Boeing 7J7

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção usa apenas uma fonte como referência.

Por favor, ajude a melhorar o conteúdo adicionando-lhe referências e notas de rodapé que mencionem fontes fiáveis e verificáveis apropriadas.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

7J7
Avião
Descrição
Tipo / Missão Avião comercial
País de origem  Estados Unidos
Fabricante Boeing
Quantidade produzida 0
Especificações
Propulsão
Motor(es) 2x General Electric GE36

O Boeing 7J7 foi um avião comercial de curto-médio alcance proposto pela americana Boeing na década de 1980. Teria capacidade para 150 passageiros e foi apresentado como sucessor do bem-sucedido Boeing 727.[1] Foi inicialmente planejado para entrar em serviço em 1992.[1] A aeronave foi concebida para ser um avião de alta eficiência de combustível trazendo novas tecnologias, mas seu projeto foi cancelado após a queda do preço do petróleo durante a década de 80.

Projeto e desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O 7J7 foi planejado para incluir tecnologia e eletrônicos avançados,[1] tais como:

A soma de todas estas características prometiam uma eficiência no consumo de combustível em mais de 60% se comparado a qualquer aeronave de seu porte da época. A "eficiência" era o tema chave. O 7J7 teria dois corredores[1] na configuração de assentos "2+2+2", fornecendo uma cabine espaçosa sem precedentes para sua classe, com nenhum passageiro estando a mais de um assento do corredor.

Parceria estrangeira[editar | editar código-fonte]

Foi também sem precedentes sua parceria com o Japão, tendo uma fatia de 25% na produção industrial da aeronave. Os clientes em potencial estavam preocupados com a manutenção e o ruído dos motores propfan. A Boeing cancelou o 7J7 em 1987 e concentrou seus recursos em desenvolvimentos do 737 e 757.

O cancelamento do projeto iniciou uma nova era de cooperação entre fornecedores japoneses e a Boeing. As empresas japonesas contribuíram em grandes percentis dos projetos subsequentes da Boeing (cerca de 15% no 767 e 25% do 777).

A indústria japonesa continua a ser um parceiro primário no Boeing 787.

Competição[editar | editar código-fonte]

Competindo com o 7J7 pelo interesse das empresas aéreas, havia o McDonnell Douglas MD-94X, também motorizado com propfans e o Airbus A320. O A320 incorporou várias tecnologias avançadas semelhantes, mas manteve os motores turbofan convencionais. O 737NG e o 777 incorporaram muitas das melhorias propostas no 7J7.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g Green, William; Gordon Swanborough; John Mowinski (1987). Modern Commercial Aircraft. Nova Iorque, Estados Unidos: Crown Publishers, Inc. p. 85. ISBN 0-517-63369-8 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]