Aeroporto de Ilhéus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Airport symbol comercial.png
Ilhéus
Aeroporto Jorge Amado
IATA: IOS - ICAO: SBIL
Características
Tipo Público
Administração Infraero
Serve Região de Ilhéus
Localização Brasil Ilhéus, BA
Inauguração 1939 (77 anos)
Coordenadas 14° 48' 54" S 39° 02' O
Altitude 4 m (13 ft)
Movimento de 2015
Passageiros 307 988 passageiros
Carga 650 027 Kg
Aéreo 3 532 decolagens
Mapa
SBIL está localizado em: Brasil
SBIL
Localização do aeroporto no Brasil
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
11 / 29 1 577 m (5 174 ft) Asfalto
Notas
Dados do DECEA[1] e da ANAC[2]

O Aeroporto de Ilhéus — Jorge Amado situado na cidade de Ilhéus, no estado da Bahia, distante 446 quilômetros da capital, Salvador, é a principal porta de entrada de turistas para a Costa do Cacau.

Localizado a 3 km do centro de Ilhéus, na zona sul da cidade, é o segundo aeroporto mais movimentado do interior do nordeste brasileiro, atrás apenas do Aeroporto de Porto Seguro. Sendo assim o aeroporto mais movimentado entre os administrados pela Infraero no interior da região. O aeroporto dispõe de um terminal de passageiros capaz de atender a 300.000 passageiros/ano (este número sendo ultrapassado desde 2006).

Em 12 de março de 2002 uma lei federal alterou o nome do aeroporto[3] em homenagem ao escritor baiano Jorge Amado, falecido em 2001.

História[editar | editar código-fonte]

A história do transporte aéreo de Ilhéus é tão antiga quanto a da própria aviação comercial brasileira. Os hidroaviões da Condor e da Panair do Brasil que viajavam para o Norte do Brasil faziam escala obrigatória na cidade. Em 9 de maio de 1938, foi escolhida uma área de 370.670 m² de terreno para a construção do Campo de Aviação do Pontal. Construído com a função de servir de apoio a aeronaves durante a II Guerra Mundial, o aeroporto era administrado pela Força Aérea Brasileira. Durante essa época, a pista de pouso era de material pouco consistente e em posição diferente da existente atualmente, só então na década de 1950 foi asfaltado.

Em 10 de março de 1981, a Infraero assumiu a administração do aeroporto e promoveu uma série de obras como a ampliação e reforma do terminal de passageiros, assim como a construção de cercas e muros para segurança.

BRA, Cruzeiro, Nordeste, Panair, Pantanal, Rio-Sul, Transbrasil, Varig, VASP e WebJet já foram algumas das companhias que movimentaram regularmente passageiros do Aeroporto de Ilhéus ao resto do Brasil. Ainda movimentaram as pistas do Pontal a Bahia Taxi Aéreo e a Atlanta Taxi Aéreo, afora os aviões executivos.

Problemas[editar | editar código-fonte]

Cabeceira 11.

A ANAC (Agência Nacional de Avaliação Civil) determinou em 2007, a redução de 110 metros da pista do aeroporto de Ilhéus, pela proximidade com a rodovia BA-001 que passa pela frente de uma de suas cabeceiras. Depois desta medida a TAM, maior empresa a usar o terminal, parou de operar em Ilhéus com aeronaves Airbus A320, que tem maior capacidade de passageiros e também de carga, passando a operam com seus Airbus A319. Com isso muitos setores da sociedade reclamaram, por entender que houve queda no fluxo de turistas e de cargas, principalmente para o Pólo de Informática de Ilhéus.

Em agosto de 2008, a ANAC determinou que a partir da 0 hora do dia 2 de setembro daquele mesmo ano, voos noturnos por meio de instrumentos estariam proibidos de decolar e de pousar no aeroporto, assim como também durante o dia quando houver neblina ou fortes chuvas. A medida foi tomada após um estudo realizado pelo Departamento do Controle do Espaço Aéreo (DECEA), que apontou 65 obstáculos (postes e propriedades privadas). A Infraero foi notificada e a medida entrou em vigor somente às 0 hora do dia 16 de setembro, após a ANAC prorrogar a medida para essa última data. Com isso Gol e TAM cancelaram seus voos noturnos.

Todos os obstáculos já foram retirados, desde outubro de 2009, os voos já podem voltar a operar normalmente, sem qualquer restricão.

Companhias aéreas[editar | editar código-fonte]

Companhias Aeronaves Voos regulares vigentes[4]
Avianca Logo.svg Airbus A319
Azul Brazilian Airlines logo.png Embraer 190/195
Gol logo.png Boeing 737-700
Latam-logo -v (Indigo).svg Airbus A319

Movimento[editar | editar código-fonte]

Histórico - Movimento Operacional
Ano Passageiros Aeronaves Carga Aérea
2002 230.748 10.777 2.359.965
2003 179.767 9.422 3.374.108
2004 213.855 9.707 3.548.721
2005 239.193 7.719 2.383.420
2006 306.800 8.440 2.368.031
2007 397.131 8.741 2.481.588
2008 394.435 9.137 2.483.274
2009 361.378 9.810 1.599.242
2010 412.572 9.708 1.758.528
2011 513.095 13.235 1.778.565
2012 (até outubro) 449.652 9.702 1.377.132

O aeroporto recebe uma média diária de 14 voos das companhias aéreas Avianca, Azul, Gol e LATAM provenientes das cidades de Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Recife, São Paulo e Salvador.

Maiores rotas chegando/saindo de Ilhéus (2010)[5]
Rank Origem Passageiros Destino Passageiros
1 Bahia Salvador, Bahia 89.879 Bahia Salvador, Bahia 88.984
2 São Paulo São Paulo (Congonhas), São Paulo 71.402 São Paulo São Paulo (Congonhas), São Paulo 72.244
3 Minas Gerais Belo Horizonte (Confins), Minas Gerais 25.627 Minas Gerais Belo Horizonte (Confins), Minas Gerais 25.044
4 São Paulo São Paulo (Guarulhos), São Paulo 11.620 São Paulo São Paulo (Guarulhos), São Paulo 12.183
5 Espírito Santo (estado) Vitória, Espírito Santo 5.811 Espírito Santo (estado) Vitória, Espírito Santo 8.305
6 Rio de Janeiro Rio de Janeiro (Santos Dumont), Rio de Janeiro 1.493 Rio de Janeiro Rio de Janeiro (Santos Dumont), Rio de Janeiro 1.860
7 Pernambuco Recife, Pernambuco 1.146 Rio de Janeiro Rio de Janeiro (Galeão), Rio de Janeiro 1.633
8 Rio de Janeiro Rio de Janeiro (Galeão), Rio de Janeiro 923 Sergipe Aracaju, Sergipe 121

Complexo aeroportuário[editar | editar código-fonte]

Visão panorâmica do terminal do aeroporto.
  • O sítio aeroportuário tem 739 686,71 metros quadrados de área.[6]
  • O pátio das aeronaves tem 10 199 metros quadrados de área.
  • O terminal de passageiros tem 3 420 metros quadrados de área.
  • O estacionamento tem capacidade para 69 vagas.
  • São 9 balcões de despacho (check-in)
  • O estacionamento de aeronaves conta com 10 posições e 2 portões de embarque
  • O movimento semanal tem média de 100 voos

Aeroclube de Ilhéus[editar | editar código-fonte]

Fundado em 1942, anualmente forma pilotos privados. Aproximadamente trezentos pilotos já foram formados, está em operação sem interrupção desde que foi criado. O aeroclube possui uma frota de Aeroboero e Piper Cherokee, hangares (inclusive com serviço de hangaragem), simulador e excelente quadro de instrutores. Atualmente é presidido por Alexandre Mendes, cuja administração tem reconstruído o aeroclube o tornando competitivo entre as escolas de aviação do Nordeste brasileiro.

Novo aeroporto[editar | editar código-fonte]

Um novo aeroporto na cidade de Ilhéus deverá ser construído no modelo de parceria público-privada (PPP), uma vez que o atual já não comporta mais as necessidades locais. A localização do novo aeroporto foi alvo de estudo da Infraero que resultou em um relatório que apontava que o sítio localizado na zona norte da cidade, na rodovia BA-001 trecho Ilhéus-Itacaré seria a opção viável tecnicamente. O Governo passou a anunciar que ficou decidio a construção na região entre a Ceplac e a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), à margem direita da Rodovia Ilhéus-Itabuna (BR-415), apesar do relatório da Infraero apontar problemas para operação de voos nesse sítio. O novo aeroporto será de classe internacional tanto para fluxo de passageiros como para cargas. As instalações deverão seguir o padrão Infraero para esse tipo de aeroporto. Está prevista a construção de duas pistas com 3.000 metros cada. Além da construção do aeroporto serão necessárias adequações no sistema viário e de acesso, bem como a implantação da infraestrutura necessária para o fornecimento de energia elétrica, água, telefonia e dados. A estimativa é que as obras comecem no início de 2015 e seja concluído em 2017, com investimento de R$ 220-270 milhões. [7] [8] [9] [10] [11]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Publicação Auxiliar de Rotas Aéreas (ROTAER)» (PDF). Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). 2016. Arquivado desde o original (PDF) em 1 de outubro de 2016. Consultado em 1 de outubro de 2016. 
  2. «Dados Estatísticos». Agência Nacional de Aviação Civil. 2015. Arquivado desde o original (XLSB) em 2 de outubro de 2016. Consultado em 2 de outubro de 2016. 
  3. «Lei n.º 10.412, de 12 de março de 2002». Presidência da República. Planalto.gov.br. Consultado em 27 de maio de 2007. 
  4. ANAC. «Voos autorizados vigentes». HOTRAN. Consultado em 12/06/2013. 
  5. «Anuários Estatísticos do Transporte Aéreo». Agência Nacional de Aviação Civil. www.anac.gov.br/. Consultado em 4 de julho de 2011. 
  6. «Complexo Aeroportuário». INFRAERO. Infraero.gov.br. Consultado em 15 de outubro de 2010. 
  7. «NOVO AEROPORTO DE ILHÉUS. Caracterização do Empreendimento» (PDF). Infraero. meioambiente.ba.gov.br. Consultado em 6 de agosto de 2014. 
  8. «Governo da Bahia prepara PPP para construir novo aeroporto em Ilhéus». Folha de S.Paulo. folha.uol.com.br. Consultado em 6 de agosto de 2014. 
  9. «GOVERNO BAIANO RECEBE AUTORIZAÇÃO PARA CONSTRUIR NOVO AEROPORTO». Blog do Pimenta. pimenta.blog.br. Consultado em 6 de agosto de 2014. 
  10. «Desenvolvimento baiano é impulsionado por obras de infraestrutura no sul do estado». Secretaria de Governo do Estado da Bahia. secom.ba.gov.br. Consultado em 6 de agosto de 2014. 
  11. «CONSÓRCIO DA QUEIROZ GALVÃO DISPUTA NOVO AEROPORTO ILHEENSE». Blog do Pimenta. pimenta.blog.br. Consultado em 17 de outubro de 2014.