Andrea Carnevale

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Andrea Carnevale
Informações pessoais
Nome completo Andrea Alessandro Carnevale
Data de nasc. 12 de janeiro de 1961 (58 anos)
Local de nasc. Monte San Biagio,  Itália
Altura 1,84 m
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Atacante
Clubes de juventude
1977–1978 Itália Fondi
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1978–1979
1979–1981
1981–1983
1983
1983–1984
1984–1986
1986–1990
1990–1994
1993–1994
1994–1995
1995–1996
Latina
Avellino
Reggiana
Cagliari
Catania
Udinese
Napoli
Roma
Pescara
Udinese
Pescara
24 (3)
11 (1)
66 (16)
7 (1)
23 (3)
55 (16)
137 (43)
62 (20)
24 (14)
16 (7)
28 (10)
Seleção nacional
1989–1990 Flag of Italy.svg Itália 10 (2)

Andrea Alessandro Carnevale[1] (Monte San Biagio, 12 de janeiro de 1961) é um ex-futebolista italiano que jogava como atacante. Atualmente exerce a função de olheiro na Udinese.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Revelado nas categorias de base do Fondi, Carnevale profissionalizou-se em 1978, no Latina. Mesmo com o rebaixamento dos Leoni Alati para a Série C2 (na época, o quarto nível do futebol italiano), chamou a atenção do Avellino, que o contratou um ano depois. Sua estreia foi contra a Roma, clube em que era torcedor na infância.

Após defender Reggiana, Cagliari e Catania, teve passagem destacada pela Udinese entre 1984 e 1986, sendo municiado pelo brasileiro Zico, principal nome do clube friulano na época, em sua primeira temporada. Depois de 55 partidas e 16 gols, Carnevale foi contratado pelo Napoli, integrando a primeira versão do trio "Magica", ao lado de Diego Maradona e Bruno Giordano.

Em 1990, realizou o sonho de jogar pela Roma e, embora tivesse feito 4 gols em 5 jogos, sofreu um golpe ao ser flagrado no antidoping por uso de fentermina, juntamente com o goleiro Angelo Peruzzi. Ficou um ano suspenso do futebol e, após regressar aos gramados, teve passagens de pouco destaque por Udinese[2] e Pescara (onde também jogou em 2 passagens), se aposentando em 1996.

Após chegar a ser preso por tráfico de drogas em 2002, Carnevale voltou novamente à Udinese em 2004, e desde então trabalha como olheiro do clube.

Seleção[editar | editar código-fonte]

Carnevale integrou a Seleção Italiana de Futebol nas Olimpíadas de 1988 e na Copa de 1990,[3] onde atuou em 2 jogos. Preterido por Azeglio Vicini, que colocou Salvatore Schillaci em seu lugar, brigou com o técnico e não entrou mais em campo pela Squadra Azzurra, pela qual disputou 10 jogos e fez 2 gols.

Referências

  1. Nelson Oliveira. «Andrea Carnevale foi peça importante do Napoli bicampeão italiano». Calciopédia. Consultado em 15 de abril de 2019 
  2. Leonardo Ciccarelli (12 de fevereiro de 2013). «a storia siete voi: la vita in salita di Andrea Carnevale» (em Italian). Tutto Napoli. Consultado em 8 de junho de 2015 
  3. «Elenco ITA'88». Consultado em 20 de janeiro de 2017