Airbus A330

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde junho de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Airbus A330
Avião
Logo Airbus A330.svg
Airbus A330-202, TAP Portugal AN1571314.jpg
Airbus A330-200 da TAP Portugal em Lisboa
Descrição
Tipo / Missão Avião comercial
País de origem  Alemanha
 França
 Reino Unido
Flag of Spain.svg Espanha
Fabricante Airbus
Período de produção 1992-presente
Quantidade produzida 1 358[1] unidade(s)
Custo unitário A330-200: US$ 233.8 milhões[2]
A330-300: US$ 259 milhões[2]
A330-200F: US$ 237 milhões[2]
Desenvolvido de Airbus A300
Desenvolvido em Airbus A330neo
Primeiro voo em 2 de novembro de 1992 (25 anos)
Introduzido em 17 de janeiro de 1994 com a Air Inter
Variantes Airbus A330-200
Airbus A330-200F
Airbus A330-300
Airbus A330 MRTT
Tripulação 2 (piloto e co-piloto)
Passageiros 475 (máximo) passageiro(s)
Número de classes 2 ou 3 classe(s)
Especificações
Dimensões
Comprimento 59 m (194 ft)
Envergadura 60 m (197 ft)
Altura 17,89 m (58,7 ft)
Área das asas 361,3  (3 890 ft²)
Alongamento 10
Peso(s)
Peso vazio 170 000 kg (375 000 lb)
Peso máx. de decolagem 242 000 kg (534 000 lb)
Propulsão
Motor(es) 2x General Electric CF6-80E1
2x Pratt & Whitney PW4000
2x Rolls-Royce Trent 700
Potência (por motor) hp (1,49 kW)
Força de empuxo (por motor) kgf (19,6 N)
Performance
Velocidade máxima 1 061 km/h (572 kn)
Velocidade de cruzeiro 1 012 km/h (546 kn)
Velocidade máx. em Mach 0.86 Ma
Alcance (MTOW) 12 300 km (7 640 mi)
Teto máximo 12,527 m (41,1 ft)

O Airbus A330 é a quarta aeronave comercial de passageiros de maior capacidade de operação para médias e longas distâncias fabricada pela Airbus, sendo superado pelo seu "irmão gêmeo" mais comprido e quadrimotor Airbus A340, pelo modelo A380, lançado em outubro de 2007 e pelo modelo Airbus A350, lançado em janeiro de 2015. O desenvolvimento do A330 aconteceu simultaneamente ao do A340.

A fuselagem e as asas do A330 são idênticas às das versões menores do A340, embora tenham motores diferentes. A fuselagem do A330 é basicamente herdada do Airbus A300, como a seção do nariz/cockpit, o sistema fly-by-wire e o deck do A320. O A330 e o A340 eram montados na mesma linha de montagem em Toulouse-Blagnac, França, até a paralisação da fabricação do Airbus A340

Desde o seu lançamento, o A330 fez com que a Airbus expandisse o mercado na categoria widebody das companhias aéreas, competindo com birreatores, incluindo o Boeing 767 e o 777, juntamente com o 787, que entrou em serviço no fim de 2011. O jato de longo alcance Airbus A350 XWB sucedeu a ambos, A330 e A340. Em julho 2014, a Airbus anunciou a substituição do A330 pelo A330neo, com novos motores e equipamentos.[3][4][5] Até dezembro de 2015, o A330 teve 1 607 pedidos, dos quais 1 257 haviam sido entregues.[6]

Variantes[editar | editar código-fonte]

Interior de um A330 na configuração 2-4-2.
Um Airbus A330 da Azul nas cores da bandeira do Brasil.

O A330 possui duas variantes, o A330-300, desenvolvido em 1987, e que entrou em serviço em 1993, e o A330-200, desenvolvido em 1995, e que entrou em serviço em 1998. A versão Cargueira (A330-200F) entrou em serviço em 2008 e o Tanque (Airbus A330 MRTT) ainda se encontra em desenvolvimento.

Airbus A330-200[editar | editar código-fonte]

A330-200 da TAM.

O Airbus A330-200 nasceu como versão de longo alcance derivada do A330-300. Começou a ser desenvolvido a partir de novembro de 1995.

Com o baixo número de vendas do A340-200 (apenas 28 foram construídos), a Airbus decidiu usar a fuselagem do A340-200 com as asas e motores do A330-300. Isto criou um avião muito mais econômico do que o quadrijato que serviu de base.

Em fevereiro de 1996 viria a primeira encomenda, de 13 unidades, feita pela empresa de leasing ILFC.

O primeiro voo foi realizado em 13 de agosto de 1997 e as primeiras entregas em abril de 1998.

Praticamente idêntico ao A330-300, e da mesma forma oferecido às companhias com três opções de motores (Rolls Royce, Pratt & Whitney e General Electric), as diferenças mais marcantes são o menor comprimento da fuselagem e a maior capacidade de combustível, graças à adição de um tanque central.

O maior alcance fez da versão -200 um best seller, ultrapassando com folga o número de encomendas do seu irmão maior A330-300, e competindo diretamente com o Boeing 767-300ER na categoria de bimotores de longo alcance.

Rapidamente o modelo tornou-se o "avião do momento" entre vários operadores, tanto empresas regulares como charters.

Com o A330-200 a Airbus quebrou o monopólio da Boeing no segmento de longo alcance no mercado brasileiro: no final da década de 1990, a TAM anunciou a compra do A330-200 em favor do Boeing 767-300ER, abrindo caminho para a reentrada da Airbus nos céus brasileiros. O A330-200 serve, desde 2006, a TAP Portugal, sendo que hoje a empresa dispõe de 16 aviões deste modelo.

O Airbus A330-200 no Brasil é utilizado pela TAM, mas estão sendo substituídas gradativamente pelos novíssimos Airbus A350 que começaram a chegar na empresa em dezembro de 2015.

A TAM possui oito A330 equipados com os motores Pratt & Whitney PW4168A/4170 (ou apenas PW). Atualmente, a TAM iniciou a retirada de oito A330-200 de sua frota. Os quatro primeiros, matriculados PT-MVA, PT-MVB, PT-MVC, PT-MVD, PT-MVF, PT-MVG, PT-MVL e PT-MVS. Já a Avianca Brasil possui seis encomendas da aeronave que serão entregues a partir de 2015. A Azul tem um total de cinco aeronaves Airbus A330-200 usados em rotas internacionais.

Operadores no Brasil[editar | editar código-fonte]

Companhia Total PEDIDOS
Avianca Brasil 2 6
Azul Linhas Aéreas Brasileiras 6 0
TOTAL 8 6

A330-200F[editar | editar código-fonte]

Com a intenção de fabricá-lo desde meados de 2000, a Airbus, no Farnborough Air Show de 2006 anunciou o lançamento da versão, e foi muito bem aceita pelos clientes. O início das operações está marcado para o segundo semestre de 2009.

O A330-200F é capaz de transportar 64 toneladas de carga em voos de até 7 400 km, ou 69 toneladas em trechos mais curtos, de 5 930 km.

Para ser possível a acomodação de todos os pallets e containers, foi necessária uma adaptação no projeto da aeronave. O trem de pouso dianteiro precisou ser deslocado para frente e parte de sua estrutura ficou do lado de fora da fuselagem, sendo necessária a instalação de uma cobertura de material composto, o que, sem dúvida, marcará o visual do jato.

As opções de motores são Pratt & Whitney PW4000 ou Rolls-Royce Trent 700.

Operador de carga no Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, a Avianca Cargo Brasil possui uma aeronave do tipo, desde de abril 2014, e mais uma encomenda.

Companhia Total Pedido
Logo Avianca Cargo.png 1 1
azul
TOTAL 1 1

Airbus A330-300[editar | editar código-fonte]

Airbus A330-300 da Air Canada.

O birreator A330-300 é, juntamente como o A340, a resposta da Airbus no segmento de grande capacidade. Versátil, opera tanto em longos voos intercontinentais como em segmentos curtos de alta densidade de tráfego. Seu desenvolvimento começou juntamente com o A340, em junho de 1987, quando os projetos ainda eram chamados de TA-9 e TA-11. Utilizando-se da mesma fuselagem do A340-300, mas empregando apenas dois motores, o A330-300 pode transportar até 475 passageiros em classe única a uma distância de 7 500 km.

Mais do que utilizar a mesma fuselagem, as asas do A340 e A330 são idênticas, mudando-se apenas a posição dos motores, numa solução genial dos engenheiros da Airbus, que contribuiu enormemente para reduzir os custos de desenvolvimento.

O protótipo fez seu primeiro voo em novembro de 1992, a homologação foi conquistada em outubro de 1993 e o A330-300 entrou em operação nas asas da Malaysian e Air Inter, clientes lançadoras do modelo. Especialmente popular na Ásia, onde opera em várias empresas, nas Américas somente a Air Canada, Air Transat, Skyservice, Northwest Airlines , American Airlines e Delta Airlines voam com o modelo.

Seu competidor direto é o Boeing 777-200.

Especificações[editar | editar código-fonte]

Fonte: Airbus [7]

A330-200 A330-300
Comprimento: 58,37 m 63,60 m
Altura: 17,80 ou 17,30 m (Enhanced) 16,85 m
Envergadura: 60,3 m 60,3 m
Secção: 5,64 m 5,64 m
MTOW: 230.000 kg ou 233.000 kg 230.000 kg
Assentos: 253/293 - Três classes 295/335 - Três classes
Carga: 19,7 / 13,76 m³ 19,7 / 13,76 m³
Motores: 2 CF6-80E1 ou PW4000 ou RR Trent 700 2 CF6-80E1 ou PW4000 ou RR Trent 700
Velocidade máxima: 0,86 Ma (1 060 km/h) 0,86 Ma (1 060 km/h)
Autonomia: 12.500 km-7700 Milhas 10.500 km-6500 Milhas
Combustível: 139.100 l 97.170 l
Teto de Serviço: 12.000 m 12.000 m

Notas: A versão -200 necessita de 2.220 m de pista para decolagem com MTOW. A versão -300 necessita de 2.500 m de pista para decolagem com MTOW

Principais acidentes[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Aeronaves comparáveis

Referências

  1. «Orders & Deliveries». Airbus. 1 de julho de 2017. Consultado em 30 de agosto de 2017 
  2. a b c «2017 price adjustment for Airbus' modern, fuel-efficient aircraft». 11 de janeiro de 2017. Consultado em 11 de janeiro de 2017 
  3. «Airbus launches the A330neo» (em inglês). Airbus.com. Consultado em 15 de fevereiro de 2016 
  4. «Living up to its billing: Airbus officially launches the A330neo programme» (em inglês). Airbus.com. Consultado em 15 de fevereiro de 2016 
  5. «A330neo: Powering into the next decade» (em inglês). Airbus.com. Consultado em 15 de fevereiro de 2016 
  6. «A330 family». Airbus.com (em inglês). Consultado em 15 de fevereiro de 2016 
  7. «A330-300 specs» (em inglês). Airbus 
  8. «Avião sofre acidente ao tentar pousar e 103 morrem na Líbia». Reuters Brasil. 12 de maio de 2010. Consultado em 13 de maio de 2010