Cromodinâmica quântica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Os quarks possuem três cores: Vermelho, Azul e Verde.

A Cromodinâmica quântica conhecido também como QCD é uma teoria física que descreve uma das forças fundamentais: a interação forte.[1] [2]

Possui duas propriedades fundamentais chamadas liberdade assintótica e confinamento, tendo sido proposta primeiramente nos anos 70 por David Politzer, Frank Wilczek e David Gross como uma teoria que descreve a estrutura dos prótons, dos nêutrons, e de partículas similares. Ela é uma teoria quântica de campos que descreve a interação dos quarks e dos glúons.[1] Por seus trabalhos na cromodinâmica quântica, Gross, Wilczek, e Politzer foram gratificados com o prêmio Nobel de Física em 2004.[3]

De acordo com esta teoria, o caráter da interação forte é determinado por uma simetria especial entre as cargas de cor dos quarks. Esta simetria é conhecida como o grupo de calibre SU(3) e os quarks se transformam sob este grupo como um tripleto de campos fermiônicos SU(3). Embora as expansões perturbativas sejam importantes para o desenvolvimento da QCD, ela também prediz muitos efeitos não-perturbativos tais como o confinamento, os condensados fermiônicos e os instantons.

A cromodinâmica quântica é uma parte importante do modelo padrão da física de partículas. O nome "cromodinâmica" vem da palavra grega "chromos" (cor). Este nome é relevante porque a carga dos quarks é geralmente referida como "cor" embora não seja relacionada com a percepção visual da cor.

Uma aproximação particular a QCD, é o modelo de redes, que permite aos pesquisadores obterem alguns resultados teóricos e quantidades que eram previamente incalculáveis.

Referências

  1. a b de Santana Amaral, João Thiago. Amplitudes de espalhamento na Cromodinâmica Quântica em altas energias no formalismo de dipolos * (PDF) Grupo de Fenomenologia de Partículas de Altas Energias, Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Visitado em 16 de julho de 2015. Cópia arquivada em 16 de julho de 2015.
  2. Wilczek, Frank. (2000). "QCD made simple" (PDF) (em inglês). Physics Today 53 (8). DOI:10.1063/1.1310117. Visitado em 21 de julho de 2015. Cópia arquivada em 21 de julho de 2015.
  3. Nobel Prizes and Laureates (em inglês) Nobelprize.org, the official site of the Nobel Prize. Visitado em 16 de julho de 2015.

Veja também[editar | editar código-fonte]