Gilmar Dal Pozzo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Gilmar Dal Pozzo
Gilmar Dal Pozzo
Dal Pozzo com a taça da Copa FGF
conquistada em 2008
Informações pessoais
Nome completo Gilmar Dal Pozzo
Data de nasc. 1 de setembro de 1969 (52 anos)
Local de nasc. Quilombo, Santa Catarina, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,94 m
destro
Apelido Robocop
Professor Xavier
Informações profissionais
Equipa atual sem clube
Posição ex-goleiro
Função treinador
Clubes de juventude
1977–1980 Pratense
Clubes profissionais
Anos Clubes
1989
1990–1992
1994–1995
1996
1997
1999–2000
2000–2003
2003
2004–2005
2005
2006
2007
Pratense
Caxias
Veranópolis
Caxias
Londrina
Caxias
Marítimo
Goiás
Avaí
Santa Cruz
Veranópolis
Ulbra
Times/Equipas que treinou
2008
2008
2009–2010
2010
2010–2011
2011–2012
2012–2014
2014
2015
2015–2016
2016
2017
2017
2018
2019–2020
2020–2021
Veranópolis
Pelotas
Veranópolis
Novo Hamburgo
Pelotas
Veranópolis
Chapecoense
Criciúma
ABC
Náutico
Paysandu
Ceará
Juventude
Brasil de Pelotas
Náutico
Paraná
Última atualização: 1 de agosto de 2021

Gilmar Dal Pozzo (Quilombo, 1 de setembro de 1969) é um treinador e ex-futebolista brasileiro que atuava como goleiro. Atualmente está sem clube.

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Atuando na posição de goleiro, defendeu o Caxias, Veranópolis, Londrina, Marítimo, Goiás, Avaí, Santa Cruz e Ulbra.

Marcou alguns gols ao longo da carreira, sendo quase todos em cobranças de pênaltis.[1]

Carreira como treinador[editar | editar código-fonte]

Veranópolis[editar | editar código-fonte]

Admirador do trabalho de Tite[2], iniciou como técnico de futebol no Veranópolis. Neste clube sagrou-se Campeonato do Interior Gaúcho em 2008.[3]

Chapecoense[editar | editar código-fonte]

Assumiu o comando técnico da Chapecoense no dia 11 de setembro de 2012, substituindo Itamar Schülle.[4] Conseguiu levar a equipe ao vice na Série B de 2013.

Foi demitido da Chape no dia 23 de maio de 2014, depois um mau início no Campeonato Brasileiro.[5]

ABC[editar | editar código-fonte]

Quase um ano depois, foi contratado pelo ABC em 2015, após a demissão de Josué Teixeira. No entanto, depois da equipe sofrer uma goleada por 4 a 1 contra o Paraná, pela Série B, Gilmar acabou demitido do Mais Querido.[6][7]

Náutico[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2015, Dal Pozzo foi contratado pelo Náutico[8] e terminou a Série B no 5º lugar. Pela campanha feita em pouco tempo de treinamento, renovou com o clube pernambucano para a temporada 2016 com o claro objetivo de conquistar títulos. No dia 27 de abril de 2016, foi demitido da equipe alvirrubra.[9] A razão pela demissão foram os maus resultados que estavam vindo em momentos decisivos para o clube; ele deixou a equipe com 62% dos pontos disputados em 28 partidas.

Paysandu[editar | editar código-fonte]

Pelo Paysandu, na Série B de 2016 o treinador conseguiu apenas três vitórias e sete empates em 10 jogos, além da eliminação em casa para o Juventude (3º divisão) na Copa do Brasil, o que deixou os torcedores e a comissão técnica insatisfeitos. Dos 39 pontos disputados como treinador, 24 foram na curuzu, conseguindo apenas 21, sendo que suas vitórias em Belém foram apenas contra times que estão lutando contra o rebaixamento para a Série C, como o Operário da 2º divisão do Paraná.

Ceará[editar | editar código-fonte]

No dia 28 de novembro de 2016, foi anunciado para a temporada de 2017 como novo treinador do Ceará.[10]

No dia 17 de fevereiro, Dal Pozzo foi hostilizado por alguns torcedores do Ceará no saguão do Aeroporto Internacional de Fortaleza, depois do time ser derrotado e consequentemente eliminado da Copa do Brasil diante do Boavista.[11] Após o lamentável episódio, Gilmar e a diretoria do Ceará entraram em um acordo, e o treinador deixou o comando do clube cearense.[12]

Juventude[editar | editar código-fonte]

Foi contratado pelo Juventude no dia 7 de março de 2017, chegando para substituir Paulo César Parente.[13] Logo na estreia venceu o Internacional.

Retorno ao Náutico[editar | editar código-fonte]

Foi contratado pelo Náutico no começo da Série C de 2019, levando o clube ao acesso a Série B e ao título nacional da Série C.[14] A boa campanha em 2019 inscreveu o nome de Dal Pozzo na história do tradicional clube pernambucano.

Renovou com o clube para a temporada 2020, completando um ano no cargo no dia 13 de maio.[15] No entanto, a eliminação na semifinal do Campeonato Pernambucano e a saída precoce da Copa do Nordeste levaram a sua demissão após tropeço na segunda rodada da Série B.[16] Após deixar o time principal, continuou como treinador do time Sub-23.[17]

Paraná[editar | editar código-fonte]

Acertou com o Paraná no dia 2 de novembro de 2020.[18] Deixou o clube pouco tempo depois, no dia 5 de janeiro de 2021. Ao final da Série B, o mesmo acabou rebaixado para a Série C.

Estatísticas como treinador[editar | editar código-fonte]

Equipe Estatísticas
J V E D %
Criciúma 13 3 4 6 23.08%
ABC 10 3 3 4 30%
Náutico 46 31 15 10 67.39%
Paysandu 13 4 8 1 30.77%
Ceará 9 5 2 2 55.56%
Juventude 39 14 10 15 35.9%
Brasil de Pelotas 13 3 6 4 23.08%
Chapecoense 98 48 27 23 48.98%
Paraná 6 1 1 4 16.67%

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Caxias

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Pelotas
Náutico

Referências

  1. Túlio Nassif. «Gilmar Dal Pozzo - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  2. «Inspirado em Tite, Gilmar Dal Pozzo comemora um ano na Chapecoense». ESPN.com.br. 9 de setembro de 2013. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  3. Luiz Signor (14 de abril de 2012). «'Discípulo de Tite', Gilmar Dal Pozzo faz história no VEC». LANCE!. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  4. «Gilmar Dal Pozzo assume a Chapecoense». Diário do Iguaçu. 11 de setembro de 2012. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  5. «Após acessos e quase dois anos, Dal Pozzo é demitido da Chapecoense». GloboEsporte.com. 23 de maio de 2014. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  6. «Retrospecto em casa derruba Gilmar Dal Pozzo do comando do ABC». GloboEsporte.com. 15 de julho de 2015. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  7. «Demitido do ABC, Gilmar Dal Pozzo faz críticas ao clube: 'Unilateral'». ESPN.com.br. 15 de julho de 2015. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  8. Daniel Gomes (8 de setembro de 2015). «Náutico acerta contratação do técnico Gilmar Dal Pozzo, ex-ABC». GloboEsporte.com. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  9. «Náutico oficializa demissão de Gilmar Dal Pozzo e já procura novo treinador». GloboEsporte.com. 27 de abril de 2016. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  10. «Gilmar Dal Pozzo é o novo técnico do Ceará». Site oficial do Ceará. 28 de novembro de 2016. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  11. «Boavista marca nos acréscimos e elimina o Ceará da Copa do Brasil». ESPN.com.br. 15 de fevereiro de 2017. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  12. «Após ameaças, Gilmar Dal Pozzo deixa comando técnico do Ceará». GloboEsporte.com. 16 de fevereiro de 2017. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  13. «Juventude contrata técnico Gilmar Dal Pozzo para lugar de Paulo César». GloboEsporte.com. 7 de março de 2017. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  14. «Com primeiro grande título da carreira, Gilmar Dal Pozzo celebra força do Náutico». Superesportes. 7 de outubro de 2019. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  15. «Futuro, metas cumpridas e jogo inesquecível: Gilmar Dal Pozzo completa um ano no Náutico». GloboEsporte.com. 13 de maio de 2020. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  16. Yago Mendes (12 de agosto de 2020). «Sem vencer na Série B, Dal Pozzo não resiste a tropeço e não é mais técnico do Náutico». Superesportes. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  17. «COMUNICADO OFICIAL: Gilmar Dal Pozzo». Site oficial do Náutico. 14 de agosto de 2020. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  18. «Gilmar Dal Pozzo aceita proposta e é o novo técnico do Paraná». GloboEsporte.com. 3 de dezembro de 2020. Consultado em 1 de agosto de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Gilmar Dal Pozzo