Tubo de Pitot

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde janeiro de 2012)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Funcionamento de um tubo de pitot

Tubo de Pitot — ou tubo pitot — é um instrumento de medição de velocidade muito utilizado para medir a velocidade de fluidos segundo modelos físicos simulados em laboratórios de hidráulica e aerodinâmica. Também usa-se em hidrologia, sendo capaz de medir indiretamente vazões em rios, canais, redes de abastecimento de água, adutoras e oleodutos.

Um importante meio de transporte faz um uso singular de tubos pitot: o avião.

Deve o seu nome ao físico francês do século XVIII Henri Pitot.

Funcionamento[editar | editar código-fonte]

Detalhe de um tubo de pitot
Localização de tubos de pitot em um avião Boeing 777

Consiste basicamente de um tubo para medir a velocidade de fluxo de fluido. Contém fluido com o objetivo primeiro de ser realizada a medição da pressão do fluido em movimento. Pode ser utilizado em laboratórios para estudos de aerodinâmica (túneis de vento) ou de hidrodinâmica em modelo reduzido em laboratórios de hidráulica.

Pela conhecida equação de Bernoulli da Mecânica dos fluidos, tem-se:

pressão total = pressão estática + pressão dinâmica

A pressão estática, também chamada de piezométrica, é a que não depende do movimento. Ela pode ser detectada por piezômetros, ou obtida mediante o uso de um tubo de Prandtl envolvendo o tubo de Pitot.

A pressão dinâmica, também chamada de taquicarga, é a pressão atmosférica gerada quando o ar em velocidade de escoamento externo penetra no tubo Pitot.

A pressão total (ou de estagnação) por si só não é suficiente para determinar a velocidade do fluido.

Nos aviões[editar | editar código-fonte]

Os chamados "instrumentos estáticos do Pitot" medem a pressão atmosférica. São eles:

Eles estão conectados a tubos de pitot que se comunicam com o exterior da aeronave. Durante subida ou descida, a pressão do ar varia. Aqueles instrumentos interpretam isso física e matematicamente.

O indicador de velocidade no ar mede a diferença entre a pressão estática e a pressão dinâmica do ar, informando-a em nós ou número de Mach. Quando o avião voa mais rápido, o ar externo é forçado para o tubo pitot com maior rapidez.

Os tubos de Pitot usados em aviões normalmente tem elementos de aquecimento, para evitar obstrução por congelamento. Acidentes aéreos já ocorreram devido a obstrução de um ou mais tubos de Pitot por gelo ou outro motivo.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Rios, Jorge L. Paes - “ÉTUDE DES COURRANTS TURBULENTS DANS UNE CAVITÉ PAR ANEMOMETRIE LASER” - These de D.E.A. (Mestrado) á l' Université de Grenoble - INPG - Grenoble, 1979.
  • Rios, Jorge L. Paes - “ESTUDO DO ESCOAMENTO TURBULENTO NUMA CAVIDADE COM ANEMÔMETRO A RAIO LASER” - in IIº SIMPÓSIO LUSO-BRASILEIRO SOBRE HIDRÁULICA E RECURSOS HIDRICOS. Tema: MODELAÇÃO MATEMÁTICA E FÍSICA EM HIDRÁULICA. ABRH - Blumenau, 1986.
  • Rios, Jorge L. Paes - “CONSTRUÇÃO E UTILIZAÇÃO DO ANEMÔMETRO A RAIO LASER NO ESTUDO DE ESCOAMENTO TURBULENTOS” - in IIº SIMPÓSIO LUSO-BRASILEIRO SOBRE HIDRÁULICA E RECURSOS HIDRICOS. Tema: MODELAÇÃO MATEMÁTICA E FÍSICA EM HIDRÁULICA. ABRH - Blumenau, 1986.
  • Rios, J. L. P. – Modelos Matemáticos em Hidráulica e no Meio Ambiente no Simpósio Luso-Brasileiro sobre Simulação e Modelação em Hidrâulica. APRH – LNEC. Lisboa, 1986.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Tubo de Pitot
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul-Relatório sobre tubos de Pitot
  • KERMODE, A.C., BARNARD, R.H., Mechanics of Flight, Prentice Hall:1972.
  • RIOS, J.L.P., Mecânica dos Fluidos e Hidráulica , UFRJ. Rio de Janeiro:1972.
  • Azevedo Netto, J. M., Manual de Hidráulica , Ed. Bluccher. Rio de Janeiro:1972.


Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.