Minuca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Minuca
Informações pessoais
Nome completo Hermínio Francisco de Oliveira Filho
Data de nasc. 18 de julho de 1944
Local de nasc. Recife, (PE), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Falecido em 23 de abril de 2010 (65 anos)
Local da morte São Paulo
Apelido Minuca
Informações profissionais
Posição (ex-zagueiro)
Clubes de juventude
1962 Santa Cruz
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1962–1963
1964
1965-1971
1972–1975
Santa Cruz
América-RJ
Palmeiras
Marília
00000 0000(0)
00000 0000(0)
00194 0000(1)
00000 0000(0)

Hermínio Francisco de Oliveira Filho, mais conhecido como Minuca (Recife, 18 de julho de 1944São Paulo, 23 de abril de 2010), foi um futebolista brasileiro que atuou como zagueiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Santa Cruz e America-RJ[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira no Santa Cruz no ano de 1962. Em 1964, foi jogar no America-RJ. No America, passou apenas uma temporada e logo em seguida foi para o Palmeiras, onde se tornaria ídolo por integrar a zaga da famosa Primeira "Academia" da Sociedade Esportiva Palmeiras.[1][2]

Palmeiras[editar | editar código-fonte]

Em 1965, já no Palestra, adaptou-se muito bem ao futebol paulista fazendo parte da famosa "Primeira Academia". Conquistou diversos títulos e atuou pela equipe alviverde em 194 partidas com 109 vitórias, 42 empates, 43 derrotas e 1 gol marcado, que foi diante do Comercial-SP no dia 25 de agosto de 1966, quando o Palmeiras venceu por 3 a 1. Minuca foi titular do Palmeiras até o início dos anos 1970, quando acabou perdendo espaço para a dupla Luís Pereira e Alfredo Mostarda, que já viriam formar a zaga da "Segunda Academia Palmeirense".[2][1] Minuca jogou no Palmeiras até 1971, a sua última partida foi contra um clube de sua cidade natal, o Sport, o Verdão ganhou por 2 a 0.[3]

Marília[editar | editar código-fonte]

Após saída do Palmeiras, jogou pelo Marília de 1972 a 1975, onde encerrou a carreira.[2]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Palmeiras

Morte[editar | editar código-fonte]

Minuca sofreu um infarto em sua casa, onde morava a cinquenta anos, no bairro do Mandaqui, na cidade de São Paulo. Faleceu no dia 23 de abril de 2010, deixando quatro filhos e oito netos. Foi sepultado no cemitério Chora Menino. Foi um grande jogador e acima de tudo um homem exemplar, dentro e fora de campo. Seriedade, profissionalismo, bom humor e companheirismo fizeram parte da carreira e da vida do ex-zagueiro. Era conhecido também como um grande contador de histórias.[2][1]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Minuca também trabalhou como técnico nas categorias de base do clube alviverde.[2]
  • Foi responsável direto na revelação do goleiro Velloso.[2]
  • Foi cunhado do volante Zequinha, outro craque que marcou época na história do Verdão.[2]

Referências

  1. a b c «Minuca do Palmeiras». tardesdepacaembu. 4 de março de 2015. Consultado em 6 de novembro de 2016. 
  2. a b c d e f g «Minuca - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 6 de novembro de 2016. 
  3. «Minuca». Site Oficial do Palmeiras. Consultado em 25 de novembro de 2017. 


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Minuca