João Alfredo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja João Alfredo (desambiguação).
Município de João Alfredo
"Cidade feliz"
Bandeira de João Alfredo
Brasão desconhecido
Bandeira Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 10 de outubro
Fundação 10 de outubro de 1935(80 anos)
Gentílico joão-alfredense
Prefeito(a) Maria Sebastiana (PTB)
(2013–2016)
Localização
Localização de João Alfredo
Localização de João Alfredo em Pernambuco
João Alfredo está localizado em: Brasil
João Alfredo
Localização de João Alfredo no Brasil
07° 51' 21" S 35° 35' 16" O07° 51' 21" S 35° 35' 16" O
Unidade federativa  Pernambuco
Microrregião Médio Capibaribe IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Bom Jardim (N), Limoeiro (L), Salgadinho (SU, Surubim (O)
Distância até a capital 106 km
Características geográficas
Área 133,524 km² [2]
População 32 651 hab. estatísticas IBGE/2014[3]
Densidade 244,53 hab./km²
Altitude 328 m
Clima Semiárido BSh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,576 baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 174 901 mil IBGE/2012[5]
PIB per capita R$ 5 586 99 IBGE/2012[5]
Página oficial

João Alfredo é um município brasileiro do estado de Pernambuco, localizado no Agreste setentrional do estado. João Alfredo, caracteriza-se por ter uma das maiores feiras livres dessa região, além de ser também o polo moveleiro. O município é composto também pelos povoados de Tamanduá, Frei Damião, Brejinhos, Antas, Campos do Borba, Lagoa Funda, Parari, Pau Santo, Melancia, Ribeiro Grande, Capau e Roque.

História[editar | editar código-fonte]

João Alfredo originou-se de uma fazenda instalada na localidade do Imbé, nos meados do século XVIII, pelo capitão português Antônio Barbosa da Silva. Anos depois, em virtude da escassez d’água naquela região, o colonizador resolveu transferir a sede da propriedade para  o local onde se situa atualmente a nossa cidade, aproveitando o manancial hídrico de uma lagoa existente onde hoje está erguido o Ginásio Poliesportivo Djair Santos.

Em 1779 as famílias Holanda Cavalcanti e Alves do Rêgo adquiriram a posse da propriedade e passaram a chamá-la de “Boa Vista”. Em 1785 construíram um pequeno engenho de tração animal, ao qual deram o mesmo nome da fazenda. Em 1820  a propriedade foi vendida ao Sr. Francisco Antônio, chefe político do Curato de Bom Jardim, que, em 1850 passou o comando para o Sr. João Felipe de Melo, também bonjardinense. Em 1877, com o falecimento do Sr. João Felipe de Melo, o engenho foi adquirido pelo capitão José Francisco Cordeiro de Arruda.

Em 1879 o coronel José Ferreira da Silva, que também era proprietário do Engenho Melancia, adquiriu o engenho Boa Vista, empreendendo grandes benfeitorias no mesmo, transformando a área circunvizinha em um pequeno aglomerado residencial. Em 1900 obteve da municipalidade de Bom Jardim uma licença para a promoção de uma feira-livre semanal e iniciou a construção de uma capela em devoção à Nossa Senhora da Conceição. A primeira feira-livre foi realizada no dia 06 de janeiro de 1901 e a capela foi inaugurada no dia 18 de junho do mesmo ano, com Missa solene celebrada pelo padre João Pacífico Ferreira Freire.

Evolução[editar | editar código-fonte]

Em 1902 mais casas foram construídas e apareceram os primeiros estabelecimentos comerciais. No ano de 1906 foi criada a Sub-Delegacia de Polícia, sendo designado como titular o Sr. José Soares Cordeiro. Em 1909 o engenho e as casas a ele aglomeradas foram considerados oficialmente como Povoado, recebendo o nome de “Boa Vista da Conceição”. Em 1912 foi fundada a primeira escola municipal, sendo indicada a professora Joana Nóbrega de Vasconcelos. Em 1922 foi criada a primeira escola estadual, a cargo da professora Maria Alves Machado. Em 1924 foi nomeada a professora Maria Amélia Cavalcanti, para também atuar na escola estadual.

A agência Postal foi inaugurada no dia 26 de abril de 1926, com o nome de “Santa Luzia”, em virtude de já haver outra localidade no Estado com o nome de “Boa Vista”. O primeiro agente postal foi a Sra. Maria Pereira de Moura. Através da Lei nº 1.944, de 19 de setembro de 1928, o Povoado de Santa Luzia passou a se chamar de “João Alfredo”, por determinação do então governador do Estado, Dr. Estácio Coimbra. No dia 27 de março de 1931, através do ato nº 43, o tenente Alfredo Agostinho, prefeito de Bom Jardim, elevou o Povoado à categoria de Vila e criou o Distrito Judiciário, com sede nesta terra. O primeiro Juiz de Paz foi o Sr. José Procópio Cavalcanti e o oficial do registro civil o Sr. Manoel Ferreira Campos.

Por efeito da Lei Estadual nº 23, de 10 de outubro de 1935, foi criado o Município de João Alfredo, sendo oficialmente instalado no dia 21 de outubro do mesmo ano. Dentre as figuras que mais batalharam para a nossa emancipação política, destacaram-se : o deputado estadual Dr .Arsênio Meira de Vasconcellos, Dr. Ângelo de Souza, Dr. Costa Pinto, Dr. Mário Melo, Dr. Antônio Raposo e o Dr. Álvaro Lins e Silva. O major Pedro Olímpio de Vasconcelos Maia foi nomeado interventor do novo Município.

Características físicas e geográficas[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 07º51'21" sul e a uma longitude 35º35'18" oeste, estando a uma altitude de 328 metros. Sua população estimada em 2013 era de 32 355 habitantes.[6] É considerada o polo moveleiro da região pernambucana, tendo também uma das maiores feiras livres e feira de gado.[carece de fontes?]

Possui uma área de 135,123 km².[6]

Vegetação[editar | editar código-fonte]

O município é cercado pastagens artificiais e culturas temporárias ou de subsistência.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima de João Alfredo é AS’ quente e úmido, com temperatura média de 26 °C.

Relevo[editar | editar código-fonte]

Situado no Planalto da Borborema, tem uma altitude relativa a 328 m.

Localização geográfica[editar | editar código-fonte]

O município está a uma longitude 70 52’ 00’’ e latitude 350 36’ 00’’

Limites[editar | editar código-fonte]

  • Norte: Bom Jardim
  • Sul: Salgadinho
  • Leste: Limoeiro
  • Oeste: Surubim
  • Distância ate a capital(Recife): 106 km

Política e governo municipal[editar | editar código-fonte]

O município tem como prefeita atual Maria Sebastiana da Conceição(2013-2016)

O atual presidente da câmara dos vereadores é José Batista Falcão.

Povoados[editar | editar código-fonte]

Tamanduá, Frei Damião, Brejinhos, Antas, Campos do Borba, Lagoa Funda, Parari, Pau Santo, Melancia, Ribeiro Grande e Roque.

Abaixo segue uma lista com os interventores e prefeitos municipais.[editar | editar código-fonte]

Interventores[editar | editar código-fonte]

  • Pedro Olímpio de Vasconcelos Maia (1935 a 1937)
  • Severino Adrião Gomes da Silva (1937 a 1944)
  • Francisco Farias (1944)
  • José Pontual Pereira de Oliveira (1944 a 1947)
  • João Pereira de Moura (1947).

Prefeitos eleitos[editar | editar código-fonte]

  • Eloy Pires de Andrade Lima (1947 a 1951)
  • Joaquim Gomes Cavalcanti (1951 a 1955)
  • Clóvis Jatobá da Costa Lima (1955 a 1959)
  • José Ferreira da Silva (1959 a 1963)
  • Severino José Cavalcanti Ferreira (1963 a 1966)
  • João Francisco de Barros (1966 a 1969)
  • Luis Paz do Nascimento (1969 a 1973)
  • João Francisco de Barros (1973 a 1977)
  • Sebastião Manuel dos Santos (1977 a 1983)
  • Severino José Cavalcanti Ferreira Júnior (1983 a 1989)
  • Sebastião Manuel dos Santos (1989 a 1992)
  • Severino José Cavalcanti Ferreira Júnior (1993 a 1996)
  • Sebastião Manuel dos Santos (1997 a 2000)
  • Sebastião Manuel dos Santos (2001 a 2004)
  • Maria Sebastiana da Conceição (2005 a 2008)
  • Severino José Cavalcanti Ferreira (2009 a 2012)
  • Maria Sebastiana da Conceição (2013 a 2016)

Saúde[editar | editar código-fonte]

Na área de saúde, o município tem a Unidade Mista de Saúde Joana Amélia Cavalcanti, postos de saúde, consultórios e clínicas particulares e postos de saúde.

Vale constar que a cidade tem também postos PSF, Programa de Saúde da Família.

Esportes e recreação[editar | editar código-fonte]

Esporte e recreação são praticados no Ginásio Poliesportivo Djair Gomes dos Santos (também usado para festas e eventos), no Ginásio de Esportes Aldemir Gomes dos Santos, no Estádio da Asa Branca (Campo da Asa Branca), no Clube de Campo São Miguel e no Parque Aquático Selva de Pedra.

Economia[editar | editar código-fonte]

O setor econômico da cidade, tem seu foco principalmente na Indústria Moveleira, já que é a cidade é conhecida por ser a capital do polo moveleiro do estado de Pernambuco.

É famosa por sua feira livre que é realizada nas segundas-feiras de manhã. Tem também sua economia focada na pecuária, agricultura, horte-fruticultura e comércio. Vale constar aqui também a feira de gado.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A cultura descreve-se com os atrativos turísticos, grupos artísticos e o modo de viver.

João Alfredo tem uma gastronomia variada, que é composta pelos elementos da cozinha nordestina. Assim como em outras cidades, o período das festas juninas é marcado por suas comidas típicas, como a pamonha, canjica, munguzá;etc. Nos restaurantes que ficam pelas ruas e no interior da cidade, é possível ver a cultura gastronômica afro-brasileira de dar água na boca em muitos, como buchada de bode, dentre outros elementos da nossa culinária afro-descendente. Começando com origens europeias e até mesmo de complementos da América do Sul, nesse caso América Latina, podemos ver elementos típicos do Novo Mundo muito comuns no Brasil, incluindo a salada, o arroz, o feijão a carne bovina, suína, caprina e de muitos outros tipos. Sem falar em restaurantes de comidas mais comuns no oriente, pizzarias e churrascarias.

A cultura diversificada atrai turistas de muitos lugares, principalmente em outubro na festa de emancipação política, a qual comemora-se com o Festival da Cultura e desfiles cívicos das escolas das demais redes e grupos que também é realizado no dia de 7 de setembro. Festas e alegria são comuns com o povo dessa pequena cidade. Como disse uma vez Frei Damião, ele se referiu pela primeira vez a João Alfredo quando disse: "Cidade Feliz".

Atrativos turísticos[editar | editar código-fonte]

Feira-Livre, feira-de-gado, carnaval, Ciclo junino, Missa de São Bento, Festival da Cultura e Ciclo Natalino.

Pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

Pedra do Boi, Serra do Cruzeiro, Estádio da Asa Branca, Ginásio Poliesportivo Djair Santos, Cachoeira de Serra da Sororoca, Pedra do Urubu, Parque Aquático Selva de Pedra e Matriz de N. S. da Conceição.

Grupos artísticos[editar | editar código-fonte]

Sociedade Musical Dom Bosco, Banda Expresso, Nando Sanfoneiro,Natan dos Teclados, Banda de Pífanos do Tabosa, Caboclinhos e bandas e fanfarras escolares.

Religião[editar | editar código-fonte]

O município tem uma grande tradição cristã, destacando-se a Igreja católica presente desde sua fundação e com muitos templos desta religião, justamente por isso a cidade tem uma predominância de seguidores Católicos Apostólicos Romanos. Mas a religião cristã na cidade está bem diversificada e possuindo templos de outras denominações religiosas, e.g., Igreja Presbiteriana, Igreja Adventista do Sétimo dia, Igreja Batista, Assembleia de Deus, Testemunhas de Jeová, Igreja Mundial do Poder de Deus, Igreja Universal e Igreja Pentecostal Deus é Amor. A religiosidade do povo joão-alfredense é muito forte e também possui um segmento de sua sociedade que segue pontualmente a religião do Espiritismo Kardecista e tem também a presença do Espiritualismo Cristão.

Outros pontos[editar | editar código-fonte]

Agências bancárias[editar | editar código-fonte]

Banco do Brasil

Bradesco

Multibank (postos)

Matriz (postos)

Popular do Brasil (posto)

Referências

  1. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas IBGE_DTB_2008
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  3. «Estimativa Populacional 2014». Estimativa Populacional 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). agosto de 2014. Consultado em 29 de agosto de 2014. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 01 de outubro de 2013. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2012». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2014. 
  6. a b Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas IBGE_Pop_2013

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Pernambuco é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.