Aeroporto de Teresina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde maio de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.

O Aeroporto Senador Petrônio Portella (IATA: THEICAO: SBTE) é o principal aeroporto do estado brasileiro do Piauí. Localizado em Teresina, atende a Região Integrada de Desenvolvimento da Grande Teresina, assim como todo estado do Piauí, grande parte do Maranhão e uma pequena área do oeste do Ceará.

Distante apenas 4 km do centro da cidade, operando vôos nacionais e regionais, é o principal portão de entrada do Piauí para se conhecer as atrações turísticas espalhadas por todo o estado.

Aeroporto de Teresina
Senador Petrônio Portella
Aeroporto teresina pi brasil.jpg
IATA: THE - ICAO: SBTE
Tipo Público
Administração INFRAERO
Serve Grande Teresina
Localização Não disponível
Inauguração 30 de setembro de 1967


Altitude 66,7 m (219 ft)
Movimento em 2014 Aumento 1.172.138 passageiros
Baixa 3.319.905 Kg de carga
Aumento 18.340 aeronaves
Capacidade anual 1,7 milhão de passageiros
Website oficial Página oficial
Pistas
Cabeceiras Comprimento Superfície
02/20 2 200 m (7 218 ft) Asfalto

Está localizado a cerca de 350 km da costa, a uma altitude de 67 metros acima do nível do mar. Possui pistas com balizamento luminoso noturno, e raramente ocorrem transtornos provocados por fatores meteorológicos. Do ponto de vista operacional, tem grande importância estratégica, pois é um aeroporto de ligação entre o Norte e o Nordeste do país [1] . O aeroporto também é dotado de um Terminal de Logística de Carga (TECA)[2] .


História[editar | editar código-fonte]

O Aeroporto de Teresina foi inaugurado em 30 de setembro de 1967. Administrado pelo então Ministério da Aeronáutica, o aeroporto foi construído ao norte da capital, numa região situada entre os rios Poty e Parnaíba[3] . Em fevereiro de 1975, através da Portaria nº 102/GM5, de 23/12/1974, o aeroporto, com exceção da atividade de navegação aérea, passou a ser administrado pela Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero).

A pista de pousos e decolagens foi construída inicialmente com 1.800 m x 45 m, e ampliada em 1978 para 2.350 m x 45 m. Em 1983 o pátio foi ampliado e reforçado para atender grandes aeronaves dos tipos Airbus A300 e Boeing 767. Grandes companhias aéreas do país já operam em Teresina, como a Varig, VASP e Transbrasil.

Embora grande parte da população teresinense o denominasse de Aeroporto Santos Dumont, sua denominação oficial era Aeroporto de Teresina, alterada no ano de 2000 para Aeroporto de Teresina/Senador Petrônio Portella, de acordo com a lei nº 9.942, de 22 de dezembro de 1999, em homenagem ao ilustre político piauiense Petrônio Portella Nunes[4] , que foi Prefeito de Teresina, Deputado Estadual, Governador, Senador, Presidente do Congresso Nacional e Ministro da Justiça.

Módulos Operacionais[editar | editar código-fonte]

Com uma movimentação de mais de 1 milhão de passageiros no ano de 2011 e um fluxo que cresce a cada dia, a Infraero autorizou a implantação de dois Módulos Operacionais anexos ao terminal de passageiros do Aeroporto de Teresina. Os módulos entraram em operação assitida no dia 27/06/2012 e foram oficialmente inaugurados em 09/07/2012[5] . Em 2013 o aeroporto também passou a contar com uma sala VIP do Blue Tree Hotels.

Os Módulos Operacionais do Aeroporto Senador Petrônio Portella, aumentaram a capacidade de embarque e desembarque para 1,7 milhão de passageiros ao ano, e fazem parte do plano de reformas e ampliação do terminal de passageiros que começaram em 2012, e continuam em 2013[6] , mas para o plano ser executado em sua totalidade, inclusive com um novo terminal de passageiros maior e mais moderno, com pontes de embarque (Ponte telescópica), ampliação do pátio, e novas pistas de taxiamento, a Infraero exigiu da prefeitura de Teresina que algumas casas no entorno do sítio aeroportuário fossem desapropriadas, o que gerou revolta e manifestações de moradores da área. Baseado nesse impasse, e por medidas de segurança, o Governo do Estado trabalha com a possibilidade de, futuramente, se construir um aeroporto internacional fora do perímetro urbano de Teresina.

Radar de Rota[editar | editar código-fonte]

No final de 2012, foi instalado um Radar de Rota no Aeroporto Senador Petrônio Portella[7] . O equipamento atua no auxílio à navegação aérea, e desde então, boa parte do espaço aéreo piauiense está monitorado e toda as aeronaves vetoradas. O radar está situado dentro do sítio aeroportuário, próximo a VOR.

DVOR[editar | editar código-fonte]

O Aeroporto Senador Petrônio Portella, já conta com aparelho de DVOR que auxilia os pousos e decolagens com mais precisão, reduzindo possíveis restrições operacionais, proporcionando um maior desempenho do aeroporto. Isso traz um grande benefício para a construção civil, fazendo com que em Teresina continue construindo grandes edifícios nas proximidades do sítio aeroportuário.[8]

Movimento[editar | editar código-fonte]

--- Ano --- ---- Passageiros ---- --- % Diferença --- --- Aeronaves --- --- Carga Aérea (Kg) --- --- Mala Postal (Kg) ---
2003 210.882 - 13.747 3.443.420 3.283.625
2004 244.461 Aumento (+15,92%) 12.661 3.156.865 3.474.552
2005 315.796 Aumento (+29,18%) 10.742 2.674.601 3.746.646
2006 380.440 Aumento (+20,47%) 11.757 2.948.828 4.134.897
2007 484.492 Aumento (+27,35%) 11.741 3.269.077 3.992.092
2008 466.034 Baixa (-3,81%) 11.820 3.464.834 4.248.988
2009 557.798 Aumento (+19,69%) 11.314 2.996.812 4.586.581
2010 798.170 Aumento (+43,09%) 14.341 3.677.011 4.283.320
2011 1.075.655 Aumento (+34,76%) 17.822 4.412.358 5.514.663
2012 1.044.865 Baixa (-2,86%) 16.570 4.361.858 3.357.320
2013 1.091.173 Aumento (+4,43%) 16.799 3.673.610 3.952.010
2014 1.172.138 Aumento (+7,41%) 18.340 3.319.905 3.374.604
MAIO 2015 491.761 Aumento (+5,89%)1 6.861 1.033.835 1.174.290

1Diferença em relação a maio de 2014.

As estatísticas podem ser consultadas na página da Infraero.

Companhias Aéreas e Destinos[editar | editar código-fonte]

Companhias Destinos Aeronaves
Brasil Azul Brazilian Airlines logo.png
Brasil TAM Airlines Logo.png
Brasil Gol logo.png
Brasil Sete LOGO.png
Piquiatuba logo.jpg
Brasil

Os destinos acima abrangem voos diretos e escalas, as conexões não foram citadas porque estas ligam Teresina a todo o Brasil.

Os horários de voos podem ser consultados na página da INFRAERO [1].

Aviação Geral[editar | editar código-fonte]

Cargas[editar | editar código-fonte]

Táxi Aéreo[editar | editar código-fonte]

  • Brasil Aero Táxi Poty
  • Brasil TOP LINE Táxi Aéreo
  • Brasil Bem-Te-Vi Táxi Aéreo
  • Brasil Weston Táxi Aéreo
  • Brasil Piquiatuba Transportes Aéreos
  • Brasil SAMU Aéreo (rede de saúde do governo)

Ligações Aéreas Antigas[editar | editar código-fonte]

Nacionais[editar | editar código-fonte]

Companhias Motivo
Brasil Varig Foi incorporada a Gol
Brasil VASP Faliu
Brasil Transbrasil Faliu
Brasil Nordeste Faliu junto com a VARIG
Brasil Avianca Brasil Cancelou
Brasil Pantanal Linhas Aéreas Cancelou
Brasil TRIP Linhas Aéreas Foi incorporada a Azul
Brasil TAF Linhas Aéreas Faliu
Brasil BRA Transportes Aéreos Faliu
Brasil Nacional Linhas Aéreas Faliu
Brasil Vaspex Faliu junto com a VASP

Infra-estrutura[editar | editar código-fonte]

Características[editar | editar código-fonte]

  • Terminal de passageiros: 3.080 m²
  • Piso: A
  • Sinalização: S

Números[editar | editar código-fonte]

Sítio aeroportuário
  • Área: 1.288.105,38 m²
Pátio das aeronaves
  • Área: 18.000 m²
Terminal de passageiros
  • Área: 3.080 m²
Estacionamento
  • Capacidade: 83 vagas
Estacionamento de aeronaves
  • Número de posições 05

Serviços[editar | editar código-fonte]

Órgãos públicos[editar | editar código-fonte]

Bancos[editar | editar código-fonte]

Caixas eletrônicos

Locadoras de automóveis[editar | editar código-fonte]

  • Localiza
  • Avis
  • Hertz
  • Unidas


Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]