Gonzalo Higuaín

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gonzalo Higuaín
Gonzalo Higuaín
Gonzalo Higuaín em 2015
Informações pessoais
Nome completo Gonzalo Gerardo Higuaín
Data de nasc. 10 de dezembro de 1987 (28 anos)
Local de nasc. Brest[1], França
Nacionalidade França francês
Argentina argentino
Altura 1,84 m[1]
Destro
Apelido Pipita
Informações profissionais
Clube atual Itália Juventus
Número 9
Posição Atacante
Clubes de juventude
1999–2005 Argentina River Plate
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2005–2006
2006–2013
2013–2016
2016–
Argentina River Plate
Espanha Real Madrid
Itália Napoli
Itália Juventus
0047 000(20)
0265 00(121)
0146 000(91)
0006 0000(4)
Seleção nacional3
2008
2009–
Flag of Argentina.svg Argentina Olímpica
Flag of Argentina.svg Argentina
0001 0000(2)
0063 000(30)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 21 de setembro de 2016.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 26 de junho de 2016.

Gonzalo Gerardo Higuaín (Brest, 10 de dezembro de 1987)[1] é um futebolista argentino nascido na França que atua como atacante. Atualmente joga pela Juventus.[2]

Clubes[editar | editar código-fonte]

River Plate[editar | editar código-fonte]

Após um período na base do River Plate, Higuaín estrou como profissional aos 17 anos, fazendo sua estreia em maio de 2005 na partida contra o Gimnasia La Plata, válida pela 15ª rodada do Clausura. Jogou 6 partidas nesse ano, entre os torneios Clausura e Apertura, e mesmo não marcando gols chamou a atenção da imprensa argentina por sua habilidade nos dribles e velocidade com a bola. Higuaín também obteve destaque numa partida válida pela Copa Libertadores da América de 2006, quando o River novamente elimina o Corinthians nas oitavas-de-final da competição, marcando dois gols na vitória de 3-1 em pleno Pacaembu. Foi convocado para defender a Seleção francesa em 2006, porém não aceitou, também foi convocado pela Seleção Argentina juvenil, mas também não aceitou, alegando que a convocação poderia atrapalhar seus planos de jogar na Europa por causa de sua dupla-cidadania.

Logo em seguida o grupo de investidores MSI comprou 50% de seu passe por 6 milhões de euros. As especulações sobre seu futuro logo surgiram, com interesse de grandes clubes da Europa.

Real Madrid[editar | editar código-fonte]

Higuaín pelo Real Madrid.

Em julho de 2006, o Real Madrid, da Espanha, acertou a contratação do jogador, por aproximadamente 13 milhões de euros, firmando um contrato de seis anos, que em 2010 foi renovado até 2016.

Sua estreia ocorreu dia 11 de janeiro de 2007, entrando no decorrer de uma partida contra o Real Betis, em Sevilla. A primeira temporada de Higuaín foi apagada. Com apenas 2 gols e 3 assistências em 23 partidas, Higuaín causou dúvidas nos torcedores e nos dirigentes, pondo à prova sua fama de prodígio. No mesmo período, o atleta descobriu uma brecha na legislação que o permitiria manter a cidadania argentina e o passaporte comunitário. Higuaín então logo foi chamado pelo treinador Sergio Batista para um amistoso preparatório para os Jogos Olímpicos de 2008. Os ares de seleção fizeram bem ao atacante, que apesar de não se destacar passou a apresentar um melhor futebol no Real. Marcou 9 gols e 3 assistências em 32 jogos no período 2007-08.

Higuaín ganhou uma chance entre os titulares, aproveitando-se da grave lesão de Ruud van Nistelrooy. Klaas-Jan Huntelaar foi contratado para substituir o compatriota, mas quem começou a se destacar foi o argentino, que jogando como segundo atacante passou a demonstrar o bom futebol dos tempos de River Plate. Higuaín não conseguiu levar o Real ao título, porém fez uma temporada magnífica, terminando com 24 gols e 9 assistências no Campeonato Espanhol.

Parecia que Higuaín iria perder espaço com a reedição dos madrilenhos nos torneios da temporada 2009-10, no entanto o argentino cavou seu espaço e substituiu o novo craque francês Karim Benzema, formando o setor ofensivo ao lado de dois recentes melhores do mundo: Cristiano Ronaldo e Kaká. Porém, o jogador tem sido o principal goleador do clube na temporada, sendo o vice-artilheiro do Espanhol (atrás de Lionel Messi, do Barcelona). Seus números o colocaram mais próximo da alcunha de "novo Hernán Crespo", atacante que marcou época na Argentina, tanto que o próprio Crespo falou em 2006 que ele será seu sucessor, herdando suas características.[carece de fontes?]

Napoli[editar | editar código-fonte]

Higuaín no Napoli.

Em 27 de julho de 2013, o Real Madrid confirmou sua transferência para o Napoli por 22 milhões de euros e 5 anos de vínculo.[3]

Na temporada 2015/2016, Higuaín marcou 36 golos no Campeonato Italiano, batendo um recorde histórico que pertencia ao sueco Gunnar Nordahl, que marcou 35 golos na temporada 1949/1950.[4]

Juventus[editar | editar código-fonte]

Em 26 de julho de 2016 a Juventus anunciou sua contratação por 90 milhões de euros por cinco anos de vínculo, se tornando o terceiro jogador mais caro da história do futebol.[5][6][7] Em sua estreia, fez o gol da vitória da Juventus contra a Fiorentina por 2 a 1, em jogo válido pela primeira rodada da Serie A de 2016–17.[8] Na terceira rodada, contra o Sassuolo, marcou dois gols na vitória por 3 a 1.[9]Na quinta rodada, contra o Cagliari, fez um dos gols na goleada por 4 a 0, no Juventus Stadium.[10]

Seleção Argentina[editar | editar código-fonte]

Higuaín em disputa de bola com Schweinsteiger na final da Copa de 2014.

Devido a boa fase, as chances apareceram na Seleção Argentina, então comandada por Diego Maradona, e a sua perspectiva de ir à Copa no grupo dos 23 selecionados se tornou realidade. Apesar de ter sido chamado para jogar na seleção francesa por causa de sua dupla cidadania, o jogador optou por jogar pela Argentina com a confirmação da convocação de Maradona. Chegou a especular que se Maradona não o chamasse, este jogaria pela seleção gaulesa. No dia 3 de março de 2010, Higuaín foi titular desde o princípio no amistoso contra a Alemanha, e marcou o único gol do jogo, valendo assim a vitória para a sua seleção.

Meses depois, já pela Copa do Mundo, na segunda rodada da fase de grupos, fez três gols na vitória por 4-1 sobre a Coreia do Sul, se tornando o terceiro jogador na história da Seleção Argentina a marcar um hat-trick em jogos de Copa do Mundo. Nas oitavas-de-final, na vitória por 3-1 contra o México, Higuaín foi o responsável por um dos gols da Argentina. Os argentinos viriam a ser eliminados nas quartas-de-final, após uma surpreendente derrota por 4-0 frente a uma inspirada Alemanha.

Participou da Copa do Mundo FIFA de 2014, onde a seleção foi vice-campeã.[11] Foi autor do gol que colocou os argentinos na semifinal, ao vencerem a Bélgica por 1–0.[12] Na final Higuaín marcou um gol logo no primeiro tempo, mas estava impedido. Depois, perderia uma chance cara a cara com Manuel Neuer, que poderia ter mudado a história do jogo.[13]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Real Madrid
Napoli

Individual[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]