Pesqueira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Pesqueira
"Pesqueira de Sant'Águeda"
Vista da cidade de Pesqueira.JPG

Bandeira de Pesqueira
Brasão de Pesqueira
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 20 de abril de 1880 (135 anos)
Fundação 13 de maio de 1836 (179 anos)
Gentílico pesqueirense
Lema Terra da graça, do doce e da renda
Prefeito(a) Evandro Mauro Maciel Chacon (Evandro Chacon) (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Pesqueira
Localização de Pesqueira em Pernambuco
Pesqueira está localizado em: Brasil
Pesqueira
Localização de Pesqueira no Brasil
08° 21' 42" S 36° 41' 41" O08° 21' 42" S 36° 41' 41" O
Unidade federativa  Pernambuco
Mesorregião Agreste Pernambucano IBGE/2008 [1]
Microrregião Vale do Ipojuca IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Limita-se ao norte com Poção e o estado da Paraíba. Ao sul com Venturosa e Alagoinha, a leste com Sanharó, Capoeiras, São Bento do Una e Belo Jardim e a oeste com Arcoverde e Pedra.
Distância até a capital 215 km
Características geográficas
Área 995,500 km² [2]
População 65 770 hab. estatísticas IBGE/2014[3]
Densidade 66,07 hab./km²
Altitude 654 m
Clima Semiárido Bsh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,610 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 439 566 mil IBGE/2012[5]
PIB per capita R$ 6 920 22 IBGE/2012[5]
Página oficial

Pesqueira é um município Brasileiro do estado de Pernambuco. Distante a 215 km da Capital Pernambucana. Situa-se na Microregião do Vale do Ipojuca e Mesorregião do Agreste Pernambucano. É sede da Diocese de Pesqueira, a episcopal está na Catedral Santa Águeda. Pesqueira dispõe de boa infra-estrutura, que inclui hotéis, pousadas, bares, restaurantes e movimentado calendário de eventos, faz parte deste calendário o antigo Circuito do Frio de Pernambuco atual Festival Pernambuco Nação Cultural "Festa da Renascença" de Pesqueira (um festival de músicas no meio do ano com artistas locais e consagrados) e toda a parte cultural da cidade. Além de privilegiada localização, Pesqueira conta com o Santuário de Nossa Senhora das Graças, local de adoração e centro de peregrinação católica.

História[editar | editar código-fonte]

A história de Pesqueira começa em fins de 1659 ou início de 1660 com a fundação de uma missão da Congregação do Oratório pelo padre João Duarte do Sacramento. Tal missão fora fundada junto à tribo cariri de nome Xukuru, que habitava a serra do Ororubá (ou Urubá, ou até Ararobá, como aparece nos registros mais antigos). O local foi batizado pelo padre de Monte Alegre, que depois se tornou Cimbres e fora elevada à categoria de vila em 3 de abril de 1762. Antes disso, segundo carta de sesmaria datada de 24 de janeiro de 1691, o lugar já era sede da Capitania de Ararobá e tinha como capitão-mor o sesmeiro Matias Sicio, que seria substituído ainda naquele mesmo ano por João de Oliveira Neves, segundo carta assinada por ele em agosto de 1691. Pelo menos até 1721, segundo documento de 4 de abril daquele ano, um manifesto em apoio a Antônio Vieira de Melo, Oliveira Neves, fazendeiro de Monte Alegre, ainda era capitã-mor de Ararobá.

Ao que parece, a dita capitania foi transferida para os Campos dos Garanhuns por volta de 1727 e não em 1700, como alguns apontam. A capitania voltaria para Monte Alegre em 1762, com a elevação da povoação à categoria de vila e sede de município.

A partir de 1800, uma fazenda começou a ser instalada ao pé da serra por Manoel José de Siqueira. A fazenda recebeu o nome de "Poço Pesqueiro" (ou "da Pesqueira", como também se encontra nos registros mais antigos) e começou a progredir com rapidez. Tanto que a 13 de maio de 1836, Poço Pesqueiro já era uma povoação vistosa e fora elevada a vila com o simplório nome de "Pesqueira". Junto com a elevação a vila, Pesqueira recebeu a sede do Município de Cimbres (que no alto da serra, já não era tão viável para assuntos políticos e o comércio). Depois disso a cidade progrediu como nenhum outro lugar do sertão, devido à instalação de fábricas de doces e beneficiamento de tomate[carece de fontes?]. Em 1880 a vila foi elevada a cidade com o nome de "Santa Águeda de Pesqueira", que não vingou e recebeu o nome de "Pesqueira". A vila de Cimbres foi a ela anexada e, juntas, Cimbres e Pesqueira formaram o Município de Cimbres até 1913, quando "Pesqueira" passou definitivamente a ser o nome do Município, passando a antiga sede a mero distrito.

Terras dos índios na Serra do Ororubá e as outras terras da Congregação do Oratório, em 1813. Mapa de José da Costa Pinto.

As emissoras de Rádio da cidade conta com 5 emissoras de Rádios:

  • Rádio Talismã FM 96,7 MHz.
  • Rádio Jornal AM 1390 kHz.
  • Rádio Urubá FM 104,9 MHz.
  • Rádio Rede Brasil FM 106,3 MHz. (Retransmissora da Rede Brasil De Comunicação).
  • Rádio Paz No Vale FM 104,9 MHz. Obs: Não há informações se a Anatel mudará a frequência (104,9 MHz), devido outra emissora da cidade já utilizar esta mesma frequência. Vamos aguardar o parecer da Anatel sobre a situação.

Emissoras De TVs em HD: (High Definition - Alta Definição)

  • TV Asa Branca HD (Afiliada a Rede Globo) 20.1
  • Rede Vida HD (Católico) 16.1.

Emissoras De TVs em Analógico:

  • TV Jornal (Afiliada ao SBT) Canal 4.
  • TV Novo Tempo (Evangélico) Canal 5.
  • TV Pernambuco (Afiliada a TV Brasil) Canal 7.
  • TV Clube (Afiliada a Rede Record) Canal 9 (Atualmente fora do ar).
  • TV Tribuna (Afiliada a Band) Canal 11.
  • Rede TV! (Repetidora) Canal 13 (Atualmente fora do ar).
  • Rede Vida (Católico) Canal 16.
  • TV Asa Branca (Afiliada a Rede Globo) Canal 18.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 08º21'28" sul e a uma longitude 36º41'45" oeste, estando a uma altitude de 654 metros. Sua população, segundo censo de 2010 é de aproximadamente 64.000 habitantes. Possui uma área de 1036,45 km². Administrativamente, o município é formado pelo distrito sede e pelos povoados de Cimbres, Mimoso, Mutuca, Papagaio, Salobro, Ipanema, Cajueiro, Beira Mar, Capim de Planta e Cacimbão.

Limites[editar | editar código-fonte]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município de Pesqueira encontra-se inserido nos domínios das bacias hidrográficas dos rios Ipanema e Ipojuca. Seus principais tributários são: o Rio Ipojuca, além dos riachos: dos Pebas, Cana-Brava, do Boi, Santana, Gravatá, Ceguinha, da Atravessada, do Guerra, Quebra-Roça, do Bálsamo, Baraúnas, Liberal, Papagaio, do Belo e Salobro. Os principais corpos de acumulação são: os açudes Pão de (54.696.500m 3 ), Ipaneminha (3.900.000m 3 ), Carlos de Brito e Tambores, além das lagoas: do Bicheiro, do Jacu, Grande, do Algodão e do Anzol. Todos os cursos d’ água no município têm regime de escoamento intermitente e o padrão de drenagem é o dendrítico.

Clima[editar | editar código-fonte]

  • Tipo de clima: Semiárido, do tipo BSh;
  • Precipitação pluviométrica: 700 mm;
  • Temperatura média compensada anual: 23 °C;
  • Meses chuvosos: fevereiro a julho.

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), desde 1961 a menor temperatura registrada em Pesqueira foi de 9,8 °C em 31 de julho de 1976,[6] e a maior atingiu 38,8 °C em 6 de janeiro de 2003.[7] O maior acumulado de precipitação observado em 24 horas foi de 148,7 mm em 16 de março de 1967. Outros grandes acumulados foram 113,4 mm em 23 de dezembro de 1963, 110,7 mm em 18 de fevereiro de 1985, 109,2 mm em 29 de março de 1987, 105,8 mm em 29 de março de 1979, 105,6 mm em 4 de março de 1996 e 100,2 mm em 7 de abril de 2014.[8] O menor índice de umidade relativa do ar foi registrado nas tardes de 31 de dezembro de 1964 e 9 de outubro de 1985, de 19%.[9]

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Pesqueira Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima absoluta (°C) 38,8 35,5 37 34,5 34,7 32,5 31,3 32,5 34,6 35,8 36,7 35,9 38,8
Temperatura máxima média (°C) 31,4 30,8 30,3 28,7 27,1 25,8 25,3 26,6 28,5 30,6 31,6 31,5 29
Temperatura média (°C) 24,4 24,1 24 23,2 22 20,8 20,2 20,4 21,7 23,2 24,1 24,2 22,7
Temperatura mínima média (°C) 19,5 19,6 19,8 19,7 18,8 17,7 16,9 16,5 17,4 18,2 18,9 19,2 18,5
Temperatura mínima absoluta (°C) 16,2 15,9 16,9 15,9 11,9 12,3 9,8 11,2 11 13,7 14,2 13,6 9,8
Precipitação (mm) 30,2 78,6 126,5 126,4 90,2 71,6 71,9 22,9 13,1 17,4 18,7 34 701,5
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 3 5 8 10 10 11 11 5 3 2 2 3 73
Umidade relativa (%) 66,7 68,7 73,2 78,5 81,4 83,1 82,2 76,3 71,7 66,5 63,9 65,4 73,1
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (normal climatológica de 1961-1990;[10] [11] [12] [13] [14] [15] recordes de temperatura: 1961-presente).[6] [7]

Divisão distrital e povoados[editar | editar código-fonte]

  • Distrito-sede
  • Povoados: Cimbres, Mimoso, Mutuca, Papagaio, Salobro, Ipanema, Cajueiro, Beira Mar, Capim de Planta e Cacimbão.

Relevo[editar | editar código-fonte]

O município de Pesqueira, está inserido na unidade geoambiental do [[Planalto da Borborema]] formada por maciços e outeiros altos, com altitude variando entre 650 a 1.000 metros. Ocupa uma área de arco que se estende do sul de Alagoas até o Rio Grande do Norte. O relevo é geralmente movimentado, com vales profundos e estreitos dissecados. Com respeito à fertilidade dos solos é bastante variada, com certa predominância de média para alta.

Vegetação e solo[editar | editar código-fonte]

A vegetação desta unidade é formada por Florestas Subcaducifólica e Caducifólica, próprias das áreas agrestes. Nas Superfícies suave onduladas a onduladas, ocorrem os Planossolos, medianamente profundos, fortemente drenados, ácidos a moderadamente ácidos e fertilidade natural média e ainda os Podzólicos, que são profundos, textura argilosa, e fertilidade natural média a alta. Nas elevações, ocorrem os solos litólicos, rasos, textura argilosa e fertilidade natural média. Nos Vales dos rios e riachos, ocorrem os planossolos, medianamente profundos, imperfeitamente drenados, textura média/argilosa, moderadamente ácidos, fertilidade natural alta e problemas de sais. Ocorrem ainda afloramentos de rochas.

Povos Indígenas[editar | editar código-fonte]

Na Serra do Ororubá vivem os índios Xukuru, em 24 aldeias, o município de Pesqueira se consolida como o maior reduto indígena do Nordeste. São 9.335 descendentes indígenas Xucuru ,que residem no município, segundo o Censo 2010[16] . A terra indígena, homologada em 2001, ocupa uma área de 27,5 mil hectares, onde os índios desenvolvem atividades agrícolas e bordados tipo renascença.

Além disto, no núcleo urbano de Pesqueira, habitam aproximadamente 200 famílias indígenas, sobretudo no bairro Xukurus.

A tribo dos Paratiós foi extinta e dela quase não há registros.

Demografia[editar | editar código-fonte]

População aproximamente
segundo censo (IBGE)[17]
Ano População
2000 57 000
2007 61 000
2010 64 000
Dados do Censo - 2010 [18] [19]

População residente

Esportes[editar | editar código-fonte]

Bandeirão da Torcida estendido na arquibancada do Estádio Municipal Joaquim José de Brito

O município é sede do Pesqueira FC, clube fundado em 2006. A cidade conta com o Estádio Joaquim de Brito que recebe jogos do Campeonato Pernambucano de futebol.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (29 nov. 2010). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Estimativa Populacional 2014 Estimativa Populacional 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (agosto de 2014). Visitado em 29 de agosto de 2014.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 01 de outubro de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2014.
  6. a b BDMEP - Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Mínima (°C) - Pesqueira Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 19 de julho de 2015.
  7. a b BDMEP - Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Máxima (°C) - Pesqueira Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 19 de julho de 2015.
  8. BDMEP - Série Histórica - Dados Diários - Precipitação (mm) - Pesqueira Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 19 de julho de 2015.
  9. BDMEP - Série Histórica - Dados Horários - Umidade Relativa (%) - Pesqueira Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 19 de julho de 2015.
  10. Temperatura Média Compensada (°C) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Visitado em 19 de julho de 2015. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  11. Temperatura Máxima (°C) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Visitado em 19 de julho de 2015. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  12. Temperatura Mínima (°C) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Visitado em 19 de julho de 2015. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  13. Precipitação Acumulada Mensal e Anual (mm) Instituto Nacional de Meteorologia (1961-1990). Visitado em 19 de julho de 2015. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  14. Número de Dias com Precipitação Maior ou Igual a 1 mm (dias) Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 19 de julho de 2015. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  15. Umidade Relativa do Ar Média Compensada (%) Instituto Nacional de Meteorologia. Visitado em 19 de julho de 2015. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014.
  16. Edson Silva, 2007. História, memórias e identidade entre os Xukuru do Ororubá. Tellus, ano 7, n. 12, p. 89-102, abr. 2007 Campo Grande - MS
  17. fpm.cnm.org.br.
  18. Censo 2010 Pernambuco
  19. [1]

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]