3 Pará Paysandu 11 6 3 2 1 10 5 5 Eliminados nas semifinais
4 Mato Grosso Luverdense 10 6 3 1 2 7 6 +1
5 Distrito Federal (Brasil) Brasília 6 4 2 0 2 6 4 +2 Eliminados nas quartas de final
6 Amazonas Princesa do Solimões 6 4 2 0 2 6 4 +2
7 Amazonas Nacional-AM 5 4 1 2 1 4 6 –2
8 Espírito Santo (estado) Estrela do Norte 3 4 0 3 1 3 4 –1
9 Pará Independente 3 2 1 0 1 2 4 –2 Eliminados nas oitavas de final
10 Distrito Federal (Brasil) Luziânia 2 2 0 2 0 2 2 0
11 Rondônia Vilhena 1 2 0 1 1 1 2 –1
12 Amapá Santos-AP 1 2 0 1 1 1 3 –2
13 Tocantins Tocantinópolis 0 2 0 0 2 3 5 –2
14 Mato Grosso do Sul CENE 0 2 0 0 2 1 4 –3
15 Acre Rio Branco-AC 0 2 0 0 2 0 4 –4
16 Roraima São Raimundo-RR 0 2 0 0 2 0 4 –4

Artilharia[editar | editar código-fonte]

Gols[17][18] Jogador Time
8 Brasil Raphael Luz Cuiabá
3 Brasil Bruno Veiga Paysandu
Brasil Nino Guerreiro Cuiabá
2 Brasil Alberto Remo
Brasil Bruno Morais Brasília
Brasil Carlinhos Paysandu
Brasil Douglas Independente
Brasil Eydison Luverdense
Brasil Gilson Cajamanga Princesa do Solimões
Brasil Héverton Brasília
Brasil Lukian Luverdense
Brasil Rafael Paty Remo
Brasil Rodrigo Carmo Estrela do Norte
Brasil Roni Remo
Brasil Val Barreto Remo
Brasil Yago Pikachu Paysandu
1 33 jogadores
Gols Contra
1 Brasil Deurick Princesa do Solimões para Remo

Referências

  1. a b Mendes, Nathália (15 de janeiro de 2015). «Copa Verde: 16 times de 11 estados brigam pelo título e por uma vaga na Sul-Americana». EBC. Consultado em 5 de fevereiro de 2015 
  2. «Cuiabá reverte vantagem, faz 5 a 1 sobre o Remo e é campeão da Copa Verde». UOL Esporte. 8 de maio de 2015. Consultado em 7 de setembro de 2015 
  3. «Segunda edição da Copa Verde terá início no dia 8 de fevereiro de 2015». Esporte Interativo. 28 de outubro de 2014. Consultado em 1 de maio de 2015 
  4. «Copa Verde tem cota de TV 65% inferior a da Copa do Nordeste». Antena Crítica. 24 de fevereiro de 2015. Consultado em 1 de maio de 2015 [ligação inativa]
  5. «Copa Verde tenta se consolidar em 2015, e clubes querem mais que título». GloboEsporte.com. 8 de fevereiro de 2015. Consultado em 23 de fevereiro de 2015 
  6. «Com times de 11 estados, Copa Verde tem início marcado para fevereiro». GloboEsporte.com. 27 de outubro de 2014. Consultado em 28 de outubro de 2014 
  7. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Remo 4x1 Cuiabá» (PDF). CBF.com.br. 30 de abril de 2015. Consultado em 13 de maio de 2015 
  8. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Remo 2x0 Paysandu» (PDF). CBF.com.br. 18 de abril de 2015. Consultado em 22 de abril de 2015 
  9. «O domingo é de Páscoa, mas o show é de Pikachu no Re-Pa». FutebolInterior.com.br. 5 de abril de 2015. Consultado em 6 de abril de 2015 
  10. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Remo 2x0 Rio Branco-AC» (PDF). CBF.com.br. 8 de fevereiro de 2015. Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  11. «Remo vence o Princesa do Solimões e garante vaga na semifinal da Copa Verde». GloboEsporte.com. 21 de março de 2015. Consultado em 22 de março de 2015 
  12. «Tempo Real: Paysandu x Nacional-AM». GloboEsporte.com. 8 de março de 2015. Consultado em 8 de março de 2015 
  13. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Paysandu 2x0 Santos-AP» (PDF). CBF.com.br. 21 de fevereiro de 2015. Consultado em 23 de fevereiro de 2015 
  14. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Santos-AP 1x1 Paysandu» (PDF). CBF.com.br. 8 de fevereiro de 2015. Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  15. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Cuiabá 5x1 Remo» (PDF). CBF.com.br. 7 de maio de 2015. Consultado em 13 de maio de 2015 
  16. «Boletim Financeiro Oficial da CBF: Nacional-AM 1x1 Paysandu» (PDF). CBF.com.br. 22 de março de 2015. Consultado em 23 de março de 2015 
  17. «Artilharia - Site da CBF». CBF.com.br. Consultado em 25 de março de 2015 
  18. «Artilharia - Footstats». Footstats. Consultado em 25 de março de 2015