Palácio do Campo das Princesas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Palácio do Campo das Princesas
Tipo Residência oficial
Arquiteto Firmino Herculano de Morais Âncora
Inauguração 1841
Geografia
País Brasil
Local Recife, Pernambuco,
 Brasil
Coordenadas 8° 03' 36" S 34° 52' 39" O

O Palácio do Campo das Princesas é a sede administrativa do poder executivo do estado brasileiro de Pernambuco, localizada na cidade do Recife.[1][2][3] Idealizado desde 1786 pelo governador José César Meneses, foi construído em 1841 pelo engenheiro Morais Âncora, a mando do governador Francisco do Rego Barros, no local onde ficava o Erário Régio.

Localiza-se no bairro de Santo Antônio (Ilha de Antônio Vaz), na Praça da República, próximo ao Teatro de Santa Isabel e ao Palácio da Justiça.

À sua frente está plantado um baobá secular, possivelmente fonte de inspiração de Saint Exupéry quando escreveu O Pequeno Príncipe.[Nota 1][4][5][6][7]

História[editar | editar código-fonte]

Fachada do Palácio do Campo das Princesas à noite.

Nas suas cercanias jaziam, a oeste, os escombros do que outrora foi o Palácio de Friburgo, sede do governo nassoviano durante as invasões holandesas.

Sua construção é datada de meados do século XIX, quando, em 1841, o então governador Francisco do Rego Barros, futuro Conde da Boa Vista, mandou o engenheiro Firmino Herculano de Morais Âncora construir o Palácio Provincial que a República transformaria em Palácio do Estado.[8]

Em 1859 sofreu uma reforma para hospedar o imperador Dom Pedro II, a imperatriz Dona Teresa Cristina de Bourbon-Duas Sicílias e suas filhas, ocasião em que recebeu o nome de Campo das Princesas,[8] inicialmente dado ao jardim, depois estendendo-se a denominação ao Palácio.

Vista aérea da Praça da República, na Ilha de Antônio Vaz. O Palácio do Campo das Princesas está situado próximo à margem da confluência do Rio Capibaribe com o Rio Beberibe.

No ano de 1920, o prédio foi amplamente reformado, ocasião em que se construiu mais um pavimento, a fim de abranger todo o corpo do edifício, dando-lhe mais amplitude. Tais obras foram concluídas somente em 1922, durante o governo interino de Severino Pinheiro, devido à morte do governador José Rufino Bezerra Cavalcanti.

Fotografia do palácio em 1928.

Entre 1926 e 1930, no governo de Estácio Coimbra o palácio foi remodelado, decorado e mobiliado.

No ano de 1967, o palácio chegou a servir de sede para o governo da República, na época do presidente Arthur da Costa e Silva e do) governador (Nilo de Sousa Coelho)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Há histórias que dizem ser o Baobá da Praça da República, outras falam do baobá de Natal, que é maior que o recifense, pois há relatos de que Sain Exupéry visitou ambas as cidades quando estava escrevendo "O Pequeno Príncipe".

Referências

  1. (1 de outubro de 2016). «Palácio do Campo das Princesas proporciona uma aula de história brasileira». Acervo. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  2. «Palácio do Campo das Princesas». Visit Recife. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  3. «Recife - Palácio do Campo das Princesas -ipatrimônio». Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  4. «O Baobá e o Pequeno Príncipe - O Reverso do Mundo». oreversodomundo.com. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  5. «Na trilha de Saint-Exupéry». ISTOÉ Independente. 15 de abril de 2009. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  6. Jornal do Comércio
  7. Biblioteca IBGE
  8. a b Fundaj