Airbus A318

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Airbus A318
Avião
Airbus A318 da Avianca Brasil
Descrição
Tipo / Missão Avião comercial
País de origem União Europeia
Fabricante Airbus
Período de produção 2001-2013
Quantidade produzida 80[1] unidade(s)
Custo unitário 75,1 milhões de dólares (em 2016)[2]
Desenvolvido de Airbus A320
Primeiro voo em 15 de janeiro de 2002 (15 anos)
Introduzido em 22 de julho de 2003 com a Frontier Airlines
Tripulação 2 pilotos e 3-4 auxiliares de voo
Passageiros 107/132 passageiro(s)
Número de classes 2 classe(s)
Carga útil 54 500 kg (120 000 lb)
Especificações
Dimensões
Comprimento 31,4 m (103 ft)
Envergadura 34,1 m (112 ft)
Altura 12,6 m (41,3 ft)
Volume 21,21  (749 ft³)
Peso(s)
Peso vazio 39 500 kg (87 100 lb)
Peso máx. de decolagem 68 000 kg (150 000 lb)
Propulsão
Motor(es) Pratt & Whitney PW6000 ou CFM International CFM56-5
Performance
Velocidade máxima 871 km/h (470 kn)
Velocidade de cruzeiro 828 km/h (447 kn)
Velocidade máx. em Mach 0,78 ou 0,82 Ma
Alcance (MTOW) 6 000 km (3 730 mi)
Teto máximo 12 000 m (39 400 ft)

O Airbus A318 é um avião civil de passageiros da Airbus, o consórcio europeu de fabricação de aeronaves. É o menor membro da família A320, pelo qual às vezes se denomina o Mini-Airbus ou Baby-bus. Durante o desenvolvimento foi conhecido como A319M3, o que indica que é um derivado do A319 mas com 3 seções de fuselagem a menos. A aeronave é 6 metros mais curta e 14 toneladas mais leve que seu predecessor. Sua menor longitude faz com que deva ter um estabilizador vertical 80 cm mais alto que o resto da família A320 (os Airbus A319, A320 e A321 respectivamente).

O A318 pode levar 117 passageiros numa configuração de 2 classes. Foi criado para substituir os velhos DC9, Fokker 100 e os primeiros modelos do Boeing 737, bem como competir com os atuais Boeing 737-600 e Boeing 717.

O A318 está disponível em várias versões com diferentes pesos máximos na descolagem (entre 59 e 68 toneladas) e alcances (2750 km a 6000 km), o que lhe permite operar rotas regionais economicamente sacrificando o alcance, ou complementar os outros membros maiores da família em rotas de médio alcance de baixa densidade. Ainda que devido ao seu menor peso pode realizar rotas que o A320 não pode, as companhias o usam principalmente para rotas curtas entre cidades médias.

Durante o processo de projeto do avião a Airbus se tropeçou com diversos problemas. O maior sem dúvida foi a diminuição da demanda de novas aeronaves após os ataques de 11 de setembro de 2001; outro foi o projeto dos motores turbofan Pratt & Whitney PW6000, que deviam propulsar à aeronave: queimavam mais combustível do que o previsto tendo que ser reprojetados, pelo que teve que usar um da CFMI (o CFM56-5) ao princípio até que a versão da Pratt & Whitney fosse otimizada e estivesse pronta. Atualmente há versões com ambos os motores.

Operadores[editar | editar código-fonte]

Durante sua exibição em FIDAE 2006, Santiago, Chile.
Airbus A318-111 da companhia Avianca no Aeroporto Antonio Nariño de San Juan de Pasto - Nariño - Colômbia.

Operadores atuais (12 de agosto de 2017):[3]

Mais 7 aeronaves ainda estão em serviço, repartidos entre igual número de companhias europeias, chinesas e sauditas.

Ex-operadores

  • México Mexicana: 10, entre 2004 e 2010; todos da Avianca via GECAS, 2011
  • Chile LAN Airlines: 15, entre 2007 e 2014; todos da Avianca Brasil via AFS (Aviation Financial Services Inc/Airbus Financial Services), 2011
  • Estados Unidos Frontier Airlines: entre 2010 e 2012: 11 (2 armazenados e 9 desmanchados)

Motores[editar | editar código-fonte]

Modelo de avião Ano Motores
A318-111 2003 CFM56-5B8/P
A318-112 2003 CFM56-5B9/P
A318-121 2007 PW6122A
A318-122 2007 PW6124A

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «ORDERS & DELIVERIES» (em inglês). Airbus. Consultado em 12 de agosto de 2017 
  2. «New Airbus aircraft list prices for 2016» (em inglês). Airbus. 12 de janeiro de 2016. Consultado em 12 de agosto de 2017 
  3. «Airbus A318 : Lista completa» (em espanhol). Airfleets. Consultado em 12 de agosto de 2017