Barsa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Barsa (desambiguação).
Emblem-scales.svg
A neutralidade deste(a) artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Enciclopédia Barsa Universal
Autor (es) Vários
Idioma Português
País  Brasil
Assunto Enciclopédia
Género Obra de referência
Linha temporal 1964–1996: Enciclopédia Barsa (16 volumes)

1997–2006: Nova Enciclopédia Barsa (19 volumes)

2007–atual: Enciclopédia Barsa Universal (18 volumes)

Editora Barsa Planeta Internacional Ltda.
Lançamento 1964

Barsa é uma enciclopédia atualmente de propriedade do grupo espanhol Editorial Planeta, que publica enciclopédias em quase toda a América Latina. A enciclopédia Barsa foi comprada pela Editorial Planeta no ano de 2000 e, no caso do Brasil, o grupo possui filiais em São Paulo, Curitiba, Goiânia, Florianópolis e Belo Horizonte, entre outras cidades.

História[editar | editar código-fonte]

Com a primeira edição lançada em 1964[1], a Enciclopédia Barsa apresenta uma trajetória de sucesso, com publicações anuais ininterruptas e recordes de vendas. Só em 2005 foram vendidos 152 mil exemplares.[2][3][4][5][6]

Idealizada em 1959, por Dorita Barrett, herdeira da família Barrett, detentora da Enciclopédia Britânica, a Barsa foi a primeira enciclopédia brasileira, desenvolvida por um corpo editorial nacional de excelência – o jornalista e escritor Antônio Callado foi o redator-chefe da primeira edição – e até hoje é referência como canal de conhecimento de forte credibilidade.[2][3][4][5][6]

Uma das edições no acervo de uma biblioteca municipal no Piauí.

Encantada com o Brasil, Dorita achou que o país merecia mais do que uma simples tradução da enciclopédia Britânica: precisava ter um conteúdo próprio.[2][3][4][5][6]

O nome Barsa é uma combinação entre os sobrenomes do casal Dorita Barrett (Bar) e seu marido, o então diplomata brasileiro, Alfredo de Almeida Sá (Sa). Até então, no mercado brasileiro só era possível encontrar enciclopédias em inglês, alemão ou francês. Quando lançada, a edição foi esgotada em 8 meses.[1][2][3][4][5][6]

Tipos de enciclopédia[editar | editar código-fonte]

Segundo o redator-chefe da primeira Barsa, Antonio Callado, há duas maneiras de fazer enciclopédias: uma delas seria a da enciclopédia “informativa”; a outra, da “persuasiva”. A primeira oferece ao leitor a maior quantidade possível de conhecimentos produzidos pela humanidade até o momento de sua publicação; a segunda, traz os mesmos conhecimentos mas está principalmente voltada para a transformação do leitor. Quer “mudar a visão que os homens têm do mundo”.[7]

A primeira Barsa era uma espécie de híbrido, pois era informativa, mas também pretendia uma difusão de idéias que estavam, muita vez, na vanguarda do conhecimento e que eram apresentadas sob o aspecto autoral. Dessa forma, a Barsa usou um recurso já utilizado por outras enciclopédias: divulgar as ideias dos grandes pensadores solicitando que os mesmos as escrevessem. Assim, o primeiro texto sobre psicanálise publicado na Brittanica foi produzido pelo próprio Sigmund Freud. Da mesma maneira, a primeira Barsa contava com verbetes feitos por intelectuais brasileiros renomados.[7]

Atualidades[editar | editar código-fonte]

A Enciclopédia Multimídia Barsa de 2006, versão 6.0, possui recursos e ferramentas aprimoradas para navegação de seu conteúdo. São destaques o novo mecanismo de busca centralizado, que integra o índice de A a Z (por título de verbete), busca de multimídia e também a aplicação de filtros temáticos (geográfico e cronológico). Além disso, os CD´s e DVD´s ROM da Enciclopédia passaram por uma completa reformulação em seu projeto gráfico e ganharam tecnologia web flash, dando mais interatividade à consulta e pesquisa.[8]

Em sua versão 2006, foram incorporados 100 novos elementos audiovisuais e pelo menos 15 interatividades que permitem ao consulente interagir e adquirir novos conhecimentos por meio de um laboratório virtual. O Atlas ficou mais ágil e informativo: ao passar o mouse por cima dos países, estados ou cidades, é possível obter informações como densidade demográfica, PIB, características geopolíticas e geográficas e redirecionadas ao conteúdo da enciclopédia sempre que quiser. Qualquer palavra nos conteúdos dos textos é remetida por um clique duplo ao dicionário da língua portuguesa.[8]

No ar desde janeiro de 2006, o portal Barsa Saber integra o sistema de conhecimento multimídia da Barsa, primeira enciclopédia do país, e pioneira na versão digital interativa.

Atualizado semanalmente, o portal Barsa Saber oferece conteúdos de interesse geral e de atualidade tratados com o rigor enciclopédico característico da Grande Barsa.[9]

O site é composto por cinco seções principais, dentro do canal “Entender o Mundo”: Dossiês, Monografias, Artigos Temáticos, Biografias e Atualidades. As seções, diferentes em abordagem e em grau de aprofundamento, são complementares e cobrem as áreas de História e Política, Cultura, Ciência, Tecnologia e Sociedade.[9]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Inimiga do 'Ctrl C + Ctrl V', Barsa segue fiel ao papel e lança nova edição». G1 
  2. a b c d Millarch, Aramis (29 de novembro de 1987). «As bolsas que Dorita deixou na Britannica». Tabloide Digital. Cópia arquivada desde o original em 18 de fevereiro de 2017. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  3. a b c d Knapp, Inácio (22 de março de 2012). «Enciclopédias, livros, cartas e gentilezas». Revista Digital. Cópia arquivada desde o original em 18 de fevereiro de 2017. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  4. a b c d O Explorador (27 de fevereiro de 2013). «Dorita Barrett, criou a Barsa e descendia de um dos criadores da Britannica». Cópia arquivada desde o original em 18 de fevereiro de 2017. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  5. a b c d Duarte, Marcelo. «10 curiosidades sobre a Enciclopédia Britânica». Guia dos Curiosos. Cópia arquivada desde o original em 18 de fevereiro de 2017. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  6. a b c d Duarte, Marcelo (27 de março de 2012). «A trajetória histórica da Enciclopédia Britânica». Guia dos Curioso. Cópia arquivada desde o original em 18 de fevereiro de 2017. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  7. a b Enciclopédia Barsa 1973, vol. 16, p. 8-11.
  8. a b «Enciclopédia Multimídia Barsa». Planeta de Livros. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  9. a b Barsa Planeta. «Barsa Saber». Consultado em 18 de fevereiro de 2016