Federico Mancuello

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mancuello
Mancuello
Mancuello com a camisa de treino do Independiente.
Informações pessoais
Nome completo Federico Andrés Mancuello
Data de nasc. 26 de março de 1989 (28 anos)
Local de nasc. Reconquista, Argentina
Nacionalidade argentino, italiano
Altura 1,77 m
Canhoto
Apelido Mancu, Mancue11o, Gringo Carioca,
Dromedario, Super Man-cuello
Informações profissionais
Período em atividade 2008–presente (8 anos)
Clube atual Flamengo
Número 11
Posição Meia
Clubes de juventude
2004–2008 Independiente
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2008–2015
2011–2012
2016–
Independiente
Belgrano (emp.)
Flamengo
0163 000(21)
0022 0000(1)
0058 0000(10)
Seleção nacional3
2008
2015–
Argentina Sub-20
Argentina
0000 0000(0)
00048 0000(19)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 5 de julho de 2017.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 31 de março de 2015.

Federico Andrés Mancuello, (26 de março de 1989, Reconquista), mais conhecido como Federico Mancuello, ou simplesmente Mancuello, é um futebolista argentino que atua como lateral-esquerdo, volante, meia ou atacante. Atualmente, joga pelo Flamengo.

Em 2016, foi considerado pela conceituada revista inglesa "World Soccer Magazine" como um dos 500 jogadores mais importantes do mundo.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Atlético y Tiro[editar | editar código-fonte]

Federico Mancuello começou a carreira no Club Atlético y Tiro da sua cidade natal (Reconquista).

Independiente[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2008, Mancuello fazia a sua estreia na Primera División de Argentina, em partida válida pela última rodada do campeonato daquele ano, onde o Independiente utilizou reservas e juniores e acabou perdendo para o Arsenal de Sarandí por 2 a 1.

Na primeira etapa jogando com a camisa do Rey de Copas, Mancu anotou 5 gols e alternou entre boas e más atuações.

Belgrano[editar | editar código-fonte]

Na temporada 2011–12, Mancuello foi emprestado ao Belgrano, de Córdoba, por um ano e sem opção de compra ao fim do empréstimo. Nos Piratas jogou a maioria das partidas como titular e chegou a marcar gol.[2][3]

Retorno ao Independiente[editar | editar código-fonte]

2012–13[editar | editar código-fonte]

Ao fim do Torneo Clausura 2012 voltou para o Independiente. Voltou a marcar um gol vestindo a camisa Roja no jogo de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana de 2012, na vitória no 2 a 1 no Uruguai contra o Liverpool.[4]

2013–14[editar | editar código-fonte]

Mesmo com a queda do clube para a Primera B Nacional, Fede permaneceu e marcou 2 gols na segunda divisão argentina. o primeiro contra o Aldosivi e o segundo contra o Independiente Rivadavia. Na base do sacrifício, foi uma grande referência da equipe que terminou a temporada promovida a primeira divisão e tornou-se o jogador favorito da torcida.

2014[editar | editar código-fonte]

Na partida que marcou a volta do Diablo Rojo para a Primera División de Argentina, Mancuello marcou 1 gol na vitória de 3 a 0 sobre o Atlético de Rafaela, Estádio Libertadores de América.[5]

Terminou a temporada em alta, sendo inclusive considerado por Gerardo Martino, então técnico da Seleção Argentina, como o melhor jogador do campeonato argentino.[6]

2015[editar | editar código-fonte]

Em 2015, na primeira rodada da Primera División Julio H. Grondona, Mancu foi um dos melhores no jogo contra o Newell's Old Boys, dando passe para o segundo gol de Lucas Albertengo e sofrendo pênalti de Oscar Ustari. Federico deixou o campo lesionado e chorando por não querer sair, ganhando o respeito dos amantes do futebol. Acabou naquele ano, sendo considerado o melhor meia da competição. [7]

Flamengo[editar | editar código-fonte]

2016[editar | editar código-fonte]

Após ter sido especulado na janela de negociações da metade de 2015 como possível reforço do Flamengo, no último mês de 2015, Federico acabou recebendo uma oferta de compra do Atlético Mineiro, que prontamente foi recusada pelo Independiente por ser baixa.[8] Mais tarde, Carlos Moyano, então vice presidente do clube Rojo, revelou que o Galo já havia tentado contratar Mancu por empréstimo de um ano, com um custo de um milhão de dólares.[9] Em 20 de dezembro, o clube carioca entrou no negócio e formalizou uma proposta oficial de US$ 1,5 milhão, na época o equivalente a cerca de R$ 5,9 milhões, para comprar 50% dos direitos do jogador.[10] O Diablo Rojo enviou uma contraproposta onde pedia US$ 3 milhões, equivalente a cerca de R$ 11,8 milhões, ou seja, o dobro.[10] Assim, iniciava-se um duelo entre o Mengão e o clube mineiro pela contratação de Mancu.[10] Fla e o Alvinegro enviaram emissários a Argentina com novas propostas, onde o Galo teve novamente uma negativa, desta vez os Rojos recusaram US$ 2 milhões, equivalente a cerca de R$ 8 milhões, por 50% dos direitos.[11] Em meio a negociações com o Galo e o Mengão, Federico postou uma foto antiga dele no Rio de Janeiro, empolgando a torcida do clube carioca.[12] Essa empolgação tornou-se maior ainda quando o próprio Mancuello ressaltou a vontade em defender O Time da Massa.[13] Na noite de 4 de janeiro de 2016, o Rey de Copas acertou verbalmente a transferência de Federico Mancuello para o Rubro-Negro.[14][15] Em 6 de janeiro de 2016, a transferência foi concretizada.[16] O Flamengo pagou ao Independiente US$ 3 milhões (cerca de R$ 12 milhões) por 90% dos direitos econômicos do argentino.[16]

Segundo o site Transfermarkt.de, Mancuello chega ao Mengão como o 7o jogador mais valorizado do futebol brasileiro naquele momento, atrás apenas de Gabigol (Santos), Alexandre Pato (Corinthians), Malcom (Corinthians), PH Ganso (São Paulo), Lucas Lima (Santos) e Elias (Corinthians), respectivamente.[17]

No dia 9 de abril de 2016 marcou seu primeiro gol com a camisa rubro-negra, após uma linda cobrança de falta. Este lance foi eleito a "pintura da rodada" do final de semana do futebol brasileiro na enquete do programa "É Gol!!!", da SporTV, com 52,9% da preferência dos 9.743 votos.[18]

No dia 6 de agosto de 2016, no jogo contra o Atlético-PR pela 19a rodada do Brasileirão, além de ter sido o melhor do time em campo, fez um golaço de letra, garantindo a vitória rubro negra.[19]

Em 25 de setembro, na partida em que o Flamengo venceu o Cruzeiro por 2x1, Mancuello foi novamente decisivo, marcando o gol da vitória rubro-negra, aos 43 do segundo tempo.[20]

2017[editar | editar código-fonte]

No início da temporada 2017, o treinador Zé Ricardo decidiu escalar Mancuello como ponta direita, posição até então inédita na carreira do jogador, já que, por ser canhoto, ele sempre jogou pelo lado esquerdo do campo. Mancuello estreou na nova função num amistoso realizado em 21 de janeiro - derrota por 2 a 1 do Rubro-Negro diante do Vila Nova. O argentino, no entanto, comemorou sua nova missão em campo pelo clube, pensando em "ajudar mais o Flamengo." O meio-campista também rechaçou qualquer possibilidade de deixar o clube carioca, a despeito das propostas que ele recebera.[21]

Em entrevista ao Sportv, Zé Ricardo afirmou que, desde o ano passado, tentava encontrar uma forma de encaixar o Mancuello no time.[22]

O Mancuello, desde o ano passado, queria dar uma oportunidade para ele, mas era difícil porque a equipe tinha encontrado uma forma equilibrada de jogar. O Mancu me deixou uma pulga atrás da orelha. A gente trouxe o Mancuello depois das férias para uma conversa. Ele se colocou à disposisção e, como ele é um jogador inteligente, está se adaptando muito bem ali.
Técnico Zé Ricardo, explicando porque optou por usar o Mancuello como ponta direita.[22]

Foi jogando aberto pela direita, e indo da ponta para o meio[23], que, no início do ano, ao lado de Diego e Paolo Guerrero, foi um dos grandes destaques da equipe.[24] Nos 3 primeiro jogos oficiais do clube na temporada, Mancuello era o líder de finalizações corretas, cruzamentos e no total de assistências é o primeiro no elenco (foram 10 para finalização e 1 que terminou em gol), além de ter uma precisão no passe de 87% em sua nova função.[25]

Seleção Argentina[editar | editar código-fonte]

Sub-20[editar | editar código-fonte]

No final de 2008, Federico fez parte da lista dos pré-convocados por Sergio Batista que iriam disputar o Campeonato Sul-Americano Sub-20 de 2009. Na lista final, Batista cortou Mancuello e seu companheiro de Independiente, Patricio Rodríguez.

Seleção Principal[editar | editar código-fonte]

Sua primeira convocação para a Seleção Argentina aconteceu em 16 de março de 2015, quando Gerardo Martino o convocou para dois amistosos realizados nos Estados Unidos, o primeiro em Washington, para enfrentar El Salvador, e o segundo em Nova Jersey, para jogar contra o Equador.[26][27] Ele chegou a entrar na pré-lista de 30 nomes da Copa América, mas ficou fora da lista final de 23 convocados.

No dia 1 de setembro de 2016, o Twitter da Fifa errou e escalou Mancuello na seleção argentina contra o Uruguai, em partida válida pelas eliminatórias.[28] Mancuello, porém, não havia sido convocado para esta partida.

Estilo de jogo e posicionamento[editar | editar código-fonte]

Mancuello é canhoto e começou sua carreira como um meia que atuava aberto pela esquerda.[29][30] Chegou a ser improvisado como lateral-esquerdo e também jogou pelo lado do campo na segunda linha de um 4-4-2.[29][30] Neste posicionamento, porém, conviveu com críticas.[30] Com a chegada do técnico Jorge Almirón ao Independiente, passou a atuar por uma faixa mais central, como segundo volante num esquema 4-2-3-1.[30] Foi sua melhor fase.[30] Virou artilheiro do time, em 2014, marcando dez gols em 19 jogos.[30] O que Almirón fez foi posicionar Mancuello como um típico camisa 8. Ou seja, ele tirou a obrigação de marcar das costas do Mancuello, que passou a ter mais liberdade para avançar, irrompendo do centro para a esquerda, da esquerda para o centro ou por dentro, algumas vezes. Foi plantado como segundo volante, mas com raízes soltas e liberdade para exercer o melhor de seu futebol: sua capacidade de enxergar os espaços perfeitos para se infiltrar rumo à proximidade da área adversária. Isto potencializou os seus arremates de média e longa distância, além de torná-lo um fator-surpresa que levava muita confusão à defesa dos rivais.[31]

Com facilidade para subir ao ataque, apóia bastante os atacantes e tem a característica de arriscar chutes de fora da área.[29]

O experiente jornalista argentino Juan Pablo Méndez, do Diário Olé, falou sobre o estilo de jogo dele.[32]

Foram poucos jogadores que se salvaram pelo Independiente em 2013, no rebaixamento, e Mancuello foi um deles. Tem ímpeto, participa muito do jogo, de quase todas as jogadas no Independiente. Tem características mais ofensivas do que defensivas, chegou a atuar pela esquerda e mais recuado, mas seu melhor rendimento é ao lado de um volante central, subindo ao ataque. Não vai chegar como um Tévez e em dois jogos mostrar a que veio, mas adaptado vai render.
Comentou Méndez.[32]

Já o professor de História, colunista de site especializado em futebol argentino e blogueiro do GloboEsporte.com Renato Zanata Arnos, comparou a função em campo de Fede com a de antigos ídolos do Flamengo.[32]

O melhor momento dele foi como "volante interior", uma espécie de segundo volante. Não sei se a ideia é colocá-lo, por exemplo, ao lado de um volante mais fixo, barrando o Canteros. Ou, com a volta do Muricy depois de conhecer o Barcelona, encaixá-lo num 4-3-3 - com um volante central, Canteros na direita, ele na esquerda e três atacantes. Mas a função é parecida com a do Elias. Para ficar no Flamengo, saindo para o jogo como Adílio, com Andrade mais na proteção.
Segundo o professor que é autor do livro "o camisa 8 da Nação".[32]

Mauricio Pellegrino, treinador que dirigiu Mancu pelos últimos sete meses no Rojo explicou qual posição combinaria mais com as características dele.[30]

O ideal é que o time encontre um volante que jogue mais recuado do que Mancuello. Sua melhor característica é jogar como meia, sem atuar aberto pelo lado do campo. Rende melhor por dentro. Pode ser um segundo volante, mas com muita projeção ao ataque. Sempre teve talento. Nos últimos anos, somou muita capacidade de marcação e de finalização ao seu jogo.
Disse Pellegrino.[30]

No Flamengo de 2017, treinado por Zé Ricardo, de acordo com o blog "Painel Tático", do GloboEsporte.com, Mancuello atuou como um “falso-ponta-direita”, sendo a primeira vez na carreira que ele atuou do lado direito do campo (já que ele é canhoto). Ou seja, cabia a Mancuello fazer a função de flutuar por dentro e construir jogadas, mas fechar o lado quase como lateral. Assim, na construção ofensiva, ele saia do lado de campo e flutuava por dentro. Já quando a equipe está sem a bola, cabia a Mancuello recompor como ponta: fechar a linha de 4 no meio-campo e pressionar só no setor.[33]

Em 13 de julho de 2017, em partida pelo Brasileirão daquele ano, Mancu entrou no decorrer da partida contra o Grêmio atuando como primeiro volante.[34]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Até 5 de julho de 2016.

Clubes[editar | editar código-fonte]

[35]

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional[a]
Competições
continentais[b]
Outros
torneios[c]
Total
Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist.
Independiente 2008–09 16 3 2 16 3 2
2009–10 28 1 4 28 1 4
2010–11 15 1 1 4 0 0 19 1 1
Total 59 5 7 0 0 0 4 0 0 0 0 0 63 5 7
Belgrano 2011–12 21 1 0 1 0 0 22 1 0
Total 21 1 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 22 1 0
Independiente 2012–13 21 0 0 3 1 0 24 1 0
2013–14 37 2 2 2 0 0 39 2 2
2014 19 10 6 19 10 6
2015 16 3 3 2 0 0 18 3 3
Total 93 15 10 2 0 0 5 1 0 0 0 0 100 16 10
Flamengo 2016 21 3 2 3 1 0 3 0 0 11 1 5 38 5 7
2017 3 1 0 1 0 0 4 0 0 16 3 2 24 4 2
Total 24 4 2 4 1 0 7 0 0 27 4 7 62 9 9
Total na carreira 197 25 19 7 1 0 16 1 0 27 4 7 247 31 26

Seleção Argentina[editar | editar código-fonte]

Abaixo estão listados todos jogos e gols do futebolista pela Seleção Argentina, desde as categorias de base. Abaixo da tabela, clique em expandir para ver a lista detalhada dos jogos de acordo com a categoria selecionada.

Sub-20

Ano
Jogos Gols Assist. Média
2008 0 0 0 0
Total 0 0 0 0

Seleção principal [36]

Ano
Jogos Gols Assist. Média
2015 2 1 0 0,5
Total 2 1 0 0,5

Seleção Argentina (total)

Ano
Jogos Gols Assist. Média
2008 0 0 0 0
2015 2 1 0 0,5
Total 2 1 0 0,5

Títulos[editar | editar código-fonte]

Independiente
Flamengo

Prêmios Individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b espn.uol.com.br/ Brasil despenca na lista dos 500 mais importantes do futebol
  2. «Belgrano venció 1-0 a Tigre» (em espanhol). DiaaDia.com. Consultado em 4 de janeiro de 2016 
  3. «Belgrano consiguió ante Tigre un triunfo con el sello de Zielinski» (em espanhol). MundoD.LaVoz.com. Consultado em 4 de janeiro de 2016 
  4. «Pasá para el Cuartos» (em espanhol). InfiernoRojo.com. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  5. «Independiente regresó a Primera con una goleada frente a Rafaela» (em espanhol). Infobae.com. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  6. «Martino aseguró que Mancuello es del fútbol argentino». tycsports.com. Consultado em 3 de diciembre de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  7. «Independiente venció 3-2 al Newell´s del Tolo Gallego en un partidazo en Rosario» (em espanhol). Canchallena.LaNacion.com. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  8. «Galo sonda Mancuello, ouve não, mas deve insistir, afirma dirigente argentino». GloboEsporte.com. 18 de dezembro de 2015. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  9. «Dirigente revela que meia Mancuello é sonho antigo da diretoria do Galo». GloboEsporte.com. 19 de dezembro de 2015. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  10. a b c «Flamengo vai atrás de Mancuello e faz proposta; Independiente pede o dobro». GloboEsporte.com. 20 de dezembro de 2015. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  11. «Fla vai a Buenos Aires e terá reunião por Mancuello, diz diretor argentino». GloboEsporte.com. 22 de dezembro de 2015. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  12. «Mancuello agita torcida com foto, mas argentinos veem negociação travada». GloboEsporte.com. 24 de dezembro de 2015. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  13. «Em meio a difícil negócio, Mancuello diz que quer o Fla: "Não tenha dúvida"». GloboEsporte.com. 4 de janeiro de 2016. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  14. «Mancuello al Flamengo» (em espanhol). InfiernoRojo.com. 4 de janeiro de 2016. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  15. «Independiente aceita proposta, e Mancuello fica mais perto do Fla». GloboEsporte.com. 5 de janeiro de 2016. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  16. a b «Mancuello é do Flamengo; meia se despede dos Rojos e viaja para o Rio». GloboEsporte.com. 6 de janeiro de 2016. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  17. extra.globo.com/ Mancuello chega ao Flamengo e assume o posto de sétimo jogador mais valioso do futebol brasileiro
  18. sportv.globo.com/ Mancuello vence "pintura" da rodada do fim de semana, com 52,9%
  19. globoesporte.globo.com/ Atuações do Flamengo: Mancuello brilha com bons passes e o gol
  20. globoesporte.globo.com/ Mancuello, Alan Patrick e Fernandinho: Fla usa o banco para vencer o Cruzeiro
  21. Mancuello comemora nova posição e rechaça saída do Flamengo: 'Não vou a lugar nenhum'
  22. a b sportv.globo.com/ Zé Ricardo elogia reservas, vê opções e brinca que Fla ideal teria 14 titulares
  23. espn.uol.com.br/ Aberto pela direita, indo da ponta para o meio: DataESPN analisa função de Mancuello
  24. esportes.yahoo.com/ Mancuello vai bem em nova função e acirra briga no time titular do Fla
  25. torcedores.com/ VOANDO! NOVO MANCUELLO SURPREENDE NO FLAMENGO E TRAZ ‘DOR DE CABEÇA’ PARA ZÉ RICARDO
  26. «Y un día, Mancuello llegó a la Selección» (em espanhol). Clarin.com. Consultado em 4 de janeiro de 2016 
  27. «Funes Mori, Mancuello y Maxi Rodríguez, a la Selección» (em espanhol). TyCSports.com. Consultado em 4 de janeiro de 2016 
  28. globoesporte.globo.com/ É seleção? Twitter da Fifa erra e escala Mancuello na seleção argentina contra o Uruguai...
  29. a b c «Raio-X: confira números, características e histórico de Mancuello». Lance.com.br. 5 de janeiro de 2016. Consultado em 5 de janeiro de 2016 
  30. a b c d e f g h «Técnico do Independiente explica como Mancuello pode render mais no Fla». OGlobo.com. 8 de janeiro de 2016. Consultado em 8 de janeiro de 2016 
  31. «Mancuello, da boa fase às lesões e a nova chance no Flamengo». ESPN.com.br. Consultado em 14 de julho de 2017 
  32. a b c d «Elogiado por Tata, Mancuello passou por rebaixamento e cresceu no "Rojo"». GloboEsporte.com. 6 de janeiro de 2016. Consultado em 6 de janeiro de 2016 
  33. «A dinâmica de jogo do Fla: Mancuello como "falso-ponta", elaboração e posse». GloboEsporte.com. Consultado em 14 de julho de 2017 
  34. «Análise: Fla erra muito, se desorganiza e não consegue furar bloqueio do Grêmio». GloboEsporte.com. 14 de julho de 2017. Consultado em 14 de julho de 2017 
  35. «Football : Federico Mancuello» (em inglês). FootballDatabase.eu. Consultado em 4 de janeiro de 2016 
  36. «Player - Federico Mancuello» (em inglês). National Football Teams. Consultado em 8 de janeiro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de ArgentinaSoccer icon Este artigo sobre um futebolista argentino é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.