Amaro de Azambuja Vila Nova

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Amaro de Azambuja Villanova (Rio Grande do Sul, 18 de abril de 1879[onde?],[quando?]) foi um militar e político brasileiro.[1]

Foi casado com Maria Augusta de Moura e Cunha Villanova. Pai de Antonio Carlos Villanova (co-fundador da Polícia Técnica Federal) e Maria Helena Villanova. Amigo íntimo de Getulio Vargas, foi o primeiro general de quatro estrelas do Brasil.

Bacharel em matemática e ciências físicas, fez também os cursos de estado-maior, de engenharia e de revisão.[1]

Em 10 de novembro de 1937, com a implantação do Estado Novo, foi designado interventor federal em Pernambuco. Em 15 de novembro foi promovido a general-de-brigada. Exerceu o comando do Executivo pernambucano apenas até dezembro de 1937, quando transferiu o cargo para Agamenon Magalhães.[1][2]

Em abril de 1940 foi promovido a general-de-divisão e transferido para a reserva. Em maio de 1951 tornou-se general-de-exército.[1]

Referências

Precedido por
Carlos de Lima Cavalcanti
Interventor federal em Pernambuco
1937
Sucedido por
Agamenon Magalhães


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.