Emérico Hirschl

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emérico Hirschl
Emerich Hirschl
Informações pessoais
Nome completo Imre Hirschl
Data de nasc. 11 de junho de 1900
Local de nasc. Budapeste, Civil ensign of Austria-Hungary (1869-1918).svg Áustria-Hungria
Nacionalidade Hungria Húngaro
Falecido em 23 de setembro de 1973 (73 anos)
Local da morte Montevidéu, Uruguai
Altura 1,72 m
Apelido El Mago
Informações profissionais
Posição Treinador
(ex-Futebolista)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1916–1929
1929
Flag of Hungary (1915-1918, 1919-1946).svg Hungria Ferencváros TC
Estados Unidos Hakoah All-Stars
Times/Equipas que treinou
1929
1929
1932–1934
1934–1938
1938
1939–1940
1941
1943
1944
1945
1948
1949–1951
1956
1961–1963
Brasil Palestra Itália (auxiliar-técnico)
Brasil Palestra Itália
Argentina Gimnasia y Esgrima
Argentina River Plate
Argentina Gimnasia y Esgrima
Argentina Rosario Central
Argentina San Lorenzo
Argentina Banfield
Argentina San Lorenzo
Brasil Cruzeiro-RS
Argentina Gimnasia y Esgrima
Uruguai Peñarol
Uruguai Peñarol
Argentina River Plate

Imre Hirschl, também conhecido como Emerich ou Emérico Hirschl (Budapeste, 11 de junho de 1900Montevidéu[nota 1], 23 de setembro de 1973), foi um treinador e ex-futebolista húngaro. Foi o primeiro treinador estrangeiro a comandar uma equipe de futebol profissional argentina[1], no caso o Gimnasia y Esgrima, entre 1932 e 1934.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Como futebolista, Hirschl atuou apenas no Ferencváros TC e em um clube judaico sediado em Nova Iorque, chamado Hakoah All-Stars.

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Início no Palestra Itália

Hirschl estava em Paris com a intenção de renovar sua permissão para voltar aos Estados Unidos, onde encerrara sua carreira. Entretanto, um encontro com o Conde Matarazzo — na época, o homem mais rico do Brasil — mudou o destino do húngaro. O então presidente de honra do Palestra Itália (atual Palmeiras) convidou Emérico Hirschl para trabalhar no clube em 1929. Algum tempo depois, Hirschl já estava trabalhando no Palestra como auxiliar-técnico de seu compatriota, Eugênio Medgyessy, também radicado no Brasil. Hirschl ainda teve a chance de comandar efetivamente o Palestra em duas oportunidades: conquistou uma vitória por 2 a 1 sobre a Portuguesa e foi derrotado pelo Corinthians por 4 a 1, no último jogo do Estadual de 1929, no qual o Alviverde terminou como terceiro colocado[2].

Chegada a Argentina

Depois, partiu para a Argentina com desconfiança de todos, pelo fato de ser o primeiro treinador estrangeiro no país. O clube que acertou com Hirschl foi o Gimnasia y Esgrima[3] da cidade de La Plata, que vivia um dos mais gloriosos momentos de sua história, sendo apelidado de El Expreso de 33. Contrariando a todos, Hirschl conduziu, logo em seu segundo ano no comando, a equipe platense ao surpreendente quarto lugar no Campeonato Argentino de 1933[4]. A partir daí, o treinador passou por outros grandes e médios clubes argentinos.

Ainda na Argentina, fez sucesso conquistando dois campeonatos nacionais e outros torneios de pequena relevância pelo River Plate.

Retorno ao Brasil, dessa vez ao Sul

Chegou a Porto Alegre fugindo dos bombardeios argentinos, e trazendo consigo duas estrelas da época para o modesto Cruzeiro-RS: os atacantes italianos Enrique Flamini e Alejandro José Lombardini. Tinha a missão de superar o Internacional (então chamado de Rolo Compressor[5]), equipe que nem o Grêmio conseguira derrubar.

Sucesso no Uruguai e fim de carreira na Argentina

Na capital uruguaia, Montevidéu, repetiu as grandes escalações do River Plate, conduzindo o Peñarol em dois campeonatos uruguaios.

Anos depois, voltou ao River Plate, onde treinou a equipe por duas temporadas, sem muito destaque.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como treinador[editar | editar código-fonte]

River Plate
Peñarol

Notas

  1. Algumas fontes da Internet afirmam que Imre Hirschl teria falecido em Buenos Aires, Argentina.

Referências

  1. «Húngaros en Argentina» (em espanhol). Terra/ToritoCasale.com. Consultado em 17 de setembro de 2013 
  2. BIANCHINI, Vladimir (Rádio ESPN) (19 de junho de 2014). «Ex-palmeirense mentor de Gigghia montou o Uruguai, mas perdeu o Maracanazo: conheça Emerich Hirschl». ESPN.com. Consultado em 10 de setembro de 2014 
  3. Angelo Clerici: Hirschl, Emérico; Entrenador, Club de Gimnasia y Esgrima La Plata, Diccionario Tripero, 1997-2014; (per 24/07/2015).
  4. UZQUIZA, Pedro; BARNADE, Óscar (30 de março de 2002). «Un tren lleno de fútbol» (em espanhol). Clarín.com. Consultado em 17 de setembro de 2013 
  5. «Futebol RS» (PDF). Memorial.rs.com. Consultado em 17 de setembro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um treinador de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.