Márcio Fernandez Cazorla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Márcio
Informações pessoais
Nome completo Márcio Fernandez Cazorla
Data de nasc. 16 de março de 1971 (48 anos)
Local de nasc. Porto Alegre,  Rio Grande do Sul,  Brasil
Altura 1,88 m
Destro
Apelido Márcio
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Goleiro
Clubes de juventude
1986–1991 Rio de Janeiro Vasco da Gama
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1991–2005
1992
1995
1996
Brasil Vasco da Gama
Brasil Americano (emp.)
Brasil Olaria (emp.)
Brasil Americano (emp.)
112 (0)
- (-)
- (-)
- (-)

Márcio Fernandez Cazorla, ou apenas Márcio (Porto Alegre, 16 de março de 1971) é um ex-futebolista brasileiro que atuava como goleiro.

Ficou conhecido por defender o Vasco da Gama por 13 anos, sendo emprestado a Americano e Olaria em curtos períodos.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Começou nos juvenis do Vasco em 1986. Em 1992, defendeu o Americano no Brasileiro da Série B, por empréstimo. Disputou o Estadual de 1995 pelo Olaria e, o de 1996, pelo Americano, também emprestado pelo Vasco, onde foi bicampeão da Taça Rio (1993 e 1994).

Márcio estreou no time profissional do Vasco em 1992, quando Carlos Germano era considerado soberano na posição. Seu primeiro jogo foi um amistoso contra o Olimpia, levando um gol.

1998 foi o ano em que ele disputou mais partidas com a camisa vascaína - 28 no total -, sobretudo graças à ausência de Carlos Germano, que servia à Seleção Brasileira para a Copa da França, como reserva de Taffarel. Novamente a irregularidade prejudicou Márcio, que levou 21 gols.

Com o retorno de Germano, Márcio voltou a ser "eterno reserva", e começaria a perder espaço a cada temporada: não disputou nenhum jogo em 1996; jogou apenas 8 partidas em 1999 (6 gols sofridos); chegou a participar de 24 jogos em 2000 e foi o terceiro goleiro durante a temporada 2001; com a saída do então titular Helton para a União de Leiria em 2002, voltou a ter uma sequência de partidas, participando de 24 jogos (alternando a titularidade com Fábio), com 25 gols sofridos, e em 2003, foram apenas 2 atuações, sendo que Márcio sofreu mais dois gols.

Em 2004, Márcio, agora como terceiro reserva de Fábio (Carlos Germano e Cássio eram, respectivamente, segundo e terceiro goleiros do elenco principal), realizaria mais 6 partidas, entretanto levaria outros 12 gols na carreira, totalizando 127 tentos sofridos em 13 anos como atleta profissional do Vasco. Em agosto de 2004, quebrou o braço em disputa de bola com o atacante Anderson Costa.[1]

Nem o longo período de serviços prestados fez com que o goleiro deixasse de acionar o Vasco na Justiça por questões trabalhistas. Após pendurar as chuteiras, em 2005, passou a administrar escolinhas de futebol.

Durante a gestão Roberto Dinamite, Márcio trabalhou ao lado de Carlos Germano, como treinador de goleiros do Vasco da Gama.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Vasco da Gama

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]