Eduardo Berizzo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Eduardo Berizzo
Eduardo Berizzo maio 2015.JPG
Berizzo em 2015.
Informações pessoais
Nome completo Manuel Eduardo Berizzo Magnolo
Data de nasc. 13 de novembro de 1969 (49 anos)
Local de nasc. Cruz Alta, Argentina
Apelido Toto
Informações profissionais
Posição Treinador (Ex-zagueiro)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1988–1993
1993–1996
1996–1999
1999–2000
2000
2001–2005
2005–2006
Newell's Old Boys
Atlas
River Plate
Olympique de Marseille
River Plate (emp.)
Celta de Vigo
Cádiz
0126 000(10)
0094 000(10)
0094 0000(3)
0013 0000(0)
0030 0000(2)
0101 0000(4)
0015 0000(0)
Seleção nacional
1996–2000 Argentina 0013 0000(0)
Times/Equipas que treinou
2011
2011–2014
2014–2017
2017
2018
Estudiantes
O'Higgins
Celta de Vigo
Sevilla
Athletic Bilbao
0023
0123
0133
0027
0014
Última atualização: 4 de dezembro de 2018

Manuel Eduardo Berizzo Magnolo (Cruz Alta, 13 de novembro de 1969) é um treinador e ex-futebolista argentino. Atualmente está sem clube[1].

Carreira[editar | editar código-fonte]

Berizzo é um dos maiores ídolos do Newell's Old Boys, tendo ganho 2 dos 5 títulos argentinos da equipe de Rosário, e do River Plate.[2] Era o half esquerdo do elenco conhecido como La Máquina,[2] Ali, formou celebrada dupla defensiva com o paraguaio Celso Ayala.[2] Anteriormente, ele havia jogado 94 vezes com a camisa do Atlas de Guadalajara (México), marcando 10 gols.

No River, foi tricampeão argentino seguido (Apertura 1996, Clausura 1997 e Apertura 1997) e ganhou outro título Clausura em um regresso ao clube, por empréstimo do Olympique de Marseille, em 2000, tendo por sinal feito um dos gols na partida que garantiu o título.[2] Nesta segunda passagem, chegou a atuar como volante e em outras posições defensivas, demonstrando grande polivalência.[2] Pelos Millonarios, foram 124 partidas e 5 gols no total.

Teve, ainda, destacada passagem no futebol espanhol, atuando por 4 temporadas no Celta de Vigo, disputando 101 jogos e marcando quatro gols. Pendurou as chuteiras em 2006, no Cádiz.

Seleção Argentina[editar | editar código-fonte]

Berizzo estreou pela Seleção Argentina em outubro de 1996, contra a Venezuela, em jogo válido pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa de 1998, mas o técnico Daniel Passarella não levou o zagueiro para a França.

Pela Albiceleste, o zagueiro disputou 2 edições da Copa América, em 1997 (jogou apenas contra o Peru e foi expulso) 1999 (não saiu do banco de reservas em nenhum jogo), esta última já com Marcelo Bielsa no comando. Seu último jogo pela Argentina foi em novembro de 2000, contra o Chile, pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa de 2002, a qual não chegou a ser convocado, em decorrência de uma lesão no tornozelo. Em 6 anos de carreira internacional, Berizzo atuou em apenas 13 jogos.

Treinador[editar | editar código-fonte]

Começou sua carreira de treinador em 2011, no Estudiantes, ficando pouco tempo no comando. Assumiu o O'Higgins em janeiro de 2012 e ali permaneceu até maio de 2014.[3] Em seguida tornou-se o treinador do Celta de Vigo.[4] Com o ex-zagueiro no comando tecnico, a equipe da Galiza alcançou as semifinais da Copa do Rei e da Liga Europa em 2016–17, deixando o cargo após o encerramento da temporada.[5]

Em maio de 2017, Berizzo foi oficializado como novo treinador do Sevilla, substituindo o compatriota Jorge Sampaoli.[6]

Em maio de 2018, foi contratado para treinar o Athletic Bilbao. Em 4 de dezembro após uma série de resultados negativos foi demitido[7] . .

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

Depois que deixou o Olympique de Marseille, onde atuou entre 1999 e 2000, Berizzo deu uma suposta declaração sobre o homossexualismo na França:

"Um monte de homossexuais é o que tem no futebol francês. Há muitos jogadores homossexuais lá, sempre provocam você, tocam suas coxas, suas nádegas, para ver se você dá algum sinal. Me sinto enojado quando um homossexual divide a mesma ducha e sente desejo, e fica ate emocionado quando fica nu".
Berizzo, em artigo publicado no Daily Telegraph.[8]


Numa entrevista ao jornal mexicano La Crónica de Hoy, no dia seguinte, o zagueiro negou ter feito a declaração.

"É uma vergonha. Isso é sério. Essa declaração não existe, não tenho problemas em ter um companheiro homossexual. As pessoas podem fazer o que quiser com sua vida privada".
Berizzo, em entrevista ao jornal La Crónica de Hoy, desmentindo a informação.[9]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Jogador[editar | editar código-fonte]

Newell's Old Boys
River Plate

Treinador[editar | editar código-fonte]

O'Higgins

Referências

  1. «Athletic Bilbao demite técnico argentino Eduardo Berizzo após uma vitória em 14 rodadas». GloboEsporte. 4 de Novembro de 2018 
  2. a b c d e "Eduardo Berizzo", El Gráfico especial número 27, "100 Ídolos de River", novembro de 2010, pág. 44
  3. «Eduardo Berizzo se despidió de O'Higgins: "Los llevaré en mi corazón"» (em espanhol). La Tercera. 3 de maio de 2014 
  4. «Eduardo Berizzo, nuevo entrenador del RC Celta» (em espanhol). Sítio oficial Celta de Vigo. 19 de maio de 2014 
  5. «Celta anuncia saída do técnico Eduardo Berizzo, que pode assumir o Sevilla». Estadão Esporte. 20 de maio de 2017 
  6. «Eduardo Berizzo will be next coach of Sevilla». Diario AS. 27 de maio de 2017. Consultado em 30 de maio de 2017 
  7. «Athletic Bilbao demite técnico argentino Eduardo Berizzo após uma vitória em 14 rodadas». GloboEsporte. 4 de Novembro de 2018 
  8. Jeffries, Tony (29 de dezembro de 2000). «Quotes of the year». The Daily Telegraph. London. Consultado em 13 de agosto de 2009 
  9. «Berizzo vivió un hecho insólito» [Berizzo experienced unheard of episode]. Clarín (em Spanish). 23 de março de 2000. Consultado em 16 de maio de 2017