José Antônio da Costa Porto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Costa Porto
Nome completo José Antônio da Costa Porto
Nascimento 16 de junho de 1909
Canhotinho
Morte 3 de dezembro de 1984 (75 anos)
Recife
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Advogado, jornalista, historiador e político
Principais trabalhos Pinheiro Machado e seu tempo
Prémios Prêmio Pereira da Costa (1952)

José Antônio da Costa Porto, mais conhecido como Costa Porto (Canhotinho, 13 de junho de 1909[1]Recife, 3 de dezembro de 1984) foi um advogado, jornalista, historiador e político brasileiro.[2]

Cursou humanidades no Seminário de Olinda, bacharelando-se em ciências jurídicas e sociais na Faculdade de Direito do Recife, em 1941[1]. Seguiu a carreira jornalística, tendo trabalhado inicialmente no Jornal do Commercio, passando mais tarde a superintender os Diários Associados no Recife. Ingressou também na vida política, sendo um dos fundadores do Partido Liberador no estado. Elegeu-se deputado federal e participou dos trabalhos da Assembleia Constituinte em 1946. Foi Ministro da Agricultura, no governo Café Filho[1], presidente do Banco do Nordeste do Brasil (1954) e do Banco do Estado de Pernambuco (1965). Autor de extensa bibliografia, trouxe contribuições definitivas ao entendimento da evolução do pensamento brasileiro.

Formação[editar | editar código-fonte]

Atividades docentes[editar | editar código-fonte]

  • História da Filosofia e da Literatura
  • Direito Administrativo
  • Direito Romano [2]
  • Teoria Geral do Estado

Cargos públicos[editar | editar código-fonte]

Atividades como jornalista[editar | editar código-fonte]

Atividades literárias[editar | editar código-fonte]

Livros publicados = 25[editar | editar código-fonte]

  • Pinheiro Machado e seu tempo, 1951, Livraria José Olympio Editora.
2ª. ed.), 1985, L&PM / Instituto Nacional do Livro;
  • História da Restauração Pernambucana,1953, Recife-PE, Departamento de Documentação e Cultura da Prefeitura do Recife;
  • Da pátria potestas, 1954, Recife-PE, UFPE - Editora Universitária. Tese com que se apresenta a concurso para a livre docência de Direito Romano, na Faculdade de Direito, da Universidade do Recife (UFPE).
  • Do nexum, 1957, Recife-PE, UFPE - Editora Universitária. Tese com que se apresenta a concurso para a livre docência de Direito Romano, na Faculdade de Direito, da Universidade do Recife (UFPE).
  • O pastoreio na formação do Nordeste, 1959, Rio de Janeiro-RJ, MEC Ministério da Educação e Cultura - Imprensa Nacional;
  • Duarte Coelho, 1961, Brasil, MEC Ministério da Educação e Cultura - Imprensa Nacional;
  • Estudo sobre sistema sesmarial no Brasil, 1965, Recife-PE, UFPE - Imprensa Universitária. 2ª edição em 1985, pela Editora UnB, Brasília-DF;
  • Os tempos de Barbosa Lima, 1966, Recife-PE, Imprensa Oficial - Coleção Concórdia. reedição em 1985, Ed. Itatiaia - USP, Belo Horizonte;
  • Nos tempos do visitador, 1968, Recife-PE, UFPE Universidade Federal de Pernambuco;
  • Estatuto das vilas do Brasil Colonial, 1970, Recife-PE;
  • Os tempos de Rosa e Silva, 1970, Recife-PE, UFPE - Editora Universitária;
  • Os tempos de Dantas Barreto, 1973, Recife-PE, UFPE - Editora Universitária;
  • O Marquês de Olinda e seu tempo, 1974, Recife-PE, Conselho Estadual de Cultura e impresso na UFPE. reedição em 1985, Ed. Itatiaia - USP, Belo Horizonte;
  • Pequena história da Confederação do Equador, 1974, Recife-PE, Sec. de Educação do Estado de Pernambuco - Departamento de Cultura;
  • A propósito das terras devolutas, 1975, Caruaru-PE;
  • Os tempos de Estácio Coimbra, 1977, Recife-PE, UFPE - Editora Universitária;
  • Os tempos de Lima Cavalcanti, 1977, Recife-PE, Sec. de Educação do Estado de Pernambuco;
  • Canhotinho (PE) - notas sobre suas origens e evolução política, 1978, Recife-PE, Secretaria de Planejamento de Pernambuco, FIAM - Centro de Estudos de História Municipal;
  • Os tempos de Duarte Coelho, 1978, Recife-PE, Sec. de Educação e Cultura - Departamento de Cultura do Governo de Pernambuco;
  • Os tempos de Gervásio Pires, 1978,  Recife-PE, UFPE - Editora Universitária;
  • Livreto-Reportagem: A experiência de Tiriri “E a abóbada não caiu”, 1980, Recife-PE;
  • Os tempos da Praieira, 1981, Recife-PE, Prefeitura Municipal do Recife-Fundação de Cultura;
  • Formação territorial do Brasil, 1982, Brasília - DF, Ministério da Justiça - Fundação Petrônio Portella;
  • O açúcar num documento colonial, 1984, Recife-PE, Secretaria de Justiça de Pernambuco, FIAM - Centro de Estudos de História Municipal;
  • Os tempos da República Velha, 1986, Recife-PE, FUNDARPE - Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco.

Atividades políticas[editar | editar código-fonte]

Na Assembleia Constituinte de 1946, apresentou uma emenda, dando aos estados o direito de legislar supletivamente sobre o cooperativismo, e defendeu a denominação de Língua portuguesa ao idioma falado no Brasil.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d CPDOC - José da Costa Porto
  2. a b c d e f g h i FGV
  3. a b c d e f g h LIMA, Paulo Ramos de Andrade- Nazaré: Sua origem, sua história - Os Andrade Lima. Recife: Gráfica Inojosa, 2001.


Precedido por
Apolônio Jorge de Faria Sales
Ministro da Agricultura do Brasil
1954 — 1955
Sucedido por
Bento Munhoz da Rocha