American Airlines

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Em reforma
Esta página está a ser reformulada neste momento por um ou mais editores.
A informação presente poderá mudar rapidamente e conter erros que estão a ser corrigidos. Este aviso não deve estar presente em artigos enciclopédicos durante longos períodos de tempo.
American Airlines
IATA
AA
ICAO
AAL
Indicativo de chamada
AMERICAN
Fundada em 1931 (como American Airways)
Iniciou atividades em 1934
Hub
Programa de milhagem AAdvantage
Lounge Admirals Club
Aliança aérea Estados Unidos Oneworld
Frota 963 aeronaves
Destinos 344[1]
Slogan The new American is arriving. (A nova American está chegando)
Sede Fort Worth,  Texas,  Estados Unidos
Pessoa(s)
chave
Doug Parker (CEO)
Scott Kirby (presidente)
Lucro Aumento US$ 42,7 bilhões (2014)[2]
Website Website oficial (em português)

A American Airlines é uma companhia aérea americana sediada em Fort Worth, Texas. É a maior companhia aérea do mundo por passageiros transportados, quantidade de aeronaves e receitas, sendo a segunda maior pelo número de destinos, somente atrás da United Airlines. Ele opera a partir de seus hubs em Dallas, Charlotte, Los Angeles, Nova York, Miami, Chicago, Filadélfia, Phoenix e Washington, enquanto a sua base de manutenção principal está em Tulsa, Oklahoma. A empresa também tem uma presença significativa em Boston, Londres e San Francisco.[3] A companhia aérea concorre principalmente com a Delta Air Lines, United e Southwest Airlines.

A empresa é um dos membros fundadores da Oneworld, e tem alianças codeshare com a British Airways, Finnair e Iberia no mercado transatlântico e com a Japan Airlines no mercado transpacífico. As rotas regionais são operadas por subsidiárias sob a marca da American Eagle.[4] A antiga controladora da American Airlines, a AMR Corporation, anunciou planos de fundir-se com a US Airways, criando a maior companhia aérea do mundo.[5] [6] [7] A AMR e a US Airways concluiram a incorporação em 09 de dezembro de 2013[8] e as duas companhias aéreas receberam um único certificado de companhia aérea em 8 de abril de 2015.[9] [10]

História[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Um Douglas DC-3 da American, aeronave que foi projetada pela Douglas em conjunto com a companhia.
Um Fairchild FC-2 operado pela American em 1927.
Um Stinson Trimotor, primeira aeronave operada pela American.

A American Airlines foi desenvolvida por um grupo de 82 pequenas companhias aéreas por meio de aquisições em 1930[11] e reorganizações. Inicialmente, a American Airways era uma marca comum por uma série de transportadores independentes. Estes incluíam a Southern Air Transport[12] no Texas, a Southern Air Fast Express (SAFE)[13] no oeste, a Universal Aviation[14] também no oeste, a Thompson Aeronautical Services[15] e a Colonial Air Transport[16] no nordeste. Como muitas companhia daquela época, a American ganhou notoriedade transportando cartas. Em 1933, a American Airways operava em 72 cidades, principalmente no nordeste, centro-oeste e sudoeste dos Estados Unidos.[17]

Em 1934, a American Airways foi adquirida por Errett Lobban Cord, que renomeou a companhia como "American Air Lines". Cord contratou o empresário CR Smith para dirigir a companhia. Smith trabalhou em conjunto com a Douglas para desenvolver o Douglas DC-3, em que a American foi a companhia lançadora da aeronave, em 1936. Com o DC-3, a American tornou-se a primeira companhia aérea a ser capaz de operar uma rota que poderia ganhar lucros unicamente com o transporte de passageiros, sendo que as outras operadoras não poderiam ganhar lucros sem transporte de cartas.[18] Com o DC-3, a American começou a apelidar suas aeronaves de "Flagships" e instituiu o Admirals Club para os passageiros valorizados.[19]

Pedido de Concordata[editar | editar código-fonte]

Em 29 de novembro de 2011, a dona da empresa empresa pediu concordata em Nova York.[20] A causa é a queda nas ações da empresa, que no dia 29+ de novembro de 2011, as 13h30. A American Eagle e todas as subsidiárias da American Airlines também foram afetadas. A empresa assegurou também que irá honrar todas as reservas e passagens.

Ataques 11 de Setembro de 2001[editar | editar código-fonte]

A empresa teve duas de suas aeronaves envolvidas nos atentados, o voo 11 da American Airlines e o voo 77 da American Airlines. O voo 11, sequestrado por Mohamed Atta, colidiu contra a Torre Norte do World Trade Center e o voo 77, sequestrado por Hani Hanjour, que bateu em uma das faixas do Pentágono.

Acidentes[editar | editar código-fonte]

  • Voo American Airlines 002- 4 de julho de 1952 - caiu no rio Missouri
  • Voo American Airlines 191- 25 de maio de 1979 - Caiu em Chicago segundos depois de ter decolado.
  • Voo American Eagle 4184- 31 de outubro de 1994 - caiu em Roselawn antes de aterrissar em Chicago.
  • Voo American Airlines 124- 24 de setembro de 1996 - caiu em uma floresta tropical na Colombia
  • Voo American Airlines 1420- 4 de agosto de 1998 - derrapou em sua aterrisagem no aéroporto de Little Rock, Texas
  • Voo American Airlines 011- 11 de setembro de 2001 - se chocou contra o World Trade Center.
  • Voo American Airlines 077- 11 de setembro de 2001 - se chocou contra o pentágono.
  • Voo American Airlines 587- 12 de novembro de 2001 - caiu em Belle Harbor, Queens.
  • Voo American Airlines 997- 10 de junho de 2009 - um carregador de bagagem morreu.
  • Voo American Airlines 331- 22 de dezembro de 2009 - se partiu ao meio ao pousar na Jamaica, saindo de Miami.

Destinos[editar | editar código-fonte]

Frota[editar | editar código-fonte]

Frota de aeronaves da American Airlines
Aeronave Total
Airbus A319-100 122
Airbus A320-200 56
Airbus A321-200 149
Boeing 737-800 250
Boeing 757-200 89
Boeing 767-300 57
Boeing 777-200 47
Boeing 777-300 17
Boeing 787-8 2
Embraer ERJ-90 20
MD-82 69
MD-83 64
Total de aeronaves 942
  • OBS: A American Airlines possui um pedido de 460 aeronaves. 260 pedidos estão dividos por A319, A320 e A321 e os outros 200 pedidos são de Boeing 737.
Frota de aeronaves da American Eagle
Aeronave Total
ATR-72 12
CRJ-700 46
Embraer 135 21
Embraer 145 117
Total de aeronaves 255

Novo logotipo e fusão com US Airways[editar | editar código-fonte]

American Airlines e a US Airways anunciaram que seus conselhos de administração votaram a favor da fusão das duas empresas, criando a maior companhia aérea do mundo. O acordo ocorre mais de 14 meses depois de a American Airlines entrar em recuperação judicial, em novembro de 2011. Os credores da American ficaram com 72% da nova companhia, e os 28% restantes foram para as mãos da US Airways. As companhias anunciaram hoje em comunicado que esperam, com a nova empresa, uma receita superior a US$ 1 bilhão em 2015.

Galeria de Fotos[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre American Airlines

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. Oneworld Network and Operations Oneworld (abril de 2013). Visitado em 25 de setembro de 2012.
  2. AA Annual Revenue 2014 American Airlines Group (27 de janeiro de 2015). Visitado em 27 de janeiro de 2015.
  3. American Airlines Ticket Counters | Airport Information | aa.com. Visitado em 2015-07-02.
  4. Associated, The (12 de setembro de 2012). American Air signs deal to contract out some flying to SkyWest Yahoo! News. Visitado em 3 de outubro de 2012.
  5. Isidore, Chris. "American Airlines and AMR file for Chapter 11 bankruptcy", CNN, 29 de novembro de 2011. Página visitada em 2 de dezembro de 2011.
  6. Rushe, Dominic. "American Airlines files for Chapter 11 bankruptcy protection", 29 de novembro de 2011. Página visitada em 29 de novembro de 2011.
  7. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas merger_largest
  8. Maxon, Terry. "Judge OKs American Airlines-US Airways merger, American's exit from bankruptcy", 27 de novembro de 2013. Página visitada em 29 de novembro de 2013.
  9. AMR & US Airways Group (14 de fevereiro de 2013). American Airlines and US Airways to Create a Premier Global Carrier – The New American Airlines. Press release. Página visitada em 14 de fevereiro de 2015.
  10. [1]
  11. Koenig, David. "American Airlines parent seeks Ch. 11 protection", 9 de dezembro de 2013. Página visitada em 9 de dezembro de 2013.
  12. American Airlines Cincinnati Aviation Heritage Society & Museum. Visitado em 9 de dezembro de 2013.
  13. Eggebeen, Janna. Airport Age: Architecture and Modernity in America. [S.l.]: ProQues, 2007. Página visitada em 9 de dezembro de 2013.
  14. UAL. Visitado em 9 de dezembro de 2013.
  15. American Airways Pilot Hat Badge 2nd Issue Usage 1934-1947 Stanley Baumwald. Visitado em 9 de dezembro de 2013.
  16. American Airlines Encyclopædia Britannica, Inc.. Visitado em 9 de dezembro de 2013.
  17. 1933 - August 6 - American Airlines Timetables, Route Maps, and History Airchive. Visitado em 9 de dezembro de 2013.
  18. For American, a blemish on a distinguished history Yahoo News (9 de dezembro de 2013). Visitado em 9 de dezembro de 2013.
  19. 1938 - August 5 - American Airlines Timetables, Route Maps, and History Airchive. Visitado em 9 de dezembro de 2013.
  20. [2], acessado em 29 de Novembro de 2011