Tubo de Pitot

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde janeiro de 2012)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Funcionamento de um tubo de Pitot

Tubo de Pitot — ou tubo pitot — é um instrumento de medição de velocidade muito utilizado para medir a velocidade de fluidos segundo modelos físicos simulados em laboratórios de hidráulica e aerodinâmica. Também usa-se em hidrologia, sendo capaz de medir indiretamente vazões em rios, canais, redes de abastecimento de água, adutoras e oleodutos.

Um importante meio de transporte faz um uso singular de tubos de Pitot: o avião.

Deve o seu nome ao físico francês do século XVIII Henri Pitot.

Funcionamento[editar | editar código-fonte]

Detalhe de um tubo de pitot

Pela conhecida equação de Bernoulli da Mecânica dos fluidos, tem-se:

pressão total = pressão estática + pressão dinâmica

A pressão estática, também chamada de piezométrica, é a que não depende do movimento. Ela pode ser detectada por piezômetros, ou obtida mediante o uso de um tubo de Prandtl envolvendo o tubo de Pitot.

A pressão dinâmica, também chamada de taquicarga, é a pressão atmosférica gerada quando o ar em velocidade de escoamento externo penetra no tubo Pitot.

A pressão total (ou de estagnação) por si só não é suficiente para determinar a velocidade do fluido.

O tubo de Pitot pode consistir num tubo em "L" com um único canal, permitindo medir apenas a pressão de estagnação (sendo necessário medir por outro meio a pressão estática) ou com dois canais e tomadas de pressão laterais para medir simultaneamente a pressão estática. Pode ser utilizado em laboratórios para estudos de aerodinâmica (túneis de vento) ou de hidrodinâmica em modelo reduzido em laboratórios de hidráulica.

Nos aviões[editar | editar código-fonte]

Localização de tubos de pitot em um avião Boeing 777

Os chamados "instrumentos estáticos do Pitot" medem a pressão atmosférica. São eles:

Eles estão conectados a tubos de pitot que se comunicam com o exterior da aeronave. Durante subida ou descida, a pressão do ar varia. Aqueles instrumentos interpretam isso física e matematicamente.

O indicador de velocidade no ar mede a diferença entre a pressão estática e a pressão dinâmica do ar, informando-a em nós ou número de Mach. Quando o avião voa mais rápido, o ar externo exerce uma maior pressão sobre o ar no interior do tubo pitot.

Os tubos de Pitot usados em aviões normalmente têm elementos de aquecimento, para evitar obstrução por congelamento. Acidentes aéreos já ocorreram devido a obstrução de um ou mais tubos de Pitot por gelo ou outro motivo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Rios, Jorge L. Paes - “ÉTUDE DES COURRANTS TURBULENTS DANS UNE CAVITÉ PAR ANEMOMETRIE LASER” - These de D.E.A. (Mestrado) á l' Université de Grenoble - INPG - Grenoble, 1979.
  • Rios, Jorge L. Paes - “ESTUDO DO ESCOAMENTO TURBULENTO NUMA CAVIDADE COM ANEMÔMETRO A RAIO LASER” - in IIº SIMPÓSIO LUSO-BRASILEIRO SOBRE HIDRÁULICA E RECURSOS HIDRICOS. Tema: MODELAÇÃO MATEMÁTICA E FÍSICA EM HIDRÁULICA. ABRH - Blumenau, 1986.
  • Rios, Jorge L. Paes - “CONSTRUÇÃO E UTILIZAÇÃO DO ANEMÔMETRO A RAIO LASER NO ESTUDO DE ESCOAMENTO TURBULENTOS” - in IIº SIMPÓSIO LUSO-BRASILEIRO SOBRE HIDRÁULICA E RECURSOS HIDRICOS. Tema: MODELAÇÃO MATEMÁTICA E FÍSICA EM HIDRÁULICA. ABRH - Blumenau, 1986.
  • Rios, J. L. P. – Modelos Matemáticos em Hidráulica e no Meio Ambiente no Simpósio Luso-Brasileiro sobre Simulação e Modelação em Hidrâulica. APRH – LNEC. Lisboa, 1986.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Tubo de Pitot

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul-Relatório sobre tubos de Pitot
  • KERMODE, A.C., BARNARD, R.H., Mechanics of Flight, Prentice Hall:1972.
  • RIOS, J.L.P., Mecânica dos Fluidos e Hidráulica , UFRJ. Rio de Janeiro:1972.
  • Azevedo Netto, J. M., Manual de Hidráulica , Ed. Bluccher. Rio de Janeiro:1972.
Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.