Aeroporto Internacional de Brasília

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde dezembro de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Brasília
Aeroporto
Aeroporto Presidente Juscelino Kubitschek
IATA: BSB - ICAO: SBBR
Características
Tipo Público / Militar
Administração Inframérica[1]
Serve Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno
Localização Lago Sul, DF Brasil Brasil
Inauguração 3 de maio de 1957 (60 anos)
Coordenadas 15° 52' 16" S 47° 55' 07" O
Altitude 1 066 m (3 497 ft)
Movimento de 2015
Passageiros 19 821 796 passageiros[2]
Carga 39 467 toneladas de carga[2]
Aéreo 186 377 aeronaves[2]
Capacidade anual 21 000 000 passageiros
Mapa
SBBR está localizado em: Brasil
SBBR
Localização do aeroporto no Brasil
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
11L / 29R 3 200 m (10 499 ft) Asfalto
11R / 29L 3 300 m (10 827 ft) Asfalto
Helipontos
Número(s) Comprimento Superfície
11 / 29 34,5 m (113 ft) Asfalto
Notas
Dados do DECEA[3]

O Aeroporto Internacional de Brasília – Presidente Juscelino Kubitschek (IATA: BSBICAO: SBBR) é um aeroporto internacional na região administrativa do Lago Sul, no Distrito Federal. É o terceiro maior aeroporto do Brasil em número de passageiros transportados e o primeiro aeroporto da América do Sul, a operar com pistas simultâneas.[4]

Com uma área de 1,334 quilômetros quadrados, o complexo aeroportuário conta com um sistema de acesso viário próprio. A DF-025 se estende por parte do perímetro do aeroporto, tendo ligação com a rodovia BR-450. Toda estrutura para passageiros é atendida, desde a desativação do terminal 2, por um único terminal.

O complexo aeroportuário foi concedido à iniciativa privada em 6 de fevereiro de 2012 para o Consórcio Inframérica durante o período de 25 anos, pelo valor de 4,5 bilhões de reais.[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Nova Ala Sul
Píer Norte

O trabalho de construção do aeroporto, iniciado em 6 de novembro de 1956, durou pouco mais de seis meses e demandou o desmatamento de uma área de 1 334 000 m², terraplanagem de 178 500 m², base estabilizada de 40 900 m², revestimento de 73 500 m², serviços topográficos, de localização e nivelamento. A pista estava projetada para 3 300 m, mas a primeira etapa possuía apenas 2 400 m de extensão e 45 m de largura. O terminal de passageiros foi construído em madeira e serviu à cidade até 1971. A primeira pessoa a sobrevoar e pousar em Brasília, quando a capital brasileira ainda estava em construção, foi a piloto Ada Rogato.

Em 1990 o Aeroporto Internacional de Brasília começou a ganhar a forma atual. Um corpo central e dois satélites para embarque e desembarque de passageiros. A primeira etapa foi inaugurada em 1992. Incluiu a construção do viaduto de acesso ao terminal de passageiros e a cobertura metálica, num total de 11 726 m². O satélite, edifício circular para áreas de embarque e desembarque, foi inaugurado em 1994, na segunda etapa, quando foram entregues também uma parte reformada no corpo central do terminal de passageiros e nove pontes de embarque.

Nesta época, entrou em operação no aeroporto o Sistema Integrado de Tratamento de Informação Aeroportuária (SITIA), que possibilitou a automação no controle de diversas atividades. Brasília foi o primeiro aeroporto da América Latina a receber este sistema. A conclusão da terceira etapa das obras ofereceu aos usuários uma nova área de embarque e desembarque internacional, um terraço panorâmico, um finger e uma praça de alimentação 24 horas. A reforma alcançou uma área de 17 285 m², com a instalação de uma galeria com fontes, jardinagem e espaço para exposições.

Após a concessão à iniciativa privada, foram inauguradas duas novas áreas de embarque: o Pier Sul, com onze novas pontes de embarque, e o Pier Norte, com oito novas pontes.[5] Aumento-se, assim, a capacidade do aeroporto de dezesseis milhões de passageiros para vinte e um milhões por ano.

Concessão à iniciativa privada[editar | editar código-fonte]

O leilão do Aeroporto Internacional de Brasília, que estava no projeto de concessão do Governo Federal, ocorreu no início de fevereiro de 2012, sendo arrematado por 4,5 bilhões de reais pelo mesmo consórcio que arrematou o Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal: o Consórcio Inframérica. Desde do dia 1º de dezembro de 2012, a Inframérica vem expandindo e modernizando o Aeroporto de Brasília, que antes era administrado pela empresa estatal INFRAERO.[6] No dia 31 de março de 2014, foi inaugurado o Pier Sul. Em julho do mesmo ano, foi inaugurado também o Pier Norte, que, junto ao corpo central do aeroporto e ao satélite, somam vinte e oito pontes de embarque. A partir de 2016, inicia-se a construção de cinco hotéis, de um shopping center e de um novo terminal internacional para 1,5 milhão de passageiros[carece de fontes?].

Uso simultâneo das pistas[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2015, a Força Aérea Brasileira autorizou que as pistas 29R/11L e 29L/11R fossem operadas simultaneamente, sendo o primeiro aeroporto na América do Sul com essas características,[7] podendo operar até oitenta voos por hora. As pistas funcionariam como dois aeroportos independentes, observando apenas o cuidado de decolar no sentido determinado pela pista: a pista 29R/11L, localizada no norte do aeroporto, para voos em direção ao norte e ao leste; a pista 29L/11R, localizada no sul, para as direções sul e oeste. No dia 2 de março do ano seguinte, a FAB suspendeu as operações simultâneas, após dois incidentes consecutivos onde as aeronaves, por erros de digitação, viraram para o mesmo lado, entrando em rota de choque.[8] Em 18 de julho de 2016, a operação simultânea das pistas foi retomada, com a implementação de cartas de procedimento diferentes e independentes para cada pista, de forma a eliminar a possibilidade de erros de programação.[9]

Dados e estatísticas do Aeroporto de Brasília[editar | editar código-fonte]

  • Em média 15 mil pousos e decolagens por mês;
  • Cerca de 183,8 mil pousos e decolagens em 2014;
  • 96,4% dos voos são domésticos e 3,6% internacionais;[10]
  • Média de movimento diário de 54 mil passageiros;[11]
  • Recorde de movimentação diária de passageiros: mais de 67 mil passageiros em 20 de julho de 2015.[12]
  • Mês mais movimentado da história: JUL/2015 – com 1,91 milhão de passageiros.[13]
  • Rota aérea mais longa operada a partir do aeroporto: Brasília-Lisboa.
  • Rota aérea mais curta operada a partir do aeroporto: Brasília-Goiânia.[14]
Movimento de Passageiros
Ano Movimento (Passageiros) % Rank
2003 6.840.843 --- 3
2004 9.926.786 +45,1% 3
2005 9.426.569 -5% 3
2006 9.699.911 +2,8% 3
2007 11.119.872 +14,6% 3
2008 10.443.393 -6% 4
2009 12.213.825 +16,95% 3
2010 14.347.061 +15,8% 3
2011 15.398.737 +7,3% 3
2012 15.891.530 +3,2% 4
2013 16.489.987 +3,8% 4
2014 18.146.405 +10% 2
2015 19.821.796 +9,2% 2
2016 17.947.153 -10% 3
2017 16.912.680 -6,1%
Maiores rotas domésticas saindo de Brasília (2015) [15]
Rank Cidade Passageiros

(Somente embarques)

Companhias
1 São Paulo São Paulo, SP (CGH) e (GRU) 1.841.161 Avianca, Azul, GOL, TAM
2 Rio de Janeiro Rio de Janeiro, RJ (SDU) e (GIG) 1.069.894 Avianca, Azul, GOL, TAM
3 Minas Gerais Belo Horizonte, MG (CNF) 520.628 Azul, GOL, TAM
4 Bahia Salvador, BA 401.189 Avianca, GOL, TAM
5 São Paulo Campinas, SP 396.141 Azul, GOL, TAM
6 Pernambuco Recife, PE 395.099 Avianca, GOL, TAM
7 Mato Grosso Cuiabá, MT 310.008 Avianca, Azul, GOL, TAM
8 Tocantins Palmas, TO 298.235 Azul, GOL, TAM e Sete
9 Goiás Goiânia, GO 291.957 Avianca, GOL, TAM
10 Amazonas Manaus, AM 258.637 GOL, TAM
Maiores rotas internacionais de Brasília (2015)[16]
Rank Cidade Passageiros

(embarques+desembarques)

Companhias
1 Estados Unidos Miami, EUA 184.864 American Airlines, TAM (TAM cancelou a linha em 1 de setembro de 2016)
2 Portugal Lisboa, Portugal 111.650 TAP Portugal
3 Panamá Cidade do Panamá, Panamá 108.097 Copa
4 Estados Unidos Atlanta, EUA 82.073 Delta Airlines (linha cancelada em 1 de dezembro de 2015)
5 Argentina Buenos Aires, Argentina 78.255 Aerolíneas Argentinas, GOL, TAM
6 França Paris, França 68.401 Air France (linha cancelada em 15 de setembro de 2016)
7 Estados Unidos Orlando, EUA 52.695 Delta Airlines, TAM (Tam e Delta cancelaram em 2016)
8 Cuba Havana, Cuba 12.935 Cubana de Aviación
9 República Dominicana Punta Cana, República Dominicana 6.069 GOL, TAM (Rotas Extintas).
10 Chile Santiago, Chile 2.892 GOL, TAM (Rotas Extintas).

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também:[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Conheça o consórcio que ganhou a concessão do aeroporto de Brasília». Exame. Consultado em 15 de abril de 2016 
  2. a b c «Estatísticas 2016». Aeroporto de Brasília. Consultado em 24 de fevereiro de 2016 
  3. «Publicação Auxiliar de Rotas Aéreas (ROTAER)» (PDF). Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). 2016. Consultado em 1 de outubro de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 1 de outubro de 2016 
  4. «AEROPORTO DE BRASÍLIA SERÁ O ÚNICO DA AMÉRICA DO SUL A OPERAR PISTAS SIMULTÂNEAS». Aeroporto de Brasília. Consultado em 15 de abril de 2016 
  5. http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2014/04/dilma-e-agnelo-inauguram-nova-sala-de-embarque-no-aeroporto-de-brasilia.html
  6. http://www.bsb.aero
  7. http://www.aviacao.gov.br/noticias/2015/07/aeroporto-de-brasilia-vai-operar-com-duas-pistas-simultaneas
  8. http://www.folhape.com.br/geral/brasil/2016/3/decolagens-simultaneas-estao-suspensas-em-brasilia-0090.html
  9. http://www.panrotas.com.br/noticia-turismo/aviacao/2016/07/bsb-reativa-pistas-simultaneas-independentes_127613.html
  10. «O Aeroporto - Aeroporto de Brasília». www.bsb.aero. Consultado em 4 de fevereiro de 2016 
  11. «Estatísticas Aeroporto de Brasília». Aeroporto de Brasília. 4 de fevereiro de 2016. Consultado em 4 de fevereiro de 2016 
  12. «Recorde PAX diário BSB». Aeroporto de Brasília. 19 de janeiro de 2015. Consultado em 4 de fevereiro de 2016 
  13. «Movimentação Aeroporto de Brasília». Aeroporto de Brasília. 4 de fevereiro de 2016. Consultado em 4 de fevereiro de 2016 
  14. «Estatísticas Oficiais do Aeroporto de Brasília» 
  15. «Dados Estatísticos 2015». www.anac.gov.br. Consultado em 4 de fevereiro de 2016 
  16. «Anuário do Transporte Aéreo 2010». www.anac.gov.br. Consultado em 27 de abril de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aeroporto Internacional de Brasília
Ícone de esboço Este artigo sobre um aeroporto, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.