Tomás Antônio Maciel Monteiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tomás Antônio Maciel Monteiro
Nascimento 1780
Morte 24 de novembro de 1847 (67 anos)
Cidadania Brasil
Alma mater Universidade de Coimbra
Ocupação magistrado, político, juiz

Tomás Antônio Maciel Monteiro, 1.º barão de Itamaracá, (PernambucoRecife, 24 de novembro de 1847) foi um magistrado e político brasileiro.

Filho de Antônio Francisco Monteiro e Joana Ferreira Maciel Gouvim, formou-se na Faculdade de Direito do Recife. Casou-se com Ana Augusta Tavares Osório Maciel da Costa, filha do marquês de Queluz. Era tio de Antônio Peregrino Maciel Monteiro, 2.º barão de Itamaracá.[1]

Foi deputado geral e depois vice-presidente da província de Pernambuco, nomeado por carta imperial de 9 de abril de 1839, de ? até 3 de novembro de 1840.

Foi tenente-coronel da Guarda Nacional e nomeado ministro do Supremo Tribunal de Justiça em 1842.[2]

Agraciado com a comenda da Imperial Ordem de Cristo.

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  • Honorato, Manuel da Costa: Dicionário Topográfico, Estatístico e Histórico da Província de Pernambuco, 1863.


Precedido por
Francisco do Rego Barros
Presidente da província de Pernambuco
1840
Sucedido por
Francisco do Rego Barros
Precedido por
Vicente Tomás Pires de Figueiredo Camargo
Presidente da província de Pernambuco
1840
Sucedido por
Manuel de Sousa Teixeira
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. «Antônio Peregrino Maciel Monteiro, 2º barão de Itamaracá». ihgb.org.br. Consultado em 21 de agosto de 2017. 
  2. «Ministros :: STF - Supremo Tribunal Federal». www.stf.jus.br. Consultado em 21 de agosto de 2017.