Ultraleve

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ultraleve é um aerodino de baixas velocidade, capacidade de carregamento, potência e de baixos peso e custo. Por isso, é considerado, pelo mercado, uma boa opção para os aficcionados em aviação para pilotar suas próprias aeronaves. É conhecido tecnicamente pelas siglas UL, quando não dispõe de motor, e ULM, quando motorizado.

Um modelo avançado de ultraleve

História[editar | editar código-fonte]

As primeiras aeronaves conhecidas por ultraleves surgiram no final da década de 1970 e início da década de 1980, mas o início de sua história recua ao início do século XX, com os primeiros aviões de pioneiros como os irmãos Wright e Santos Dumont, de peso idêntico aos ULMs atuais.

Os praticantes brasileiros apontam como avô dos ultraleves o pequeno avião construído por Santos Dumont em novembro de 1907, o nº 19, apelidado pelos franceses de Demoiselle, devido a sua graciosidade e semelhança com as libélulas. Durante as primeiras experiências, o nº 19 sofreu um acidente, ficando seriamente avariado. Pesando 110 quilogramas, era uma aeronave com motor de 35 HP e estrutura de bambu.

Em 1923, o espanhol Juan de la Cierva inventou o autogiro ou girocóptero, que foi o precursor do helicóptero. O autogiro é ainda fabricado, geralmente em kits a serem montados pelos próprios usuários, e tem muitos aficcionados. Por suas características, se enquadra na legislação vigente sobre ultraleves. Tal como no helicóptero, sua sustentação em voo é fornecida por asas rotativas, mas, ao contrário destes, a propulsão é fornecida por um motopropulsor convencional, por isso decola tal como um avião e não verticalmente. Uma variação do autogiro é o glider ou giroplanador, dotado de asas rotativas, mas sem motor, daí necessitar ser tracionado por um veículo terrestre para levantar voo.

O primeiro ULM, o Pterodáctilo, assim chamado por sua semelhança com a ave pré-histórica, surgiu nos Estados Unidos na década de 1970. Logo, estas aeronaves de baixo custo, que tornavam o sonho de voar acessível a mais pessoas, se espalhou pelo mundo. No Brasil, as primeiras fábricas foram instaladas na década de 1980 e até 2006 mais de 4 mil unidades já foram fabricadas.

O pequeno Demoiselle, de Santos Dumont, o avô dos ultraleves

Os primeiros ULMs eram muito simples, precários até, e não passavam , como se dizia pejorativamente, de banquinhos com asas ou asas deltas com motor. Mas com a evolução tecnológica os modelos foram se sofisticando e alguns têm a aparência de aviões executivos.

Legislação[editar | editar código-fonte]

A legislação dos diversos países cuida de regulamentar os ultraleves em todos os seus aspectos, definindo seus requisitos mínimos, requisitos de voo, processo de fabricação e habilitação de seus pilotos.

Portugal[editar | editar código-fonte]

A Portaria 332, de 2 de maio de 1990, do Instituto Nacional de Aviação Civil, assim define ultraleve[1] :

Os ultraleves, sem e com motor de propulsão, adiante respectivamente designados pelos acrónimos UL e ULM, podem ser apresentados nas seguintes versões: 1) Quanto ao seu controlo em voo: a) Por deslocação do centro de gravidade; b) Por efeito aerodinâmico sobre superfícies móveis; 2) Quanto à fonte de energia para descolagem e voo: a) Por corrida do piloto e energia potencial; b) Por propulsão auxiliar externa e energia potencial; c) Por motor próprio; 3) Quanto à estrutura alar, incluindo superfícies de comando: a) Flexível; b) Semi-rígida; c) Rígida.

Brasil[editar | editar código-fonte]

O Regulamento Brasileiro de Homologação Aeronáutica (RBHA) nº103 A[2], publicado pela Agência Nacional de Aviação Civil, também define o que seja ultraleve:

(a) Veículo ultraleve ou ultraleve, significa uma aeronave muito leve experimental tripulada, usada ou que se pretenda usar exclusivamente em operações aéreas privadas, principalmente desporto e recreio, durante o horário diurno, em condições visuais, com capacidade para 2 (dois) ocupantes no máximo, podendo ser autopropulsada, ou não, e com as seguintes características adicionais:

(1) Não propulsados[3]:

(i) Podem, com facilidade, ser montados ou armados na área de decolagem e desmontados ou desarmados na área de pouso;

(ii) Peso vazio máximo igual ou inferior a 70 kgf.

(2) Autopropulsados:

(i) Monomotores, com motor a explosão e propulsados por uma única hélice;

(ii) Peso máximo de decolagem igual ou inferior a 750 kgf;

(iii) Velocidade calibrada de estol (CAS), sem motor, na configuração de pouso (Vso) igual ou inferior a 45 nós.

Tipos de ultraleve[editar | editar código-fonte]

Os ultraleves podem ser de três tipos:

  • PRIMÁRIO
  • não motorizado - peso vazio máximo igual ou inferior a 70 kg (155 lb).
  • motorizado - peso vazio máximo igual ou inferior a 115 kg(254 lb);capacidade máxima de combustível igual ou inferior a 20 l;
  • velocidade máxima em voo nivelado e com potência plena igual ou inferior a 102 km/h (55 kt); e
  • velocidade de estol sem motor igual ou inferior a 46 km/h ( 25 kt).
Um modelo de trike
  • BÁSICO
  • peso máximo de decolagem igual ou inferior a 600 kg ( 1320 lb);
  • velocidade de estol sem motor igual ou inferior a 65 km/h (35 kt);
  • peso vazio máximo igual ou inferior 230 kg para equipamentos terrestres e 280 kg para aquáticos ou anfíbios;e
  • carga alar com peso máximo igual ou inferior a 28 kg/ m².

Obs.: Carga alar é o peso que suporta a aeronave por unidade de superfície. Quanto maior o tamanho da asa maior será o peso suportado.

Entre os ultraleves básicos, são muito populares os chamados trikes, não constituindo ultraleves primários como se é pensado já que na sua grande maioria possuem peso vazio máximo superior a 115 kg e capacidade de combustível superior a 20 litros.


  • AVANÇADO
  • peso máximo de decolagem igual ou inferior a 600 kg ( 1320 lb);
  • velocidade de estol sem motor igual ou inferior a 65 km/h ( 35 kt);
  • peso vazio máximo igual ou inferior a 300 kg;e
  • carga alar com peso máximo igual ou inferior a 38 kg/m².

O avançado se caracteriza ainda por ter o painel de comando mais completo, com recursos não disponíveis em outros modelos.

Fabricantes brasileiros[editar | editar código-fonte]

  • Montaer
  • Aeropepe
  • Cimaer
  • Edra
  • Flyer
  • Inpaer
  • Jabiru Brazil
  • Microleve
  • Orion
  • Star Flight
  • Trike Icaros
  • Aerotrike
  • Aerobravo
  • Rupert Aeronaves
  • Wanderlei Camilo dos Santos
  • Paradise aeronaves
  • Clear Ventilação
  • Aeroálcool

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Portaria 332, de 2 de maio de 1990
  2. «RBHA 103A, Veículos Ultraleves» (PDF). Consultado em 17 de janeiro de 2011 
  3. «RBHA 104, Operação de Veículos Ultraleves Não Propulsados» (PDF). Consultado em 17 de janeiro de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Ultraleve
  • [1] Ultraleves no Brasil
  • [2] ABUL - Associação Brasileira de Ultraleves