Boeing 737 MAX

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Boeing 737 MAX
Avião
Boeing 737 MAX 9 da United Airlines.
Descrição
Tipo / Missão Avião comercial bimotor turbofan
País de origem  Estados Unidos
Fabricante Boeing
Período de produção 2014–presente[1]
Quantidade produzida 86
Custo unitário 737 MAX 7: US$ 92.2 milhões[2]
737 MAX 8: US$ 112.4 milhões[2]
737 MAX 200: US$ 115.4 milhões[2]
737 MAX 9: US$ 119.2 milhões[2]
737 MAX 10: US$ 125 milhões[3]
Desenvolvido de Boeing 737 Next Generation
Primeiro voo em 29 de janeiro de 2016 (3 anos)
Introduzido em 22 de maio de 2017 com a Malindo Air
Tripulação 2 (piloto e copiloto)
Passageiros 138–230
Número de classes 1 ou 2 classe(s)
Notas
Para outras informações, acesse a seção Especificações.

O Boeing 737 MAX é uma aeronave narrowbody bimotora turbofan que foi desenvolvido pela Boeing. É o sucessor do Boeing 737 Next Generation. O 737 MAX é a quarta geração da família 737. A principal alteração é a utilização de motores mais eficientes e modificações na estrutura do avião. Em dezembro de 2015, a Boeing tinha 3.072 pedidos para a aeronave.[4] Ele voou pela primeira vez em 29 de janeiro de 2016, 50 anos após o primeiro voo do 737. A primeira entrega aconteceu em 2017. Já foi vendido para: Gol Linhas Aéreas, Aerolíneas Argentinas, American Airlines, United Airlines, LOT Polish Airlines, TUI Fly, Air Canada, AeroMexico, Southwest, WestJet, Iceland Air, Air China, entre vários outros.

Variantes[editar | editar código-fonte]

  • 737 MAX 7 - Substituto do 737-700 com 12 assentos a mais[5] utiliza a mesma asa do 737 MAX 8, também foram adicionais mais duas portas de emergência sobre as asas.
  • 737 MAX 8 - Substituto do 737-800.
  • 737 MAX 200 - Variante do 737 MAX 8 com capacidade para até 200 passageiros.
  • 737 MAX 9 - Substituto do 737-900 e 737-900ER.
  • 737 MAX 10

Pedidos e entregas[editar | editar código-fonte]

Até 28 de fevereiro de 2018, a carteira de pedidos na última geração do Boeing 737 conta com mais de 4 mil aeronaves.

Pedidos e Entregas - Boeing 737 MAX
2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 TOTAL
Pedidos 150 908 708 890 409 541 700 10* 4316
Entregas - - - - - - 74 12 86
Fila 150 1058 1766 2656 3065 3606 4232 4230 4230

Acidentes[editar | editar código-fonte]

Voo Lion Air 610[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Voo Lion Air 610


Em 29 de outubro de 2018, um Boeing 737 MAX 8 da empresa low-cost indonésia Lion Air caiu no Mar de Java minutos depois de ter decolado do Aeroporto Internacional Soekarno–Hatta, Jacarta, Indonésia em direção ao Aeroproto Depati Amir na cidade de Pangkal Pinang, Indonésia. O acidente vitimou as 189 pessoas que seguiam a bordo, incluindo passageiros e tripulação. Segundo comunicado oficial da empresa, o avião era novo, estando em operação há apenas três meses, sendo que o piloto e co-piloto que seguiam a bordo somavam no total mais de 11 mil horas de voo. Todas as vítimas eram de origem indonésia, com exceção do piloto (indiano) e de um passageiro de origem italiana. Informações preliminares apontam que havia uma falha no medidor de velocidade da aeronave, o que pode ter contribuído para a queda.[6]

Voo Norwegian Air Shuttle DY1933[editar | editar código-fonte]

Em 14 de dezembro de 2018, um Boeing 737 MAX 8 registrado com a matrícula LN-BKE, que fazia o voo DY1933 da Norwegian Air Shuttle em um voo de Dubai, Emirados Árabes Unidos para Oslo, Noruega, foi forçado a fazer um pouso de emergência em Shiraz, Irã depois de um defeito no motor esquerdo[7].

Voo Ethiopian Airlines 302[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Voo Ethiopian Airlines 302
ET-AVJ, a aeronave envolvida no Voo Ethiopian Airlines 302.

Em 10 de março de 2019, um Boeing 737 MAX 8 registado com a matrícula ET-AVJ, que fazia o voo ET 302 da Ethiopian Airlines, uma ligação regular entre Addis Abeba e Nairobi no Quénia, despenhou-se às 05h30 (UTC) perto de Bishoftu, pouco depois de decolar. O avião tinha entrado ao serviço em dezembro de 2018. Todos os 149 passageiros e oito tripulantes a bordo morreram.[8]

Suspensão de operações[editar | editar código-fonte]

Em março de 2019, depois de dois acidentes com a aeronave, que mataram 346 pessoas, o novo avião de passageiros Boeing 737 MAX 8 foi classificado pelas autoridades de aviação e companhias aéreas em todo o mundo com falta de aeronavegabilidade, ou seja, a aeronave não está pronta para voar por razões técnicas e deve permanecer no solo.[9][10][11][12]

Segundo uma reportagem da revista Superinteressante, os problemas se deram pelo seguinte motivo[13]:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Production begins on first 737 MAX parts». Boeing Commercial Airplanes. Consultado em 29 de janeiro de 2016 
  2. a b c d «Jet Prices». Boeing Commercial Airplanes. Consultado em 29 de julho de 2015. Cópia arquivada em 4 de julho de 2017 
  3. «Lessor BOC Aviation signs for 10 737 Max 10s». FlightGlobal. 19 de junho de 2017. Cópia arquivada em 13 de agosto de 2017 
  4. «Boeing Commercial Airplanes – Orders and Deliveries – 737 Model Summary». Boeing. Dezembro de 2015. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  5. «FARNBOROUGH: Boeing confirms 737 Max 7 redesign». www.flightglobal.com. Consultado em 11 de março de 2019 
  6. «Avião que caiu na Indonésia estava com indicador de velocidade danificado». O Globo. 5 de novembro de 2018. Consultado em 10 de março de 2019. Cópia arquivada em 11 de maio de 2018 
  7. Noëth, Bart (22 de fevereiro de 2019). «Seventy days after diversion to Shiraz in Iran, Norwegian's Boeing 737 MAX 8 returns to Stockholm». Aviation24.be (em inglês). Consultado em 17 de março de 2019 
  8. «Accident to Ethiopian Airlines flight number ET 302». Ethiopian Airlines. 10 de março de 2019. Consultado em 10 de março de 2019. Cópia arquivada em 6 de novembro de 2018 
  9. «After bans, who still flies the Boeing 737 Max?». www.aerotime.aero (em inglês). Consultado em 17 de março de 2019 
  10. Martins, Marcos (13 de março de 2019). «United e Copa Airlines também suspendem voos em 737 Max | Empresas | PANROTAS». Portal PANROTAS. Consultado em 17 de março de 2019 
  11. Kaplan, Thomas; Austen, Ian; Gebrekidan, Selam (13 de março de 2019). «Boeing Planes Are Grounded in U.S. After Days of Pressure». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  12. «Le président américain Donald Trump cloue tous les Boeing 737 MAX 8 au sol». TVA Nouvelles. Consultado em 17 de março de 2019 
  13. Revista Super Interessante Como 50 anos de remendos tornaram o Boeing 737 perigoso

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um avião, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.