Aeroporto Internacional de Fortaleza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde fevereiro de 2018). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde novembro de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Fortaleza
Aeroporto
Aeroporto Internacional Pinto Martins
IATA: FOR - ICAO: SBFZ
Características
Tipo Público / Militar
Administração Fraport AG
Serve Região Metropolitana de Fortaleza
Localização Fortaleza, CE Brasil Brasil
Inauguração 1966 (52 anos)
Coordenadas 3° 46' 33" S 38° 31' 56" O
Altitude 25 m (82 ft)
Passageiros 5.929.404 passageiros (2017)
Carga 25 750 735 Kg
Aéreo 24 930 decolagens
Capacidade anual 6 200 000 passageiros[1]
Principais companhias
Website oficial Página oficial
Mapa
SBFZ está localizado em: Brasil
SBFZ
Localização do aeroporto no Brasil
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície

1

13 / 31 2 545  m (8 350 ft) Asfalto
Notas
Dados do DECEA[2] e da ANAC[3]
Terminal de Passageiros
Interior do Terminal
Painel artístico no Terminal

O Aeroporto Internacional de Fortaleza - Pinto Martins (IATA: FORICAO: SBFZ) é um aeroporto internacional no município de Fortaleza, no Ceará. É o principal aeroporto do estado do Ceará. De acordo com a lista dos mais movimentados aeroportos do Brasil, está no décimo segundo lugar do país, além de ser o terceiro da região Nordeste em passageiros domésticos e internacionais. Está localizado no meio do mapa de Fortaleza, a 10 km do centro da cidade, 12 km do Centro de Eventos do Ceará e a 14 km das redes hoteleiras.[4]

Em 13 de maio de 1952, o aeroporto recebeu o nome de Pinto Martins, em homenagem ao aviador cearense Euclides Pinto Martins, que realizou o primeiro voo sobre o Oceano Atlântico entre Nova Iorque e o Rio de Janeiro, no início da década de 1920, a bordo do hidroavião Sampaio Correia II.[5]

Em março de 2017, o complexo aeroportuário foi concedido à iniciativa privada para o grupo Fraport AG por trinta anos, pelo valor de R$ 425 milhões de reais. O grupo administra as operações do aeroporto desde o inicio de 2018, adotando a marca Fortaleza Airport, identificação adicional ao nome oficial e às denominações informais. O contrato assinado em 28 de julho de 2017 garante a renovação e conclusão dos investimentos da Infraero para o terminal de passageiros e o aumento da extensão da única pista de rolamento.

O antigo terminal de passageiros do aeroporto funciona como Terminal de Aviação Geral (TAG), operando a aviação de pequeno porte geral, executiva e táxi aéreo.

Historia[editar | editar código-fonte]

O aeroporto teve suas origens na pista do Alto da Balança, construída na década de 1930 e utilizada até 2000 pelo Aeroclube do Ceará. Durante a Segunda Guerra Mundial, serviu de base aérea de apoio às Forças Aliadas, época em que foi construída a segunda pista de pousos e decolagens (Base do Cocorote)[6], a atual pista de uso do Aeroporto de Fortaleza. A segunda pista do Alto da Balança foi ampliada de 1.500 m para 2.545 m em 1963. O primeiro terminal de passageiros e o pátio de aeronaves foram construídos em 1966. A administração do Aeroporto foi transferida à INFRAERO – Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária, em 7 de janeiro de 1974 (Portaria nº 120/GM5, de 3 de dezembro de 1973), quando deu início a uma série de obras de ampliação do complexo aeroportuário, entre elas a do pátio e a do terminal de passageiros.[7]

Através de uma parceria entre a Infraero, governo federal e governo estadual, foi-se construído o terminal de passageiros com 35.000 metros quadrados na área sul, inaugurado em fevereiro de 1998, pelo governador Tasso Jereissati, cuja capacidade é 3,8 milhões de passageiros ao ano, 14 posições de estacionamento de aeronaves e com sistemas de automação, sendo classificado como Internacional em 1997 (Portaria 393 GM5, de 9 de junho de 1997).

Em 2015, a Latam anunciou concorrência do aeroporto de Fortaleza com os aeroportos de Recife e Natal por um investimento de conexões aéreas até então nada realizado.

No dia 25 de setembro de 2017, a Gol Linhas Aéreas anunciou Fortaleza como a escolhida para sediar seu Hub na região Nordeste do Brasil, em parceria com a Air France-KLM, a qual lançou dois voos semanais para Paris-Charles de Gaulle e três voos semanais para Amsterdã schipol, operados respectivamente pela Joon (subsidiária da Air France) e KLM. A Gol será responsável por distribuir os passageiros no Brasil, operando inicialmente para cinco destinos: Salvador, Recife, Natal, Manaus e Belém.

No dia 15 de janeiro de 2018, a Gol Linhas Aéreas anunciou que irá voar diariamente de Fortaleza e Brasília para Orlando e Miami, a partir do dia 04 de novembro de 2018, quando suas novas aeronaves - Boeing 737 MAX - já estarão em operação. Inicialmente, Fortaleza possuirá cinco voos com capacidade de conexão aos voos para Miami e Orlando da Gol.

Em 23 de outubro de 2017, foram apresentados, no Edifício do Governador na cidade, os Planos e Projeto a serem feitos a partir de Fevereiro de 2018 por Stefan Schulte e Andrea Pal, Administradores, juntos a Camilo Santana e Roberto Cláudio, governador e prefeito.

Concessão a iniciativa privada[editar | editar código-fonte]

No dia 13 de setembro de 2016, o presidente da republica Michel Temer anunciou a concessão ou venda de 34 projetos nas áreas de energia, aeroportos, rodovias, portos, ferrovias e mineração.[8] Entre os projetos apresentados estava o aeroporto internacional de Fortaleza e outros 3 aeroportos do Brasil.[9][10][11][12]

Foi leiloado na manhã de 16 de Março de 2017 na sede da Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) ao consórcio Fraport AG de Frankfurt, Alemanha por R$ 425 milhões para uso por 30 anos.[13] Dentre o estabelecido no contrato está a reforma do atual terminal e término da obra adjunta, abandonada pela Infraero, bem como aumento da única pista. De Junho de 2017 até Janeiro de 2018 ambas empresas administraram todo o aeroporto. No dia 2 de Janeiro de 2018, com o certificado operacional provisório em mãos, a Fraport Brasil passou a assumir integralmente o aeroporto. Nessa terceira e última fase da transição da administração do Aeroporto, a concessionária permanece acompanhada pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) por mais três meses. Assim, os empregados da Infraero alocados ao Aeroporto continuarão na condição de contratados da Infraero, mas cedidos à concessionária. Agora, a Fraport aguarda a aprovação do anteprojeto pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para iniciar as obras de ampliação do terminal.[14]

Terminal de logística de carga[editar | editar código-fonte]

Existe um Terminal de Logística de Cargas (Teca) com foco nas operações de importação e exportação e demandou investimentos de cerca de R$ 39 milhões da Infraero. O prédio tem aproximadamente nove mil metros quadrados de área construída e capacidade de armazenamento para até cinco mil toneladas, entre cargas domésticas e internacionais. O pátio de manobras tem capacidade para até nove aeronaves estacionadas.

Em 2011, o aeroporto movimentou mais de 50 mil toneladas de carga aérea, de acordo com a Infraero. Dentre os principais produtos, destacam-se a importação de peças para reposição de máquinas, tecidos, malhas, ligas de aço, bobinas, molas, conversores eletrônicos e motores hidráulicos. A maior parte da carga veio dos Estados Unidos, China, Suíça, Itália e Alemanha. No setor de exportação, os produtos mais relevantes foram couros, flores, frutas, redes, peixes ornamentais e calçados, que seguiram com destino aos Estados Unidos, Holanda, Inglaterra, Portugal, França, China e Japão.

Torre de controle[editar | editar código-fonte]

A Torre de Controle teve um investimento de aproximadamente R$ 23 milhões iniciada em março de 2005, possuindo 40m de altura[15] – a antiga possuía 18m – para segurança às operações de pouso e decolagem. Entre os equipamentos que funcionam, está o Star 2000, radar que auxilia nos procedimento das aeronaves, e apoio ao radar LP-23, que monitora o espaço aéreo da região.

Pista[editar | editar código-fonte]

O Aeroporto de Fortaleza possui uma única pista principal (13/31), medindo 2.545 x 45 metros com mais 7,5 metros de acostamento de cada lado para uso comercial, com pavimento asfáltico e equipada com balizamento luminoso para operações noturnas. Uma antiga pista pequena se encontra ainda na base aérea, porém sem uso de pousos e decolagens, na áérea norte.

Pátios de estacionamento[editar | editar código-fonte]

  • TPS (Terminal de Passageiros): possui 14 posições (metade em pontes) para aeronaves de pequeno e médio porte, sendo eventualmente possível docar um Boeing 747). Tem 22 equipamentos para abastecimento de querosene, 14 torres de iluminação e vias internas de serviço.
  • TAG (Terminal de Aviação Geral): possui 07 hangares, 29 posições de estacionamento de aeronaves de pequeno porte, 3 pontos de estacionamento de helicópteros e vias de serviço.

Números e serviços[editar | editar código-fonte]

  • Área total do sítio aeroportuário: 1.218.799,30 m²;
  • Área total do TPS: 38.500m², constando de quatro pavimentos (subsolo, térreo, primeiro andar e terraço panorâmico);
  • Desembarque doméstico: 800m²;
  • Desembarque internacional: 400m²;
  • Área do TAG: 8.279,68 m², constando de dois pavimentos (térreo e 1 andar);
  • Estacionamento: 900 vagas;
  • Esteiras de bagagem e despacho:
  • 08 escadas-rolantes;
  • 10 elevadores;

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Aeroporto Internacional Pinto Martins
Ano Total de Passageiros % diferença Movimento de aeronaves % diferença Passageiros Internacionais Rank Brasil
2003[16] 1.868.699 Estável 36.486 Estável 156.366 11
2004[17] 2.317.869 Aumento 24.0% 39.618 Aumento 8.5% 252.895 11
2005[18] 2.774.240 Aumento 19.6% 42.537 Aumento 7.3% 249.634 11
2006[19] 3.282.979 Aumento 18.3% 46.567 Aumento 9.4% 268.281 11
2007[20] 3.614.439 Aumento 10.0% 47.226 Aumento 1.4% 267.881 11
2008[21] 3.465.791 Baixa 4.1% 47.703 Aumento 1.0% 242.908 11
2009[22] 4.211.651 Aumento 21.5% 51.861 Aumento 8.7% 223.899 11
2010[23] 5.072.786 Aumento 20.4% 62.570 Aumento 20.6% 229.463 12
2011[24] 5.649.604 Aumento 11.4% 65.853 Aumento 5.2% 232.550 12
2012[25] 5.964.223 Aumento 5.6% 65.388 Baixa 0.7% 199.965 12
2013[26] 5.952.535 Baixa 0.20% 66.819 Aumento 2.6% 207.207 12
2014 6.500.649 Aumento 9,2 % 68.695 Aumento 2,8 % 222.420 12
2015 6.347.543 Baixa 2% 61.556 Baixa 10% 219.126 12
2016 5.706.489 Baixa 10% 53.133 Baixa 14% 224.133 12
2017 5.929.404 Aumento 3.9% 247.958 12