Caruaru

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Caruaru
"Capital do Forró"
"Capital do Agreste"
"Princesinha do Agreste"
Montagem Caruaru.jpg

Bandeira de Caruaru
Brasão de Caruaru
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 18 de maio de 1857 (157 anos)
Gentílico caruaruense
Prefeito(a) José Queiroz (PDT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Caruaru
Localização de Caruaru em Pernambuco
Caruaru está localizado em: Brasil
Caruaru
Localização de Caruaru no Brasil
08° 16' 58" S 35° 58' 33" O08° 16' 58" S 35° 58' 33" O
Unidade federativa  Pernambuco
Mesorregião Agreste Pernambucano IBGE/2013[1]
Microrregião Vale do Ipojuca IBGE/2013[1]
Municípios limítrofes São Caetano e Brejo da Madre de Deus, a oeste, Altinho e Agrestina e São Joaquim do Monte, ao sul, Toritama, Vertentes e Taquaritinga do Norte, ao norte, Bezerros, Frei Miguelinho e Riacho das Almas a leste.
Distância até a capital 130 km
Características geográficas
Área 920,610 km² [2]
Área urbana 16,65 km² (BR: 178º) – est. Embrapa[3]
Distritos Caruaru, Carapotós, Lajedo do Cedro e Gonçalves Ferreira
População 337 416 hab. (PE: 4°) –  estatísticas IBGE/2013[4]
Densidade 366,51 hab./km²
Altitude 554 m
Clima Tropical[5]  As'
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,677 (PE: 11°) – médio PNUD/2010[6]
PIB R$ 3 407 458 mil (PE: 6°) – IBGE/2011[7]
PIB per capita R$ 10 662 30 IBGE/2011[7]
Página oficial
Prefeitura Prefeitura de Caruaru

Caruaru é um município brasileiro do estado de Pernambuco, situado na região nordeste do país. Pertence à Mesorregião do Agreste Pernambucano e à Microrregião do Vale do Ipojuca e localiza-se a oeste da capital do estado, distando desta cerca de 130 km. Ocupa uma área de 920,611 km², sendo que 16,65 km² estão em perímetro urbano e os 903,961 km² restantes formam a zona rural,[3] e sua população em 2013 era de 337 416 habitantes, sendo então o mais populoso do interior pernambucano.[4] [8]

A sede municipal tem uma temperatura média anual de 22,1 °C[9] e a vegetação predominante é a caatinga, tendo remanescentes de Mata Atlântica em brejo de altitude, localizando-se, neste modo, numa área de transição. Cerca de 90,6% da população vive na zona urbana, contando com 176 estabelecimentos de saúde em 2009,[10] [11] e o seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M) é de 0,677, considerando-se como médio, acima da média estadual, e ocupando a décima primeira colocação no ranking estadual.[6]

Fundado em 18 de maio de 1857, o município começou a tomar forma em 1681, quando o então governador Aires de Souza de Castro doou à família Rodrigues de Sá uma sesmaria com trinta léguas de extensão, com o intuito de desenvolver a agricultura e a criação de gado na região, as terras na época constituíam a Fazenda Caruru. A fazenda foi abandonada pelos seus donatários, só voltando a funcionar em 1776, quando José Rodrigues de Jesus decidiu voltar às terras, após a morte do seu patriarca. Lá, ergueu uma capela dedicada à Nossa Senhora da Conceição, sendo por conta dessa construção que foi criado um pequeno povoado ao seu redor, mais tarde originando a cidade.[12]

O município vem exercendo um importante papel centralizador no Agreste e interior pernambucano, concentrando o principal pólo médico-hospitalar, acadêmico, cultural e turístico da região.[13] Possui a maior Festa Junina do mundo, segundo registro do Guinness World Records (o livro dos recordes), e é internacionalmente conhecida pelos festejos.[14] Detém ainda a Feira de Caruaru, conhecida por ser uma das maiores feiras ao ar livre do mundo e ter sido tombada como patrimônio imaterial do país pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).[15] Seu artesanato com barro ficou mundialmente conhecido pelas mãos de Vitalino Pereira dos Santos, o Mestre Vitalino, que representou Pernambuco na exposição de Arte Primitiva e Moderna Brasileira no ano de 1955, em Neuchâtel, na Suíça,[16] podendo atualmente ter suas obras contempladas no Museu do Louvre, em Paris, e em sua antiga residência no Alto do Moura, em Caruaru.[17]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Há diversas hipóteses para a origem do nome da cidade. Uma das mais utilizadas é que o nome Caruaru seja uma junção oriunda do dialeto dos índios cariris, habitantes da região na época do desbravamento, no século XVI. "Caru" equivaleria a alimento e fartura e "aru aru" à abundância. Logo, Caruaru significaria terra da fartura.[18] A "Documentação Territorial Brasileira", do IBGE, depois de frisar os vários significados associados a entidades mórbidas, acrescenta mais uma definição: "nome de uma planta vulgarmente conhecida por caruru (espécie de bredo) e que outrora cobria um poço na margem do rio Ipojuca, em local que, por isso, passou a ser denominado Poço ou Sítio do Caruru. Por acréscimo de uma vogal, o nome seria alterado para Caruaru". No Dicionário Houaiss, consta com dois sentidos: 1º) o mesmo que curuaí (do tupi curuá’i), planta Orbignya sabulosa, isto é, a palma, incidente em toda a região; 2º) o mesmo que jacuraru, ou seja, um lagarto (do tupi yakurua’u), o popular teju ou teiú, também bastante frequente na região.[19]

História[editar | editar código-fonte]

Vista parcial de Caruaru a partir do Monte do Bom Jesus.

Devido à sua posição geográfica favorável, no coração do Agreste, passagem obrigatória do transporte de gado do Sertão para o Litoral, logo se estabeleceram diversas propriedades agropastoris. Os donos das terras onde hoje se situa o município eram os "Nunes dos Bezerros", assim denominados em virtude da curta distância entre a fazenda e a paróquia de Bezerros. Admite-se que os Nunes eram remanescentes dos antigos concessionários daquelas terras, quando foram distribuídas como sesmarias. Os Nunes haviam adotado um casal de órfãos, sendo o menino, José Rodrigues de Jesus. Em virtude de desentendimento com a família, ele se apossou das terras que lhe cabiam por herança, a leste e a sudeste da fazenda dos Nunes. Com vinte anos já era um senhor poderoso e residia com a mulher – Maria do Rosário de Jesus – numa vivenda, a Casa Grande, no local denominado Caruaru. Com licença do Bispado de Olinda, em 1781, construiu a capela de Nossa Senhora da Conceição, que contribuiu para o surgimento de uma feirinha semanal e passou a ser ponto de convergência de novos moradores, iniciando-se assim o povoamento da região. Documentos de 1794 comprovam a existência desse povoado, "possuindo crescido número de casas", já conhecido com a mesma denominação atual.[20]

Em 1834, Caruaru figurava como 7º distrito de paz de Bonito, conforme ofício datado de 8 de novembro desse ano, enviado pela Câmara de Bonito ao Conselho do Governo de Pernambuco. A Lei Provincial nº 133, de 6 de maio de 1844, criou o distrito de São Caetano da Raposa, anexado ao município de Caruaru (alguns documentos mencionam essa lei como sendo do dia 2 de maio). Em 1846, o missionário frei Euzébio de Sales, capuchinho da Penha, iniciou a construção da Igreja Matriz, hoje catedral. Reconstruída duas vezes, a última em 1883, a igreja ganhou, nesse ano, o sino que ainda hoje existe no local, o maior ex-voto da região, promessa de Francisco Gomes de Miranda Leão, que fez transportar a oferenda em lombo de animais, de Tapera a Caruaru, onde a população recebeu com entusiasmo. Em 16 de agosto de 1848, a Lei Provincial nº 212 elevou Caruaru à categoria de vila, com território desmembrado de Bonito. Essa lei transferiu a sede da freguesia de São Caetano da Raposa para Nossa Senhora das Dores, em Caruaru, para onde também foi transladada a sede da comarca de Bonito. O art. 3º da mesma lei dividiu a comarca em dois municípios, compreendendo o primeiro as freguesias de Caruaru, Bezerros e Altinho, e a segundo município, as cidades de Bonito e Panelas.[21]

A Câmara foi instalada no dia 16 de setembro de 1849, segundo ofício enviado ao presidente da província; quem a instalou foi o presidente da Câmara de Bonito, Francisco Xavier de Lima. O primeiro vigário da freguesia foi o padre Antonio Jorge Guerra, que a instalou no dia 28 do mesmo mês e ano. Em 18 de maio de 1857, a Lei Provincial nº 416 elevou a vila de Caruaru à categoria de cidade e sede do município e em 20 de maio de 1867, a Lei Provincial nº 720 criou a comarca de Caruaru, a qual foi classificada de 1ª entrância pelo Decreto nº 3.978, de 12 de outubro do mesmo ano; o primeiro juiz de Direito foi o dr. Antonio Buarque de Lima. Em 13 de novembro de 1872, o Decreto nº 5.139 classificou-a como de 2ª entrância.[22]

Tornou-se município em 1º de março de 1893, com base no art. 2º das disposições gerais da Lei Estadual nº 52 (Lei Orgânica dos Municípios), de 3 de agosto de 1892. O primeiro prefeito eleito foi o major João Salvador dos Santos. Em relação anexa ao ofício do prefeito para o Secretário do Governo, com data de 26 de maio de 1893, declara-se que o município fora dividido em três distritos administrativos: Caruaru (sede municipal), Carapotós e São Caetano da Raposa.[23] [24]

Caruaru se converteu em município, sendo o segundo do agreste pernambucano, pelo projeto nº 20, criado pelo deputado provincial Francisco de Paula Baptista (1811-1881), defendido em primeiro debate em 03 de abril de 1857 e tornando-se concreto, depois de aprovação sem debate, em 18 de maio do mesmo ano, com a assinatura da Lei Provincial nº 416, pelo então vice-presidente da província de Pernambuco, Joaquim Pires Machado Portela.[25] Ao passar das décadas, a cidade se desenvolveu e a antiga Vila do Caruru atualmente é conhecida por colecionar vários títulos, como “Capital do Agreste”, “Capital do Forró”, “Princesa do Agreste”, dentre outras alcunhas, fazendo analogia ao cenário de sua importância política-econômica no cenário do Estado de Pernambuco.[13] [26]

O desenvolvimento do município teve seu apogeu a partir de 1896, após a construção da Great Western, a linha férrea que conecta a cidade à capital pernambucana. Pelos seus trilhos era escoada a produção agrícola, além das mercadorias de sua tradicional feira.[27] Iniciada em 2001 pelo governo pernambucano, a duplicação da principal rodovia que dá acesso ao município, a BR-232, foi crucial para a industrialização da sua economia e o crescimento do setor de serviços, já que com a nova rodovia o número de turistas em dada época do ano era maior, visto que a duplicação trouxe uma redução no tempo de viagem e mais segurança. O primeiro trecho das obras foram iniciadas no sentido Recife-Caruaru e concluídas em 2003, quando foi dado início a outro trecho, Caruaru-São Caetano.[28]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Parque Estadual Serra dos Cavalos.

O território municipal, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é de 920,611 km²,[29] sendo 16,6500 km² de perímetro urbano e os 903,961 km² restantes formando a zona rural do município.[3] Situa-se a 08º17'00" de latitude sul e 35º58'34" de longitude oeste,[30] estando a cerca de 130 km da capital estadual. Os municípios limítrofes são Brejo da Madre de Deus e São Caetano, a oeste; Toritama, Vertentes e Frei Miguelinho, a norte; Riacho das Almas e Bezerros, a leste; e Altinho e Agrestina, a sul.[31]

Relevo e hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município está situado na unidade geoambiental da Província da Borborema, sendo formada por maciços e outeiros altos, com altitudes que variam entre 600 a 1.000 metros.[31] O relevo é predominantemente movimentado, com vales profundos e vales dissecados, com altitude média de 554 metros acima do nível do mar.[31] Está localizado no Planalto da Borborema e seu ponto culminante é o Morro do Bom Jesus, com 630 metros acima do nível do mar.[30]

O território municipal é recortado por rios perenes de baixa vazão, tendo também pequeno potencial de água subterrânea. Situa-se na bacia hidrográfica do Rio Ipojuca e do Rio Capibaribe,[31] tendo como seus principais cursos hidrográficos os riachos Tabocas, Caiçara, Borba, da Onça, Olho d'água, Mandacaru do Norte, Caparatós, São Bento, Curtume e Taquara. Seus principais corpos de acumulação de água são os açudes Eng°. Gercino de Pontes (13.600.000 m³), Taquara (1.100.000 m³), Guilherme (786.000 m³), Serra dos Cavalos (761.000 m³) e Jaime Nejaim (100.000 m³).[31]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima caruaruense é classificado como semi-árido, com regime de chuvas de outono-inverno. A temperatura média anual da sede do município é de 22,1 °C, possuindo verões quentes e secos e invernos amenos e chuvosos. Dezembro é o mês com o valor de temperatura média máxima (30,4 °C), enquanto julho possui o menor valor de temperatura média mínima (17,4 °C).[32] [33]

Os acontecimentos de frio extremo podem ocorrer em praticamente qualquer época do ano, principalmente em épocas próximas ao período invernoso, como o que ocorreu no dia 28 de abril de 2012, quando em pleno outono a temperatura caiu para cerca de 11,9 °C pela manhã.[34] Episódios de calor extremo não são registrados com frequência, apenas durante os meses mais secos, que se concentram no período que vai de setembro a fevereiro, quando a temperatura chega, esporadicamente, a mais de 35 °C. Em dias chuvosos, no período do inverno, a temperatura máxima varia entre 20 °C e 26 °C, raramente ultrapassando essa faixa.[34]

Os ventos são constantes todo o ano, porém, quando há a ocorrência da chegada de sistemas e a formação de vórtices ciclônicos de altos níveis da atmosfera no litoral leste do nordeste, ocorrem ventanias que causam danos como destelhamentos, quedas de árvore e interrupção no fornecimento da energia elétrica.[35] O índice pluviométrico anual é de 764,1 mm, sendo novembro o mês mais seco, com apenas 9,6 milímetros de chuva, e julho o mês mais chuvoso, com 134,7 milímetros.[36]

Dados climatológicos para Caruaru
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima registrada (°C) 34,8 33,7 34,5 34,6 31,3 30,2 30 29 32 33,5 n/d n/d n/d
Temperatura máxima média (°C) 29,7 30 29,3 28,4 27,1 25,4 24,4 25,4 26,8 29,1 30,1 30,4 28
Temperatura mínima média (°C) 19,7 19,8 20,1 20 19,3 18,4 17,3 17,4 17,9 18,6 19,3 19,6 19
Temperatura mínima registrada (°C) 13,3 15 15 15,8 15 13 13 13,2 12,6 13 n/d 14,8 n/d
Chuva (mm) 63,1 35 97,6 116 80,2 115,7 134,7 45,5 25,2 11,4 9,6 30,1 764,1
Dias de chuva (≥ 1 mm) 5 3 7 8 8 11 11 6 5 1 1 3 69
Umidade relativa (%) 75,1 75,2 78,6 81,3 83,1 85,7 85,8 83,8 79,9 74,9 n/d 72,4 n/d
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (médias climatológicas e recordes de temperatura referentes ao período entre 1961 a 1990).[37] [38] [32] [33] [36] [39] [40]

Ecologia e meio ambiente[editar | editar código-fonte]

Até o início do ano de 2013, a prefeitura municipal não possuía nenhuma secretaria direcionada a tratar de assuntos ambientais, antes apenas a Secretaria de Infraestrutura era encarregada das políticas ambientais do município. Entretanto, no início do ano de 2013, após a reeleição do prefeito José Queiroz, a prefeitura recebeu sua primeira secretaria direcionada restritamente à política ambiental. O prefeito enviou à Câmara Municipal de Caruaru uma reforma administrativa, criando também a Secretaria Especial de Meio Ambiente, que será vinculada ao gabinete do prefeito.[41]

As vegetação predominante é a caatinga, com presença de remanescentes de Mata Atlântica em brejos de altitude.[31] Possui, a saber, apenas uma unidade de preservação, o Parque Florestal Serra dos Cavalos, também chamado de Parque Ecológico João Vasconcelos Sobrinho, no limite com o município de Altinho, conta com 359 hectare de área protegida.[42] [42]

A caatinga é composta por espécies hiperxerófilas, com a forte presença de arbustos com galhos retorcidos e com raízes profundas. As espécies mais encontradas são os cactos, caroá, aroeira, angico, juazeiro, mandacaru e xique-xique.[43] Já a Mata Atlântica, típica dos brejos de altitude no sul do município é constituída por árvores de médio e grande porte, formada por floresta densa e fechada. Sendo muito rica em biodiversidade, as árvores de grande porte formam um microclima dentro da mata, com sombra e muita umidade. As espécies mais comuns são: palmeiras, bromélia, begônias, orquídeas, cipós, briófitas, pau-brasil, jacaranda, peroba, jequitibá-rosa, cedro, andira, ananas e figueiras.[44]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
1970 142 653
1980 172 532 20,9%
1991 213 697 23,9%
2000 253 634 18,7%
2010 314 912 24,2%
Fonte: Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística
(IBGE)[45]

Segundo a contagem do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em 2010, o município possuía 314 912 habitantes, sendo a maioria do sexo feminino, com 165 759 habitantes mulheres (52,5% da população), e os 149 153 restantes do sexo masculino (47,4% da população). Ainda segundo o censo, 279 589 habitantes (cerca de 88,78%) viviam na zona urbana e 35 323 habitantes (cerca de 11,2%) na zona rural.[46] A taxa de urbanização era de 88,78%.[46] Enquanto à estimativa da população referente ao ano de 2013, o IBGE aponta um número de 337 416 habitantes, sendo o quarto maior município do estado e apresentando densidade populacional de 342,07 habitantes por quilômetro quadrado.[8]

Da população total em 2010, 78 066 habitantes (24,79%) tinham menos de 15 anos de idade, 214 848 habitantes (68,22%) tinham de 15 a 64 anos e 21 998 pessoas (6,99%) possuíam mais de 65 anos, sendo que a esperança de vida ao nascer era de 73,0 anos e a taxa de fecundidade total por mulher era de 2,0.[47] O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M) de Caruaru é de 0,677, sendo considerado médio pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD),[48] ocupando a décima primeira colocação no ranking estadual e estando acima da média pernambucana, que é de 0,673.[49] Apesar do destaque estadual, seu índice ainda é menor que a média nacional, ocupando a 2503ª colocação no ranking entre os 5 570 municípios da União.[48]

Em 2010, segundo dados do censo do IBGE daquele ano com a autodeclaração de cada caruaruense, a população era composta por 158 762 brancos (50,51%); 11 521 negros (3,66%); 2 273 amarelos (0,72%); 141 972 pardos (45,08%); e 384 indígenas (0,12%).[50] Considerando-se a região de nascimento, 305 186 eram nascidos no Nordeste (96,91%), 7 704 no Sudeste (2,45%), 376 no Sul (0,12%), 376 no Centro-Oeste (0,12%) e 297 no Norte (0,09%). 294 979 habitantes eram naturais do estado de Pernambuco (93,67%) e, desse total, 217 350 eram nascidos em Caruaru (69,02%).[51] Entre os 19 933 naturais de outras unidades da federação, São Paulo era o estado com maior presença, com 6 628 pessoas (2,10%), seguido pela Paraíba, com 3 693 residentes (1,17%), e por Alagoas, com 3 169 habitantes residentes no município (1,01%).[52]

Pobreza e desigualdade[editar | editar código-fonte]

De 2000 a 2010, a proporção de pessoas com renda domiciliar per capita de até meio salário mínimo reduziu em 41,6% e em 2010, 82,5% da população vivia acima da linha de pobreza, 10,5% encontrava-se na linha da pobreza e 6,9% estava abaixo[53] e o coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, era de 0,542, sendo que 1,00 é o pior número e 0,00 é o melhor.[54] A participação dos 20% da população mais rica da cidade no rendimento total municipal era de 57,6%, ou seja, 16,1 vezes superior à dos 20% mais pobres, que era de 3,84%.[53]

Apesar de ser uma cidade com pouco menos de 300 mil habitantes na sua área urbana[11] , tem registros de pequenas favelas em algumas áreas.[55] Embora o Morro do Bom Jesus seja considerado um bairro na estrutura urbana, nos últimos tempos tem adquirido características peculiares de favela, pelo fato de ter passado por um recente grande crescimento demográfico sem planejamento.[56] Não obstante, há registro de pequenas favelas em outras partes da cidade, como a comunidade Bonanza, no bairro Rosanópolis.[57] Ao que se sabe, não há um relatório oficial da prefeitura municipal informando a quantidade, tampouco a característica da população que vive nos aglomerados subnormais, existem apenas dados colhidos pelo IBGE. Segundo dados obtidos pelo censo demográfico do IBGE em 2010, existem no município cerca de 96 379 unidades de domicílio, sendo 4 231 domicílios em aglomerados subnormais, que são ocupados por 13 418 moradores.[55]

Religião[editar | editar código-fonte]

Catedral de Caruaru.

O censo demográfico do IBGE mostrou que em 2010 a maior parte da população caruaruense se declarava católica (64,6% da população), apesar de ser bastante comum encontrar seguidores do espiritismo (2,0%) e notadamente a presença de evangélicos de diversas denominações, que eram cerca de 22,1% da população. É pouco considerável a participação de seguidores das religiões africanas, como umbanda e candomblé (0,3%, no total), sendo muito reduzido o número de seguidores das religiões orientais, como hinduísmo e islamismo, a única religião oriental com a quantidade de adeptos um mínimo considerável é o budismo (0,1%). Também são poucos os que se declararam praticantes das tradições esotéricas (0,04%). As pessoas que não declararam nenhuma religião somam 8,0% e os ateus 0,3%.[58] [59]

Igreja do Monte do Bom Jesus.
Igreja Católica Apostólica Romana

Segundo divisão feita pela Igreja Católica, Caruaru está localizado na Província Eclesiástica de Olinda e Recife, tendo a sede na cidade de Olinda, na Grande Recife, e é integrante da Arquidiocese de Olinda e Recife. A Diocese de Caruaru foi erigida canonicamente através da bula "Quae Maiori Christifidelium", no dia 7 de agosto de 1948 pelo Papa Pio XII, e sua catedral diocesana é a Matriz de Nossa Senhora das Dores. A cidade possui nove paróquias, sendo elas: Capelão da Igreja Santa Luzia (Monte Bom Jesus); Igreja da Conceição; Paróquia Coração Eucarístico; Paróquia Natividade do Senhor; Paróquia Nossa Senhora Aparecida; Paróquia Nossa Senhora das Dores; Paróquia Nossa Senhora do Rosário; e Paróquia São José.[60]

Igrejas protestantes

A cidade possui uma grande quantidade de igrejas evangélicas de denominações diversas, como: Igreja Cristã Maranata, Igreja Luterana, a Igreja Presbiteriana, a Igreja Metodista, a Igreja Episcopal Anglicana, a Igreja Batista, a Igreja Assembleia de Deus, a Igreja Adventista do Sétimo Dia, a Igreja Mundial do Poder de Deus, a Igreja Metodista Wesleyana, a Igreja Universal do Reino de Deus, a Congregação Cristã no Brasil, entre outras.[58] As denominações evangélicas com o número de seguidores menos relevante segundo a pesquisa são: testemunhas de Jeová, que representam pouco mais de 0,7% da população e os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, que representam cerca de 0,1%.[59]

Política e administração[editar | editar código-fonte]

Câmara Municipal de Caruaru, órgão legislativo do município.

O município é administrado pelo poder executivo e pelo poder legislativo.[61] Em 2012, o candidato Zé Queiroz, do Partido Democrático Trabalhista (PDT), foi eleito no segundo turno com 95 668 votos, cerca de 57,73% dos votos válidos, vencendo a candidata Miriam Lacerda, do Democratas (DEM), que recebeu 66 700 votos, cerca de 40,25% dos votos válidos.[62]

O poder legislativo municipal é formado pela câmara, constituído por 23 vereadores eleitos para um mandato de quatro anos (de acordo com o artigo 29 da Constituição) e está composto da seguinte forma:[63] duas cadeiras do Partido Social Democrático; duas do Partido Socialista Brasileiro; duas do Partido Trabalhista Brasileiro, uma cadeira do Partido da República; uma do Partido Democrático Trabalhista; uma do Partido Comunista do Brasil; uma do Partido Social Cristão; uma do Democratas; uma do Partido da Social Democracia Brasileira; uma do Partido do Movimento Democrático Brasileiro; duas cadeiras do Partido da Mobilização Nacional; uma cadeira do Partido Trabalhista Nacional; duas cadeiras do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro; uma cadeira do Partido Progressista; uma do Partido Popular Socialista e uma do Partido Trabalhista do Brasil. Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o orçamento participativo (Lei de Diretrizes Orçamentárias).[63]

O município ainda se rege por uma lei orgânica, promulgada no dia 5 de abril de 1990 e que entrou em vigor ainda na mesma data,[63] e é a sede da Comarca de Caruaru.[64] De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco, o município possuía, em 2013, 191 438 eleitores, sendo o quarto maior colégio eleitoral do estado de Pernambuco.[65]

Cidades irmãs[editar | editar código-fonte]

Caruaru possui duas cidades-irmãs:

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Caruaru está subdividido em quatro distritos: Carapotós, Gonçalves Ferreira e Lajedo do Cedro, além do distrito-sede.[31] O distrito-sede é o mais populoso deles, possuindo 291 371 habitantes, seguido por Carapotós, com 17 038 habitantes, que foi criado pelo decreto-lei estadual n° 3, do dia 15 de novembro de 1896. O distrito de Lajedo do Cedro foi criado pelo decreto-lei estadual n°271, do dia 15 de outubro de 1953, e Gonçalves Ferreira foi criado pelo decreto-lei estadual n°289, do dia 30 de dezembro de 1953.[67] A sede é composta por 38 bairros.

Distritos de Caruaru (IBGE/2010)[67]
Distrito
Habitantes
Domicílios
particulares
Homens Mulheres Total
Carapotós 8 625 8 413 17 038 6 774
Gonçalves Ferreira 2 557 2 582 5 139 1 983
Lajedo do Cedro 707 657 1 364 606
Caruaru 137 264 154 107 291 371 105 258

Economia[editar | editar código-fonte]

Atividades econômicas de Caruaru por número de empregados - (2012)[68]

O Produto Interno Bruto de Caruaru é o 181° maior do Brasil e o 5° maior do estado de Pernambuco. De acordo com as Contas Regionais do ano 2011, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística calculou o valor bruto do PIB em R$ 3.407.458 bilhões, sendo R$ 468.871 mil impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes.[69] O Produto Interno Bruto per capita era de R$ 10.662,30 mil.[69]

Em 2010, 68,04% da população maior de 18 anos era economicamente ativa, enquanto que a taxa de desocupação era de 6,70%.[47] Em 2011, havia cerca de 8 424 unidades locais e 7 857 de empresas atuantes e estabelecimentos comerciais atuantes. 74 665 trabalhadores eram considerados como pessoal ocupado total e 65 001 pessoas caracterizavam-se pessoal ocupado assalariado. Salários, juntamente com outras remunerações somavam 763 186 mil reais e o salário médio mensal do município era de 1,7 salários mínimos.[70] Segundo o IBGE, 68,61% das residências sobreviviam com menos de salário mínimo mensal por morador, 21,54% sobreviviam com entre um e três salários mínimos para cada pessoa, 2,95% recebiam entre três e cinco salários, 2,02% tinham rendimento mensal acima de cinco salários mínimos e 4,88% não tinham rendimento.[71]

Setor primário[editar | editar código-fonte]

O setor primário é o menos relevante na economia caruaruense. Do total de toda riqueza produzida no município, apenas 19 699 mil reais é referente ao que é gerado pela agricultura e pela agropecuária,[72] enquanto que em 2010, 5,86% da população economicamente ativa do município estava ocupada no setor.[47] De acordo com o censo pecuário, em 2012 o município contava com aproximadamente 23 250 bovinos, 150 bubalinos, 5 500 caprinos, 460 asininos, 1 850 equinos, 820 muares e 4 200 ovinos. Contava também com 344 810 aves (galos, frangas, frangos e pintos), 276 888 galinhas, com a produção de 6 142 ovos de galinha. 2 950 vacas foram ordenhadas, das quais foram extraídos 2 360 litros de leite. Também foram produzidos 3 250 quilos de mel de abelha. Havia também 2 950 suínos.[73]

Produção de banana, abacate e milho (2012)[74]
Produto Área colhida (hectares) Produção (tonelada)
Banana 120 360
Abacate 4 12
Milho 950 10

Na lavoura temporária, os destaques foram a produção de macaxeira (700 toneladas e 100 hectares cultivados), tomate (250 toneladas produzidas e 8 hectares cultivados), a batata-doce (130 toneladas e 20 hectares plantados), a cana-de-açúcar (23.333 quilogramas por hectare e 3 hectares cultivados), o milho (10 toneladas, com 950 hectares plantados e 250 colhidos), e o feijão (6 toneladas e 620 hectares plantados e 120 hectares colhidos).[75] Já na lavoura permanente, foram obtidos os seguintes resultados: banana (360 toneladas e 120 hectares cultivados), abacate (12 toneladas e 4 hectares plantados), laranja (8 toneladas e 3 hectares plantados), manga (30 toneladas e 8 hectares cultivados), mamão (9 toneladas e 3 hectares), coco-da-baía (15 mil frutos e 5 hectares) e castanha-de-caju (4 toneladas e 30 hectares).[74]

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

Em 2011, a indústria representou a segunda maior atividade econômica de Caruaru. Cerca de 497 573 mil reais do produto interno bruto eram do valor adicionado bruto do setor secundário[69] e em 2010, 0,11% dos trabalhadores do município estavam ocupados no setor industrial extrativo e 22,51% na indústria de transformação.[47] A cidade tem destaque para a produção têxtil, concentrando cerca de 12 mil fábricas do gênero, 30 mil pontos de venda e gerando 140 mil empregos direitos e indiretos.[74] No começo de 2014, a indústria do município era composta por dois módulos, sendo o módulo I instalado às margens da BR-232 e o módulo II instalado na estrada de acesso ao Alto do Moura.[76]

A prefeitura planeja instalar mais dois módulos, o módulo III (63,24 hectares e 97 lotes) e o IV (35,5 hectares e 50 lotes), este último será direcionado apenas à produção têxtil. O Polo de Desenvolvimento Sustentável do Agreste (PDSA) possui 111 indústrias em funcionamento, entre empresas e central de distribuição, que gera aproximadamente 5 mil empregos diretos.[76]

Em maio de 2014 o então governador, João Lyra Neto, anunciou que Caruaru sediará o segundo Porto Digital do estado, o "Armazém da Criatividade". O pólo funcionará no Espaço Cultural Tancredo Neves, contando com núcleos de criação, prototipação e editorial, com o objetivo de impulsionar o desenvolvimento de softwares e da economia criativa no município, semelhante ao que acontece em Recife. O galpão onde o projeto será instalado contará com laboratórios, sala de treinamento, incubadoras, estúdio de fotografia, showroom e coworking, além de um núcleo empresarial, dispondo de salas comerciais destinadas à instalação de novos empreendimentos. O pólo será direcionado principalmente à área da moda, design gráfico e inovação. O governo pernambucano previu a inauguração do espaço para novembro de 2014.[77]

Setor terciário[editar | editar código-fonte]

Shopping Difusora, centro comercial situado na região central da cidade.

Em 2010, 5,98% da população ocupada estava empregada no setor de construção, 0,89% nos setores de utilidade pública, 23,04% no comércio e 35,74% no setor de serviços[47] e em 2011, 2 421 315 mil reais do PIB municipal eram do valor adicionado bruto do setor terciário, sendo o mais representativo na economia caruaruense,[69] com cerca de 82,4% das riquezas produzidas anualmente.[11] A cidade possui a maior feira ao ar livre do país, a Feira de Caruaru. Na feira são vendidos produtos das mais variadas naturezas, desde frutas, verduras, cereais, ervas medicinais, carnes, bem como produtos manufaturados como roupas, calçados, bolsas, panelas e outros utensílios para cozinha, móveis, animais, ferragens, miudezas, rádios, artigos eletrônicos e importados.[15] Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, aproximadamente 21 918 pessoas trabalham no comércio da cidade e cerca de 20 181 pessoas trabalham em uma atividade de prestação de serviços.[11]

No ano de 2014, a cidade possuía dois shopping centers. O North Shopping Caruaru foi inaugurado em 1997 e possui uma área com 26.120 metros quadrados de área bruta locável e 32 441 de área construída, contando com 2 000 vagas de estacionamento. Seu fluxo mensal é de 700 mil pessoas. Dispõe de um mix de lojas, serviços, educação e lazer, formado por quatro lojas âncoras (Hiper Bompreço, C&A, Lojas Americanas e Lojas Marisa), e mais de noventa lojas satélites entre marcas nacionais e regionais (Arezzo, Esposende Calçados e Esportes (Grupo Paquetá), Sueldo's, Chinatown, O Boticário, ADJI, Oi, TIM, Viasports, PUC, Hering Store, Livraria Nobel, Chilli Beans) e adesão dos empresários locais, Praça de Alimentação, Play Park, e a FAVIP (Faculdade do Vale do Ipojuca) com mais de cinco mil alunos, ademais do Complexo de Cinema numa área de 1.800 metros quadrados com capacidade para 800 lugares em formato stadium, telas anguladas e som dolby digital.[78]

Situado no bairro Maurício de Nassau, no centro de Caruaru, o Shopping Difusora, localizado na Avenida Agamenon Magalhães, próximo a agências bancárias, ao pólo estudantil, consultórios médicos e empresas. Por trás da localização facilitada está uma mistura atrativa de lojas, serviços, lazer, gastronomia e eventos. Possui 110 lojas, divididas em vários segmentos. O Shopping dispõe de um teatro, com capacidade para 400 pessoas, climatizado e com acústica. Além disso, faz parte do complexo o Empresarial Difusora com trezentos salas comerciais e que gera um grande fluxo de consumidores ao centro comercial. O Shopping também conta com grandes rampas de acesso ao estacionamento 100% coberto para mais de 700 veículos e dois elevadores com visão panorâmica.[79]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Em 2009, o município possuía 176 estabelecimentos de saúde, entre eles hospitais, pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos, sendo 90 estabelecimentos privados e 86 estabelecimentos públicos.[80] Nessas unidades a cidade possuía 627 leitos de internação, estando 207 nos estabelecimentos públicos e 585 leitos nos estabelecimentos privados.[80] Em 2012, 98,5% das crianças menores de 1 ano de idade estavam com a carteira de vacinação em dia.[81] Em 2011, foram registrados 5 458 nascidos vivos, sendo que o índice de mortalidade infantil neste ano foi de 16,1 óbitos de crianças menores de cinco anos de idade a cada mil nascidos vivos.[81] Em 2010, 7,92% das mulheres de 10 a 17 anos tiveram filhos, sendo 0,18% delas entre 10 e 14 anos e a taxa de atividade nesta faixa etária de 7,59%.[47] 67 796 crianças foram pesadas pelo Programa Saúde da Família em 2012, sendo que 1,2% delas estava desnutrida.[53] Também em 2010, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da longevidade em Caruaru era de 0,799.[48] Segundo dados do Ministério da Saúde, 665 casos de AIDS foram registrados em Caruaru entre 1990 e 2012 e, entre 2001 e 2011, foram notificados 13 002 casos de dengue, 105 de leishmaniose e cinco de malária.[82]

A rede municipal de serviço de saúde de Caruaru contava, em 2013, com aproximadamente 46 Unidades de Saúde da Família (USF), sendo 15 delas localizados na zona rural, em todos os distritos integrantes do município, e as 28 restantes dentro do perímetro urbano. Possuía seis centros de saúde, todos no distrito-sede. Detém três hospitais regionais, uma policlínica, dois hospitais, uma central do Samu e uma unidade de pronto atendimento (UPA) 24 horas, além de quatro hospitais privados.[83] A Secretaria de Saúde de Caruaru é a competente por planejar e executar a política municipal de saúde pública, juntamente ao SUS e outros órgãos estaduais e federais.[84]

Educação[editar | editar código-fonte]

UFPE Centro Acadêmico do Agreste.
Indicadores

Na área da educação, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) médio entre as escolas públicas de Caruaru era, no ano de 2011, de 3,7 (numa escala de avaliação que vai de nota 1 à 10), sendo que a nota obtida por alunos do 5º ano (antiga 4ª série) foi de 4,3 e do 9º ano (antiga 8ª série) foi de 3,2; o valor das escolas públicas de todo o Brasil era de 4,0.[85] O valor do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da educação era de 0,569 no ano de 2010.[48]

Em 2010, 5,09% das crianças com faixa etária entre seis e quatorze anos não estavam cursando o ensino fundamental.[47] A taxa de conclusão, entre jovens de 15 a 17 anos, era de 38,0% e o percentual de alfabetização de jovens e adolescentes entre 15 e 24 anos era de 95,0%. A distorção idade-série entre alunos do ensino fundamental, ou seja, com com idade superior à recomendada, era de 21,3% para os anos iniciais e 32,7% nos anos finais e, no ensino médio, a defasagem chegava a 37,6%.[85] Dentre os habitantes de 18 anos ou mais, 46,81% tinham completado o ensino fundamental e 30,94% o ensino médio, sendo que a população tinha em média 8,89 anos esperados de estudo.[47]

Rede de ensino

Em 2010, de acordo com dados da amostra do censo demográfico, da população total, 93 954 habitantes frequentavam creches e/ou escolas. Desse total, 2 645 frequentavam creches, 9 195 estavam no ensino pré-escolar, 5 320 na classe de alfabetização, 1 073 na alfabetização de jovens e adultos, 47 759 no ensino fundamental, 12 632 no ensino médio, 3 973 na educação de jovens e adultos do ensino fundamental, 3 221 na educação de jovens e adultos do ensino médio, 498 na especialização de nível superior, 7 515 em cursos superiores de graduação, 114 em mestrado e nove em doutorado. 220 958 pessoas não frequentavam unidades escolares, sendo que 37 170 nunca haviam frequentado e 183 788 haviam frequentado alguma vez.[86] O município contava, em 2012, com 71 984 matrículas nas instituições de ensino da cidade, sendo que dentre as 209 escolas que ofereciam ensino fundamental, 19 pertenciam à rede pública estadual, 116 à rede municipal e 74 às redes particulares. Dentre as instituições de ensino médio, 17 pertenciam à rede pública estadual e 18 eram escolas privadas.[87]

Educação de Caruaru em números (2012)[87]
Nível Matrículas Docentes Escolas (total)
Ensino pré-escolar 7 301 331 139
Ensino fundamental 51 099 2 149 209
Ensino médio 13 584 678 35
Ensino superior
Universidade de Pernambuco (UPE) - Faculdade de Ciências e Tecnologia de Caruaru (FACITEC).

Caruaru dispõe de campi das duas principais universidades do estado, a Universidade de Pernambuco (UPE)[88] , com os cursos de Sistema de Informação e Administração (com ênfase em marketing da moda) e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), oferecendo cursos de graduação em diversas áreas, como Pedagogia, Administração, Design, Engenharia Civil, Ciências Econômicas, Engenharia de Produção e Licenciaturas em Física, Química e Matemática.[89] Além disso, a cidade sedia diversas faculdades privadas, como Associação Caruaruense de Ensino Superior (ASCES)[90] , a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caruaru (FAFICA)[91] , a Faculdade do Vale do Ipojuca (FAVIP)[92] e a Faculdade Maurício de Nassau (UNINASSAU).[93] Estas instituições de ensino superior fazem de Caruaru um pólo estudantil, atraindo todos os anos um grande número de estudantes oriundos das cidades e estados vizinhos, transferindo-se para o município ou viajando diariamente.[13]

Segurança pública e criminalidade[editar | editar código-fonte]

Como de forma quase generalizada no estado de Pernambuco, a violência também está muito presente em Caruaru.[94] No ano de 2012, a taxa de Crime Violento Letal e Intencional (CVLI) a cada 100 000 habitantes foi de 39,60, sendo o 58° do ranking dos municípios mais violentos do estado.[95] Em 2008, o número de suicídios registrados foi de 27 casos, tendo um índice de 9,2 suicídios a cada 100.000 habitantes, sendo o 427° do ranking nacional e o 11° na colocação do ranking estadual.[96] Com relação ao número de acidentes de trabalho registrado no ano de 2008, foram registrados cerca de 108 casos, um índice de 36,7 a cada cem mil habitantes, estando na 313° colocação no ranking nacional e na 3° posição do ranking estadual.[97]

O programa Pacto pela Vida foi criado pelo Governo do Estado de Pernambuco em 2007, quando o estado possuía uma das maiores taxas de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) a cada cem mil habitantes do país. Em 2007, o estado possuía uma taxa de CVLI de 55,0 a cada 100.000 habitantes.[98] Após a criação do Pacto pela Vida, foi pactuada ações junto à sociedade e em articulação permanente com o Poder Judiciário, o Ministério Público, a Assembleia Legislativa, os municípios e a União.[99] Em abril de 2013, o índice de CVLI havia caído e chegado aos 35,0, com uma redução de 20,0 mortes no índice. Em Caruaru, o número de homicídios a cada 100.000 habitantes no ano de 2007 foi de 15,9,[100] já no segundo semestre de 2013, o número registrado foi de 8,38 homicídios.[101]

A cidade possui a Penitenciária Juiz Plácido de Souza, que se localiza no bairro Vassoural, na zona sul de Caruaru, fazendo parte do sistema prisional de Pernambuco, juntamente com outras 17 penitenciários espalhadas por todo estado.[102] Totaliza 350 vagas, no entanto, comporta 1 498 presos, em números de agosto de 2013. A penitenciária abriga uma quantidade 10 vezes superior ao número de presidiários suportado.[103] A unidade conta com um projeto de ressocialização, que atende 60% dos presos, a qualificação vai desde cursos de alfabetização, capacitação profissional e ensino supletivo, até produção de artesanato, confecção de roupas e prática esportiva.[104]

Habitação, serviços e comunicação[editar | editar código-fonte]

Primeiras luzes do anoitecer.

No ano de 2010, segundo o IBGE, a cidade tinha 96 304 domicílios particulares permanentes, sendo 86 795 casas, 8 728 apartamentos, 397 casas de vilas ou em condomínios e 384 casas de cômodo ou cortiços. Desse total dos domicílios particulares, 66 524 eram próprios, sendo 64 103 próprios já quitados, 2 421 em fase de aquisição e 24 973 alugados. 548 domicílios foram cedidos por um empregador e 3,984 em outra forma. 275 residências foram ocupadas de outra maneira. A maior parte do município dispõe de água tratada, limpeza urbana, esgoto, energia elétrica, telefonia fixa e móvel. No mesmo ano da pesquisa, 85 522 domicílios eram abastecidos por água tratada ligados à rede geral; 95 964 possuíam acesso à energia elétrica direito pela distribuidora geral; 91 993 recebiam o serviço de coleta de lixo e 92 289 tinham banheiro de uso exclusivo da residência.[105]

A empresa competente por coletar e tratar o esgoto, além de abastecer o município de Caruaru e todo estado de Pernambuco é a Companhia Pernambucana de Saneamento, a Compesa. No final de 2012, os municípios do vale do rio Ipojuca receberam um importante investimento de US$ 200 milhões, oriundos de empréstimo feito pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) ao governo pernambucano. O investimento será destinado em 80% para as obras de saneamento básico, já que a principal fonte de poluição do rio é o despejo de esgoto, os 20% restantes dos recursos serão destinados às campanhas educativas. Em 2013, segundo uma pequisa realizada pelo Instituto Trata Brasil, Caruaru tinha um dos piores índices de coleta e de tratamento de esgoto do estado, coletando apenas 40% das águas residuais e tratando somente 20%. Porém, com o investimento feito pelo governo estadual, espera-se que a cidade tenha índices próximos a 100% já em 2019, com o fim das obras de saneamento ambiental do Ipojuca, que hoje é considerado o terceiro rio mais poluído do Brasil.[106] [107]

A empresa responsável pelo abastecimento elétrico de Caruaru é a Companhia Energética de Pernambuco, a Celpe, que também abastece os 184 municípios pernambucanos, e o município de Pedras de Fogo, no estado da Paraíba.[108] Cerca de 99,7% dos domicílios de Caruaru recebem o serviço de abastecimento elétrico.[105] Ainda conta-se com os serviços de internet discada e de banda larga (ADSL) sendo disponibilizados por diversos provedores de acesso gratuitos e pagos. O serviço telefônico móvel, por telefone celular, é oferecido por diversas operadoras. O código de DDD de Caruaru é 081 e o Código Postal vai de 55000-001 a 55099-999, segundos os Correios.[109]

Há vários canais nas faixas Very High Frequency (VHF) e Ultra High Frequency (UHF), sendo alguns dos principais com emissoras afiliadas na própria cidade, como a TV Jornal Caruaru (afiliada ao SBT).[110] Caruaru também sedia a TV Asa Branca, afiliada da Rede Globo no agreste pernambucano, fundada em 1° de agosto de 1991. Na TV Asa Branca é transmitido os telejornais ABTV 1° e 2° edições. Grande parte do interior do estado recebe sinal da emissora, entretanto, apenas Caruaru recebe o sinal digital.[111] O município também possui jornais em circulação, sendo alguns tradicionais: "Diário de Pernambuco", "Jornal Extra de Pernambuco", "Jornal do Commercio", "Tribuna de Pernambuco" e "Vanguarda".[112]



Transportes[editar | editar código-fonte]

Aeroviário
Aeroporto Oscar Laranjeiras.

O terminal aeroviário mais próximo à cidade é o Aeroporto Internacional do Recife, conhecido também pelos nomes de Guararapes e Gilberto Freire, estando localizado no bairro da Imbiribeira, na zona sul do Recife, a cerca de 138 km do centro de Caruaru, tendo como principal rodovia de acesso a BR-232. O aeroporto da capital pernambucana, que atende a maioria dos municípios do leste do estado, como as mesorregiões de zona da mata e agreste, possui a melhor infraestrutura, a maior pista de pousos e decolagens, maior espaço físico e o mais avançado tecnologicamente da norte/nordeste.[114] O aeroporto de Recife ainda é considerado o mais eficiente do país e o segundo da América do Sul, somente atrás do Aeroporto Internacional José Joaquín de Olmedo, em Guaiaquil, capital do Equador.[115]

Caruaru ainda poderia contar com o seu próprio aeroporto, o Oscar Laranjeiras, na zona oeste da cidade, no entanto, o mesmo encontrava-se fechado para reformas no primeiro trimestre de 2014. A última companhia a operar no terminal de passageiros da cidade foi a NOAR Linhas Aéreas, que foi a primeira companhia aérea fundada no nordeste e sediada em solo caruaruense, entretanto, após a tragédia aérea ocorrida no dia 13 de julho de 2011, em Recife, a empresa está impedida de funcionar pelo menos até a conclusão das investigações.[116] [117] Em 2012, a presidente da República, Dilma Rousseff, anunciou um pacote de recursos destinados ao setor aéreo, sendo a região nordeste a recebedora da maior parte desses recursos, o aeroporto de Caruaru foi contemplado, junto a maioria dos aeroportos estaduais, com investimentos e construção de novos terminais, porém, ainda no início de 2014 nada havia sido planejado.[118] [119]

Ferroviária e metroviária

Havia planos de que terras do município fossem cortadas pela ferrovia Transnordestina, que ligará o Porto de Suape, no município de Ipojuca (litoral sul do estado), ao município de Eliseu Martins, localizado no cerrado piauiense. Ainda haverá outra linha ligando a cidade de Salgueiro (sertão central) ao Terminal Portuário do Pecém, na cidade de São Gonçalo do Amarante, no Ceará. Porém, em 2009, um novo mapa foi apresentado e o novo traçado da ferrovia não cruzava em seu território municipal, passando a atravessar uma parte da Mata Sul do estado.[120] A cidade conserva a linha férrea da Great Western, construída por ingleses no ano de 1896 e servia com o principal objetivo de escoar a produção do município para a cidade do Recife. Seus principais produtos de exportação eram: feijão, couro, algodão e queijo, além de realizarem uma das maiores feiras de gado da região.[27]

Rodoviário
Ônibus estacionados na rodoviária da cidade.

O terminal de passageiros da cidade está situado no bairro Caiuca e está parcialmente adaptado para receber portadores de necessidades especiais. Além de possuir uma estrutura básica, com sanitários masculinos e femininos, sendo este último dotado de fraldário, serviço de táxi funcionando 24 horas por dia, 7 telefones públicos, que estão localizados na entrada da rodoviária e ao lado dos banheiros. São as principais viações que operam no terminal: Borborema, Caruaruense, Guanabara, Itapemirim, Jotude, Penha, Princesa do Agreste, Progresso e São Geraldo/Gontijo.[121]

Caruaru está bem localizado em relação à disposição de rodovias, que ligam o município à cidades vizinhas, com a capital estadual, assim também como outras capitais da Região Nordeste do Brasil. As principais ligações com a cidade são feitas pelas rodovias BR-104 e BR-232. A primeira tendo início na cidade de Macau, no Rio Grande do Norte, e tendo fim na capital alagoana, Maceió. É duplicada em 86 km, entre as cidades de Agrestina e Toritama. Já a segunda rodovia, a BR-232, tem seu início na região central de Recife e seu término no município de Parnamirim, no sertão pernambucano. Seu trecho entre a capital pernambucana e São Caetano é duplicado. Ainda conta-se com a estrada PE-095, que liga à cidade de Limoeiro e a PE-145, que liga ao município de Brejo da Madre de Deus.[122]

Urbano
Ônibus da linha Vila Andorinha da empresa Bahia.

A Destra é a autarquia municipal de defesa social, trânsito e transportes responsável pela planejamento, disciplinamento, controle e fiscalização do trânsito, além do planejamento, organização, execução, fiscalização, avaliação e comando dos serviços de transporte público, tal como a segurança do cidadão e do patrimônio municipal, ações de defesa social, e a execuções de ações de defesa civil permanentes contra desastres naturais, antropogênicos e mistos.[123] A cidade possui várias viações que realizam o transporte de milhares de passageiros diariamente, algumas das principais são: Tabosa, Bahia, Coletivo, Caruaruense, Capital do Agreste, Visconde e São Cristóvão.[124]

No início de 2014, os vereadores da Câmara Municipal de Caruaru aprovaram o projeto que inclui o sistema BRT (Bus Rapid Transit) em Caruaru, visando melhorar a mobilidade urbana, especialmente na região central da cidade.[125] O projeto prevê a construção de um corredor exclusivo de ônibus, tendo semelhança a um sistema de metrô, dispondo de acessibilidade a idosos e deficientes físicos, além de possuir ambientes climatizados e apresentando um sistema menos poluente que o atual. Sendo de suma importância para a cidade, com o novo sistema será criado um corredor exclusivo de transporte público iniciado no bairro da Cohab 3 e finalizado no Alto do Moura, além de vir acompanhado de uma ciclovia e 500 ruas asfaltadas e saneadas, com o principal propósito de melhorar a mobilidade urbana em toda cidade.[126]

Em 2012 a frota municipal era de 120 074 veículos, sendo 50 120 automóveis, 4,088 caminhões, 534 caminhões tratores, 6 866 caminhonetes, 2 645 caminhonetas, 697 micro-ônibus, 41 631 motocicletas, 9 934 motonetas, 509 ônibus, 9 tratores de roda e 2 571 outros tipos de veículos.[127]

Cultura[editar | editar código-fonte]

A responsável pelo setor cultural da cidade de Caruaru é a Fundação de Cultura e Turismo de Caruaru, que é o órgão competente por planejar e efetivar políticas de cunho cultural, em todas as suas dimensões e expressões, e tem como principal objetivo o apoio, a preservação e a difusão dos elementos que formam a identidade cultural, além de buscar incentivar o turismo no município. A FCTC ainda é responsável por zelar e preservar o patrimônio artístico e históricos de Caruaru.[128]

A Secretaria de Educação, Esportes, Juventude, Ciência e Tecnologia é a responsável por planejar e efetivar atividades que envolvam alunos e professores e todos os colaboradores da rede de ensino pública municipal. A inclusão dos educandos se dá pela matrícula estabelecida numa instituição de ensino, a secretaria tem obrigação de englobá-los em projetos pedagógicos, esportivos e culturais.[129]

Personalidades[editar | editar código-fonte]

Casa-museu do Mestre Vitalino.

Caruaru é terra de alguns dos maiores nomes da música, cinema, jornalismo e arte do estado de Pernambuco, sendo alguns deles de destaque nacional e internacional. Tais personalidades como: Petrúcio Amorim, cantor e compositor nascido e criado no bairro do Vassoural que é atualmente um dos artistas mais respeitados e difundidos da região nordeste;[130] Prazeres Barbosa, atriz global que foi mecena das artes cênicas de Ariano Suassuna e João Cabral de Melo Neto, sendo uma das atrizes mais conhecidas e premiadas em Pernambuco, recebendo, inclusive, uma estátua em sua homenagem;[131] Álvaro Lins, um advogado, jornalista, professor e crítico literário que passou a ocupar a cadeira 17 da Academia Brasileira de Letras em 5 de abril de 1955, após a morte do escritor Edgar Roquette-Pinto;[132] Vitalino Pereira dos Santos, ou simplesmente Mestre Vitalino, foi um artesão responsável por criar e divulgar por todo o mundo o artesanato de barro que retrata os aspectos da vida cotidiana dos habitantes da zona rural do interior pernambucano, suas obras ganharam o mundo e representou o município na exposição Arte Primitiva e Moderna Brasileiras em 1955, na cidade de Neuchâtel, na Suíça.[16] A cidade também se tornou conhecida pela Banda de Pífanos de Caruaru, que foi formada há 86 anos, em 1924, por Manoel Clarindo Biano e Benedito Clarindo Biano.[133]

Além das personalidades citadas anteriormente, a cidade ainda se destacou por ter um dos seus cidadãos conhecido nacionalmente por meio da internet. Através do Youtube, várias personalidades anônimas ficaram famosas, como as entrevistas de bêbados realizadas pelo repórter Givanildo Silveira no programa de TV Sem Meias Palavras.[134] Com mais de 10 milhões de visualizações, Jeremias José do Nascimento, morador do bairro do Salgado, foi destaque no site de publicação de vídeos após ser preso enquanto estava conduzindo embriagado uma moto na rua Guararapes.[134]

Artes cênicas e eventos[editar | editar código-fonte]

Espaço Cultural Tancredo Neves.

A cidade possui três teatros: o Teatro João Lyra Filho, Teatro Rui Limeira Rosal[135] e o Teatro Difusora,[136] sendo todos eles administrados por iniciativa privada, sendo o último, o Difusora, parte do shopping homônimo, que se localiza na região central da cidade. Em 2011, o deputado Ricardo Costa reivindicou e apresentou um projeto de construção de um teatro estadual no município, que foi, inclusive, aprovado pela Assembleia Legislativa de Pernambuco. Entretanto, sua criação divide opiniões, já que muitos defendem a reforma e ampliação do Teatro João Lyra Filho, que, apesar de receber receber boa parte das atividades culturais da cidade, não é uma instituição pública, já que pertence à família do vice-governador do Estado de Pernambuco, João Lyra Neto. Por conta disso, o governo estadual não possui qualquer vínculo com a organização do espaço.

Caruaru sedia frequentemente o FETEAG – Festival de Teatro do Agreste, que é realizado pelo grupo Teatro Experimental de Arte (TEA), contando com o apoio do Funcultura/Governo do Estado de Pernambuco e apoio da Caixa econômica Federal e do Sesc. Após vários anos da criação do festival, ele se consolidou como o principal projeto da formação de artes cênicas no interior pernambucano e um dos mais importantes do país. Tendo como principal objetivo estimular crianças e jovens ao estudo e a prática do teatro das unidades de ensino, difundindo talentos descobertos anualmente, entre atores e técnicos. A distribuição das entradas das apresentações são sempre feitas sem fins lucrativos.[137]

Apesar de não ser um dos pontos fortes da cidade, Caruaru possui alguns blocos de Carnaval que desfilam por suas ruas centrais fazendo prévia do carnaval de Recife e Olinda. O principal bloco carnavalesco é realizado por Byron Lasserre, proprietário do Bar Confraria do Sucata, na rua João Condé, no centro.[138] Em 15 de novembro se comemora a festa da padroeira do município, Nossa Senhora das Dores, a homenagem é feita com missas, procissões e shows religiosos e artísticos. A festa é realizada na Igreja Matriz, que é dedicada à santa.[139]

Atrativos[editar | editar código-fonte]

Museus
Pórtico do Alto do Moura.

O Alto do Moura é um bairro localizado a 7 km do centro de Caruaru, foi e ainda é morada de diversos artesãos conhecidos internacionalmente. Atualmente é um maiores e significativos centro das artes figurativas das Américas. Lá pode-se encontrar os museus e ateliês de vários artesãos, além de bares e restaurantes de culinária regional e, de acordo com o calendário regional de eventos, pólos de diversas atrações culturais. O bairro ainda possui um morador ilustre, Manuel Eudócio, que recebeu o titulo de Patrimônio Vivo de Pernambuco, pela Fundarpe.[140]

A cidade possui vários museus, que contam aos seus visitantes um pouco da história do município e das obras feitas pelos filhos mais notáveis de Caruaru, que estabeleceram na região um grande pólo cultural. Um de seus museus mais famosos, o Museu do Barro Espaço Zé Caboclo, anexo ao Espaço Cultural Tancredo Neves, disponibiliza aos turistas a vitrine cultural regional, com salas temáticas, sendo elas dedicadas a Luiz Gonzaga; São João e artistas caruaruenses; Elba Ramalho; Mestre Vitalino e família; Artesãos do Alto do Moura, com a exposição de artefatos de barros da arte figurativa, decorativa e utilitário-decorativa; Abelardo Rodrigues, acervo de arte em barro e a Pinacoteca Luísa Maciel, com quadros que exibem recortes da cultural popular. Além de possuir uma sala de exposições temporárias.[140] [141] Também anexo ao espaço cultural do município, está o Museu da Fábrica de Caroá, que foi uma das industrias que impulsionaram a economia da cidade, nela é possível encontrar painéis que contam a sua história desde a fundação, em 1935, feita por José Vasconcelos, até seu funcionamento pleno, o acervo ainda dispõe de todos os maquinários usados na produção da fibra, como: metradeira, fiadeira, teste de resistência do fio, carretilhas, bobinas e depósitos de couro para guardar os carretéis. Ainda na antiga fábrica, há os velhos mobiliários da sala do presidente, relógio-ponto, telefone e a máquina de datilografia. Ainda, as amostra da planta caroá e da fibra.[140] [142]

Imagem de Mestre Vitalino no pórtico.

Na região central da cidade, pode-se encontrar o Memorial da Cidade de Caruaru, que foi, a princípio, construído para funcionar como um mercado de farinha, porém, a feira da cidade foi transferida da rua onde esta se situa para o Parque 18 de Maio, então o prédio perdeu sua função original, se tornando em 1992 o Memorial da Feira. Em 2009, o local foi restaurado, estruturado e reaberto ao público com a ampliação do seu acervo, que agora conta com painéis que mostram um pouco sobre a história política, social, cultural, religiosa, econômica e esportiva do município.[140] [143] A Casa-Museu Mestre Vitalino, situada no Alto do Moura, foi a última residência do mais famoso artesão caruaruense, podendo encontrar no local réplicas das suas principais obras, utensílios domésticos que pertenceram à sua família e fotografias que destacam os principais marcos de sua vida artística. O espaço é administrado por um dos seus filhos, Severino Vitalino, que assim como seu pai, ganha a vida com o barro. Lá ainda é possível conhecer as etapas de produção do artesanato.[140] [144] No mesmo bairro ainda se pode contar com o Museu de Mestre Galdino, que detém grande parte das suas peças e poesias originais, com fotografias e textos que expõem a vida pessoal do contemporâneo de Mestre Vitalino, que se evidenciou por suas obras surrealistas.[140] [145]

Feira de Caruaru

A feira se situa no bairro de Nossa Senhora das Dores, no centro econômico da cidade. Realiza-se nas quartas-feiras e sábados uma das maiores feiras livres de grande importância econômica e cultural do Nordeste. A feira passou a existir há mais de 200 anos e sua origem está intimamente ligado com a da cidade. O local era ponto de parada para vaqueiros que conduziam o gado do interior para o litoral do estado e de mascates que faziam o caminho contrário. A feira acontece aos sábados, entretanto, sua montagem tem início no dia anterior, pela tarde, assim que começam a chegar os primeiros comerciantes, com seus produtos para vender. Chegam usando os mais diferentes tipos de condução: jumento, carroça, velhos caminhões, camionetas, bicicletas, carros de boi e também carros. Por sua diversidade, hoje a feira de Caruaru movimenta a cidade quase todos os dias da semana.[140] [146]

No ano de 1992, foi transferida do Largo da Igreja da Conceição para o Parque 18 de Maio, também situado na parte central da cidade. Milhares de barracas coloridas espalham-se por mais de dois quilômetros nas ruas da cidade, comercializando uma grande variedade de produtos, principalmente objetos do artesanato popular: chapéus de palha, de couro e tecido, cestas, objetos de barro e cerâmica, brinquedos populares, gaiolas. A feira possui setores onde se vende frutas, verduras, cereais, ervas medicinais, carnes, assim como outros onde se pode encontrar roupas, calçados, bolsas, panelas e outros utensílios para cozinha, móveis, animais, ferragens, miudezas, rádios, artigos eletrônicos importados e muitos outros. Há um setor denominado troca-troca, onde nada se vende, tudo se troca: bicicletas, rádios, relógios, roupas, carteiras, instrumentos musicais, etc, que são negociados após muita pechincha. Deficientes visuais tocam sanfona, violeiros e cantadores lançam seus desafios e os vendedores de literatura de cordel fazem suas propagandas através de um alto-falante.[15] [147]

Grupos musicais e bandas de pífanos também são encontradas no meio da feira. Lá, misturado de comércio, festa e arte popular, que os artistas anônimos expandem uma cultura nordestina. A feira de Caruaru tem muitas características que, não obstantes sejam muito corriqueiras para os habitantes da cidade, surgem como um bonito exotismo para os visitantes. É um ponto de encontro de artistas, poetas, boêmios e turistas de todos as regiões do país e do exterior, que se juntam à população, superlotando as barracas, compondo-se também, uma considerada fonte de renda para o município de Caruaru. O baião de Onildo Almeida, cantado por Luiz Gonzaga é um resumo bastante conhecido sobre o que se resume ser a Feira de Caruaru.[148] [149] Em 2006, a feira recebeu título de Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.[15]

São João

A cidade é detentora da maior festa junina do mundo, com mais de 1,5 milhões de visitantes. Por conta do número de visitantes obtido, a festa ganhou o registro do Guinness World Records como a maior festa country regional ao ar livre do mundo.[150] O título não deve ser confundido com o tema das festas juninas da cidade de Campina Grande, que é "O Maior São João do Mundo", que apesar de o tema sugerir tal interpretação, o título pertence a Caruaru.[151]

Desde o meados do século XIX, as festas juninas de Caruaru já era atração procurada por pessoas das vizinhanças e até do Recife. Eram festejos organizados em domínios rurais particulares, com fogueiras, balões, fogos de artifício, quadrilhas juninas, barracas de canjica, pamonha, milho e animação. Na década de 1950, uma feira de fogos, dos mais variados tipos, característicos do Nordeste, com buscapés, rojões, bombas, vulcões, pistolões, foguetes, traques de massa, estrelinhas, girândolas, fazia o entretenimento de pessoas de todas as idade. Os fogos de artifício, que hoje são usados nos festejos, foram trazidos para o país através dos imigrantes portugueses e espanhóis que, por sua vez, os conheceram dos chineses e dos árabes.[140] [152]

Com muitos anos de tradição em festas juninas, o São João de Caruaru é realizado, desde 1994, no Pátio de Eventos Luiz Gonzaga, um complexo com 41.500 m², que acomoda a Fundação de Cultura de Caruaru, os Museus do Barro e do Forró, um pavilhão para exposições temporárias, a Secretaria Municipal de Turismo do município, um palco destinado à shows e a Vila do Forró, onde é reproduzida uma típica vila do interior com uma pequena igreja, prefeitura, mercearia, postos de serviços bancários e de correios, construídos em alvenaria.[153]

Durante os festejos, que se destacam pela animação e grandiosidade, chegando a atrair mais de um milhão e meio de turistas, o visitante pode assistir apresentações de bacamarteiros e bandas de pífano, shows de artistas consagrados como Alceu Valença, Dominguinhos, Elba Ramalho, Gilberto Gil, Zé Ramalho, Nando Cordel e de diversos forrozeiros de todo país, degustar a culinária da região e dançar o forró pé-de-serra nordestino.[154]

As comidas e bebidas em grande dimensão também entram nas grandes atrações da festa, sendo oferecidas em dias anteriormente marcados: o maior chocolate quente, o maior quentão, a maior pipoca do forró, a maior pamonha, o maior cuscuz, o bolo de milho gigante, o maior pé-de-moleque, o maior arroz doce, a canjica gigante, o maior bolo de macaxeira, o maior xerém (tipo de angu) e o tradicional cozido gigante. Há também a maior fogueira de São João, construída com madeira ecológica, e posta em frente da Igreja do Convento, onde é acesa no dia 28 de junho.[155]

Com base nas quadrilhas comuns, no ano de 1989, surgiram no São João de Caruaru as Drilhas, blocos juninos parecidos aos trios elétricos do carnaval baiano. Para não haver descaracterização das tradições da festa junina, os trios só se apresentam à tarde, na Avenida Agamenon Magalhães. As mais antigas e tradicionais são a Gaydrilha, onde apenas homens participam caracterizados de matutos e matutas e outros personagens típicos e a Sapadrilha, com mulheres caracterizadas de homem, ambas surgidas em 1989. Atualmente há várias, entre as quais a Piradrilha; Diversãodrilha; Turisdrilha; Trokadrilha; a Brinkadrilha e a Nova Drilha. Em 2009, o São João de Caruaru fez homenagem ao centenário de Mestre Vitalino, famoso ceramista da cidade e, neste mesmo ano, o evento foi registrado, por proposta da Assembléia Legislativa de Pernambuco, como Patrimônio Imaterial de Pernambuco.[156]

Esportes[editar | editar código-fonte]

A cidade de Caruaru é a segunda em importância esportiva em Pernambuco. No futebol, dois clubes participam do Campeonato Pernambucano de Futebol, Central e Porto. As duas equipes fazem o conhecido nacionalmente Clássico Matuto.[157]

O Estádio Lacerdão é a principal praça esportiva da cidade, tem capacidade para 20.000 pessoas e é de propriedade do Central, mas as duas equipes fizeram um acordo em 2009 para ambas mandarem seus jogos no estádio, em troca, o Porto cederia o seu centro para o Central realizar seus treinamentos. O Lacerdão recebeu dois grandes clubes nacionais: o Palmeiras e o Vasco da Gama em partidas válidas pela Copa do Brasil de 2008 e 2009, respectivamente.[158] O Estádio Antônio Inácio de Souza é o outro estádio da cidade. É de propriedade da Liga Desportiva Caruaruense e é sede do campeonato municipal. Até 2008, recebia as partidas com mando de campo do Porto. Tem capacidade para 4.000 pessoas.[159]

Anualmente, a TV Asa Branca e alguns parceiros realizam a Copa TV Asa Branca de Futsal. O ginásio do SESC, nas proximidades do pátio da Feira da Sulanca é sede de algumas partidas que envolvem seleções de futsal de várias cidades importantes da Zona da Mata, Agreste e Sertão, como Palmares, Catende, Bezerros, Santa Cruz do Capibaribe, Belo Jardim, Garanhuns, Lajedo, Arcoverde e Serra Talhada.[160]

Outra grande praça esportiva de Caruaru é o Autódromo Internacional Ayrton Senna, que sedia anualmente uma etapa da Fórmula Truck, além de outras diversas competições. É o principal autódromo de Pernambuco. Foi fundado no dia 13 de dezembro de 1992, com 3.180 metros de pista, onde a largura varia entre 9 metros à 16 metros.[161]

Feriados[editar | editar código-fonte]

Segundo publicado no Diário Oficial Municipal, em Caruaru possui cinco feriados municipais, que em 2014 são: a Sexta-feira da Paixão, em 18 de abril; o aniversário de emancipação política do município, em 18 de maio; o dia de São João, em 24 de junho; o dia de São Pedro, em 29 de junho; e o dia de Nossa Senhora das Dores, padroeira municipal, em 15 de setembro. Além dos feriados, ainda há pontos facultativos na semana do Carnaval, entre os dias 3 de março e 5 de março (este último até às 12 horas), e no dia do servidor público, em 28 de outubro.[162]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal de Caruaru.
Portal A Wikipédia possui o
Portal de Pernambuco.

Anexos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais (19 de julho de 2013). Divisão Territorial do Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 4 de dezembro de 2013.
  2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011.
  3. a b c CNPM. Urbanização. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  4. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2013). Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data em 1º de julho de 2013. Página visitada em 9 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2013.
  5. Diagnóstico do município de Caruaru (PDF). Projeto Águas Subterrâneas. Ministério das Minas e Energia (2005). Página visitada em 1º de janeiro de 2010.
  6. a b Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). Ranking IDH-M Municípios 2010. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Página visitada em 1º de agosto de 2013. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  7. a b Produto Interno Bruto dos Municípios - 2011. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 17 de dezembro de 2013.
  8. a b IBGE. Estimativa da população - 2013. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  9. Jornal do Tempo. Climatologia de Caruaru. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  10. IBGE. Serviços de Saúde - 2009. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  11. a b c d BDE. Perfil municipal de Caruaru. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  12. IBGE. Histórico do município de Caruaru. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  13. a b c Prefeitura de Caruaru. Sobre Caruaru. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  14. NE10. Conheça os encantos do São João de Caruaru. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  15. a b c d IPHAN. Iphan tomba Elevador Lacerda e Edifício da Bolsa de Santos e registra a Feira de Caruaru. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  16. a b Itaú Cultural. Vitalino, Mestre (1909 - 1963). Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  17. Revista de História. Todos Amam Vitalino. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  18. Carlos Ferreira. Caruaru. Folha Online. Página visitada em 11 de maio de 2014. Cópia arquivada em 21 de fevereiro de 2014.
  19. Homero Fonseca. Página Pernambucânia, acessada em 1º de janeiro de 2010
  20. IBGE, Enciclopédia dos municípios Brasileiros. Rio de Janeiro. IBGE. 1958. v.3.
  21. CONDEPE/FIDEM, Calendário Oficial de Datas Históricas dos Municípios de Pernambuco. 2006. v. 3.
  22. Fonseca, Homero. Pernambucânia: o que há nos nomes das nossas cidades. Recife. Cepe. 2009.
  23. GALVÃO, Sebastião de V. Dicionário Corográfico, Histórico e Estatístico de Pernambuco. Recife: Cepe, 2006. v. 1.
  24. IBGE. Histórico do município de Caruaru. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  25. Jornal Carta Forense. O processualista Francisco de Paula. Página visitada em 1 de março de 2014. Cópia arquivada em 1 de março de 2014.
  26. JC Online. Começa duplicação da BR-232. Página visitada em 1 de março de 2014. Cópia arquivada em 5 de abril de 1998.
  27. a b Fundação Joaquim Nabuco (2012). Great Western. Página visitada em 20 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2014.
  28. JC Online. BR-232, entre Recife e Caruaru, está se deteriorando a olhos vistos. Página visitada em 1 de março de 2014. Cópia arquivada em 14 de abril de 2014.
  29. BDE. Áreas dos municípios - 2010. Página visitada em 25 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 25 de fevereiro de 2014.
  30. a b Geógrafos. Coordenadas do município de Caruaru. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  31. a b c d e f g Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM). Diagnóstico Ambiental do município de Caruaru p. 2. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  32. a b Temperatura Máxima (°C). Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Página visitada em 8 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  33. a b Temperatura Mínima (°C). Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Página visitada em 8 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  34. a b Agritempo. Dados Meteorológicos - Pernambuco. Página visitada em 11 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2014.
  35. G1 PE. Ventania provoca estragos e deixa uma pessoa ferida no Agreste. Página visitada em 11 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2014.
  36. a b Precipitação Acumulada Mensal e Anual (mm). Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Página visitada em 8 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  37. Temperatura Mínima Absoluta (°C). Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Página visitada em 8 de maio de 2014. Cópia arquivada em 8 de maio de 2014.
  38. Temperatura Máxima Absoluta (°C). Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Página visitada em 8 de maio de 2014. Cópia arquivada em 8 de maio de 2014.
  39. Número de Dias com Precipitação Maior ou Igual a 1 mm (dias). Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 8 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  40. Umidade Relativa do Ar Média Compensada (%). Instituto Nacional de Meteorologia. Página visitada em 8 de maio de 2014. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  41. Portal Caruaru. Caruaru vai contar com Secretaria Especial de Meio Ambiente. Página visitada em 25 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 25 de fevereiro de 2014.
  42. a b Wikimapia. Reserva florestal Serra dos Cavalos. Página visitada em 11 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2014.
  43. Sua Pesquisa. Vegetação - Caatinga. Página visitada em 11 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2014.
  44. Sua Pesquisa. Vegetação da Mata Atlântica. Página visitada em 11 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2014.
  45. Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (SIDRA) (2010). Tabela 200 - População residente por sexo, situação e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População. Página visitada em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 6 de abril de 2014.
  46. a b PNUD. Perfil do município de Caruaru. Página visitada em 11 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2014.
  47. a b c d e f g h Atlas do Desenvolvimento Humano (2013). Perfil - Caruaru, PE. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Página visitada em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 6 de abril de 2014.
  48. a b c d PNUD. Ranking dos municípios por IDH - 2010. Página visitada em 11 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2014.
  49. PNUD. Ranking dos Estados por IDH. Página visitada em 7 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 7 de fevereiro de 2014.
  50. Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (SIDRA) (2010). População de Caruaru por raça e cor. Página visitada em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 6 de abril de 2014.
  51. Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (SIDRA) (2010). Tabela 1505 - População residente, por naturalidade em relação ao município e à unidade da federação - Resultados Gerais da Amostra. Página visitada em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 6 de abril de 2014.
  52. Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (SIDRA) (2010). Tabela 631 - População residente, por sexo e lugar de nascimento. Página visitada em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 6 de abril de 2014.
  53. a b c Portal ODM (2012). 1 - acabar com a fome e a miséria. Página visitada em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 6 de abril de 2014.
  54. Portal ODM (2012). Perfil municipal. Página visitada em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 6 de abril de 2014.
  55. a b Portal ODM. Qualidade de vida e respeito ao meio ambiente. Página visitada em 12 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 12 de fevereiro de 2014.
  56. NE10. Morro do Bom Jesus vai virar Oásis. Será?. Página visitada em 12 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 12 de fevereiro de 2014.
  57. TV Replay. Caruaru: caça homicida prende traficante em favela. Página visitada em 12 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 12 de fevereiro de 2014.
  58. a b IBGE. População residente por cor ou raça e religião. Página visitada em 13 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 13 de fevereiro de 2014.
  59. a b IBGE. Censo demográfico 2010: resultados da amostra - religião. Página visitada em 13 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 13 de fevereiro de 2014.
  60. IBGE. História da Diocese de Caruaru. Página visitada em 13 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 13 de fevereiro de 2014.
  61. Flávio Henrique M. Lima (8 de fevereiro de 2006). O Poder Público Municipal à frente da obrigação constitucional de criação do sistema de controle interno. JusVi. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 6 de maio de 2012.
  62. Eleições de 2012 (14 de fevereiro de 2014). Candidatos a prefeito de Caruaru. Eleições de 2012. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  63. a b c Eleições de 2012 (14 de fevereiro de 2014). Vereador a prefeito de Caruaru. Eleições de 2012. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  64. Tribunal de Justiça de Pernambuco (14 de fevereiro de 2014). Comarca de Caruaru realiza mutirão na Vara do Tribunal do Júri e julga 68 processos. Tribunal de Justiça de Pernambuco. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  65. IBGE (14 de fevereiro de 2014). Eleitores por município. BDE. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  66. a b Cidade-Brasil (14 de fevereiro de 2014). Município de Caruaru. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  67. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (14 de fevereiro de 2014). Sinopse por setores. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  68. Atividades econômicas do Brasil por empregados (2012). Plataforma DataViva. Página visitada em 01 de março de 2014.
  69. a b c d IBGE (14 de fevereiro de 2014). Produto interno bruto dos municípios - 2011. Produto interno bruto dos municípios - 2011. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  70. IBGE (14 de fevereiro de 2014). Estatísticas do cadastro central de empresas - 2011. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  71. Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (SIDRA) (2010). Domicílios particulares permanentes, por classes de rendimento nominal mensal domiciliar per capita. Página visitada em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 6 de abril de 2014.
  72. IBGE (14 de fevereiro de 2014). Produto interno bruto dos municípios - 2011. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  73. IBGE (14 de fevereiro de 2014). Pecuária - 2012. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  74. a b c IBGE (14 de fevereiro de 2014). Lavoura permanente - 2012. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  75. IBGE (14 de fevereiro de 2014). Lavoura temporária - 2012. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  76. a b Folha de Pernambuco (14 de fevereiro de 2014). Quinze fábricas foram pré-selecionadas para integrar polo do Agreste, em Caruaru. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  77. Portal G1 (19 de maio de 2014). [http://g1.globo.com/pe/caruaru-regiao/noticia/2014/05/porto-digital-sera-estendido-caruaru-com-o-armazem-da-criatividade.html Porto Digital será estendido a Caruaru com o 'Armazém da Criatividade']. Página visitada em 19 de maio de 2014. Cópia arquivada em 19 de maio de 2014.
  78. North Shopping Caruaru (14 de fevereiro de 2014). Ficha técnica. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  79. Difusora Shopping (14 de fevereiro de 2014). Estrutura. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  80. a b IBGE (15 de fevereiro de 2014). Serviços de Saúde 2009. Página visitada em 15 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 15 de fevereiro de 2014.
  81. a b Portal ODM (2012). 4 - reduzir a mortalidade infantil. Página visitada em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 6 de abril de 2014.
  82. Portal ODM. 6 - combater a AIDS, a malária e outras doenças. Página visitada em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 6 de abril de 2014.
  83. Secretaria de Saúde de Caruaru (15 de fevereiro de 2014). Localização Geográfica dos Estabelecimentos de Saúde. Página visitada em 15 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 15 de fevereiro de 2014.
  84. Secretaria de Saúde de Caruaru (15 de fevereiro de 2014). Apresentação. Página visitada em 15 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 15 de fevereiro de 2014.
  85. a b Portal ODM (2012). 2 - educação básica de qualidade para todos. Página visitada em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 6 de abril de 2014.
  86. Cidades@ - IBGE (2010). Censo Demográfico 2010: Resultados da Amostra - Educação. Página visitada em 6 de abril de 2014.
  87. a b Cidades@ - IBGE (2012). Ensino, matrículas, docentes e rede escolar 2012. Página visitada em 6 de abril de 2014.
  88. UPE Caruaru (14 de fevereiro de 2014). Campus Caruaru. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  89. UFPE Caruaru (14 de fevereiro de 2014). Campus Caruaru. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  90. ASCES (14 de fevereiro de 2014). Institucional. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  91. FAFICA (14 de fevereiro de 2014). Institucional. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  92. Faculdade do Vale do Ipojuca (14 de fevereiro de 2014). Institucional. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  93. Faculdade Maurício de Nassau (14 de fevereiro de 2014). Unidade de Caruaru. Página visitada em 14 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  94. NE10. Secretaria de Defesa Social registra alto índice de violência em Caruaru. Página visitada em 15 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 15 de fevereiro de 2014.
  95. Agência Condepe/Fidem (2012). Número de vítimas e taxa de criminalidade violenta letal e intencional. Página visitada em 15 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 15 de fevereiro de 2014.
  96. Sangari (2011). Número e taxas (em 100 mil) de suicídio nos municípios com 10.000 habitantes ou mais (xls). Página visitada em 15 de fevereiro de 2014.
  97. Sangari (2011). Número e taxas (em 100 mil) de Óbitos Ac.Transporte nos municípios com 10.000 habitantes ou mais (xls). Página visitada em 15 de fevereiro de 2014.
  98. Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (2013). Seis anos de Pacto pela Vida. Página visitada em 16 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2014.
  99. Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (16 de fevereiro de 2014). Pacto pela Vida. Página visitada em 16 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2014.
  100. Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (2013). Boletim Trimestral da Conjuntura Criminal em Pernambuco - 1° trimestre de 2008. Página visitada em 16 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2014.
  101. Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (2013). Boletim Trimestral da Conjuntura Criminal em Pernambuco - 2° semestre de 2013. Página visitada em 16 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2014.
  102. Secretaria de Ressocialização (2013). Penitenciária Juiz Plácido de Souza. Página visitada em 16 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2014.
  103. Blog do Mário Flávio (2013). Depois de visita à PJPS, OAB aponta melhorias e aposta em mutirão para diminuir superlotação. Página visitada em 16 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2014.
  104. CNJ-PE (2013). Ressocialização atende 60% dos detentos em presídio de Caruaru (PE). Página visitada em 16 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2014.
  105. a b IBGE (2013). Censo demográfico 2010: resultados do universo - características da população e dos domicílios. Página visitada em 17 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 17 de fevereiro de 2014.
  106. Rádio Jornal (14 de outubro de 2013). Caruaru está entre as cidades com piores índices de saneamento básico no país. Página visitada em 17 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 17 de fevereiro de 2014.
  107. Diário de Pernambuco (19 de outubro de 2011). Arquivos da Tag: Rio Ipojuca. Página visitada em 17 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 17 de fevereiro de 2014.
  108. Companhia Energética de Pernambuco (14 de outubro de 2013). Quem Somos. Página visitada em 17 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 17 de fevereiro de 2014.
  109. Correios (2014). Busca CEP. Página visitada em 17 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 17 de fevereiro de 2014.
  110. Portal BSD (17 de maio de 2013). Listando canais de Caruaru - PE. Página visitada em 9 de maio de 2014. Cópia arquivada em 9 de maio de 2014.
  111. TV Globo (2014). Cobertura do sinal da TV Asa Branca. Página visitada em 24 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 24 de fevereiro de 2014.
  112. Netpapers (2014). Jornais de Caruaru. Página visitada em 17 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 17 de fevereiro de 2014.
  113. Portal BSD. Canais de Caruaru - PE. Página visitada em 24 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 24 de fevereiro de 2014.
  114. Aeroporto Recife (2014). Aeroporto de Recife. Página visitada em 17 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2014.
  115. World Airport Awards (2014). Airline travellers rate Guayaquil Airport as the Best Regional Airport in South America. Página visitada em 18 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2014.
  116. NE10 (2014). Familiares das vítimas da tragédia da Noar prestam homenagens nesta sexta. Página visitada em 18 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2014.
  117. Cidade Biz (18 de outubro de 2010). Anac aprova concessão para a Noar Linhas Aéreas, de Pernambuco. Página visitada em 18 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2014.
  118. Liberdade Sistema de Comunicação (2012). Aeroporto de Caruaru receberá investimentos do Governo Federal. Página visitada em 18 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2014.
  119. Jornal Vanguarda (8 de fevereiro de 2014). Engenheiros vistoriam Aeroporto de Caruaru. Página visitada em 18 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2014.
  120. Carlos Britto (30 de setembro de 2009). Roteiro da Transnordestina prejudica Pernambuco. Página visitada em 18 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2014.
  121. Socicam (25 de fevereiro de 2014). Pernambuco - Terminal Rodoviário Caruaru. Página visitada em 25 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 25 de fevereiro de 2014.
  122. Departamento de Estradas de Rodagem de Pernambuco (2014). Rodovias do Estado. Página visitada em 20 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 20 de fevereiro de 2014.
  123. Prefeitura Municipal de Caruaru (2014). DESTRA – Autarquia Municipal de Defesa Social, Trânsito e Transportes. Página visitada em 12 de junho de 2014. Cópia arquivada em 12 de junho de 2014.
  124. Ônibus Brasil (2014). Empresas de Ônibus da cidade de Caruaru - PE. Página visitada em 20 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 20 de fevereiro de 2014.
  125. G1 Pernambuco (23 de janeiro de 2014). Vereadores aprovam projeto que inclui o BRT, em Caruaru, no Agreste. Página visitada em 20 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 20 de fevereiro de 2014.
  126. Portal Mídia Urbana (2013). Entenda como vai funcionar o projeto BRT e as consequências para Caruaru. Página visitada em 20 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 20 de fevereiro de 2014.
  127. IBGE (2012). Frota - 2012. Página visitada em 20 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 20 de fevereiro de 2014.
  128. Prefeitura Municipal de Caruaru (2014). Fundação de Cultura e Turismo de Caruaru. Página visitada em 21 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 21 de fevereiro de 2014.
  129. Prefeitura Municipal de Caruaru (2014). Secretaria de Educação, Esportes, Juventude, Ciência e Tecnologia. Página visitada em 21 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 21 de fevereiro de 2014.
  130. Site Oficial do cantor (2014). O poeta. Página visitada em 21 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 21 de fevereiro de 2014.
  131. Pernambuco.com (23 de setembro de 2010). Prazeres Barbosa lança biografia. Confira entrevista exclusiva. Página visitada em 21 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 21 de fevereiro de 2014.
  132. Academia Brasileira de Letras (2014). Álvaro Lins. Página visitada em 21 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 21 de fevereiro de 2014.
  133. Uol (2014). Banda de Pífanos de Caruaru. Página visitada em 23 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2014.
  134. a b Minilua (2014). Por onde anda o mito da internet Jeremias Maluco?. Página visitada em 21 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 21 de fevereiro de 2014.
  135. Sesc Caruaru (3 de maio de 2013). Confira a programação teatral do Sesc Caruaru. Página visitada em 22 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2014.
  136. Difusora Shopping (2014). Teatro Difusora. Página visitada em 22 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2014.
  137. Feteag (2014). Festival de Teatro do Agreste. Página visitada em 11 de maio de 2014. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2014.
  138. Folha de Pernambuco (8 de fevereiro de 2014). Caruaru também entra no clima do Carnaval. Página visitada em 11 de maio de 2014. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2014.
  139. Radio Jornal (14 de setembro de 2012). Festa da padroeira de Caruaru, Agreste, terá missas, procissão e shows. Página visitada em 22 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2014.
  140. a b c d e f g h Prefeitura Municipal de Caruaru (2014). Pontos Turísticos. Página visitada em 23 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2014.
  141. Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco (2014). Museu do Barro em Caruaru - Espaço Zé Caboclo.. Página visitada em 23 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2014.
  142. Caruaru Mais Criativa (2014). Museu da Fábrica de Caroá. Página visitada em 23 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2014.
  143. Uol (2014). Caruaru - Lugares históricos. Página visitada em 23 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2014.
  144. Alto do Moura (2014). Casa-Museu Mestre Vitalino. Página visitada em 23 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2014.
  145. Alto do Moura (2014). Memorial Mestre Galdino. Página visitada em 23 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2014.
  146. , Oleone Coelho. A grande feira de um país chamado Caruaru. Jornal do Commercio, Recife, 20 maio 1979.
  147. MARCONI, Celso. A feira de Caruaru. Cultura, Brasília, a.4, n.14, p.104-112, jul./set. 1974.
  148. ROMERO, Pedro. Feira de Caruaru é patrimônio brasileiro. Jornal do Commercio, Recife, 27 dez. 2006. Caderno C, p.1
  149. GASPAR, Lúcia. Feira de Caruaru. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife.
  150. Diário Catarinense (24 de junho de 2011). Na maior festa de São João do mundo, público chega a 1,5 milhão de pessoas. Página visitada em 23 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2014.
  151. Hotlink (23 de fevereiro de 2014). A tradição da Festa Junina através dos séculos. Página visitada em 23 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2014.
  152. BARBALHO, Nelson. Caruaru, cidade princesa: visão histórica e social, 1905 a 1908. Recife: [s.n.], 1981.
  153. BARBALHO, Nelson. São João. In: ______. Caruraru, Caruaru: nótulas subsidiárias para a história do Agreste de Pernambuco. Caruaru (PE): [s.n.], 1972.
  154. GASPAR, Lucia. São João em Caruaru, Pernambuco. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife.
  155. FARIAS, Edson. Faces de uma festa-espetáculo: redes e diversidades na montagem do ciclo junino em Caruaru. Sociedade e Cultura, Goiania, v. 8, n. 1, p. 7-28, jan./jun. 2005.
  156. GIL, Wagner. Demolição da Vila do Forró revolta Caruaru. Jornal do Commercio, Recife, 25 jan. 2011. Cidades, p. 4.
  157. Blog do Flávio Mário (8 de dezembro de 2013). Clássico Matuto é o destaque da abertura do Campeonato Pernambucano. Página visitada em 23 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2014.
  158. Wikimapia (23 de fevereiro de 2014). Estádio Lacerdão. Página visitada em 23 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2014.
  159. Wikimapia (23 de fevereiro de 2014). Estádio Antônio Inácio de Souza - Vera Cruz - Caruaru - Pernambuco. Página visitada em 23 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2014.
  160. globoesporte.com (30 de novembro de 2013). Arcoverde sagrou-se bicampeão da 8ª Copa TV Asa Branca de Futsal 2013. Página visitada em 23 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2014.
  161. Blog do Fabiano Machado (23 de fevereiro de 2014). Autódromo Internacional Ayrton Senna, Caruaru-PE. Página visitada em 23 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2014.
  162. CBN Recife (27 de janeiro de 2014). Caruaru terá apenas cinco feriados municipais em 2014. Página visitada em 24 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 24 de fevereiro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Wikilivros Livros e manuais no Wikilivros
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons
Wikinotícias Categoria no Wikinotícias
Wikivoyage Guia turístico no Wikivoyage