Aeroporto de Fernando de Noronha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde outubro de 2015). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Fernando de Noronha
Aeroporto
Aeroporto de Fernando de Noronha
IATA: FEN - ICAO: SBFN
Características
Tipo Público
Administração Dix Empreendimentos
Serve Fernando de Noronha
Localização Brasil Fernando de Noronha, PE
Coordenadas 3° 51' 17" S 32° 25' 42" O
Altitude 58 m (190 ft)
Movimento de 2015
Passageiros 112 360 passageiros
Carga 35 079 Kg
Aéreo 1 541 decolagens
Website oficial Página oficial
Mapa
SBFN está localizado em: Brasil
SBFN
Localização do aeroporto no Brasil
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
12 / 30 1 845 m (6 053 ft) Asfalto
Notas
Dados do DECEA[1] e da ANAC[2]

O Aeroporto de Fernando de Noronha (IATA: FEN - ICAO: SBFN), situado na Vila dos Remédios, no arquipélago de Fernando de Noronha, é um aeroporto brasileiro e foi construído em 1934. Em 1942, durante a segunda guerra mundial a Força Aérea do Exército dos Estados Unidos da América através do "Programa de Desenvolvimento de Aeroportos", construiu a nova pista e o terminal de passageiros. Em 1975, houve ampliação para a aterrissagem de Boeings. O aeroporto opera voos domésticos e tem capacidade para receber aeronaves de até médio porte como o Boeing 737. O atual terminal de passageiros é considerado pequeno para o fluxo diário de passageiros que recebe, e deve ser reformado. É aguardado o lançamento do edital pelo Governo do Estado de Pernambuco para que seja feita a licitação para a futura reforma. O atual pátio de manobras permite operação simultânea de até 03 Boeing 737 e a pista tem 1840 m de extensão. Após a reforma, a previsão é de que, o aeroporto comporte até 7 aeronaves simultaneamente. Também a previsão para 2025 é de que o aeroporto movimente aproximadamente 276 mil passageiros ao ano. Segundo a Secretaria de Aviação civil, num dado revelado em 22 de outubro de 2015, este é um dos 65 aeroportos do Brasil que mais movimenta passageiros. Está entre os 15 do Nordeste e os 3 de Pernambuco. Em 21 de dezembro de 2015 a Anac eleva a classificação do aeroporto para 2ª categoria (antes 3ª), ficando no mesmo nível que muitos aeroportos de capitais, como João Pessoa (PB), Vitória (ES) e Goiânia (GO). Outro do estado nessa mesma categoria é o Aeroporto Internacional de Petrolina - Senador Nilo Coelho.

Reforma[editar | editar código-fonte]

É um dos 9 aeroportos que está incluído no PDAR - Plano de Desenvolvimento da Aviação Regional, que receberá investimentos do Governo Federal, em torno dos 220 milhões de reais, só para o estado de Pernambuco. A previsão é que a obra comece no segundo semestre de 2014 e seja concluída em, no máximo, um ano.

De acordo com a Secretaria de Aviação Civil, em um documento atualizado em 12 de agosto de 2015, este aeroporto encontra-se na segunda etapa (de cinco), que é a Fase de Estudo Preliminar. Ainda terá a fase do anteprojeto, da licitação e das obras. Até o final de Junho de 2016, nada aconteceu, ou seja, não houve avanços.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Maiores rotas domésticas do Fernando de Noronha(2016)[3]
Rank Cidade Passageiros em 2016 Companhias aéreas
1 Pernambuco Recife, Pernambuco 185,523 Azul e GOL
2 Rio Grande do Norte Natal, Rio Grande do Norte 29,619 Azul
3 São Paulo São Paulo - Guarulhos, São Paulo 11,904 Azul
4 Rio de Janeiro Rio de Janeiro - Galeão, Rio de Janeiro 1,460 GOL
5 São Paulo Campinas, São Paulo 1,195 Azul
6 Paraná Curitiba - Afonso Pena, Paraná 458 Azul
7 Ceará Fortaleza, Ceará 166 GOL
8 Bahia Salvador, Bahia 119 GOL
9 Minas Gerais Belo Horizonte - Confins, Minas Gerais 20 Azul
10 Alagoas Maceió, Alagoas 18 Azul

Características[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Publicação Auxiliar de Rotas Aéreas (ROTAER)» (PDF). Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). 2016. Consultado em 1 de outubro de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 1 de outubro de 2016 
  2. «Dados Estatísticos» (XLSB). Agência Nacional de Aviação Civil. 2015. Consultado em 2 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 2 de outubro de 2016 
  3. «Agência Nacional de Aviação Civil». www2.anac.gov.br. Consultado em 21 de abril de 2016