João Alfredo Correia de Oliveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
João Alfredo Correa de Oliveira
Presidente do Conselho de Ministros
Período 10 de março de 1888
a 7 de junho de 1889
Monarca Pedro II
Antecessor(a) O Barão de Cotejipe
Sucessor(a) O Visconde de Ouro Preto
Ministro da Fazenda
Período 10 de março de 1888
a 7 de junho de 1889
Antecessor(a) Francisco Belisário de Sousa
Sucessor(a) O Visconde de Ouro Preto
Presidente da Província de São Paulo
Período 19 de outubro de 1885
a 26 de abril de 1886
Antecessor(a) Elias Antônio Pacheco e Chaves
Sucessor(a) O Barão da Parnaíba
Ministro dos Negócios
Período 29 de setembro de 1870
a 25 de junho de 1875
Antecessor(a) Paulino José Soares de Sousa
Sucessor(a) José Bento da Cunha Figueiredo
Presidente da Província do Grão-Pará
Período 10 de novembro de 1870
a 7 de março de 1871
Antecessor(a) Jerônimo José Teixeira Júnior
Sucessor(a) Teodoro Machado Freire da Silva
Período 2 de dezembro de 1869
a 17 de abril de 1870
Antecessor(a) Manuel José de Siqueira Mendes
Sucessor(a) Abel Graça
Vida
Nascimento 12 de dezembro de 1835
Ilha de Itamaracá, Pernambuco,
Brasil
Morte 6 de março de 1919 (83 anos)
Rio de Janeiro, Distrito Federal,
 Brasil
Dados pessoais
Partido Conservador

João Alfredo Correa de Oliveira[1] (Ilha de Itamaracá, 12 de dezembro de 1835Rio de Janeiro, 6 de março de 1919) foi um político, abolicionista e monarquista brasileiro.

Integrado no Partido Conservador esteve ligado à formulação da Lei do Ventre Livre e da Lei Áurea. Foi também o principal articulador da primeira lei universalizante sobre o registro civil no Brasil, em 1874.

Foi deputado provincial, deputado geral e ainda Ministro dos Negócios do Império (março de 1870 a junho de 1875) duração esta que foi a mais longa de um ministro nesta pasta (digno de nota, já que à época, poucos mandatos ministeriais duraram mais que 18 meses).[2]

Outros cargos ocupados incluem o de ministro da Agricultura, presidente do Conselho de Ministros (de 10 de março de 1888 a 7 de junho de 1889), conselheiro de Estado, presidente das províncias do Pará (2 de dezembro de 1869 a 17 de abril de 1870) e São Paulo (19 de outubro de 1885 a 26 de abril de 1886[3]) e ainda senador, de 1877 a 1889.

Foi presidente do Conselho de Ministros (primeiro-ministro de D. Pedro II), de 10 de março de 1888 a 7 de junho de 1889. Foi chefe do governo e maior adversário de Joaquim Nabuco em Pernambuco. Seu ministério assegurou a aprovação parlamentar do projeto da Lei Áurea, sancionada pela Princesa Isabel, que exercia o cargo de regente do império em razão de viagem do Imperador à Europa.

Presidiu o Banco do Brasil, após a proclamação da república .

O gabinete de 10 de março de 1888[editar | editar código-fonte]

Foi presidente do Conselho de Ministros e simultaneamente ministro da Fazenda

Referências

  1. Pela grafia arcaica, João Alfredo Corrêa de Oliveira.
  2. Castanha, André P. «O Ato Adicional de 1834 e a instrução elementar no império:descentralização ou centralização?». openthesis.org. Consultado em 15 de dezembro de 2015 
  3. «Lista de governadores de São Paulo» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Manuel José de Siqueira Mendes
Presidente da província do Pará
1869 — 1870
Sucedido por
Abel Graça
Precedido por
Jerônimo José Teixeira Júnior
Ministro dos Transportes do Brasil
e
Ministro da Agricultura do Brasil

1870 — 1871
Sucedido por
Teodoro Machado Freire Pereira da Silva
Precedido por
Paulino José Soares de Sousa
Ministro dos Negócios do Império do Brasil
1871
Sucedido por
'
Precedido por
Elias Antônio Pacheco e Chaves
Presidente da província de São Paulo
1885 — 1886
Sucedido por
Antônio de Queirós Teles, conde da Parnaíba
Precedido por
Barão de Cotejipe
Presidente do Conselho de Ministros
1888 — 1889
Sucedido por
Visconde de Ouro Preto
Precedido por
Francisco Belisário Soares de Sousa
Ministro da Fazenda do Brasil
1888 — 1889
Sucedido por
Afonso Celso de Assis Figueiredo


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.