Hürriyet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o jornal em inglês, veja Hürriyet Daily News and Economic Review.
Hürriyet
Periodicidade diário
Formato standard
Sede  Turquia, Istambul
Preço 0,5 liras turcas (abril de 2009)[1]
Slogan Türkiye Türklerindir
("a Turquia pertence aos turcos")
Fundação 1 de maio de 1948 (68 anos)
Fundador(es) Sedat Simavi
Orientação política nacionalista,
Idioma turco
Circulação 496 000 (abril de 2009)[1]
Página oficial www.hurriyet.com.tr
Sede do Hürriyet em Istambul

O Hürriyet ("Liberdade" em turco) é um jornal diário turco de grande circulação, fundado em 1 de maio de 1948 por Sedat Simavi. O jornal tem delegações e edições regionais em Istambul, Ancara, Esmirna, Adana, Antália e Trebizonda, além de também ter uma edição em Frankfurt, Alemanha.[nt 1]

O jornal faz parte da Doğan Yayın Holding, a holding para os media da Grupo Doğan, um grupo financeiro, industrial e de media turco. A Doğan Yayın conta com 52 delegações e 600 jornalistas na Turquia e no estrangeiro, que trabalham para os jornais e canais de televisão do grupo através da sua filiação na Doğan News Agency.[2] Em abril de 2009 a circulação média diária era de 496 000 exemplares, o terceiro maior valor entre os jornais turcos.[1]

O Hürriyet foi fundado em 1 de maio de 1948 com uma equipa de 48 jornalistas. Na primeira semana vendeu 50 000 exemplares.[3] Foi a 59ª e última publicação fundada por Sedat Simavi. Um dos seus fundadores foi Gökşin Sipahioğlu, que depois fundaria a agência fotográfica francesa Sipa Press.

Linha editorial[editar | editar código-fonte]

O Hürriyet tem fortes inclinações nacionalistas, tendo sido acusado de ter publicado artigos que provocaram os pogroms anti-gregos de Istambul em 1955, que levaram à fuga de uma parte considerável da população grega que ainda restava na cidade. O jornal foi também acusado de lançar campanhas difamatórias contra intelectuais e artistas turcos, como por exemplo contra o jornalista turco-arménio Hrant Dink, que resultou no julgamento deste por "insultos à turquicidade", com base no artigo 301º do Código Penal turco. O lema do jornal, que figura no cabeçalho é «Türkiye Türklerindir» ("a Turquia pertence aos turcos"), é da autoria de Mehmed Talat, um dos líderes otomanos durante a Primeira Guerra Mundial e um dos principais responsáveis do genocídio arménio.[4]

Polémica da multa de 2009[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2009, o Grupo Doğan, proprietário do Hürriyet, foi condenado a pagar uma multa de 826,2&milhões de liras turcas (c. 387 milhões de euros) por evasão fiscal. Essa multa levou a Bolsa de Valores da Turquia a suspender as ações do grupo.[5][6] Antecipando essa ocorrência, a Fitch tinha baixado o rating do Hürriyet para BB-.[7][8]

Os executivos do grupo Doğan expressaram a opinião que a multa era motivada por fins políticos intimidatórios, devido ao Hürriyet ter ligado o primeiro-ministro Recep Tayyip Erdoğan e o seu partido, o AKP, a um escândalo relacionado com caridade na Alemanha. Em março de 2009, Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia, expressou publicamente a suas preocupações acerca da multa, declarando que ela ameaçava o "pluralismo e liberdade de imprensa".[9]

Em setembro de 2009, o Grupo Doğan foi novamente multado no valor recorde de 2 500 mihões de dólares (c. 1 700 milhões de euros), relativos a irregularidades fiscais passadas. Esta multa provocou mais reações públicas da Comissão Europeia,[9] bem como da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) e suscitou a comparação do caso com as multas aplicadas pelo então presidente russo Vladimir Putin para levar à falência a companhia petrolífera Yukos por alegadas razões políticas. Numa entrevista, Erdoğan negou esta acusação, classificando-a de "muito feia" e desrespeitosa tanta para ele como para Putin.[10][11]

Notas

  1. A maior parte do texto foi inicialmente baseado no artigo «Hürriyet» na Wikipédia em inglês (acessado nesta versão).

Referências

  1. a b c «Gazete tirajları, günlük gazetelerin satış rakamları». www.xgazete.com (em turco). 2009. Arquivado desde o original em 5 de julho de 2011. Consultado em 5 de julho de 2011. 
  2. «Throughout 60 years... Hürrİyet from past to present». www.hurriyetkurumsal.com (em inglês). Hürriyet Corporate. Arquivado desde o original em 11 de março de 2009. Consultado em 5 de julho de 2011. 
  3. «Hürrİyet'İn Kİlometre Taşlari». www.hurriyetkurumsal.com (em turco). Hürriyet Corporate. Consultado em 5 de julho de 2011. 
  4. Cengız, Orhan Kemal (21 de julho de 2010). «Our sophisticated fascists». Today's Zaman (em inglês). Feza Gazetecilik. Consultado em 5 de julho de 2011. 
  5. Baysal, Ercan (20 de fevereiro de 2009). «Prosecutors set to file tax evasion lawsuit against Doğan Yayın». Today's Zaman (em inglês). Feza Gazetecilik. Consultado em 5 de julho de 2011. 
  6. «Turkish index suspends Dogan group, Petrol Ofisi shares». uk.reuters.com (em inglês). Reuters. 18 de março de 2009. Consultado em 5 de julho de 2011. 
  7. «Fitch Downgrades Turkey's Hurriyet to 'BB-'; Outlook Negative». reports.fitchratings.com (em inglês). Fitch Ratings. 23 de dezembro de 2008. Consultado em 5 de julho de 2011. 
  8. «Dogan Yayin Holding remains on watch negative» (pdf). www.dmg.com.tr (em inglês). Doğan Yayın Holding. 24 de agosto de 2009. Consultado em 5 de julho de 2011. 
  9. a b Sezer, Seda; Holland, Ben (8 de setembro de 2009). «Dogan Hit by $2.5 Billion Tax Fine in Erdogan Feud (Update3)». www.bloomberg.com (em inglês). Bloomberg. Consultado em 5 de julho de 2011. 
  10. Holland, Ben; Kayakiran, Firat (23 de junho de 2009). «Feud Shaking Turkey Pits Erdogan Against Dogan Newspaper Baron». www.bloomberg.com (em inglês). Bloomberg. Consultado em 5 de julho de 2011. 
  11. Champion, Marc (5 de outubro de 2009). «Turkish Premier Defends Media Tax Battle». online.wsj.com (em inglês). The Wall Street Journal. Consultado em 5 de julho de 2011. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre a Turquia é um esboço relacionado ao Projeto Europa e ao Projeto Ásia. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre meios de comunicação ou jornalismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.