Aeroporto de Jequié

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Jequié
Aeroporto
Aeroporto Vicente Grillo
IATA: JEQ - ICAO: SNJK
Características
Tipo Público
Administração Governo Municipal e Governo Estadual
Serve Jequié
Localização Brasil Jequié, BA
Inauguração 19 de novembro de 1954 (66 anos)
Coordenadas 13° 52' 40" S 40° 4' 17" O
Altitude 197 m (646 ft)
Mapa
SNJK está localizado em: Brasil
SNJK
Localização do aeroporto no Brasil
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
14/32 1 200  m (3 937 ft) Asfalto
Notas
Dados do DECEA[1] e da ANAC[2]

O Aeroporto Vicente Grilo da cidade de Jequié, (IATA: JEQICAO: SNJK), no estado da Bahia. Pertence ao Governo do Estado da Bahia, sendo administrado pelo município de Jequié.

Possui pista de pouso e decolagem de 1,2 km e 30 metros de largura sem iluminação noturna ou torre de controle.

O aeroporto já foi servido pela companhia aérea Abaeté[3] que usava o avião Embraer EMB 110 Bandeirante que com a baixa procura por voos desativou seus voos para a cidade.

O primeiro avião de escala comercial que chegou em Jequié em 19 de novembro de 1954, a inauguração do Aeroporto Vicente Grillo, na época chamado de Campo de Aviação. Tudo aconteceu graças ao empenho do grande benemérito do Município, Vicente Grillo, que doou a área para a construção deste equipamento. De acordo com o site Taberna da História, em Jequié, a empresa Real operava com aviões Douglas DC-3, um avião bimotor para uso civil que revolucionou o transporte de passageiros nas décadas de 1930 e 1940. Seu representante, em 1963, era Antônio Orrico, que tinha escritório na Rua 2 de Julho. Antes, porém, operava em Jequié a Nacional, que tinha como representante a “Jodan”. Nos anos 80, Jequié foi contemplada com uma linha aérea, sob a responsabilidade da Nordeste Linhas Aéreas que, operando aviões Bandeirantes, conectava Salvador, Jequié e Bom Jesus da Lapa. A sociedade jequieense, nos anos 50, viajava muito de avião para os grandes centros do país. Era comum ver algum casal viajando para o Rio de Janeiro ou mesmo para Salvador em um DC-3.

Em 2009 a cidade recebeu 2,5 milhões para investimento no aeroporto que nunca foi usado. Em 2011 o governo do estado fez uma pequena reforma no terminal de passageiros e entregou a responsabilidade de manutenção para a prefeitura. O aeroporto recebe apenas voos particulares. Em 2012 foi interditado pela Cenipa[4] diante da insegurança revelada em sua pista, por onde transitavam pessoas, animais e motos, além da qualidade precária da pista.[5] Ainda no ano 2012 especulou-se que o governo do estado faria uma reforma no terminal de passageiros e na pista de pouso e decolagem para que a Anac pudesse liberar o aeroporto para voos regulares.

Em 20 de abril de 2016 a Secretaria de Aviação Civil liberou o aeroporto para receber voos regulares após passar por intensa reforma.[6]

Referências

  1. «Jequié (SNJK)». Departamento de Controle do Espaço Aéreo - DECEA. Consultado em 22 de abril de 2021 
  2. «Lista de Aeródromos Públicos». Agência Nacional de Aviação Civil- ANAC. Consultado em 22 de abril de 2021 
  3. Carlos Ferreira (25 de outubro de 2020). «Abaeté Linhas Aéreas torna-se a "mais nova" empresa aérea regional brasileira». Aeroin. Consultado em 22 de abril de 2021 
  4. «União autoriza reabertura do aeroporto de Jequié». A Tarde. 19 de abril de 2016. Consultado em 22 de abril de 2021 
  5. Wilson Novaes Júnior (1 de julho de 2013). «Interdição do aeroporto de Jequié inspiraria uma excelente obra de ficção». Jequié Repórter. Consultado em 22 de abril de 2021 
  6. «Secretaria autoriza reabertura do aeroporto de Jequié, na Bahia.». Secretaria Nacional de Aviação Civil. 20 de abril de 2016. Consultado em 22 de abril de 2021. Arquivado do original em 20 de maio de 2016