Estrela do Norte Futebol Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Estrela do Norte, veja Estrela do Norte (desambiguação).
Estrela do Norte
Escudo do Estrela do Norte
Nome Estrela do Norte Futebol Clube
Alcunhas Estrelense, Alvinegro do Sumare, Gigante do Sul
Torcedor/Adepto Estrelense
Mascote Estrela
Fundação 16 de janeiro de 1916 (101 anos)
Estádio Estádio Sumaré (Mário Monteiro)
Capacidade 6,000[1]
Presidente Brasil Ewerton Miranda Treggia
Treinador Brasil Dário Lourenço
Patrocinador Brasil Sicoob
Material (d)esportivo Brasil Rhumy
Ranking nacional 147º, 256 pontos[2]
Website estreladonortefc.com.br
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

O Estrela do Norte Futebol Clube é um clube de futebol brasileiro sediado em Cachoeiro de Itapemirim, no estado do Espírito Santo, e que se sagrou campeão capixaba em 2014, depois de 98 anos de fundação. Foi vice-campeão em cinco edições do Campeonato Estadual nos anos de 1987, 2003, 2004, 2005 e 2006, e curiosamente rebaixado para a Segunda Divisão de 2007.[3]

Seu grande rival é o Cachoeiro Futebol Clube, com quem faz o grande clássico da maior cidade do interior e da região Sul Capixaba.

História[editar | editar código-fonte]

O Estrela do Norte foi fundado em 16 de janeiro de 1916, numa casa próximo ao Colégio Liceu Muniz Freire. Participaram da reunião de fundação: Laurentino Lugon, Mário Sampaio, Orlando Nunes, Amphilófio Braga, João Viana, Estulano Braga, Deusdedit Cruz, Fernando Reis e Francisco Penedo, que são considerados portanto os fundadores do clube mais popular do Sul do Espírito Santo e hoje uma dor principais clubes do estado. Francisco Penedo foi escolhido como o primeiro presidente do clube.[3]

A primeira sede, segundo os arquivos, foi onde é hoje, o Tiro de Guerra e o primeiro campo foi no pátio do Liceu Muniz Freire, zona norte da cidade, daí o nome Estrela do Norte. As primeiras cores do Estrela do Norte eram verde e amarelo, e o primeiro time estrelense era formado por: Pedro Tanure, Antonio Cruz, Belmiro, Adão, Barão, Dodoca, Erly, Vivi, Mine, Cezarino e Lauro. Tempos depois, por volta da década de 30, o Estrela transferiu o seu campo para o bairro Sumaré, onde está até hoje.[3]

O Estrela foi o primeiro campeão Sulino de profissionais. Vários grandes jogadores vestiram a camisa do Estrela na época: Elias, Fernando, Catiquinha, Sarará, Pedrinho, Toninho, Geraldo Martins, Geraldo Menezes, Lico, Siro e Zinho., Virgilio, Hugo, Américo, Correlogo, Otacílio, Gerson, Donato, Rainor, Bela, Nerinho, Jove. Veraldo, Raul, Gesse, Orlando, Manduca.[3]

Em 1996, o Estrela foi notícia no Brasil devido a publicação na Revista Placar sobre "o menor campeonato do mundo", o Campeonato Capixaba da Segunda Divisão, que teve o Alvinegro campeão, e o Sport Club Capixaba como o vice-campeão.

Uma dos maiores feitos do Estrela do Norte, foi no ano de 2005, quando jogou pela primeira vez a Copa São Paulo de Futebol Júnior, onde derrotou a equipe do São Paulo Futebol Clube pelo placar de 2 a 1. A equipe do Estrela do Norte não conseguiu se classificar pois perdeu de 2 a 1 para a equipe de Taubaté e de 2 a 0 para o Itabaiana, ficando em terceiro lugar no seu grupo.[3]

O Estrela do Norte jogou a final do Capixaba da Segunda Divisão de 2010 contra a equipe do Aracruz e, apesar de ter perdido o título, Estrela e Aracruz subiram para a Primeira Divisão de 2011. Porém, devido a problemas jurídicos, o Estrela do Norte perdeu a vaga e não pôde participar da competição em 2011.

O Estrela do Norte foi vice-campeão da Segunda Divisão do Capixaba de 2012 e juntamente com a campeã Desportiva Ferroviária, subiu à Primeira Divisão de 2013, após sofrer um gol aos 49 minutos do segundo tempo na final. No jogo estavam presentes mais de cinco mil torcedores do Estrela do Norte, tendo uma média em todo o campeonato de duas mil pessoas por jogo, recorde no futebol capixaba em 2012, somando as duas divisões.[3]

Em setembro de 2012, o clube lançou uma camisa retrô da equipe, com as primeiras cores do clube: o verde e o amarelo. A camisa foi o terceiro uniforme do clube em 2013, e um aperitivo para os 100 anos do clube.[3] A diretoria começou no final de 2012, uma reforma geral nas estruturas do Estádio do Sumaré, como por exemplo nas arquibancadas e na iluminação, além de estar construindo uma academia para os atletas do clube. O gramado também está sendo reformado em algumas partes principalmente dentro das duas áreas, partes que ficam mais danificadas.

2014: Primeiro título da Primeira Divisão[editar | editar código-fonte]

No Campeonato Capixaba de 2014, o Estrela do Norte classificou-se para as semifinais e enfrentou a equipe do São Mateus. O primeiro jogo foi no Estádio do Sumaré em Cachoeiro de Itapemirim e a segunda partida no Estádio do Sernamby em São Mateus. O Estrela do Norte perdeu em casa de 2 a 1, mas no jogo de volta goleou por 3 a 0. Com esses resultados, o Estrela do Norte alcançou sua sexta final, dessa vez disputando contra a equipe do Linhares Futebol Clube.

Depois de 98 anos de história, a equipe do Estrela do Norte Futebol Clube sagrou-se campeão capixaba pela primeira vez em sua história. Na primeira partida o Estrela em casa empatou com o Linhares por 0 a 0, porém no jogo de volta o Estrela ganhou o jogo por 1 a 0 no Estádio do Bambu em Aracruz, conquistando o título. Com a conquista o Estrela do Norte classificou-se para Campeonato Brasileiro - Série D no mesmo ano e para Copa do Brasil e Copa Verde no ano seguinte. A cidade de Cachoeiro de Itapemirim mobilizou-se para ver a chegada dos jogadores campeões. Mais de seis mil pessoas aguardavam os jogadores no Estádio do Sumaré.[4]

Ainda em 2014, o Estrela do Norte participou do Campeonato Brasileiro da Série D pela primeira vez. Com 12 pontos terminou em terceiro colocado do grupo, não obtendo a classificação, pois a equipe do Itaporã de Mato Grosso do Sul, abandonou o campeonato na sétima rodada após derrota para o próprio Estrela do Norte por 3 a 1. Com isso a equipe do Anapolina se beneficiou e como na última rodada iria enfrentar a equipe do Itaporã somou 13 pontos. No último jogo diante o Brasiliense, no Estádio do Sumaré, mais de três mil torcedores apoiaram o Estrela do Norte mesmo sendo eliminado do campeonato.

2015: Copa do Brasil e Copa Verde[editar | editar código-fonte]

O Estrela do Norte, passou para a segunda fase da Copa Verde, derrotando nos pênaltis a equipe goiana do Luziânia pelo placar de 4 a 3. Nos dois confrontos ocorreram empates de 1 a 1. Foi a primeira vez que uma equipe capixaba passa da primeira fase na Copa Verde.[5] Na segunda fase o Estrela do Norte foi eliminado pela equipe do Cuiabá, do Mato Grosso.[6]

Na Copa do Brasil, no primeiro jogo o Estrela derrotou a equipe do Sampaio Corrêa pelo placar de 3 a 2. Até os 30 minutos do segundo tempo, o Estrela do Norte estava vencendo o Sampaio Corrêa pelo placar de 3 a 0, o que lhe daria mais conforto em enfrentar o Sampaio Corrêa no Maranhão, porém faltando quinze minutos o Sampaio Corrêa fez dois gols e diminuiu a vantagem do Estrela do Norte.[7] No segundo jogo o Estrela foi derrotado por 4 a 1 no Castelão em São Luís e é eliminado da competição.[8]

2016: Centenário e rebaixamento[editar | editar código-fonte]

Em comemoração ao aniversário de 100 anos de fundação, celebrado no dia 16 de janeiro, o Estrela do Norte lançou uma revista comemorativa, inspirada na história do clube. O produto, com 80 páginas, retrata momentos marcantes da história alvinegra e destaca ídolos que marcaram época com a camisa do time. A coleção conta com fotos históricas que destacam jogadores importantes, torcedores e funcionários que participaram e ainda participam do dia a dia do clube. Além disso, o especial tem depoimentos de ex-jogadores e ex-presidentes e o título inédito do Campeonato Capixaba de 2014.[9]

No ano do centenário, o Estrela do Norte faz um campanha irregular no Capixabão e é rebaixado à Série B.[10]

2017-presente[editar | editar código-fonte]

Na Série B de 2017, o Estrela classifica-se às semifinais.[11] O clube é eliminado na semifinal pelo Serra e não consegue o acesso à Série A.[12]

Títulos[editar | editar código-fonte]

ESTADUAIS
Competição Títulos Temporadas
Espírito Santo (estado) Campeonato Capixaba 1 2014.
Espírito Santo (estado) Campeonato Capixaba - Série B 2 1996, 1999
Espírito Santo (estado) Copa Espírito Santo 3 2003, 2004, 2005
Espírito Santo (estado) Campeonato Sulino 6 1954, 1955, 1964, 1965, 1966, 1968
Espírito Santo (estado) Taça Newton Braga 3 1963, 1964, 1965

Categorias de base[editar | editar código-fonte]

  • Espírito Santo (estado) Campeonato Capixaba de Juniores: 2 (1991, 2004).
  • Espírito Santo (estado) Campeonato Sulino de Juniores: 1982.
  • Espírito Santo (estado) Campeonato Sulino Juvenil: 2 (1996, 1997).
  • Espírito Santo (estado) Campeonato Sulino Infantil: 1997

Fonte

Campanhas em destaque[editar | editar código-fonte]

Participações em competições nacionais[editar | editar código-fonte]

Brasil Copa do Brasil:

Estrela do Norte 3 x 4 Atlético/MG

Atlético/MG 6 x 0 Estrela do Norte

Estrela do Norte 1 x 1 Guarani/SP

Guarani/SP 3 x 0 Estrela do Norte

  • 2015

Estrela do Norte 3 x 2 Sampaio Correia/MA

Sampaio Correia/MA 4 x 1 Estrela do Norte

Brasil Campeonato Brasileiro da Série B:

(Este campeonato foi dividido em dois módulos: Módulo Branco e Módulo Azul, onde cada módulo tinha 24 clubes. O Estrela do Norte participou no módulo azul, ficando em 19° lugar. Este campeonato é considerado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) como sendo o da série B do Campeonato Brasileiro, pois no ano de 1987, o Sport Recife foi declarado Campeão Brasileiro de 1987, pois a equipe do Flamengo, que havia ganho a Copa União de 1987, não quis jogar contra o Sport Recife para ver quem seria o campeão brasileiro de 1987)

Brasil Campeonato Brasileiro da Série C:

  • 1995 - 68° lugar (107 clubes participaram)
  • 1996 - 21° lugar (58 clubes participaram)
  • 2001 - 56° lugar (65 clubes participaram)
  • 2003 - 33° lugar (93 clubes participaram)
  • 2004 - 52° lugar (60 clubes participaram)
  • 2005 - 52° lugar (63 clubes participaram)
  • 2006 - 43° lugar (64 clubes participaram)

Brasil Campeonato Brasileiro da Série D:

  • 2014
  • 27 de julho de 2014 - Brasiliense 3 x 0 Estrela do Norte
  • 2 de agosto de 2014 - Estrela do Norte 4 x 3 Anapolina
  • 9 de agosto de 2014 - Estrela 1 x 1 Villa Nova
  • 17 de agosto de 2014 - Itaporã 1 x 0 Estrela
  • 24 de agosto de 2014 - Villa Nova 1 x 2 Estrela
  • 30 de agosto de 2014 - Estrela 3 x 1 Itaporã
  • 7 de setembro de 2014 - Anapolina 0 x 0 Estrela
  • 14 de setembro de 2014 - Estrela 1 x 1 Brasiliense

Copa Verde de Futebol

  • 2015

Estrela do Norte 1 x 1 Luziânia/GO

Luziânia/GO (3) 1 x 1 Estrela do Norte (4)

Estrela do Norte 0 x 1 Cuiabá/MT

Cuiabá/MT 1 x 1 Estrela do Norte

Copa São Paulo de Futebol Júnior:

Taubaté 2 x 1 Estrela do Norte

Estrela do Norte 2 x 1 São Paulo

Itabaiana 2 x 0 Estrela do Norte

O Estrela do Norte ficou em terceiro lugar em seu grupo e não conseguiu classificação para próxima fase co campeonato, mas apesar de tudo, ganhou do todo poderoso São Paulo Futebol Clube.

Estádio[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Estádio Mário Monteiro

O estádio do Estrela do Norte é o Estádio Mário Monteiro (Estádio do Sumaré). Sua capacidade era de 12 mil pessoas, mas atualmente só comporta 6 mil.[1] Em dias de jogos do Estrela, vira um verdadeiro Caldeirão Estrelense, devido a sua fanática e fiel torcida.

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Escudo[editar | editar código-fonte]

Evolução do Escudo do Estrelo do Norte
2014 – 2017 2017 – Atual
Estrela novo.jpg Escudo Estrelo do Norte 2017.png

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Temporada 2017[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme nº 1
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme nº 2

Temporada 2016[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme nº 1
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme nº 2

Temporada 2015[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme nº 1
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme nº 2

Hino[editar | editar código-fonte]

O autor do Hino do Estrela do Norte Futebol Clube foi Raul Sampaio.

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Última atualização: 3 de maio de 2017[13]

Legenda
  • Capitão: Capitão


Goleiros
Jogador
Brasil Victor Coutinho
Brasil André
Brasil Douglas Silva
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Russo Z
Brasil Dilsinho Z
Brasil Matheuzão Z
Brasil Matheus Z
Brasil Rhenan Z
Brasil Gabriel Proença LD
Brasil Luan Alves LD
Brasil Biel LE
Brasil Jonatas LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Diego Tabata Capitão V
Brasil Joelzinho V
Brasil Jucá V
Brasil Carlos Henrique V
Brasil Marinato M
Brasil Zé Augusto M
Brasil Coradini M
Brasil Álvaro M
Brasil Diego Godinho M
Brasil Marcelo Cabral M
Atacantes
Jogador
Brasil Adisson
Brasil Robert Gladiador
Brasil Yogo
Brasil Pepeta
Brasil Alagoinha
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Dário Lourenço T
Brasil Crivaldo M. Júnior AS

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

Ranking atualizado em dezembro de 2016

  • Posição: 147º
  • Pontuação: 256 pontos[2]

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol para pontuar todos os clubes do Brasil.

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • Seu Zezinho - A Estrela Eterna do Sumaré: Este livro foi lançado pela Editora Cachoeiro Cult, no ano de 2016, e foi escrito por Cláudia Sabadini. Conta a história de José Basilio de Souza, ou Seu Zezinho, treinador das equipes de base do Estrela do Norte Futebol Clube.
  • Estrela do Norte 100 Anos: Lançado em 2016, este livro retrata a trajetória do Estrela do Norte Futebol Clube, com fotos e depoimentos de ex-jogadores, ex-diretores e torcedores.[9]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Cadastro Nacional de Estádios de Futebol - 2016» (PDF). CBF. 18 de janeiro de 2016. Consultado em 3 de março de 2016 
  2. a b «RNC - Ranking Nacional dos Clubes 2017» (PDF). CBF. 12 de dezembro de 2016. Consultado em 13 de dezembro de 2016 
  3. a b c d e f g «História do Estrela do Norte Futebol Clube». FES. Consultado em 9 de março de 2016 
  4. «Estrela do Norte vence o Linhares e conquista o título inédito do Capixabão». globoesporte.com. 7 de junho de 2014. Consultado em 16 de fevereiro de 2016 
  5. «Nos pênaltis, Estrela vence Luziânia, faz história e avança na Copa Verde». globoesporte.com. 22 de fevereiro de 2015. Consultado em 9 de março de 2016 
  6. «Cuiabá empata com o Estrela e pega o Luverdense na semi da Copa Verde». globoesporte.com. 22 de março de 2015. Consultado em 9 de março de 2016 
  7. «Em jogo de cinco gols, Estrela vence Sampaio Corrêa pela Copa do Brasil». globoesporte.com. 25 de fevereiro de 2015. Consultado em 9 de março de 2016 
  8. «Sampaio goleia Estrela do Norte e pega o Palmeiras na próxima fase». globoesporte.com. 1 de abril de 2015. Consultado em 9 de março de 2016 
  9. a b «Comemorando 100 anos de história, Estrela do Norte lança revista especial». globoesporte.com. 20 de janeiro de 2016. Consultado em 9 de março de 2016 
  10. «No jogo dos rebaixados, artilheiro Júlio Cézar brilha e Sport vence o Estrela». globoesporte.com. 6 de abril de 2016. Consultado em 7 de abril de 2016 
  11. «Estrela vence o Serra e está "101%" garantido na semifinal da Série B». globoesporte.com. 13 de maio de 2017. Consultado em 15 de maio de 2017 
  12. «Serra vence o Estrela do Norte, garante o acesso e está na final da Série B 2017». globoesporte.com. 28 de maio de 2017. Consultado em 28 de maio de 2017 
  13. «Súmula de Estrela do Norte e Vilavelhense» (PDF). FES. 29 de abril de 2017. Consultado em 3 de maio de 2017