Caçapava do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Caçapava do Sul
  Município do Brasil  
Formação rochosa das Guaritas
Formação rochosa das Guaritas
Símbolos
Bandeira de Caçapava do Sul
Bandeira
Brasão de armas de Caçapava do Sul
Brasão de armas
Hino
Lema Caçapava não se entrega
Apelido(s) "Segunda capital farroupilha"
"Capital Nacional do calcário"
"Capital da ufologia"
"Portal do Pampa"
"Capital do carinho"
"Capital gaúcha da geodiversidade"
Gentílico caçapavano
Localização
Localização de Caçapava do Sul no Rio Grande do Sul
Localização de Caçapava do Sul no Rio Grande do Sul
Caçapava do Sul está localizado em: Brasil
Caçapava do Sul
Localização de Caçapava do Sul no Brasil
Mapa de Caçapava do Sul
Coordenadas 30° 30' 43" S 53° 29' 27" O
País Brasil
Unidade federativa Rio Grande do Sul
Municípios limítrofes São Sepé, Cachoeira do Sul, Santana da Boa Vista, Pinheiro Machado, Bagé e Lavras do Sul
Distância até a capital 272 km
História
Fundação 25 de outubro de 1831 (188 anos)
Aniversário 25 de outubro
Administração
Prefeito(a) Giovani Amestoy da Silva (PDT, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 3 047,120 km²
População total (est. IBGE/2018[2]) 33,702 hab.
Densidade 0,01 hab./km²
Clima subtropical (Cfb)
Altitude 444 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000[3]) 0,768 alto
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 369 279,689 mil
PIB per capita (IBGE/2018[4]) R$ 18 111,17

Caçapava do Sul é um município do estado do Rio Grande do Sul, no Brasil. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Caçapava do Sul é um dos municípios mais antigos do Rio Grande do Sul, de clima excelente e estações climáticas bem definidas, com 450 metros de altitude. Seu território está situado na chamada Zona da Campanha, com extensas jazidas de minérios de cobre, cal e caulim. Em sua configuração topográfica observam-se campos majestosos e serras imponentes, com terras escuras e solo silicioso, prestando-se de maneira admirável à criação de gado e à agricultura. Parece ter nascido de um aldeamento de índios, cuja denominação, no tupi­guarani, significa “clareira na mata”.[5]

O território do atual município foi desmembrado dos de Rio Pardo e Cachoeira do Sul[5]. Nas lutas que ensangüentaram o continente de São Pedro, entre portugueses e espanhóis, nos séculos XVII, XVIII e princípios do XIX, o território de Caçapava foi trilhado pelas forças de Castela e Portugal. O início de povoamento de Caçapava começou em terras do capitão Francisco de Oliveira Pôrto, adquiridas a 30 de janeiro de 1792 de Vicente Venceslau Gomes de Carvalho[5].

Nos arredores estabeleceram-se os seguintes povoadores: Antônio dos Santos Menezes, capitão Alexandre de Souza Pereira, Antônio de Azevedo Saldanha, Antônio de Araújo e Pedro José de Melo[5]. Em 5 de julho de 1800, sob o orago de Nossa Senhora da Assunção, foi criada uma capela curada[5]. A incipiente povoação logrou, a seguir, um progresso bastante acentuado, colimando pela resolução de 25 de outubro de 1831, em sua elevação à categoria de vila[5]. Em 19 de janeiro de 1834 deu-se a instalação do município.E, finalmente, a 9 de dezembro de 1855, foi a vila de Caçapava elevada à categoria de cidade[5].

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo "Caçapava" se originou do tupi antigo ka'asababa, que significa "lugar de atravessar a mata" (ka'a, "mata" + asab, "atravessar" + aba, "lugar").[6]

História[editar | editar código-fonte]

Até o século 18, o território atualmente ocupado pelo município de Caçapava do Sul era habitado pelos índios charruas. Nessa época, no lugar de uma aldeia charrua localizada numa clareira da floresta, foi criado um acampamento militar. Em 1777, esse acampamento militar passou a ser denominado "Paragem de Cassapava", em 1800 a pedido dos moradores, que clamavam por atendimento religioso Caçapava passou a ser curato, e como Padroeira do mesmo Nossa Senhora da Assunção, assim passando a ser chamada de Curato de Nossa Senhora da Assumpção de Cassapaba.[7] No sangue dos caçapavanos, corre uma veia histórica e repleta de lutas. Localizada num ponto chave entre as batalhas que se sucederam no Rio Grande do Sul, Caçapava do Sul notabilizou-se na luta por seus ideais de liberdade e justiça. Pela bravura de seus habitantes, conquistou o título de 2ª Capital Farroupilha de 1839 a 1840. O povoado foi elevado à categoria de Vila ao se emancipar em 25 de outubro de 1831 e tornou-se Cidade em 9 de dezembro de 1885.[8]

Em 1848, a pedido do Barão de Caçapava (então presidente da província de São Pedro do Rio Grande do Sul) e por ordens do Dom Pedro II, então Imperador do Brasil, foram construídas, em Caçapava, fortificações para a guerra contra Oribe e Rosas (tais fortificações nunca foram utilizadas). Caçapava foi escolhida devido à sua localização privilegiada. Em 1865, entre aproximadamente 12 e 17 de agosto, passou, por Caçapava, o Imperador brasileiro Dom Pedro II a fim de recrutar voluntários da pátria para a Guerra do Paraguai (1864-1870). Para mostrar desenvolvimento, o Barão do Cerro Formoso mandou calçar a estrada por onde passou dom Pedro II e sua comitiva. Foram dias inolvidáveis para a "deliciosa Caçapava", como a chamou o Augusto Imperador.

Caçapava do Sul também foi considerada, entre as décadas de 1940 e 1990, durante o auge da mineração de cobre na região, a "Capital Brasileira do Cobre".

Cidades Irmãs[editar | editar código-fonte]

Caçapava do Sul possui apenas uma cidade irmã, que é a sua homônima: Caçapava, no estado de São Paulo.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 30º30'44" sul e a uma longitude 53º29'29" oeste, estando a uma altitude de 444 metros. Possui uma área de 3 047,20 quilômetros quadrados e sua população estimada em 2010 era de 33 650 habitantes. É um município que conta com as águas do Rio Camaquã, Santa Bárbara e Irapuá.

Clima[editar | editar código-fonte]

Na madrugada do dia 23 de julho de 2013, registrou-se a queda de neve no município, após 30 anos sem ocorrência do fenômeno. O último registro oficial de neve na cidade teria sido em 1983.[9]Existem, porém, relatos de testemunhas e registros na Prefeitura Municipal de ocorrência de neve em 1994.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia é basicamente sustentada pelos setores de mineração, agricultura e pecuária. É responsável por 80% do calcário produzido no Rio Grande do Sul.

atualmente conta com 7 industrias de calcario: Fida, DB, Monego, Inducal, Sangali, Razzera e Calcario Mudador

A Companhia Brasileira do Cobre - CBC, localizada nas Minas do Camaquã, no terceiro distrito do município, durante muitos anos foi a maior produtora de cobre do país. Foi fundada em 1942. Durante muitos anos, pertenceu ao italiano, naturalizado brasileiro, Francisco Baby Matarazzo Pignatari. Chegou a gerar 30% da arrecadação do município, mas encerrou as atividades de produção em 1996. Hoje, a empresa desenvolve, em parceria com o Grupo Votorantim, pesquisas minerais nas áreas de chumbo, zinco, cobre e ouro. A previsão é de que, num futuro próximo, retomem às atividades mineiras nas Minas do Camaquã, na região da Fazenda Santa Maria, alavancando, assim, o progresso nesta região.

Na agricultura, Caçapava do Sul está se destacando como um dos municípios com maior área plantada de oliveiras no Sul do Brasil, possuindo, inclusive, uma indústria de beneficiamento de azeite de oliva localizada na Vila Progresso, na rodovia BR-290.

Educação[editar | editar código-fonte]

Campus de Caçapava do Sul da Universidade Federal do Pampa.

Caçapava do Sul possui duas unidades de ensino superior. São elas: Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA) [2] Centro Universitário Internacional UNINTER - Polo Caçapava do Sul.

A Universidade Federal do Pampa foi oficialmente criada em Caçapava do Sul via decreto presidencial[10] do então Presidente da República, Luis Inácio Lula da Silva no dia 11 de janeiro de 2008. A sua implantação remonta o ano de 2006 com a criação de um Consórcio entre a Universidade Federal do Santa Maria (responsável por implantar os campi Alegrete, Uruguaiana, São Gabriel, Itaqui e São Borja) e Universidade Federal do Pelotas (responsável pela implantação dos campi Santana do Livramento, Dom Pedrito, Bagé, Jaguarão e Caçapava do Sul).

O Campus Caçapava do Sul aos dezoito dias do mês de setembro de 2006, às 14 horas, nas dependências do Campus Provisório, localizado em dois pavilhões da Escola Estadual Eliana Bassi de Mello, foi realizado o evento de instalação do Curso de Geofísica (Primeiro curso da UNIPAMPA em Caçapava do Sul)[11]. A partir de março de 2009, iniciaram, mais dois cursos no Campus Caçapava: Licenciatura em Ciências Exatas e o Curso Superior de Tecnologia em Mineração (Primeiro curso tecnológico em Mineração do Brasil).

Em setembro de 2009, a Universidade transferiu-se para o campus definitivo, situado na Av. Pedro Anunciação, s/n em uma área de 4.577,89 metros quadrados de área construída. Em outubro de 2010 foi proposta para o Conselho de Campus e ao Conselho Universitário da UNIPAMPA a criação de mais um curso de graduação, Bacharelado em Geologia, implementado em 2011. Em 2011 foi proposta para o Conselho de Campus e ao Conselho Universitário da UNIPAMPA a criação de mais um curso de graduação, Engenharia Ambiental e Sanitária, a ser implementado em 2012.

No ano de 2012, em parceria com o Campus de Bagé, foi criado o Mestrado Profissional em Ensino de Ciências, cuja administração inicial ficou a cargo do campus de Bagé, com a colaboração de espaço físico e de docentes do campus de Caçapava do Sul. Também, no ano de 2012, foi encaminhada e aprovada a proposta do Mestrado Profissional em Tecnologia Mineral, a ser implementada em 2013.

Cursos de Graduação da Universidade Federal do Pampa em Caçapava do Sul Número de Alunos[12]
Bacharelados - Geologia (clique para acessar página do curso)


- Geofísica (clique para acessar página do curso)

205 (geologia)


32 (geofísica)

Engenharias - Engenharia Ambiental e Sanitária (clique para acessar página do curso)


- Engenharia de Minas (em fase de implantação - previsto para 2020)

112 (Eng. Amb.)


000 (Eng. Minas)

Tecnológicos - Tecnologia em Mineração (clique para acessar página do curso) 73 (Mineração)
Licenciaturas - Licenciatura em Ciências Exatas (clique para acessar a página do curso)


* Na Licenciatura. em Ciências Exatas o aluno direciona seus estudos e ao final do curso terá habilitação de Licenciado em Matemática, Física, Química, ou Ciências Naturais

81 (Lic. Exatas)
Cursos de Pós-Graduação da Universidade Federal do Pampa em Caçapava do Sul
Mestrados - Mestrado em Tecnologia Mineral (clique para acessar a página do curso)


- Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (clique para acessar a página do curso)


- Mestrado em Acadêmico Geociências (Geologia) (em fase de implantação - Previsto para 2020)

28
Especializações - Especialização em Educação Científica e Tecnológica (clique para acessar a página do curso)


- Especialização em Gestão e Educação Ambiental (clique para acessar a página do curso)


- Especialização em Geofísica e Geologia Aplicadas à Recursos Naturais e Meio Ambiente (clique para acessar a página do curso)

Total de alunos de graduação e pós-graduação no campus 535


Capital Gaúcha da Geodiversidade[editar | editar código-fonte]

Vale de Santa Bárbara - Caçapava do Sul

Em 23 de junho de 2015, o Plenário da Assembleia Legislativa do Estado do RS aprovou por unanimidade o Projeto de Lei de autoria do Deputado Estadual Pedro Westphalen, que institui Caçapava do Sul como Capital Gaúcha da Geodiversidade.

O Projeto de Lei nº 164/2014[13] declara:

Declara o Município de Caçapava do Sul como a Capital Gaúcha da Geodiversidade, e dá outras providências. Art. 1º Fica atribuído ao Município de Caçapava do Sul, no Estado do Rio Grande do Sul, o título de "Capital Gaúcha da Geodiversidade”.

Conforme há destaque:

Em seus pouco mais de 3 mil quilômetros quadrados de área, possui uma diversidade de contextos geológicos sem paralelo em escala estadual[14]. Possui ocorrências de todos os principais tipos de rochas, estruturas,  mineralizações e feições resultantes dos processos terrestres[14]. Tais atributos geológicos constituem o registro de uma evolução longa e complexa, que se iniciou há mais de 2 bilhões de anos. Além disso, no território do município há evidências de mares tropicais muito antigos e erupções vulcânicas de diferentes composições e estilos.[14] A excelência didática das exposições de rocha e das paisagens de Caçapava do Sul tem trazido a este município, nos últimos 50 anos, grupos numerosos de profissionais, pesquisadores, professores e estudantes de todas as geociências, não apenas das escolas gaúchas de geologia e geografia, mas também de outras regiões do Brasil, para adquirirem ou aperfeiçoarem seus conhecimentos; o município é uma perfeita “sala de aula ao ar livre” para o ensino das geociências em todas as suas vertentes. [14]


O Projeto "Geoparque Caçapava do Sul"[editar | editar código-fonte]

Em 02 de outubro de 2019, no auditório da Universidade Federal do Pampa campus Caçapava do Sul, houve uma audiência pública aberta a comunidade para discutir os objetivos e propósitos de um Geoparque no município.

Segundo informações da UFSM[15], o projeto, fruto de uma parceria entre UFSM e Unipampa, iniciou suas atividades de forma institucional a partir deste ano, e a audiência pública é parte de uma estratégia de sensibilização, que visa popularizar a ideia e demonstrar a amplitude que um geoparque abrange.

Na ocasião, além da explanação e esclarecimentos de dúvidas, foi lançado o projeto de Centro Interpretativo para o município[15] – O Centro Interpretativo em questão servirá ao propósito de manter viva a memória do passado da cidade de Caçapava do Sul e seu patrimônio cultural; substituindo o prédio do antigo Clube Recreativo 1º de Maio por uma edificação que representará um ponto de preservação da identidade local e de transmissão de conhecimento. Além disso, poderá ser um ponto de encontro para os turistas e também a origem das diversas opções de lazer da cidade.[15]

Religião[editar | editar código-fonte]

De acordo com o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2010, cerca de 80% da população de Caçapava do Sul declara-se católica. 10% declara-se protestante. E 8,5% declara-se de outras religiões. No entanto, nos últimos anos, houve um considerável crescimento do número de protestantes na cidade, destacando-se a Igreja Evangélica Assembléia de Deus. E a comunidade espírita federada à Federação Espírita do Rio Grande do Sul.[16]

Hino de Caçapava do Sul[editar | editar código-fonte]

Letra: Clara Haag Kipper

Melodia: Victor Neves

Houve índios que abriram a clareira

Construindo na mata frondosa

A aldeia futura cidade,

Caçapava, lendária e gloriosa.

E arados sulcaram a terra,

Espalhando a semente no chão...

As coxilhas ficaram mais verdes

E o labor se tornou tradição.


Sentinela avançada dos Cerros

Capital de beleza e de amor

Há riquezas guardadas em teu solo,

Numa festa de luz e de cor

Há promessas de paz e esperança

Nesta terra de tanto valor

Quantas vezes nos dias passados,

Escrevendo um pedaço da história

Os heróis Farroupilhas tombaram

Em momentos solenes de glória,

Cantam hinos as águas da fonte

Recordando que és berço dourado,

De homens fortes, que forjam o futuro,

No presente cultuando o passado

Sentinela avançada dos Cerros

Capital de beleza e de amor

Há riquezas guardadas em teu solo,

Numa festa de luz e de cor

Há promessas de paz e esperança

Nesta terra de tanto valor

Cultura[editar | editar código-fonte]

O município já sediou gravações de filmes e miniseries: como "Anahy de las Misiones" - 1997, do diretor Sérgio Silva - falecido em 15 de agosto de 2012, com o elenco: Araci Esteves, Marcos Palmeira, Dira Paes, Paulo José, Giovanna Gold, Fernando Alves Pinto, Matheus Nachtergaele, Claudio Gabriel, Ivo Cutzarida, Leverdógil de Freitas, Roberto Birindelli, Marcos Barretto e Oscar Simch.

"Valsa para Bruno Stein" - 2007, do diretor Paulo Nascimento, com o elenco: Walmor Chagas, Ingra Liberato (a qual ganhou o Kikito de melhor atriz em 2008), Araci Esteves, Carmen Silva, Nicola Siri, Fernanda Moro, Leonardo Machado, Marcos Verza, Sirmar Antunes, Clemente Viscaino, Yonara Karan e Sérgio Montavani.

Série "Animal", do canal GNT, com Edson Celulari como protagonista.

Atualmente, Caçapava do Sul é palco de outra gravação: o mais novo filme do diretor Tabajara Ruas, "Senhores da Guerra". Além de cenário do filme, Caçapava do Sul também é a terra do escritor José Antonio Severo, autor do livro de mesmo nome no qual o filme é inteiramente baseado.

Nas Minas do Camaquã (3º distrito de Caçapava do Sul), existe a Associação Projeto Portal, onde centenas de ufólogos do Rio Grande do Sul e de outros estados fazem, periodicamente, encontros ufológicos na região sob o comando do paulista Urandir Fernandes de Oliveira (UFO).

Turismo[editar | editar código-fonte]

No município, há um famoso ponto turístico natural, chamado Pedra do Segredo, uma elevação natural que atrai montanhistas e turistas do estado e de diversas outras regiões do país.

Principais pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

Guaritas
Igreja Matriz Nossa Senhora da Assunção
Casa dos Ministérios
Casa de Borges de Medeiros
  • Pedra do Segredo (a 5 quilômetros da cidade) - distante de Caçapava do Sul cerca de 5 quilômetros pela RS-357 (Caçapava do Sul - Lavras do Sul). É muito procurada por montanhistas e amantes da natureza.[17]
  • Forte de Dom Pedro II de Caçapava (Rua principal) - localizado na região norte da cidade de Caçapava do Sul. As paredes de pedra e cal possuem a largura média de 1 metro e sua altura varia de 8 a 10 metros conforme sua colocação no nível do terreno. Possui a forma de um polígono hexagonal com um volume calculado em 18 824 metros cúbicos. A finalidade principal da construção do Forte Dom Pedro II era defender o atual Estado do Rio Grande do Sul de invasores: no caso de um insucesso militar, aqui seria recolhido o exército, fora do alcance da cavalaria inimiga.[17]
  • Cascata do Salso (a 8 quilômetros do Centro de Caçapava do Sul) - Sua queda tem altura superior a 20 metros. Fica entre montes cobertos pela mata.
  • Minas do Camaquã (a 70 quilômetros) - Pedra da Cruz, da Estrela, Casa de Pedra (atual centro de tradições gaúchas Ronda Crioula), Antigo Clube dos Mineiros, Área Industrial e Barragem d'água
  • Casa de Borges de Medeiros (local de seu nascimento) - Centro
  • Casa dos Ministérios - Farrapos (Centro) - pertenceu a José Pinheiro de Ulhoa Cintra, jornalista e Ministro de diversas pastas da República Rio-Grandense. Nessa casa foram instalados os ministérios do Governo Republicano Rio-Grandense em 1839, período em que Caçapava do Sul foi Capital Farroupilha (2ª Capital). Prédio tombado pelo patrimônio Histórico (IPHAE), que infelizmente não tem dado muito apoio para sua preservação, face a burocracia existente.
  • Igreja Matriz Nossa Senhora da Assunção (Centro) - Começou a ser construída em 15 de agosto de 1815 e só foi concluída em 1935, trazendo características de todo esse tempo. É uma das mais belas do Estado. A Igreja Matriz apresenta linhas portuguesas, telhas francesas e os zimbórios de suas torres foram confeccionados com cobre das Minas de Cobre de Caçapava do Sul (CBC).[17]
    Forte Dom Pedro II e Igreja Matriz N. S. da Assunção ao fundo.
  • Guaritas (a 53 quilômetros da cidade) - distante 50 quilômetros da cidade, é uma cadeia de serras com vales profundos e pedras gigantescas, que formam desenhos curiosos.[17]
  • Fonte do Conselheiro (Centro) - construída pelo Presidente da Província General Francisco João Soares de Andréia, Barão de Caçapava, que era chamado de Conselheiro por ter sido Conselheiro do Digníssimo Império do Perpétuo do Brasil. O nome da Fonte de Conselheiro foi dado em sua homenagem. A fonte abasteceu, na época, os construtores do Forte Dom Pedro II e da Igreja Matriz Nossa Senhora da Assunção. Localizada no Centro da cidade, na esquina da Praça da Matriz, é um monumento tradicional da história de Caçapava do Sul.
  • Fonte do Mato (Centro) - está localizada na Rua 7 de Setembro. Foi uma das primeiras fontes a abastecer Caçapava do Sul com água potável.
  • Passo das Carretas (a 50 quilômetros da cidade)
  • Morro da Angélica (local ideal para salto de asa delta e paraglider. Um dos mais procurados no momento por esportistas radicais.

Mídia[editar | editar código-fonte]

Imprensa escrita[editar | editar código-fonte]

Atualmente, Caçapava do Sul possui dois jornais em circulação: Gazeta de Caçapava e Jornal do Pampa.

Rádio[editar | editar código-fonte]

Atualmente, a cidade possui três emissoras de rádio: a Rádio Caçapava, que completou 60 anos em 2011; rádio Nova Era FM; e a rádio Portal FM.[18]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Caçapava do Sul possui quatro repetidoras de televisão.


Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Caçapava do Sul é a cidade natal:

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  2. «Estimativas populacionais para os municípios e para as Unidades da Federação brasileiros em 01.07.2016» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 22 de junho de 2017 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  5. a b c d e f g «Caçapava do Sul, História e Fotos». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2017. Consultado em 27 de novembro de 2019  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  6. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 550.
  7. Caçapava do Sul-RS. Disponível em Prefeitura Municipal de Cacapava do Sul - RS Acesso em 18 de julho de 2015.
  8. http://www.prefeitura.cacapava.net/newsite/index.html?i=18 (Prefeitura de Caçapava do Sul). Página visitada em 31 de dezembro de 2011.
  9. «Voltou a nevar em Caçapava do Sul após 30 anos». Zero Hora. 23 de julho de 2013. Consultado em 18 de julho de 2017. Cópia arquivada em 22 de julho de 2015 
  10. [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11640.htm «Lei n� 11.640»]. www.planalto.gov.br. Consultado em 27 de novembro de 2019  replacement character character in |titulo= at position 6 (ajuda)
  11. «Relatório de Gestão 2008-2012 do Campus Caçapava do Sul» (PDF). Universidade Federal do Pampa - Caçapava do Sul. Janeiro de 2013. Consultado em 27 de novembro de 2019  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  12. «Dados Abertos - Relatório de Alunos Matriculados por Curso (GURI, Relatório 7045)». Universidade Federal do Pampa - Gestão Unificada de Recursos Institucionais (GURI). 25 de novembro de 2019. Consultado em 27 de novembro de 2019  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  13. «::: BANCO DE DADOS DE PROCESSO LEGISLATIVO :::». proweb.procergs.com.br. Consultado em 27 de novembro de 2019 
  14. a b c d «Geodiversidade». Turismo Caçapava do Sul. Consultado em 27 de novembro de 2019 
  15. a b c «Projeto Geoparque de Caçapava do Sul é apresentado em audiência pública». PRE. 10 de outubro de 2019. Consultado em 27 de novembro de 2019 
  16. [1]
  17. a b c d http://www.redeagro.com.br/cooper/Riqueza.htm (COTRISUL). Página visitada em 31 de dezembro de 2011.
  18. http://www.diocesenet.com.br/COMUNICACAO.htm (Diocese de Cachoeira do Sul). Página visitada em 31 de dezembro de 2011.
Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Caçapava do Sul

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]