Clube de Futebol União

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Clube Futebol União)
Ir para: navegação, pesquisa
União da Madeira
1561.png
Nome Clube de Futebol União
Alcunhas União da Bola, Unionistas
Fundação 1 de novembro de 1913
Estádio Centro Desportivo da Madeira
Capacidade 2.500
Localização Ribeira Brava,  Portugal
Presidente Portugal/Região Autónoma da Madeira Filipe Abreu Silva (SAD)
Portugal/Região Autónoma da Madeira Roberto Marote (Clube)
Treinador Portugal Luís Norton de Matos
Patrocinador Turismo Madeira, CR7 Museu, Zoom, NOS
Material esportivo Portugal Lacatoni
Competição Segunda Liga
2015–16 17.º lugar
Website [2]
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Clube de Futebol União, conhecido também por União da Madeira, é um clube português, localizado na cidade do Funchal, na Região Autónoma da Madeira. Historicamente e pese o declínio recente, é um dos mais importantes clubes de futebol da ilha, tendo já sido o segundo clube mais popular da região, granjeando especial apoio nas zonas mais altas da mesma. O clube conta com 6 presenças na 1.ª Divisão Nacional, as últimas das quais nas épocas 1994/1995 e 2015/2016.[1]

Foi condecorado com Medalha de Bons Serviços Desportivos, Medalha de Prata do Instituto de Socorros e Náufragos e Medalha de Ouro da Cidade do Funchal.

Não se esgota no futebol, havendo também a prática de basquetebol, futsal, esgrima e rugby.

História[editar | editar código-fonte]

Ao longo destes cento e dois anos de vida o popular «União da Bola» foi enriquecendo, ano após ano, o seu palmarés, sendo hoje uma das mais prestigiadas colectividades madeirense. O futebol foi sempre a modalidade “rainha” do clube. Assim não admiraria que os êxitos desportivos começassem a surgir, não só na região como também além-fronteiras.

Origens e Fundação[editar | editar código-fonte]

No dia 1 de Novembro de 1913, um grupo de desportistas liderado por César da Silva e onde também figuravam João Fernandes Rosa, Alexandre Vasconcelos, José Anastácio do Nascimento e José Fernandes fundou um clube que haveria de se notabilizar com o decorrer dos anos. Primeiro com a designação de União Futebol Clube e posteriormente, com o nome que ainda hoje ostenta: Clube de Futebol União.[2]

Umbilicalmente ligado ao que haveria de ser o seu grande rival - Club Sport Marítimo - o União, nasce na sequência de uma cisão que ocorreu com o Grupo União Marítimo, uma colectividade que dispunha de alguma autonomia, cujo objectivo era a formação de jovens jogadores para a primeira equipa do Marítimo. A propriedade de uma das balizas esteve na origem da desavença, surgindo assim o União Futebol Clube, já completamente independente do Club Sport Marítimo.[3]

O clube nasceu na zona do Almirante Reis, tendo a sua primeira sede social sido criada na Rua de Santa Maria, sendo o seu primeiro presidente Ângelo Olim Marote.

Papel preponderante na fundação da Associação de Futebol do Funchal[editar | editar código-fonte]

Numa altura em que o futebol não se encontrava devidamente organizado, coube aos responsáveis do União a liderança de formar um movimento associativo de forma a que a época desportiva fosse devidamente programada, nascendo assim aquela que é a actual Associação de Futebol da Madeira.[4]

Primeiro Campeonato da Madeira e participação no Campeonato de Portugal[editar | editar código-fonte]

Um polémica acontecida num jogo entre o clube e o rival Marítimo em 1918, paralisa a recém criada Associação de Futebol do Funchal por cerca de dois anos.[3] Só na época 1920-21 a competição regressa, com a disputa do 3.º Campeonato da Madeira. Após duas vitórias do seu rival, o União consegue aí o seu 1.º Campeonato da Madeira, facto que foi muito vitoriado pelos seus indefectíveis.[5]

A partir da época 1921-22, começa-se a realizar o Campeonato de Portugal. O representante madeirense apenas entrará na época seguinta na prova. Em 1927-28 o clube soma a sua única participação. Esteve mesmo à beira de vencer o Benfica nos quartos de final, estando a vencer 3-1 até ao último minuto de jogo, acabando no entanto por perder 3-4 nos descontos alargados.[6]

"Mestre" Medina e os Anos Dourados[editar | editar código-fonte]

A década de 1950 e 60 representarão as décadas de maior sucesso do clube a nível regional, advindo daí muito do prestígio popular grajeado pelo clube. a grande transformação é motivada pela vinda de um espanhol natural de Canárias que seria o grande mentor e impulsionador de uma escola de futebol cujo sucesso seria reconhecido. Pegou num grupo de jovens que disputava os torneios do Almirante Reis e fez dele um grupo de campeões.

Entre estes jogadores destacaram-se: Tiago, Elmano, Abelinha, Inácio, Amândio, Chino, Luís Angélica, Ferdinando, Filipe e Salinhos entre outros.

O trabalho deste treinador foi considerado importante ao construir um dos viveiros de jogadores mais importantes de Portugal.

A melhor forma de homenagear este grande treinador foi vinculá-lo ao próprio hino do clube: «O União ensina, tem a escola do Medina e sabe de que é capaz».

Vem daí a base para as equipas que conseguiram o feito extraordinário de vencer por sete anos consecutivos o Campeonato da Madeira, da temporada 1955-56 até à morte do "borrego" na época 1962-63.

Grandes nomes que passaram pelo clube[editar | editar código-fonte]

Ao falar do passado futebolístico do União é recordar nomes de destacados dirigentes, treinadores e jogadores que passaram pela colectividade, deixando os respectivos nomes escritos a letras de ouro.

Jogadores como Passos, Pedro Sousa, Carlos Alberto, Gavião e Sérgio Faro foram jogadores de alto gabarito que jogaram no clube.

Quanto aos dirigentes recordemos, de um vasto naipe, os nomes de Ernesto Acciaioly, Dr. Elmano Vieira, Dr. Mateus, assim como os mais recentes Coronel Ramiro Morna, Eurico Gomes, Dr. Sotero Gomes e o Dr. Rui Nepomuceno.

No entanto, nome incontornável na história recente do clube é o do carismático presidente Jaime Ramos, o responsável pela ascensão do clube aos nacionais de futebol e pelo início da construção do complexo desportivo.

Ascensão aos Nacionais[editar | editar código-fonte]

A ascensão do clube aos nacionais de futebol ocorreu na temporada 1979/1980 com o clube a entrar na III Divisão Nacional. Após duas épocas, sobe à II Divisão Nacional. O primeiro convívio com os maiores do futebol português aconteceu em 1989/1990, depois de se sagrar campeão da II Divisão. Antes de participar nos campeonatos nacionais, o União foi por diversas vezes representante da Região à Taça de Portugal e à Taça Ribeiro dos Reis.

Constituição da SAD e lento declínio[editar | editar código-fonte]

Na sua primeira época, o clube consegue se manter na divisão maior fruto de um alargamento que ocorre nesse ano. Ficará mais duas épocas - alcançando a sua melhor classificação na I Divisão com um 12.º lugar em 1990-91 - até descer à II Divisão de Honra em 1991-92. No entanto volta a subir na época seguinte, igualando a melhor classificação obtida em 1993/1994 na época de retorno à I Divisão Nacional.

No entanto e fruto de alguma instabilidade técnica, o clube abandonaria a I Divisão em 1994-95, entrando num lento declínio.

Apostado em voltar rapidamente ao convívio dos grandes, por uma razão ou outra os sucessivos projectos falham, afastando muita da sua massa adepta. Em 1998-99, com o advento da SAD's à porta, o clube cai na II Divisão Zona Sul.

Constitui-se um SAD, tentando recuperar a pujança de outrora, mas o clube começa a marcar passo conseguindo apenas um 3.º lugar em 1999-00 e um 2.º em 2000-01, face ao elevado investimento preconizado.

A equipa na época seguinte, fruto de uma maior estabilidade, consegue vencer a Zona Sul e retorna à II Divisão de Honra.

No entanto, os sucessivos erros insistem em se repetir, ficando o clube em último passadas duas épocas, indo parar novamente à II Divisão Zona Sul.

Este sucessivo sobe e desce, assim como o progressivo afastamento da direcção do clube em relação à sua massa adepta, provocou uma rápida erosão da sua base de apoio, que nem o início de construção do complexo desportivo do clube conseguiu estancar. A equipa nas duas épocas seguintes - novamente com elevados investimentos e outros tantos erros de "casting" - fica em 3.º e 2.º falhando a subida.

A estrutura da II Divisão Zona Sul muda no final de 2004/2005, passando a ter acesso às competições profissionais apenas dois clubes de um conjunto de 4 séries com 16 equipas.

O União é posto na Série B conseguindo na primeira época o já referido 2.º lugar, tendo na época 2006/2007 após um começo algo titubeante, ganho a Série. No entanto como apenas 2 equipas poderiam subir, o clube teve que disputar com o Freamunde, uma vaga de acesso, tendo os capões levado a melhor, voltando o clube a falhar num momento decisivo.

Subida de Divisão[editar | editar código-fonte]

Finalmente, União da Madeira, consegue subir de divisão, após dois anos consecutivos a perder no play-off. As equipa que iam defrontar o play-off com o União eram o Atlético e o Padroense. Após uma entrada má no play-off (perdeu com o Padroense e um empate com Atlético), o União teve de ser mais forte e, então, nas outras duas rondas acaba por ganhar os dois clubes, tornando-se campeão da segunda divisão. Com está vitória o União está, outra vez, nos campeonatos nacionas, mas respectivamente na Liga de Honra.

Complexo desportivo e o Futuro[editar | editar código-fonte]

Na passada do milénio, o clube começou a empreender a edificação do seu complexo desportivo no sítio do Vale Paraíso, na freguesia da Camacha. Dispondo neste momento de um campo relvado e outro pelado, assim como balneários e enfermaria, espera-se que quando pronto, este possa ser um pólo agregador e um bom ponto de partida para novas conquistas, recuperando assim o prestígio que outrora gozou.

Ecletismo[editar | editar código-fonte]

O União ao longo dos anos teve outras modalidades importantes como o andebol, o voleibol, o hóquei em patins e o basquetebol. Destas, apenas esta última se mantém em actividade.

Mais recentemente a esgrima tem sido uma modalidade que muitas alegrias tem proporcionado ao clube. Para além desta, o clube ainda promove a prática de Futsal, movimentando na época desportiva de 2005/06 cerca de 310 atletas federados em todas as modalidades - segundo o relatório anual, «Demografia Federada 2005/06» editado pelo Instituto de Desporto da Região Autónoma da Madeira.[7]

O clube é ainda pioneiro na introdução da prática da modalidade de rugby na Ilha da Madeira,[8] mas esta ainda não é uma modalidade federada.

Adeptos[editar | editar código-fonte]

Apesar do C.F. União estar sedeado no Funchal, a sua massa adepta estava localizada em vários pontos da ilha - em especial nas zonas altas da mesma - como nas freguesias de Machico, Camacha e Caniço. Infelizmente as raízes foram-se perdendo ao longo dos tempos, principalmente pelo nascimento de outras colectividades nessas mesmas freguesias.

A maioria dos simpatizantes e adeptos do União está localizado numa faixa etária alta, daí a necessidade premente de abrir o clube à sociedade e criar condições para que este volte a atrair mais sócios, adeptos e simpatizantes.

Plantel[editar | editar código-fonte]

Goleiros
Jogador
1 Moçambique Ricardo Campos
12 Portugal Rafa Alves
71 México Raúl Gudiño
95 Portugal André Moreira
Defensores
Jogador Pos.
6 Portugal Tiago Ferreira Z
21 Angola Genséric Kusunga Z
37 Portugal Paulo Monteiro Z
44 Brasil Diego Galo Z
2 Portugal Paulinho LD
8 Venezuela Carlos Manuel LD
3 Portugal Joãozinho LE
16 Cabo Verde Nilson LE
16 Portugal Rúben Lima LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
13 Brasil Soares V
14 Nigéria Shehu Abdullahi V
7 PortugalRegião Autónoma da Madeira Rúben Andrade M
10 Venezuela Breitner M
28 Brasil Marco Túlio M
77 Brasil Wanderson M
88 Brasil Gian M
Atacantes
Jogador
9 PortugalRegião Autónoma da Madeira Miguel Fidalgo
15 Uruguai Danilo Dias
18 Venezuela Jhonder Cádiz
20 PortugalGuiné-Bissau Toni Silva
23 Brasil Amilton
25 Brasil Miguel Cardoso
27 Venezuela Edder Farías
29 PortugalRegião Autónoma da Madeira Élio Martins
90 Cabo Verde Kisley
Comissão técnica
Nome Pos.
Portugal Luís Norton de Matos T
Portugal Henrique Teixeira AS
Portugal Hugo Martins AS
Portugal João Pedro Silva PF
Portugal Bruno Freitas TG
Portugal Miguel Pinto MD

Palmarés[9][editar | editar código-fonte]

Treinadores[editar | editar código-fonte]

  • 1927/28: Victor Stansel
  • 1928/29:
  • 1929/30:
  • 1930/31:
  • 1931/32:
  • 1932/33:
  • 1933/34:
  • 1934/35:
  • 1935/36:
  • 1936/37:
  • 1937/38:
  • 1938/39:
  • 1939/40:
  • 1940/41: Niculau Rodriguez
  • 1941/42:
  • 1942/43:
  • 1943/44:
  • 1944/45:
  • 1945/46:
  • 1946/47:
  • 1947/48:
  • 1948/49:
  • 1949/50:
  • 1950/51: Medina
  • 1951/52:
  • 1952/53:
  • 1953/54:
  • 1954/55:
  • 1955/56:
  • 1956/57:
  • 1957/58:
  • 1958/59: Ruperto Garcia
  • 1959/60:
  • 1960/61:
  • 1961/62: Serafim das Neves
  • 1962/63:
  • 1963/64:
  • 1964/65:
  • 1965/66:
  • 1966/67:
  • 1967/68:
  • 1968/69:
  • 1969/70:
  • 1970/71:
  • 1971/72:
  • 1972/73:
  • 1973/74: Prof. Lourenço
  • 1974/75: Quim Teixeira
  • 1975/76:
  • 1976/77:
  • 1977/78: Rosário
  • 1978/79:
  • 1979/80:
  • 1980/81: Fernando Casaca
  • 1981/82: Fernando Casaca
  • 1982/83: Fernando Casaca/Prof. Miguel Diogo
  • 1983/84: José Moniz
  • 1984/85: Alexander Horváth/Mário Morais
  • 1985/86: Félix Mourinho
  • 1986/87: Carlos Cardoso
  • 1987/88: Rui Mâncio
  • 1988/89: Rui Mâncio
  • 1989/90: Rui Mâncio
  • 1990/91: Rui Mâncio
  • 1991/92: Rui Mâncio
  • 1992/93: Rui Mâncio/Ernesto Paulo
  • 1993/94: Ernesto Paulo
  • 1994/95: Ernesto Paulo/Artur Bernardes
  • 1995/96: Cancarevic/Rui Mâncio
  • 1996/97: Ernesto Paulo/ Vitor Urbano
  • 1997/98: Vitor Urbano/Jorge Jesus/Henrique Teixeira/Fernando Festas
  • 1998/99: Rui Mancio/Fernando Festas/Henrique Teixeira
  • 1999/00: Eduardo Luís/Manuel Balela
  • 2000/01: Vitor Urbano/Nuno Jardim/Jose Maria
  • 2001/02: Manuel Balela
  • 2002/03: Manuel Balela/Horácio Gonçalves
  • 2003/04: Horácio Gonçalves/Vitor Manuel/ Bruno Cardoso
  • 2004/05: Ernesto Paulo
  • 2005/06: Ernesto Paulo/José Rachão
  • 2006/07: Miroslav Curcic/Bruno Cardoso
  • 2007/08: Carlos Condenso
  • 2008/09: Edson Porto
  • 2009/10: Daniel Quintal
  • 2010/11: Daniel Ramos
  • 2011/12: João Abel/Predrag Jokanović
  • 2012/13: Predrag Jokanović
  • 2013/14: José Barros/Rui Mâncio
  • 2014/15: Vitor Oliveira
  • Desde 2015: Luís Norton de Matos

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Ângelo Olim Marote 1913-1914

1.º Presidente do clube.

Dr. Simeão Vieira 1914-1915

Dr. Luís Inácio Ferreira 1915-1916

Dr. Luis da Costa 1916-1919

Tenente José Julião de Freitas 1919-1921

1.º título de campeão da Madeira de futebol

Tenente José Julião de Freitas 1919-1921

Dr. Luís Inácio Ferreira 1921-1922

Alferes Couto Vaz 1922-1924

Dr. Elmano Augusto Vieira 1924-1927

Dr. Luís Inácio Ferreira 1927-1928

1 título de campeão da madeira de futebol

Alferes Filipe de Freitas 1928-1929

Tenente Ernesto Acciaioly 1929-1930

Dr. Juvenal de Carvalho 1930-1931

Anastácio Nascimento 1932 ?

Alvaro Castro Fagundes 1931-1932 1 título de campeão da madeira de futebol

Agostinho F. Dias 1932-1933

José da Silva Coelho 1933-1935 1 Título de campeão da madeira de futebol

Raul Simões Dias Paquete 1935-1936

Carlos Passos Pestana 1936-1938 1 título de campeão da madeira de futebol

Luís S. Sequeira 1938-1939

César Augusto Pestana 1939-1941

Dr. Leonel S. Silva 1941-1943

José da Silva 1943-1944

Dr. Elmano Augusto Vieira 1944/1945

Dr. Luis da Costa 1945-1946

Tenente Francisco Xavier Brandão Parente 1946-1947 1 taça da madeira de futebol

Dr. Abel Carreira 1947-1952

Dr. Mateus da Silva 1952-1954

Vasco H. Andrade ?

Dr. João Nepomuceno 1954-1955

Vasco H. Andrade 1955-1956

Dr. Luis Manuel Sotero Gomes 1956-1958 1 título de campeão da madeira de futebol 1 taça da Madeira

Dr. Mateus da Silva 1958-1959 1 título de campeão da madeira de futebol

Dr. Luis Manuel Sotero Gomes 1959-1961 2 títulos de campeão da madeira de futebol 1 taça da Madeira

Dr. Leonel de Mendonça 1961-1963 2 títulos de campeão da madeira de futebol 2 taças da Madeira

Dr. Mateus da Silva 1963-1964 e 1965/66 1 título de campeão da madeira de futebol 2 taças da Madeira

Dr. Luis Manuel Sotero Gomes 1966/1967

João Edmundo Faria 1967/1968

Dr. Rui Firmino de Faria Neponuceno 1972/74

Dr. Luis Manuel Sotero Gomes 1974/1975 1 título de campeão da madeira de futebol

Jaime Ernesto Nunes Vieira Ramos 1975/1976-1986/2000 5 taças da Madeira

Ramiro dos Santos Lopes 1983/1984

Dr. Roberto Marote 2002-2010 (clube)

Antonio Lopes (sad)(2001/02) ?

Diogo Andrade (sad) (2003 a 2009) ?

2 Taças da Madeira

Jaime Lucas (sad) 2010-13

Filipe Silva 2013 - "actual presidente"

Marca do equipamento e patrocínio[editar | editar código-fonte]

  • Marca do equipamento: Locatoni
  • Patrocínio: Museu CR7

Referências

  1. a b Lisboa, Guia de Futebol Record 2007/2008, pág.267 e 268
  2. Funchal, Revista DN, 9 de Setembro de 2007 - União faz a força "No dia 1 de Novembro de 1913, os responsáveis do 'União' decidiram em assembleia geral constituir o União Futebol Clube. Mais tarde mudaram a designação da colectividade para Clube Futebol União, tal como o conhecemos nos dias de hoje. As cores azul e amarelo, usadas desde 1916, significam calma, serenidade, persistência e boa-sorte."
  3. a b Funchal, "Historial do Club Sport Marítimo" Fascículo nº2 - Um Clube Imbatível, edições Diário de Notícias do Funchal, pág. 1 - disponível em http://www.csmaritimo.pt/content/view/351/43/
  4. Funchal, 1942 "Como Nasceu a A. F. Funchal" em http://www.fpf.pt/portal/page/portal/PORTAL_FUTEBOL/MADEIRA/MADEIRA_ASSOCIACAO/HISTORIA/FUNDACAO
  5. Funchal, "Historial do Club Sport Marítimo" Fascículo nº3 - Caminhada Gloriosa, edições Diário de Notícias do Funchal, pág. 1 - disponível em http://www.csmaritimo.pt/content/view/354/43/
  6. Funchal, Revista DN, 9 de Setembro de 2007 - União faz a força "Em 1928, o União causou sensação no Campeonato de Portugal. Nos quartos de final da competição o clube madeirense esteve à beira de eliminar o 'todo poderoso' Benfica. Na partida disputada no Campo das Amoreiras, em Lisboa no dia 13 de Maio desse ano, os madeirenses estiveram a ganhar por 3-1 até aos últimos minutos. Parecia impensável uma reviravolta do marcador por parte dos encarnados. Pois… parecia, mas nessa altura tudo podia acontecer. Segundo algumas histórias, o árbitro deu um 'empurrãozinho' à equipa lisboeta, que em apenas oito minutos deu a volta ao marcador vencendo por 4-3."
  7. Funchal, IDRAM 2007 "Demografia Federada 2005/06" http://www.idram.pt/demografia/DemFed0506.pdf pág. 32 (N.A. último relatório disponível à data desta edição)
  8. [1]
  9. Jornal da Madeira www.jornaldamadeira.pt

Ligações externas[editar | editar código-fonte]