Botafogo de Futebol e Regatas na Copa Libertadores da América

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Este artigo lista as participações do Botafogo de Futebol e Regatas na Copa Libertadores da América.

Ao todo, a equipe alvinegra participou de cinco edições da principal competição continental de clubes da América do Sul. A melhor campanha foi na estreia no torneio, em 1963, quando foi eliminado na semifinal e terminou na 3.ª colocação. A última participação foi em 2017 e o time foi eliminado nas quartas de final, finalizando a competição em 5.º lugar.

Participações[editar | editar código-fonte]

Copa Libertadores
Participações: 5
Ano Fase máxima Posição Pts J V E D GP GC SG
1963 Semifinal 3.º 7 5 3 1 1 6 6 0
1969 Desistência[nota 1]
1973 Semifinal 6.º 13 10 6 1 3 25 18 +7
1996 Oitavas de final 14.º 8 8 2 2 4 11 13 –2
2014 Fase de grupos 19.º 10 8 3 1 4 9 8 +1
2017 Quartas de final 5.º 24 14 7 3 4 13 9 +4
Total 62 45 21 8 16 64 54 +10

1963[editar | editar código-fonte]

Fase de grupos[editar | editar código-fonte]

Grupo 1
Equipe Pts J V E D GP GC SG
Brasil Botafogo[nota 2] 6 3 3 0 0 5 1 +4
Peru Alianza Lima 3 4 1 1 2 2 3 –1
Colômbia Millonarios[nota 2] 1 3 0 1 2 0 3 –3

     Classificado à fase final
     Eliminados

Partidas

Fase final[editar | editar código-fonte]

Partidas

Artilheiros[editar | editar código-fonte]

Gols Jogador
1 Brasil Antoninho
Brasil Élton
Brasil Jair Bala
Brasil Jairzinho
Brasil Nilton Santos
Brasil Rildo

1973[editar | editar código-fonte]

Vice-campeão do Brasileirão de 1972, o Botafogo conquistou o direito de disputar pela segunda vez a Libertadores no ano seguinte. O esquadrão Glorioso gozava de imensa reputação internacional, com três jogadores campeões mundiais em 1970, Jairzinho, Roberto Miranda e Brito, além de outros craques como Dirceu, Fischer, Marinho Chagas, Scala e Wendell. Na fase de grupos, a equipe comandada por Sebastião Leônidas terminou na primeira colocação, superando Peñarol, Nacional e Palmeiras.[5]

Entretanto, o regulamento à época não previa critérios de desempate. Como Botafogo e Palmeiras terminaram a chave com o mesmo número de pontos e apenas um time poderia seguir na competição, foi preciso um jogo extra para definir quem avançaria para o triangular semifinal. Diante de quase 90 mil pessoas no Maracanã, o time carioca superou o paulista mais uma vez.[6] Na fase seguinte, o alvinegro não foi páreo em um grupo com Colo-Colo e Cerro Porteño: com apenas um empate e duas derrotas nas três primeiras partidas, o clube foi eliminado antes mesmo do último jogo, quando finalmente saiu vitorioso, mas sem ter o que comemorar.[5]

Fase de grupos[editar | editar código-fonte]

Grupo 2
Equipe Pts J V E D GP GC SG
Brasil Botafogo 9 6 4 1 1 15 9 +6
Brasil Palmeiras 9 6 4 1 1 10 6 +4
Uruguai Nacional 4 6 1 2 3 8 9 –1
Uruguai Peñarol 2 6 0 2 4 4 13 –9

     Disputam jogo do desempate
     Eliminados

Partidas

Jogo do desempate[editar | editar código-fonte]

Partida

Fase semifinal[editar | editar código-fonte]

Grupo B
Equipe Pts J V E D GP GC SG
Chile Colo-Colo 5 4 2 1 1 10 9 +1
Paraguai Cerro Porteño 4 4 2 0 2 8 9 –1
Brasil Botafogo 3 4 1 1 2 8 8 0

     Classificado à final
     Eliminados

Partidas

Artilheiros[editar | editar código-fonte]

Gols Jogador
5 Brasil Dirceu
4 Argentina Fischer
Brasil Jairzinho
Brasil Marinho Chagas
Brasil Roberto Miranda
1 Brasil Ferretti
Brasil Tuca
Brasil Zequinha

1996[editar | editar código-fonte]

A classificação para a Libertadores de 1996, depois de 23 anos de ausência, foi obtida graças ao título do Campeonato Brasileiro de 1995.[7][8] O grupo do Botafogo era formado por equipes brasileiras e chilenas e os três primeiros colocados se classificavam às oitavas de final.[9]

Mesmo com uma campanha irregular, com mais derrotas do que vitórias, e com uma mudança de técnicos durante a competição – em abril, o jovem Ricardo Barreto assumiu no lugar de Marinho Perez – o alvinegro conseguiu terminar a primeira fase na terceira colocação da chave.[10][11][12] Nas oitavas de final, o adversário foi o Grêmio, equipe que entrou diretamente nessa fase por ter sido campeã do ano anterior. Após empatar no Maracanã, o Botafogo foi derrotado no jogo da volta em Porto Alegre por 2–0 e foi eliminado.[13][14]

Fase de grupos[editar | editar código-fonte]

Grupo 4
Equipe Pts J V E D GP GC SG
Brasil Corinthians 13 6 4 1 1 13 6 +7
Chile Universidad de Chile 10 6 3 1 2 7 7 0
Brasil Botafogo 7 6 2 1 3 10 10 0
Chile Universidad Católica 4 6 1 1 4 6 13 –7

     Classificados à fase final
     Eliminado

Partidas

Fase final[editar | editar código-fonte]

Partidas

Artilheiros[editar | editar código-fonte]

Gols Jogador
3 Brasil Bentinho
Brasil Dauri
2 Brasil Túlio
1 Brasil Jamir
Brasil Jefferson

2014[editar | editar código-fonte]

Depois de conquistar a quarta posição na Série A de 2013, o Botafogo voltou a disputar a Libertadores após 18 anos de ausência.[15][16] Na primeira fase, enfrentou o Deportivo Quito e saiu derrotado do primeiro confronto no Equador, mas aplicou uma goleada de 4–0 no Maracanã com três gols de Wallyson e avançou na competição.[17][18]

Na fase de grupos, estreou vencendo bem o San Lorenzo no Maracanã,[19] e chegou a ter a chance de garantir a classificação para as oitavas de final de forma antecipada.[20] No entanto, o ambiente no clube era muito ruim com salários atrasados desde a temporada anterior e protestos dos jogadores, além de um técnico inexperiente no comando – o ex-técnico do sub-20 Eduardo Hungaro.[21][22] Em meio à crise, o alvinegro saiu derrotado em casa diante do Unión Española na penúltima rodada e teve que decidir a vaga contra o San Lorenzo, em Buenos Aires.[23] No confronto final, o Botafogo foi eliminado melancolicamente após perder por 3–0, enquanto os argentinos conseguiram avançar de forma heroica e, posteriormente, ainda garantiram o título inédito do torneio.[24][25]

Fase preliminar[editar | editar código-fonte]

Partidas

Fase de grupos[editar | editar código-fonte]

Grupo 2
Equipe Pts J V E D GP GC SG
Chile Unión Española 9 6 2 3 1 10 9 +1
Argentina San Lorenzo 8 6 2 2 2 6 5 +1
Equador Independiente del Valle 8 6 2 2 2 10 10 0
Brasil Botafogo 7 6 2 1 3 5 7 –2

     Classificados à fase final
     Eliminados

Partidas

Artilheiros[editar | editar código-fonte]

Gols Jogador
4 Brasil Wallyson
3 Argentina Ferreyra
1 Brasil Bolívar
Brasil Henrique

2017[editar | editar código-fonte]

O Botafogo se classificou para a Libertadores de 2017 após terminar na quinta colocação da Série A de 2016.[26] Pela primeira vez, a competição contou com três eliminatórias preliminares antes da fase de grupos;[27] e o alvinegro entrou na segunda fase contra o Colo-Colo.[28] Após eliminar os chilenos com uma vitória e um empate,[29] encarou o Olimpia na terceira fase e se classificou nos pênaltis, após o goleiro Gatito Fernández defender três cobranças dos paraguaios.[30]

Na fase de grupos, o Botafogo caiu em uma das chaves mais difíceis ao lado do Barcelona de Guayaquil, do Estudiantes e do atual campeão Atlético Nacional.[31][32] Ainda assim, o time comandado pelo técnico Jair Ventura ficou em primeiro lugar com três vitórias, um empate e duas derrotas.[33] Nas oitavas de final, o adversário foi o Nacional e o Glorioso avançou com duas vitórias.[34] Nas quartas de final, porém, a equipe não foi páreo para o Grêmio, que viria a ser o campeão desta edição, e foi eliminada.[35][36] Ao todo, o Botafogo enfrentou seis campeões da Libertadores em uma mesma edição e, de forma inédita, eliminou cinco deles – superando o recorde do Once Caldas que eliminou quatro campeões na Libertadores de 2004.[37][38] Com cinco gols no torneio, o atacante Rodrigo Pimpão igualou as marcas de Dirceu e Jairzinho, tornando-se o maior artilheiro do Botafogo na história das Libertadores.[39]

Fase preliminar[editar | editar código-fonte]

Partidas

Fase de grupos[editar | editar código-fonte]

Grupo 1
Equipe Pts J V E D GP GC SG
Brasil Botafogo 10 6 3 1 2 6 5 +1
Equador Barcelona de Guayaquil 10 6 3 1 2 8 8 0
Argentina Estudiantes 9 6 3 0 3 7 8 –1
Colômbia Atlético Nacional 6 6 2 0 4 8 8 0

     Classificados à fase final
     Transferido à segunda fase da Copa Sul-Americana
     Eliminado

Partidas

Fase final[editar | editar código-fonte]

Partidas

Artilheiros[editar | editar código-fonte]

Gols Jogador
5 Brasil Rodrigo Pimpão
1 Brasil Airton
Brasil Bruno Silva
Brasil Camilo
Brasil Guilherme
Brasil João Paulo
Brasil Roger
Brasil Sassá

Retrospecto[editar | editar código-fonte]

Por país[editar | editar código-fonte]

País J V E D GP GC SG %
 Argentina 4 2 0 2 4 5 –1 50%
 Brasil 11 2 4 5 9 17 –8 30%
 Chile 10 3 3 4 17 15 +2 40%
 Colômbia 3 3 0 0 5 0 +5 100%
Equador 6 2 1 3 7 6 +1 39%
 Paraguai 4 2 0 2 5 4 +1 50%
 Peru 2 2 0 0 3 1 +2 100%
Uruguai 6 5 1 0 14 6 +8 89%

Artilharia geral[editar | editar código-fonte]

Maiores públicos[editar | editar código-fonte]

Como mandante[editar | editar código-fonte]

Estes são os dez maiores públicos presentes do Botafogo na Libertadores como mandante:

Público Mandante Placar Visitante Estádio Data Ano Ref.
1 88 290 Botafogo Brasil 2–1 Brasil Palmeiras Maracanã 29 de março 1973 [6]
2 51 541 Botafogo Brasil 1–2 Chile Colo-Colo Maracanã 6 de abril 1973 [40]
3 50 638 Botafogo Brasil 4–0 Equador Deportivo Quito Maracanã 5 de fevereiro 2014 [18]
4 49 999 Botafogo Brasil 2–0 Brasil Palmeiras Maracanã 12 de março 1973 [41]
5 44 232 Botafogo Brasil 0–4 Brasil Santos Maracanã 28 de agosto 1963 [42]
6 43 293 Botafogo Brasil 0–1 Chile Unión Española Maracanã 2 de abril 2014 [43]
7 42 137 Botafogo Brasil 3–2 Uruguai Nacional Maracanã 24 de fevereiro 1973 [44]
8 40 050 Botafogo Brasil 2–0 Uruguai Nacional Nilton Santos 10 de agosto 2017 [34]
9 38 357 Botafogo Brasil 2–1 Chile Colo-Colo Nilton Santos 1 de fevereiro 2017 [45]
10 36 034 Botafogo Brasil 0–0 Brasil Grêmio Nilton Santos 13 de setembro 2017 [46]

Como visitante[editar | editar código-fonte]

Estes são os dez maiores públicos presentes do Botafogo na Libertadores como visitante:

Público Mandante Placar Visitante Estádio Data Ano Ref.
1 ≅75 000 Colo-Colo Chile 3–3 Brasil Botafogo Nacional de Chile 8 de maio 1973 [47]
2 ≅60 000 Nacional Uruguai 1–2 Brasil Botafogo Centernario 17 de março 1973 [48]
3 50 517 Grêmio Brasil 1–0 Brasil Botafogo Arena do Grêmio 20 de setembro 2017 [49]
4 45 174 Barcelona de Guayaquil Equador 1–1 Brasil Botafogo Monumental de Barcelona 20 de abril 2017 [50]
5 ≅45 000 Santos Brasil 1–1 Brasil Botafogo Pacaembu 22 de agosto 1963 [51]
6 ≅42 000 Colo-Colo Chile 1–1 Brasil Botafogo Monumental 8 de fevereiro 2017 [52]
7 40 638 Atlético Nacional Colômbia 0–2 Brasil Botafogo Atanasio Girardot 13 de abril 2017 [53]
8 ≅40 000 Cerro Porteño Paraguai 3–2 Brasil Botafogo Puerto Sajonia 26 de abril 1973 [54]
Universidad de Chile Chile 2–1 Brasil Botafogo Nacional de Chile 12 de abril 1996 [55]
10 31 200 Grêmio Brasil 2–0 Brasil Botafogo Olímpico 8 de maio 1996 [14]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. De acordo com o regulamento, o Botafogo se classificaria para a Copa Libertadores de 1969 por ter sido campeão da Taça Brasil de 1968. No entanto, o atraso no calendário da competição nacional impediu que os clubes classificados participassem do torneio sul-americano.[1]
  2. a b c O jogo de volta entre Botafogo e Millonarios, no Rio de Janeiro, não aconteceu porque o time colombiano desistiu do confronto, uma vez que já estava eliminado da competição e preferiu não viajar. Como o time brasileiro se classificou mesmo com um jogo a menos, as fontes divergem sobre como esse resultado foi considerado: algumas afirmam que o Botafogo ganhou os pontos da partida, mas não houve saldo; outras apontam que a CONMEBOL decretou a vitória do alvinegro por 1–0; e outras fontes simplesmente descartam a partida.[2][3][4] Para efeitos estatísticos nesse artigo, o jogo não é considerado.

Referências

  1. «Taça Brasil é Brasileirão? Robertão é Brasileirão? Entenda. Ou não.». UOL Esporte. 31 de maio de 2016. Consultado em 28 de setembro de 2017 
  2. «Copa Libertadores de América 1963». RSSSF. 9 de abril de 2010. Consultado em 28 de setembro de 2017 
  3. «Taça Libertadores da América 1963 - Tabela». Bola na Área. Consultado em 28 de setembro de 2017 
  4. «Copa Libertadores 1963 - Grupo 1». World Football. Consultado em 28 de setembro de 2017 
  5. a b «O Botafogo x Colo-Colo pela Libertadores que marcou a história de diferentes maneiras». Trivela. 1 de fevereiro de 2017. Consultado em 14 de março de 2018 
  6. a b «Botafogo só jogou bem no fim. E ganhou». Jornal dos Sports. 30 de março de 1973. Consultado em 14 de março de 2018 
  7. «Título brasileiro completa 15 anos: confira listas do campeão de 1995». GloboEsporte.com. 17 de dezembro de 2010. Consultado em 30 de novembro de 2017 
  8. «Para virar ídolo do Botafogo, Seedorf trilha caminho de Túlio Maravilha». Lance!. 27 de outubro de 2012. Consultado em 30 de novembro de 2017 
  9. «Corinthians é 1º adversário». Jornal do Brasil. 19 de dezembro de 1995. Consultado em 30 de novembro de 2017 
  10. «Botafogo perdeu o rumo». Jornal do Brasil. 11 de abril de 1996. Consultado em 30 de novembro de 2017 
  11. «Botafogo já tem novo técnico». Jornal do Brasil. 12 de abril de 1996. Consultado em 30 de novembro de 2017 
  12. «Botafogo enfrenta Grêmio nas oitavas». Jornal do Brasil. 20 de abril de 1996. Consultado em 30 de novembro de 2017 
  13. «Organização supera a bagunça». Jornal do Brasil. 2 de maio de 1996. Consultado em 30 de novembro de 2017 
  14. a b «Botafogo sai da Libertadores». Jornal do Brasil. 9 de maio de 1996. Consultado em 30 de novembro de 2017 
  15. «Botafogo vence Criciúma, se garante no G-4 e agora tem que secar a Ponte». GloboEsporte.com. 8 de dezembro de 2013. Consultado em 27 de novembro de 2014 
  16. «Derrota da Ponte na Sul-Americana confirma Botafogo na pré-Libertadores». Terra Esportes. 12 de dezembro de 2013. Consultado em 27 de novembro de 2014 
  17. «Bota perde para Deportivo e precisa de dois gols de diferença no Maraca». GloboEsporte.com. 29 de janeiro de 2014. Consultado em 3 de outubro de 2017 
  18. a b «Em noite de Wallyson, Botafogo vence Deportivo Quito e avança». GloboEsporte.com. 5 de fevereiro de 2014. Consultado em 3 de outubro de 2017 
  19. «Botafogo joga bem e vence San Lorenzo com gols de xodó e atacante na berlinda». UOL Esporte. 11 de fevereiro de 2014. Consultado em 3 de outubro de 2017 
  20. «Para aliviar pressão, Botafogo enfrenta Unión Española em busca da classificação». SuperEsportes. 2 de abril de 2014. Consultado em 3 de outubro de 2017 
  21. «Jogadores do Botafogo protestam contra salários atrasados em treino». Folha de S.Paulo. 31 de março de 2014. Consultado em 3 de outubro de 2017 
  22. «Húngaro apoia protestos no Botafogo, mas isenta diretoria». O Globo. 31 de março de 2014. Consultado em 3 de outubro de 2017 
  23. «Botafogo decepciona torcida, perde para Unión Española e adia classificação». SuperEsportes. 2 de abril de 2014. Consultado em 3 de outubro de 2017 
  24. «Botafogo perde para o San Lorenzo e está fora da Libertadores». O Globo. 10 de abril de 2014. Consultado em 3 de outubro de 2017 
  25. «San Lorenzo vence e é campeão da Libertadores pela 1ª vez». Terra Esportes. 13 de agosto de 2014. Consultado em 3 de outubro de 2017 
  26. «Golaço garante Bota na Libertadores, e gremistas festejam queda do Inter». GloboEsporte.com. 11 de dezembro de 2016. Consultado em 11 de dezembro de 2016 
  27. «Conmebol sorteia hoje as fases preliminar e de grupos da Copa Libertadores». Hoje em Dia. 21 de dezembro de 2016. Consultado em 2 de outubro de 2017 
  28. «Veja como ficaram os grupos da Libertadores de 2017». O Globo. 21 de dezembro de 2016. Consultado em 2 de outubro de 2017 
  29. «Heroico, Botafogo empata com o Colo-Colo e avança na Libertadores». GloboEsporte.com. 8 de fevereiro de 2017. Consultado em 21 de setembro de 2017 
  30. «Barrado, Gatito pega três pênaltis, elimina Olímpia e classifica Botafogo». UOL Esporte. 22 de fevereiro de 2017. Consultado em 21 de setembro de 2017 
  31. «Times tradicionais e 'pedreiras': Lance! detalha o caminho do Botafogo». Lance!. 22 de dezembro de 2016. Consultado em 2 de outubro de 2017 
  32. «Por que, pela história, o caminho do Botafogo em 2017 é o mais difícil da Libertadores». ESPN. 6 de julho de 2017. Consultado em 2 de outubro de 2017 
  33. «Botafogo perde, mas garante primeiro lugar com vitória do Atlético (COL)». UOL Esporte. 25 de maio de 2017. Consultado em 21 de setembro de 2017 
  34. a b «Outro campeão pelo caminho! Botafogo detona o Nacional e avança na Libertadores». O Dia. 10 de agosto de 2017. Consultado em 21 de setembro de 2017 
  35. «Fim do sonho, mas não da esperança; os motivos para a queda em pé do Botafogo». GloboEsporte.com. 20 de setembro de 2017. Consultado em 21 de setembro de 2017 
  36. «Soy loco por tri! Grêmio vence Lanús de novo e é campeão da Libertadores». GloboEsporte.com. 29 de novembro de 2017. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  37. «Só um time eliminou quatro campeões de Libertadores como o Botafogo. E ficou com o título». ESPN. 19 de maio de 2017. Consultado em 2 de outubro de 2017 
  38. «Botafogo elimina 5º campeão e pega o Grêmio nas quartas». Band. 10 de agosto de 2017. Consultado em 2 de outubro de 2017 
  39. «Pimpão se iguala a Jairzinho na Libertadores e vibra: "Espero passá-lo"». UOL Esporte. 10 de agosto de 2017. Consultado em 3 de outubro de 2017 
  40. «Botafogo - Colo Colo 1:2» (em inglês). World Football. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  41. «Botafogo - Palmeiras 2:0». Futebol 80. Consultado em 6 de outubro de 2018 
  42. Livro Almanaque do Santos, página 130.
  43. «Unión Española rouba cena no Rio, garante vaga e complica o Botafogo». GloboEsporte.com. 2 de abril de 2014. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  44. «Uma boa virada do Botafogo: 3 a 2». Jornal dos Sports. 25 de fevereiro de 1973. Consultado em 6 de outubro de 2018 
  45. «Bota volta à Libertadores com vitória sobre Colo-Colo, festa e placar perigoso». GloboEsporte.com. 1 de fevereiro de 2017. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  46. «Botafogo e Grêmio empatam sem gols no Rio, e vaga fica aberta para decisão na Arena». GloboEsporte.com. 13 de setembro de 2017. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  47. «Colo Colo - Botafogo 3:3» (em inglês). World Football. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  48. «Nacional - Botafogo 1:2» (em inglês). World Football. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  49. «Grêmio derrota o Botafogo e faz semifinal da Libertadores contra o Barcelona-EQU». Estadão. 21 de setembro de 2017. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  50. «Barcelona SC - Botafogo 1:1». World Football. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  51. «Santos - Botafogo 1:1» (em inglês). World Football. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  52. «Colo Colo - Botafogo 1:1». World Football. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  53. «Atlético Nacional - Botafogo 0:2». World Football. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  54. «Cerro Porteño - Botafogo 3:2» (em inglês). World Football. Consultado em 29 de novembro de 2017 
  55. «Universidad de Chile - Botafogo 2:1» (em inglês). World Football. Consultado em 29 de novembro de 2017