Otávio Correia de Araújo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Otávio Corrêa de Araújo (Cabaceiras (PB), 27 de outubro de 1900Recife, 24 de maio de 1993) foi um político brasileiro.[1]

Assumiu o governo de Pernambuco em duas oportunidades: a primeira na qualidade de presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (1947/1948); a segunda, como vice-governador (1958/1959).[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho de Tranquilino Corrêa de Araújo e de Severina Cavalcanti de Araújo. Cursou o Ginásio Pernambucano e bacharelou-se pela Faculdade de Direito de Recife, em 1928.[2]

Em 1930 foi nomeado prefeito de Vertentes, em Pernambuco. Após o fim do Estado Novo (1937-1945), elegeu-se deputado estadual constituinte em Pernambuco, no pleito de janeiro de 1947, pelo Partido Social Democrático (PSD).[2] Presidiu a Assembléia pernambucana durante os trabalhos constituintes e, nessa condição, após a promulgação da nova Carta em julho de 1947, assumiu o governo de Pernambuco em substituição ao interventor Amaro Gomes Pedrosa.[2] Transmitiu o cargo em fevereiro do ano seguinte a Alexandre José Barbosa Lima Sobrinho, que fora eleito governador em janeiro de 1947 e cuja posse fora retardada em consequência de recursos interpostos por seus adversários na Justiça Eleitoral do Brasil. Reassumiu interinamente o governo pernambucano em junho de 1949.[2]

No pleito de outubro de 1950 elegeu-se deputado federal por Pernambuco, na legenda da Coligação Democrática Pernambucana, formada pela União Democrática Nacional (UDN), o Partido Republicano (PR), o Partido de Representação Popular (PRP), o Partido Democrata Cristão (PDC), o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e o Partido Libertador (PL).[2] Iniciou o mandato em fevereiro do ano seguinte, licenciando-se de dezembro de 1952 a julho de 1954 para ocupar a Secretaria do Interior e Justiça de Pernambuco durante o governo de Etelvino Lins (1952-1954).[2]

Em 1954 elegeu-se novamente deputado estadual, na legenda da Aliança Social Democrática, constituída pelo Partido Social Progressista (PSP) e o Partido Libertador (PL).[2] Deixou a Câmara dos Deputados em janeiro de 1955, para assumir no mês seguinte o mandato no Legislativo pernambucano. Em 1957 foi eleito pela Assembléia Legislativa, por votação indireta, para o cargo de vice-governador.[2] Em outubro de 1958 reelegeu-se deputado estadual, na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), exercendo o mandato até o final da legislatura.[2]

Com a cassação dos mandatos de alguns deputados, em razão do Ato Institucional Número Um (AI-1), de abril de 1964, baixado pelos militares após a deposição do presidente João Goulart, veio a assumir uma vaga na Assembléia Legislativa pernambucana.[2] Em 1966, foi candidato a suplente de senador pela legenda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar, mas não foi eleito.[2]

Aposentou-se em 1970, quando ocupava o cargo de assessor jurídico do Ministério da Agricultura.[2]

Referências

Precedido por
Amaro Gomes Pedrosa
Governador de Pernambuco
19471948
Sucedido por
Barbosa Lima Sobrinho
Precedido por
Osvaldo Cordeiro de Farias
Governador de Pernambuco
19581959
Sucedido por
Cid Feijó Sampaio
Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.