Palácio da Abolição

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Palácio da Abolição
Imagem do Palácio da Abolição no site oficial do governo do Ceará.
Tipo Sede do Governo do Estado do Ceará
Estilo dominante Modernismo e Arquitetura brutalista[1]
Arquiteto Sérgio Bernardes
Inauguração 4 de julho de 1970 (47 anos)
Demolição 2011
Proprietário atual Governo do Estado do Ceará
Dimensões
Número de andares 2 andares e 1 subsolo
Local Fortaleza, Ceará,
 Brasil
Endereço Av. Barão de Studart, 505 - Meireles, Fortaleza - Ce - CEP: 60.120-000
O Mausoléu do Presidente Castello Branco faz parte do conjunto projetado por Sérgio Bernardes.

O Palácio da Abolição é um prédio do Governo do Ceará onde sedia a sede de despachos do Governador do Estado.

História[editar | editar código-fonte]

Foi inaugurado em 4 de julho de 1970, o projeto é do arquiteto Sérgio Bernardes e os jardins de Fernando Chacel. Foi a sede de despachos do governador até 1986. Tasso Jereissati ao tomar posse como governador transferiu a sede para novas instalações: para o Palácio do Cambeba, situado no bairro Cambeba,[2] deixando o palácio como sede de alguns órgãos estaduais.

As obras foram iniciadas em 16 de novembro de 1962 em terreno desapropriado de Carlos Gracie pelo governador Parsifal Barroso. Em 2004 o conjunto arquitetônico foi tombado pelo estado do Ceará devendo voltar a ser a sede do governo em 2010.[3]

Em 25 de março de 2011, o Palácio da Abolição voltou a ser a sede do Governo Estadual.[4]

Palácio da Luz[editar | editar código-fonte]

Antes de 1970 o edifício oficial do governo do estado era o Palácio da Luz, atual sede da Academia Cearense de Letras[5].

Palácio Iracema[editar | editar código-fonte]

Em 2003, o governo de Lúcio Alcântara muda a sede do Poder Executivo para o Palácio Iracema[6], localizado no Centro Administrativo Bárbara de Alencar. E em 2011, com a volta do executivo para o Palácio da Abolição, o Palácio Iracema passa a funcionar como gabinete oficial da Vice-Governadoria do estado do Ceará.

Governos residentes[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. ARAUJO, Nearco; COSTA, Campelo; LINHEIRO, Domingos. Cadernos de arquitetura cearense.
  2. GABRIELE, Maria Cecília Filgueiras Lima; SAMPAIO NETO, Paulo Costa .“UM PALÁCIO DESTRONADO...” [1]. Porto Alegre; ufrgs, 2007
  3. «Palácio da Abolição será sede do governo». Diário do Nordeste. 7 de fevereiro de 2008. Consultado em 23 de janeiro de 2009 
  4. «Palácio da Abolição volta a sediar Poder Executivo Estadual». Gabinete do Governador. 25 de março de 2011. Consultado em 05 de julho de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  5. Revista da Academia Cearense de Letras, ano CXII, edição 68, 2007. ISSN 0102-8820
  6. CEARÁ, Governo do. Palácio da Abolição. gabgov.ce.gov.br Acesso em 19 de julho de 2017.
Bibliografia
  • AZEVEDO, Miguel Ângelo. Cronologia Ilustrada de Fortaleza. Fortaleza; Programa editorial da Casa de José de Alencar, 2001.
Ícone de esboço Este artigo sobre um palácio é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.