Paulo Câmara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o vereador e presidente da Câmara Municipal de Salvador, veja Paulo Sérgio de Sá Bittencourt Câmara.
Paulo Câmara
Paulo Câmara durante a votação nas eleições gerais no Brasil em 2014.
57.° Governador de Pernambuco
Período 1º de janeiro de 2015
até a atualidade
Vice-governador(a) Raul Henry
Antecessor(a) João Lyra Neto
Secretário da Fazenda de Pernambuco
Período 2011–2014
Governador Eduardo Campos
Secretário de Turismo de Pernambuco
Período 2010–2011
Governador Eduardo Campos
Secretário de Administração de Pernambuco
Período 2007–2010
Governador Eduardo Campos
Dados pessoais
Nome completo Paulo Henrique Saraiva Câmara
Nascimento 8 de agosto de 1972 (45 anos)
Recife, Pernambuco
Alma mater Universidade Federal de Pernambuco
Cônjuge Ana Luiza Câmara
Partido PSB
Profissão Economista e político

Paulo Henrique Saraiva Câmara (Recife, 8 de agosto de 1972) é um economista e político brasileiro. É o atual governador do estado de Pernambuco.[1]

Paulo é casado com Ana Luiza Câmara e tem duas filhas.

Formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Pernambuco, pós-graduado em Contabilidade e Controladoria Governamental e mestre em Gestão Pública, todos pela mesma instituição.

Foi Secretário de Administração (2007–2010), Secretário de Turismo (2010) e Secretário da Fazenda de Pernambuco (2011–2014) durante a administração do então governador Eduardo Campos.[2][3]

Em 2014 foi eleito governador de Pernambuco no primeiro turno, com 68% dos votos, sendo o candidato a governador mais bem-votado do país naquela eleição.

Carreira profissional[editar | editar código-fonte]

Paulo Câmara sempre foi servidor público. Aos 20 anos foi escriturário concursado do Banco do Brasil, em Ribeirão, na Zona da Mata. Em 1995, foi para o Tribunal de Contas do Estado, onde exerceu o cargo de auditor das contas públicas também teve a oportunidade de passar pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (2003), pela Câmara de Vereadores do Recife (2005) e, a partir de 2007, fez parte da gestão do governador Eduardo Campos.[4][5]

Governo de Pernambuco[editar | editar código-fonte]

Secretaria de Administração[editar | editar código-fonte]

Em 2007, Paulo Câmara assumiu a Secretaria de Administração do Estado (SAD). Em sua gestão à frente da SAD, destaque para os benefícios direcionados para os Servidores do Governo. Dentre outras ações, Paulo Câmara instituiu o Calendário Semestral de Pagamento dos Servidores, a recuperação das perdas salariais dos servidores, com reajustes expressivos para todas as categorias e com ganhos reais acima da inflação e a construção do Centro de Formação do Servidor.[6]

Em 2008, a secretaria criou o Curso Superior Sequencial de Formação Específica em Administração Pública. Trata-se de uma graduação exclusiva para servidores estaduais, ministrada pela Faculdade de Ciências e Administração da UPE, através da Escola de Governo de Pernambuco, com o objetivo de formar gestores públicos.[7][8]

Secretaria de Turismo[editar | editar código-fonte]

Em 2010, Paulo Câmara assumiu a pasta de Turismo. Durante a sua gestão, desenvolveu alguns projetos focados na especialização dos serviços oferecidos aos turistas, entre eles o programa "Taxista Amigo do Turista", que promovia qualificação em inglês e espanhol para os profissionais. Na sua gestão, também foram realizadas obras de infraestrutura, como o acesso às praias dos Litorais Sul e Norte, e a ampliação do sistema de abastecimento de água e tratamento de esgoto sanitário da Praia dos Carneiros e da cidade de Rio Formoso, no Litoral Sul do Estado.[9][10][11]

Secretaria da Fazenda de Pernambuco[editar | editar código-fonte]

Paulo Câmara assumiu a secretaria da Fazenda em 2011. Entre as ações desenvolvidas, destaque para a criação do Fundo Estadual dos Municípios, o FEM, que viabilizou R$ 228 milhões a prefeituras de Pernambuco em 2013.[12][13]

Eleição ao governo de Pernambuco[editar | editar código-fonte]

Paulo Câmara com Leda Nagle à sua direita e a primeira-dama de Pernambuco, juíza Ana Luiza Câmara, à sua esquerda, entre outras personalidades durante a Fliporto 2014 em Olinda.

Naquela eleição Paulo Câmara era estreante na política, filiado ao PSB desde outubro de 2013.[14][15] Foi indicado para concorrer à sucessão estadual, que tinha como integrantes da chapa o deputado federal Raul Henry do PMDB como vice e o ex-ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho do PSB para concorrer ao Senado.[16][17] Naquele ano foi o candidato a governador mais bem-votado do país, ele obteve 68% dos votos em Pernambuco deixando para trás o então candidato do PTB Armando Monteiro, que ficou com um pouco mais de 31% dos votos válidos.[18][19]

Foi eleito governador de Pernambuco no primeiro turno, com mais de 3.000.000 votos.[20] Carregava o peso de dar continuidade ao governo de seu padrinho político, Eduardo Campos, ex-governador do estado e candidato a presidência do Brasil, que morreu em um acidente aéreo em 13 de agosto de 2014 no meio da disputa eleitoral daquele ano.[21][22]

Aliado à comoção que tomou o Estado na tragédia que matou Campos, o forte palanque composto de 21 partidos resultou na vitória de Marina Silva em Pernambuco.[23][24] Terceira colocada na disputa ao Planalto, ela obteve 48% dos votos no Estado. Em 8 de outubro de 2014, o PSB anunciou seu apoio ao candidato Aécio Neves (PSDB) no segundo turno da corrida à Presidência.[25][26][27] Contudo o tucano obteve uma votação pouco maior que a de José Serra nas eleições de 2010;[28] Dilma venceu com 70,20% dos votos válidos no estado, contra 29,80% do mineiro - uma diferença de quase dois milhões de votos.[29][30][31] Câmara e seu partido decidiram adotar uma postura independente em relação ao governo federal, com vetos a qualquer possibilidade de integrantes da legenda ocuparem cargos durante o segundo mandato da presidente Dilma Rousseff.[32][33]

Governador de Pernambuco[editar | editar código-fonte]

Paulo Câmara foi empossado no cargo de governador em 1º de janeiro de 2015.

Em 2016 enquanto estava a frente do executivo estadual entrou em uma polêmica ao nomear os filhos do ex-governador Eduardo Campos, a cargos na prefeitura e governo do estado.[34] João Campos, que tinha então 22 anos foi indicado como chefe de Gabinete do governador, a mesma função que o pai ocupou no segundo governo de Miguel Arraes (1987-1990). A classe artística do estado organizou protestos contra a indicação, afirmando que Paulo Câmara estava reproduzindo os "padrões antigos da política Nordestina".[35][36]

Referências

  1. «Governador Paulo Câmara». www.pe.gov.br. Consultado em 12 de julho de 2015 
  2. «Paulo Câmara». 3 de maio de 2014. Consultado em 13 de novembro de 2016 
  3. Camarotto, Murillo (20 de fevereiro de 2014). «Eduardo Campos escolhe secretário da Fazenda como sucessor em PE». Valor Econômico 
  4. «Paulo Câmara será o candidato do PSB ao governo de Pernambuco». Pernambuco. 20 de fevereiro de 2014 
  5. «Pesquisa Ipespe: Paulo Câmara abre 10 pontos de vantagem sobre Armando Monteiro». Diário de Pernambuco. 25 de setembro de 2014. Consultado em 13 de novembro de 2016 
  6. «Paulo Câmara - Sobre». www.facebook.com. Facebook. Consultado em 13 de novembro de 2016 
  7. «Frente Popular lança Paulo Câmara para governo de Pernambuco». www.psb40.org.br. Consultado em 13 de novembro de 2016 
  8. Drayton Nejaim. «Administração Pública"A dinâmica da gestão pública é mais lenta. Entender o funcionamento da máquina é fundamental..." (entrevista com Paulo Câmara)». Revista Negócios PE. Consultado em 20 de Setembro de 2014 
  9. «Paulo Câmara tem 39% e Armando Monteiro, 33%, aponta Datafolha». Eleições 2014 em Pernambuco. 10 de setembro de 2014 
  10. «Datafolha em PE: Paulo Câmara sobe e lidera sozinho». VEJA.com. 10 de setembro de 2014 
  11. Mercado e Eventos (6 de abril de 2010). «Paulo Câmara assume Secretaria de Turismo de Pernambuco». Consultado em 20 de setembro de 2014 
  12. «Galeria de Secretários». 2 de julho de 2016. Consultado em 13 de novembro de 2016 
  13. Rosália Rangel (26 de fevereiro de 2014). «Paulo Câmara deixará a Secretaria da Fazenda depois do carnaval». Diario de Pernambuco. Consultado em 20 de setembro de 2014 
  14. G1 PE (16 de setembro de 2014). «Em PE, Paulo Câmara tem 38% e Armando Monteiro, 32%, diz Ibope». Globo.com. Consultado em 20 de setembro de 2014 
  15. «"Efeito Campos" impulsiona candidato de Pernambuco em 23 pontos, mostra Datafolha». www.infomoney.com.br. Consultado em 13 de novembro de 2016 
  16. «Datafolha: em PE, Câmara sobe 23 pontos e empata com Armando Monteiro». VEJA.com. 4 de setembro de 2014 
  17. «Datafolha em PE: Paulo Câmara venceria no 1º turno». VEJA.com. 2 de outubro de 2014 
  18. «Paulo Câmara, do PSB, é eleito governador de Pernambuco». G1. Consultado em 5 de outubro de 2014 
  19. Serra, Bruna (23 de fevereiro de 2014). «Paulo Câmara, o discreto técnico do novo PSB». Jornal do Commercio 
  20. «Paulo Câmara, do PSB, é eleito governador de Pernambuco». G1. Consultado em 5 de outubro de 2014 
  21. UOL (6 de outubro de 2014). «Amazonas tem a disputa mais apertada para governador; PE, a mais folgada». Consultado em 11 de outubro de 2014 
  22. Marina Pinhoni (5 de outubro de 2014). «Governo Paulo Câmara é também reviravolta da morte de Campos». Exame.com. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  23. NE10 (6 de outubro de 2014). «Se Pernambuco fosse o Brasil, Marina iria para o 2º turno com Dilma». Consultado em 11 de outubro de 2014 
  24. Agência Estado (5 de outubro de 2014). «Paulo Câmara é o novo governador de Pernambuco». O Tempo. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  25. Bianca Bibiano (5 de outubro de 2014). «PE: governador diz que defenderá apoio do PSB a Aécio». veja. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  26. Talita Fernandes (11 de outubro de 2014). «Paulo Câmara ao site de VEJA: 'Brasil pode melhorar com Aécio'». veja. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  27. Pernambuco 247 (7 de outubro de 2014). «PSB pernambucano decide pelo apoio a Aécio Neves». Brasil 247. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  28. G1.globo.com (3 de novembro de 2010). «Dilma Rousseff (PT) venceu José Serra (PSDB) e foi eleita presidente.». G1 SP. Consultado em 27 de outubro de 2014 
  29. G1.globo.com (26 de outubro de 2014). «Veja os resultados da eleição do 2º turno em Pernambuco.». G1. Consultado em 27 de outubro de 2014 
  30. JC Online (26 de outubro de 2014). «Dilma conseguiu ter 70,26% dos votos válidos no Estado, contra 29,74 do tucao - uma diferença de quase dois milhões de votos». JC Online. Consultado em 27 de outubro de 2014 
  31. Vitor Sorano (23 de outubro de 2014). «2º turno testa força do PSB e da família de Campos em Pernambuco». Ultimo Segundo. Consultado em 27 de outubro de 2014 
  32. Tércio Amaral (27 de novembro de 2014). «Paulo Câmara quer o PSB com posição independente em relação a Dilma». Diário de Pernambuco. Consultado em 27 de novembro de 2014 
  33. «PSB opta por postura independente em relação ao governo Dilma». Diário de Pernambuco. 27 de novembro de 2014. Consultado em 27 de novembro de 2014 
  34. «Filho de Eduardo Campos, de 22 anos, vira chefe de gabinete». Exame.com. Consultado em 19 de fevereiro de 2016 
  35. «Filho de Eduardo Campos toma posse como chefe de Gabinete de PE». Pernambuco. Consultado em 19 de fevereiro de 2016 
  36. «Artistas de Recife farão protesto contra nomeação de filhos de Campos». jornal. Consultado em 19 de fevereiro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
João Soares Lyra Neto
Governador de Pernambuco
2015–
Sucedido por