Luque (Paraguai)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura cidade da Espanha, veja Luque (Espanha). Se procura outros significados, veja Luque.
Luque

Lúke

—  Cidade  —
Bandeira de Luque
Bandeira
Brasão de armas de Luque
Brasão de armas
Luque está localizado em: Paraguai
Luque
Localização de Luque no Paraguai
Coordenadas 25° 16' S 57° 34' O
País  Paraguai
Área
 - Total 220 km²
Altitude 120 m
População
 - Total 291 225
    • Densidade 1 323,8 hab./km²
Gentílico: Luqueño/a
Fuso horário UTC (UTC-4)
 - Horário de verão UTC (UTC-3)
Código postal 2060 [1]
Código de área 021

Luque (em guarani: Lúke) é uma cidade do Departamento Central, no Paraguai. Localiza-se a 15 quilômetros da capital do país, Assunção.[2] Foi a capital do país em 1868, durante a Guerra da Tríplice Aliança, e manteve o seu estatuto até a transferência da capital para Assunção, no mesmo ano.

A cidade foi declarada pelo governador distrital Pedro Melo de Portugal em 1781, estabelecendo-se as suas primeiras divisões administrativas e judiciais. No entanto, a data de sua fundação é desconhecida. Abriga o Aeroporto Internacional Silvio Pettirossi, o principal aeroporto do país, e também a sede da Confederação Sul-Americana de Futebol.

História[editar | editar código-fonte]

Inicialmente, a cidade de Luque foi uma comarca de guaranis, o que pode ser observado pelos nomes das companhias (compañías) Itapuamí, Maramburé, Ycuakaranday, e os arroios Yuqyry, Avaí e Ytay. Os primeiros habitantes dedicavam-se à caça, à pesca e à agricultura.

Época colonial[editar | editar código-fonte]

Por volta de 1570, foram fundados três fortes, denominados "presídios": entre eles, um denominado de las Salinas, caracterizado por localizar-se nas proximidades do arroio Yukyry. Este presídio é, provavelmente, a mais remota origem de Luque. Em 1603, segundo a ata capitular de 8 de novembro de 1603, o cabildo de Assunção autorizou um gasto de reparação. Em 1635, o governador Martín de Ledesma Balderrama concedeu, ao capitão Miguel Antón de Luque, a titularidade das terras. Provavelmente, este ato governamental foi a primeira menção oficial do nome de Luque. Contudo, a cidade de Luque nunca foi fundada formalmente; nasceu com o capitão Antón de Luque, a mesma pessoa que expulsou os árabes da cidade de Luque, na Espanha, de onde viera. Nesta época, os franciscanos construíram, na localidade, uma capela em devoção à Virgem do Rosário, que, pouco tempo depois, daria origem a uma pequena cidade. Em 1781, foi realizada a primeira divisão administrativa da província, sob o mandato de Pedro Melo de Portugal, dividindo-a em seis vilas, com quatorze departamentos jurisdicionais, e consagrando-se, definitivamente, o nome de Luque, que se conserva na atualidade.

A Tríplice Aliança[editar | editar código-fonte]

Na época da Guerra da Tríplice Aliança, Luque serviu como capital do Paraguai, entre 22 de fevereiro e 7 de dezembro de 1868. Durante o período colonial, as primeiras cercas foram levadas para Assunção, com o intuito de construir a Casa Forte, para a defesa da cidade, enquanto que, em Luque, permaneceu uma pequena população, além de um pequeno grupo de casas coloniais e casarões.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A cidade de Luque está localizada sobre uma planície que se estende desde o lago Ypacaraí até a margem esquerda do Rio Paraguai. Devido a esta localização geográfica particular, a cidade encontra-se exposta aos efeitos do clima característico das planícies, que não contam com barreiras naturais para a sua proteção.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima é subtropical, com verões muito quentes e invernos frios, porém curtos. A maioria das precipitações ocorrem no verão e no outono. A umidade, como em grande parte do país, mantém-se constantemente acima dos 50%, auxiliada pela sua proximidade a fontes hídricas. Nos meses de verão, a sensação térmica pode superar os 40 graus centígrados.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Administrativamente, a cidade encontra-se dividida em doze grandes companhias, que se subdividem em 25 bairros menores. O território luquenho compreende 220 quilômetros quadrados.[2]

Localização[editar | editar código-fonte]

Está situada ao leste de Assunção e limita-se com a seguintes cidades:

Bairros e compañías[editar | editar código-fonte]

A parte urbana da cidade está circundada por populações rurais chamadas compañías:[2]

  • 1ª: Campo Grande e Jhugua de Seda
  • 2ª: Campo Grande e Laurelty
  • 3ª: Isla Bogado
  • 4ª: Cañada San Rafael e Costa Sosa
  • 5ª: Ycuá Duré, Maka'i e Yaguareté Cora.
  • 6ª: Maramburé e Ybycu'i
  • 7ª: Yuquyry e Itá Angua
  • 8ª: Tarumandy e Salado
  • 9ª: Itapuami
  • 10ª: Cañada Garay e Marín Caaguy
  • 11ª: Icaa, Mora Cué e Ycuá Karanda'y
  • 12ª: Zárate Isla, Loma Merlo e Km 12

Arquitetura urbana[editar | editar código-fonte]

As casas e edifícios têm muitas características da arquitetura colonial e neoclássica.

A maioria dessas casas conserva uma certa altura, para que haja consistência em termos de tipos e altura entre as casas. Todos são geralmente construídos na linha municipal. Telhas e tijolos de alvenaria são os materiais utilizados. As cores são geralmente pastel.

Os edifícios modernos mudaram a arquitetura local, tentando quebrar o padrão tradicionalista, e começaram a ser construídos com designs modernos, como no caso da sede da Confederação Sul-Americana de Futebol.

Economia[editar | editar código-fonte]

A cidade possui indústrias muito diversas, dando emprego à grande força de trabalho local. As joias, têxteis, agricultura e serviços continuam a ser as fontes principais de renda.

O setor terciário tem visto uma mudança significativa nos últimos anos, principalmente em resposta ao investimento privado e à proximidade do aeroporto com o centro da cidade.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Aeroporto Internacional Silvio Pettirossi

Luque é passagem obrigatória de turistas que chegam ao país por via aérea. O Parque Ñu Guazu, uma área verde de 25 hectares, encontra-se às margens da rodovia que liga o aeroporto com a capital. O parque é de acesso livre e gratuito, e inclui circuitos para caminhadas e várias quadras para diversas atividades esportivas e recreativas.

A cidade também hospeda a Confederação Sul-Americana de Futebol e tem um Centro de Convenções moderno, com um museu interno aberto em 2009, que exibe a memória e a história do futebol sul-americano.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Em Luque, localiza-se o Aeroporto Internacional Silvio Pettirossi, cujo nome é homenagem a um pioneiro da aviação paraguaia. O aeroporto, antigamente, era denominado Aeroporto Presidente Stroessner. Seu código AITA é ASU, e o código OACI é SGAS. Os acessos rodoviários para a cidade são a Avenida Aviadores del Chaco (Assunção, pelo Aeroporto), Campo Via (Assunção), Ruta Luque - San Bernardino (para o Departamento de Cordillera) e a Avenida Governador Irala, que leva a Areguá.

Esporte[editar | editar código-fonte]

Além de abrigar a sede da Confederação Sul-Americana de Futebol, Luque possui uma importante equipe de futebol, o Club Sportivo Luqueño, vencedor, em três ocasiões, do Campeonato Paraguaio de Futebol (1951, 1953 e 2007 apertura), e que participou da Taça Libertadores da América de 2008. Manda seus jogos no Estádio Feliciano Cáceres, em Luque, que tem uma capacidade de 35 000 pessoas (26 000 sentadas). Luque também sediou alguns jogos da Copa América 1999.

Personalidades nascidas na cidade[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Correo Paraguayo – Codigos por Localidades (espanhol)
  2. a b c «Luque: Gobernación de Central». 18 de março de 2016. Consultado em 11 de janeiro de 2017 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Luque (Paraguai)