Flores (Pernambuco)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Flores
""Flores da ribeira do Pajeú" " Terra de Moacir Santos"
Bandeira de Flores
Brasão de Flores
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 11 de setembro
Fundação 1858 (157 Anos)
Gentílico florense
Lema "do sertão tú eis a preferida"
Prefeito(a) Marconi Santana (PSB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Flores
Localização de Flores em Pernambuco
Flores está localizado em: Brasil
Flores
Localização de Flores no Brasil
07° 51' 57" S 37° 58' 30" O07° 51' 57" S 37° 58' 30" O
Unidade federativa  Pernambuco
Mesorregião Sertão Pernambucano IBGE/2008[1]
Microrregião Pajeú IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes ao norte, com o Estado da Paraíba e Quixaba; ao sul, com Betânia; a leste com Carnaíba e Custódia e, a oeste, com Triunfo e Calumbi.
Distância até a capital 394 km
Características geográficas
Área 953,846 km² [2]
População 22 577 hab. estatísticas IBGE/2014[3]
Densidade 23,67 hab./km²
Altitude 486 m
Clima Semiárido BSh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,556 baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 103 305 mil IBGE/2012[5]
PIB per capita R$ 4 661 36 IBGE/2012[5]
Página oficial

Flores é um município brasileiro do estado de Pernambuco. Administrativamente, o município é composto pelos distritos sede, Sítio dos Nunes e Fátima e pelos povoados de São João dos Leites, Tenório, Santana de Almas, Saco do Romão, Barragem do mel, Sítio Gabriel e Matolotagem.

Terra do internacionalmente conhecido músico Moacir Santos, que Iniciou sua carreira no sertão pernambucano como integrante de bandas. Na década de 1940 mudou-se para o Rio de Janeiro, e nessa cidade foi contratado pela Rádio Nacional. Durante dois anos, morou em São Paulo, onde regeu a orquestra da TV Record, voltando logo em seguida para o Rio de Janeiro. Em 1967 mudou-se para Los Angeles pois fora convidado para a estreia mundial do filme "Amor no Pacífico", do qual havia sido compositor. Estabeleceu moradia fixa na região de Pasadena, na Califórnia, onde viveu compondo trilhas para o cinema e ministrando aulas de música. Moacir Santos faleceu em 6 de agosto de 2006, onze dias após completar 80 anos.

Hino:

Letra - Lyrics: Maria Florentino

Música - Melodia: Petronilo Malaquias 

Salve ó terra formosa! Tu és bendita

Nosso lar com o nome de Flores;

Toda cheia de graça infinita

Do Sertão, és a fada de amores!

Bem nascida entre verdes colinas,

Sob o encanto de um céu azulado,

Ao estranho tu sempre dominas

Com o poder do teu riso sagrado,

Sorridente como uma criança,

Descuidosa de sua beleza,

Do futuro és a linda esperança,

Flores velha de sã natureza!

Em setembro tu foste fundada;

Do Sertão tu és a preferida.

E o teu povo tão cheio de vida

Só trabalha por ver-te elevada.

História[editar | editar código-fonte]

Logo após a fundação da Casa da Torre, na segunda metade do século XVI, o português Garcia d'Ávila empenhava-se na colonização das terras às margens do Rio São Francisco, organizando diversas expedições, compostas de portugueses e índios capturados para servirem como escravos, que partiam em diversos rumos, a fim de explorarem fundando aldeias.

Nos meados do ano de 1589, uma daquelas expedições, seguindo as margens do Rio Pajeú chegava a uma aldeia de índios tapuias, localizada à margem esquerda daquele rio no lugar hoje denominado Alto das Flores.

Os Tapuias Rtama estavam em festa, em homenagem ao chefe de uma aldeia na serra da Baixa Verde em Triunfo.O guerreiro Aruan ordenou a prisão dos componentes da expedição, que mais tarde seriam trucidados pelos selvagens salvando-se apenas duas meninas que os índios começaram a adorar como divindades, tal suas belezas, que mais tarde deram-lhe os nomes de Aracê a mas velha e Moema à mais nova. Aquelas meninas ficaram sob a proteção dos guerreiros mais fortes que receavam que fossem capturadas por outros silvícolas.

Por volta de 1603, outra expedição chegava aquele local, mas encontravam os Tapuias Rtama “meio civilizados”, certamente ao contato das duas meninas, que lhe ministravam certos conhecimentos, não só do idioma português, como cultivo da terra, etc. eram uns vinte portugueses e mamelucos, que, entendendo-se com os aborígines, construíram melhores habitações para acomodamento para todos os integrantes da expedição da casa da torre, chefiadas pelo português Simeão Pereira Ganrrinho.Começou assim a fundação de um povoado, à margem direita do Rio Pajeú, mais tarde denominada Povoação de Flores, em alusão ao cultivo de flores a que se destinava Aracê e Moema.

Na data de 11 de setembro de 1783, foi criada a Freguesia de Flores do Pajeú. A vila foi criada, também por alvará, a 15 de janeiro de 1810 oficialmente considerada a data de criação do município. A 20 de maio de 1833, quando uma Resolução Presidencial criou várias comarcas no Estado, Flores tornou-se uma delas, sob a denominação de Comarca do Sertão de Pernambuco.

Em 6 de maio de 1851 a Lei Provincial 280 transferiu a sede do município de Flores para a povoação de Serra Talhada, então denominada Vila Bela, transferindo também a sede da comarca de Pajeú de Flores.[6]

Em 26 de maio de 1858 a Lei Provincial 437 transformou a freguesia de Flores em município.[6]

Depois que o Estado foi dividido em municípios (através da Constituição Estadual de 17 de Junho de 1891), Flores tornou-se município autônomo, através de lei datada de 3 de agosto de 1892. A antiga Comarca de Flores compreendia a vasta área onde estão, hoje, os municípios de Afogados da Ingazeira, São José do Egito, Triunfo, Serra Talhada, Floresta, Tacaratu e Tabira.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de Flores está localizado no Sertão Pernambucano, estando inserido na microrregião do Pajeú. A cidade de Flores pode ser localizada pelas coordenadas 07º52'05" de latitude sul e 37º58'29" longitude oeste, estando a uma altitude de 466 metros. A área municipal ocupa 963,8km² com uma população estimada em 2016 de 22.577 habitantes[3].

Geologia e Relevo[editar | editar código-fonte]

A Bacia de Fátima, está localizada na porção central do estado de Pernambuco, ocupa parte dos municípios de Afogados da Ingazeira, Carnaíba, Flores, Custódia e Iguaraci, possui uma área aproximada de 300 km² e se constitui em importante reservatório de água subterrânea nessa porção do semiárido pernambucano. O aquífero está representado pelos sedimentos da Formação Tacaratu, cuja espessura pode atingir até 500 m em sua porção oeste. Perfurações realizadas pela CPRM, em convênio com a COMPESA e a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco (SECTMA/PE), resultaram na construção de quatro poços, que hoje abastecem Fátima, Custódia, Sítio dos Nunes, Carnaíba e Flores, com água de boa qualidade.[7].

As melhores ocorrências de calcários calcíticos puros, catalogadas no estado de Pernambuco localizam-se nos setores Flores-Carnaíba há jazimentos de calcário calcítico representados por faixas descontínuas de minério aflorante, com aproximadamente 500 m de largura. De acordo com estudos desenvolvidos na região foram individualizados dois setores: Lagoa da Pedra e Pedra do Cal. Devido ao grau de pureza e amplitude de reservas, apresentam possibilidades de aproveitamento industrial. No ano de 2013 foi instalada uma unidade mineradora para a extração do cálcario e fabricação de cimento, a unidade industrial situa-se a 3 km da cidade de Carnaíba, já as jazidas de calcário são explorados nos municípios de Carnaíba, Flores e Solidão.

Mapa2 da localização Bacia de fátima no estado de Pernambuco.svg

Quitimbu
Quixaba
Lagoa da Cruz
Sta C.
da
B. Verde
Triunfo
Canaã
Calumbi
Varzinha
Jericó
Carnaíba
Flores
Iritã
Afogados da Ingazeira
Solidão
Tabira
Iguaraci
Custódia
Sítio dos Nunes
Ibitiranga
Fátima
PARAÍBA
Bacia
de
Fátima
A Bacia de Fátima, está localizada na porção central do estado de Pernambuco, ocupa parte dos municípios de Afogados da Ingazeira, Carnaíba, Flores, Custódia e Iguaraci, possui uma área aproximada de 300 km² e se constitui em importante reservatório de água subterrânea nessa porção do semiárido pernambucano.

Demografia[editar | editar código-fonte]

População, total segundo o último censo e estimativa do IBGE

  • População censo 2010: 22.169 hab.
  • População estimada 2015: 22.588 hab.

População, total, urbana e rural segundo Censo 2010

Total

População total: 22.169 hab.

Urbana

A população urbana do município está distribuída na localidades denominadas (distritos)

Ao todo existem 3 distritos totalizando (9.364 hab.)

Distritos

  • Distrito Sede: 5.025 hab.
  • Distrito de Fátima: 2.629 hab.
  • Distrito de Sítio dos Nunes: 1.710 hab.

Rural

A população Rural do município está distribuída nas localidades denominadas (sítios e povoados)

Existem inúmeros sítios e 5 povoados totalizando (12.805 hab.)

povoados

  • Povoado de São João dos Leites
  • Povoado do Tenório
  • Povoado de Santana de Almas
  • Povoado do Saco do Romão
  • Povoado de Matolotagem

Sítios

Principais comunidades

  • Sítio Saquinho
  • Sítio Moça Branca
  • Sítio Gabriel
  • Sítio Riacho dos Barreiros
  • Sítio Cajá
  • Sítio Serra do Zuza
  • Sítio Caiçara

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. a b Pernambuco » Flores IBGE - acessado em 29 de setembro de 2016
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 1 de outubro de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2012». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. de 2014 
  6. a b CEHM-FIAM. Calendário Oficial de Datas Históricas dos Municípios de Pernambuco. Recife: Centro de Estudos de História Municipal, 1994.
  7. Geodiversidade de Pernambuco

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Pernambuco é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.